terça-feira, julho 1

Juntos na diversidade

Santa Casa da Misericórdia de Lisboa celebra este mês o seu 510º aniversário.
Para assinalar a efeméride associa-se ao Ano Europeu do Diálogo Intercultural, cujo lema é «Juntos na diversidade», promovendo, através de vários eventos, boas práticas para a divulgação do diálogo intercultural e da inclusão social. E, sobretudo, a consciência colectiva de que a responsabilidade social tem tanto de dimensão individual como de colectiva.
Neste SC não queremos deixar de assinalar esta data e discutir o conceito de inclusão social.

Convidados:
Rui António Ferreira da Cunha, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
Rosário Farmhouse, Alta Comissária para a Imigração e Diálogo Intercultural
Isabel Stilwell, Jornalista, Directora do Destak

12 comentários:

Andreia disse...

Boa tarde a todos,
Que bela "pescadinha de rabo na boca". Penso que para haver inclusão social é preciso reunir as quatro areas referidas. São todos pilares fundamentais. Mas após uma breve reflexão, penso que o EMPREGO é o fundamental, pois ele pode proporcionar todos outros.... Mas por outro lado, como ter acesso a um emprego digno sem educação, saúde e habitação. Vou estar atenta ao programa para obter respostas.
É sempre um prazer refletir neste blog,
Andreia

Adriano Reis disse...

Os meus parabéns a Santa Casa, faz sentido a vertente de inclusão social, associado a Santa Casa, sendo imigrante conheco vários acções sociais que a Santa casa têm vindo a fazer, tais como oferta de espaços para sedes sociais de imigrantes bem com, para realizações de actividades recreactiva e Culturais e acredito que é uma das instituição que mais têm vindo a ajudar a Sociedade Portuguesa e não só.

manucha disse...

Boa tardes
Apesar de algumas instituições se empenharem nesta questão,penso que o ponto fulcral está na mudança de mentalidades e de prioridades.
Hoje em dia são muito poucas as pessoas que saem do "frenesim" do seu dia a dia e param para pensar neste e noutros problemas da nossa sociedade.
Infelizmente tornamo-nos em adultos individualistas e egoistas, onde a forma mais facil é precisamente passar ao lado e fingir não ver!
È necessário reeducar mentalidades e muito importante, educar as nossas crianças para a diferença, saber ser diferente e saber respeitar e ajudar quem é diferente.
Só assim poderemos ter uma sociedade mais feliz, mais sensivel e menos individualista!
Afinal...
Todos diferentes, todos iguais !

AG disse...

Apesar dos resultados da votação quero salientar a importância da HABITAÇAO na (des)agregação das comunidades!!

---

Pegando no filme do realizador português Pedro Costa “ Juventude em Marcha”, é lançada para a película: a temática da (re)integração e da (re)contextualização de todo um património imaterial ( tradições, cultura, de pessoas!! ) e edificado de uma comunidade residente (neste caso ) no Bairro das Fontainhas que é lançada para um bairro: encaixotado;
branco de experiência;
e ASSÈPTICO na recepção de
“ uma realidade tão FERIDA, tão DESAGREGADA e tão HUMANA.


---

Ana G.

Tomaz disse...

sou português de 36 anos, não me vejo doutra forma, muito embora quando as pessoas me conhecem a primeira pergunta seja de onde vens.
a inclusão deveria partir também dos media, porque embora sinta português não me revejo na comunicação social, nomeadamente programas de televisão ou outros, como poderá haver inclusão se existe exclusão na televisão

lady_blogger disse...

Há por aí instituições da SCM que de misericordiosas têm pouco. Falo por exemplo de algumas creches/infantários em que as crianças estão longe de serem pobres.
Noutros casos gerais a SCM deveria preocupar-se mais e servir mais para ajudar do que para apontar o dedo.
Todavia a questão da responsabilidade social deve ser uma preocupação que não se deve restringir somente aos organismos de solidariedade social.


CC

Maria Mendes

Carlos Ribeiro disse...

