segunda-feira, junho 15

Como lidar com o fracasso?

“Eu não mereço”, “eu não sou capaz” ou “eu sou um fracasso”. Eis algumas expressões que muitos utilizam para justiçar a suas inabilidades para certas tarefas. Uns de forma natural, outros pelas próprias circunstâncias da vida.
Falência, divórcio, desemprego, insucesso escolar são apenas alguns factos que associamos a fracasso. E em fases de baixa auto-estima, solidão e dificuldades, poucos são os que se agarram às ideias de que “errar é humano” ou que “mais vale tentar”.
Por fazer parte da vida de qualquer pessoa e do seu crescimento pessoal, o Sociedade Civil dedica um programa a esta temática. À volta da ideia: “Pior do que fracassar é nunca sequer tentar” . Vamos reunir os melhores especialistas para aprender e ensinar a lidar com o fracasso e, acima de tudo, perceber: é possível evitá-lo?
Convidados:
José Ferreira - Psicólogo
Miguel Faro Viana - Vice-Presidente da Associação Portuguesa dos Gestores e Técnicos dos Recursos Humanos
Nuno Delgado - Ex-Judoca
Miguel Monteiro - ANJE

19 comentários:

Fernando Batista disse...

O fracasso começa pela sensação de medo, que provoca paralisias e o adiamento de acções/decisões.
as pessoas que desistem são fracassados.
é preciso acreditar ir à luta. onde estão todos os colegas do Cristiano Ronaldo que estavam com ele na Academia do Sporting? o que é que fizeram de diferente?
Não temos de ser Cristianos Ronaldos (ele não quis ser Eusébio, temos que ser nós prórpios a partir das nossas próprias vidas. Lutem, persistam e persistam. definam objectivos pessoais assim como as empresas definem os eus objectivos. sejam profissionais de voçês mesmos.
Fernando Batista

joao mendes disse...

na minha opiniao so as pessoas que querem é que se acham fracassadas...todas as pessoas têm talento...basta persistirem e procurar os seus proprios talentos e acima de tudo terem sempre força de vontade para estar sempre "na mó de cima"...

cumprimentos
Joao Mendes

joao mendes disse...

sou estudante do 12ºano e para mim os exames vao começar na quarta feira e estou sob uma grande pressao( esta feita pelos meus familiares e amigos) pois é o segundo ano que frequento o 12ºano mas tou muito confiante e sinto que a pressão é um bom factor pois assim obtemos mais confiança para "vencer" este objectivo que é seguir para o ensino superior...

roler33 disse...

Olá Fernanda Freitas,

Não será que falhamos porque a sociedade disse que tivemos essa falha? Eu explico:
- Os valores da sociedade é que definem o que é fracasso e o que não é.

A psicologia intercultulral explica isto. Muitas das vezes os fracassos são sucessos em determinadas sociedades.

Não reside aqui a nossa felicidade, ou seja, o que para mim são exitos?

Cumprimentos,
José Maria Bompastor
(Vila do Conde)

World Music for Babies disse...

Boa tarde Fernanda,

Estou em casa muito atenta a ver/ouvir o seu programa e à sua plateia de convidados e gostaria de deixar o seguinte pensamento:

Quando somos bebés “fracassamos” milhões de vezes quando estamos a aprender a andar e mais outros milhares de milhões de palavras mal ditas quando aprendemos a falar. Nessa altura ainda não temos nem conhecemos o que é o medo, esta barreira tão difícil de ultrapassar. Mas se pensarmos durante o percurso da nossa vida nestes dois feitos absolutamente herculeanos, perceberemos mais facilmente que o cair várias vezes faz parte do processo de aprender a andar e mais tarde correr!


Cumprimentos para todos!

Carla Alves

Rui disse...

Aproveitar o erro para melhorar é óptimo mas reconhecer os erros para conseguir avançar por vezes é a parte mais complicada!"Onde é que estamos a errar?" Esta será a pergunta mais dificil de responder!!
Rui Cardoso

Teresa disse...

Boa tarde,

Estou a seguir atentamente o programa de hoje e existem de facto projectos fantásticos para mudarmos a nossa sociedade, como tal ao tomar hoje conhecimento com a Companhia do Optimismo, fiquei interessadíssima em tudo o que escutei.Estou no fim do 2º ano da licenciatura em Animação Sociocultural,gostava de saber como poderia contactar com o Psicólogo José Ferreira para quem sabe um dia poder colaborar com esta "Companhia". Obrigada também ao Sociedade Civil. Maria Ribeiro

Sofia disse...

Este tema foi bem escolhido, é exactamente aquilo que estou a frequentar na formação de empreeendedorismo em recta final.
Tenho 36 anos e bem em breve, espero que seja aprovado projecto para criação de postos de trabalho.
Realmente existem imensas pessoas que acham que o meu projecto vai ser um fracasso sem o conhecer, sem saber realmente os objectivos do projecto.
Mas depois de ouvir o que se está a falar neste debate mais os dados adquiridos pelo meu formador ( eng e consultor)........ não vou desistir.
Porque se fracassar é uma forma de aprendizagem e que futuramente servirá para me ajudar.
Adorei o tema.....
Sofia Richau

David disse...

O fracasso é o caminho da aprendizagem, sou um jovem de 18 anos e tenho por escrito alguns objectivos que quero cumprir mas sei principalmente para jovens existe uma relutância muito grande apesar dos os projectos terem uma grande perspectiva. Acho que a sociedade portuguesa ainda tem de evoluir e pensar que uma triagem a quem já fracassou pode trazer grandes resultados.
Aproveito também para poder perguntar Até que ponto a preocupação com o fracasso ou não de um projecto pode influir no resultado do mesmo? e o que devemos pensar dos factores externos que nos levam ao fracasso no nosso projecto ou objectivo?

David Lopes

Grilo disse...

por falar em construir uma vida como uma empresa.. fica aqui este poema do fernando pessoa...

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
um oásis no recôndito da sua alma .
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um 'não'.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."

Fernando Pessoa

Cristina Rocha disse...

Boa tarde!
Quem constrói a sorte somos nós.
É preciso mostrar sempre optimismo, persistência e responsabilidade.
Estamos sempre a aprender, todos os dias.

Susana Feitor disse...

Alô Sociedade Civil... Great Show!
peguei agora no programa e não pude deixar de fazer um comentário, pois o tema toca qualquer um de nós...Mas o grande Nuno (beijinhos) acabou por dizer o que estava para escrever... Mas estando eu numa fase especial da relação do sucesso com o fracasso, senti o tema dum modo mais vincado que o habitual... A minha vida , em especial como desportista, ensinou-me que saber lidar com o fracasso/erro e depende bastante da forma como lidamos com o sucesso e com o que esperamos do sucesso, saber encarar o erro para transformar a próxima oportunidade num sucesso ou pelo menos em algo melhor, é o segredo! Devemos tentar usar o que se sente numa derrota numa oprtunidade para conquistar uma vitória!
Decifrar o que sentimos e o que queremos sentir, é fundamental...
Para mim a questão delicada está no processo de crescimento, em especial nos valores que vamos adquirindo ao longo da nossa vida!
Quero partilhar convosco esta minha crença, que sei ser felizmente partilhada por muitos, é que a prática desportiva é sem dúvida um dos meios complementares à familia mais fantásticos na educaçãos dos nossos jovens!