O tema da inclusão social é de facto omplexo e desafiador. Nos processos de inclusão - que não de inserção ou integração que pressupõem uma imposição da sociedade sobre o individuo e a sua cultura peculiar (integrar implica a adptação do sujeito às regras maioritárias)- na inclusão admite-se um ajustamento das partes. Incluir é integrar negociando, adaptando. Nestes termos dos processos de inclusão social com imigrantes por exemplo, a sociedade fica sempre a ganhar e o laço social sai reforçado.
Actualmente o que é determinante para uma inclusão social ainda mais qualificada é a ligação da inclusão social ao Empreendedorismo social e de forma mais precisa ao Empreendedorismo Inclusivo.
Este tema do Empreendedorismo Inclusivo seria um excelente tema para o Sociedade Civil, programa impar na Tv portuguesa.

Carlos Ribeiro
Psicólogo Social
Animador de Redes Temáticas da Iniciativa Comunitária EQUAL.

Joana disse...

parabéns ao serviço prestado pela santa casa.
a nossa questão é: quem apoia as pessoas/os funcionários que apoiam os mais necessitados? quem é que apoia aquelas pessoas quem têm de entrar nas casas de famílias disfuncionais, e retirar as crianças à força, para sua própria segurança..?onde está o apoio psicológico desses funcionários?
como podem fazer o seu trabalho de forma equilibrada?
joana e natália

Joana disse...

parabéns ao serviço prestado pela santa casa.
a nossa questão é: quem apoia as pessoas/os funcionários que apoiam os mais necessitados? quem é que apoia aquelas pessoas quem têm de entrar nas casas de famílias disfuncionais, e retirar as crianças à força, para sua própria segurança..?onde está o apoio psicológico desses funcionários?
como podem fazer o seu trabalho de forma equilibrada?
joana e natália

msptx disse...

A Ordem dos 4 Pilares:

Sem saúde não se educa;
Sem educação não se consegue emprego;
Sem emprego não se tem dinheiro para pagar uma habitação;

1. Saúde
2. Educação
3. Emprego
4. Habitação


Mário N. Brito
www.msptx.com

Sininho disse...

Boas tardes!!!
Penso não estar errada quando afirmo que a estabilidade psicológica e emocional também é um factor importantíssimo na inclusão social. Daí que, creio, o apoio familiar e as relações sociais que cada pessoa mantém com as suas redes sociais terem um papel fulcral no envolvimento de cada um na sociedade.

Marta

jose gomes disse...

JUNTOS NA DIVERSIDADE
O MEU RECONHECIMENTO AOS RESPONSÁVEIS POR ESTE ESPAÇO.
O MEU RECONHECIMENTO AOS QUE PROMOVEM E AOS QUE DEBATEM OS TEMAS.
É URGENTE ENTENDER QUE ALGO ESTÁ MUITO ERRADO CÁ POR CASA QUANDO SE TORNA NECESSÁRIO FALAR DA INCLUSÃO DOS OUTROS, DOS DE FORA.
A INCLUSÃO COMEÇA NO EQUILIBRIO DE CADA PESSOA NA SUA DUALIDADE, PROJECTANDO-SE NA SUA FAMÍLIA, NA SUA VIZINHANÇA ATÉ ABRANGER O UNIVERSO.
CRIEMOS ESPAÇOS PARA PROMOVER A INCLUSÃO DA PESSOA QUE NESTE MOMENTO SE SENTE ESMAGADA PELAS INSTITUIÇÕES DO PODER.
PAREMOS UM MINUTO DE NOS CONTORCERMOS NO PÂNTANO DO SISTEMA POLÍTICO-RELIGIOSO.
ENTREMOS NO CASULO DA MEDITAÇÃO, DA ANÁLISE DOS VERDADEIROS VALORES.
SÓ ENTÃO SAIREMOS VOANDO EM EQUILIBRIO UNIVERSAL.
.um abraço para todos
.jose gomes
equilibriosg@gmail.com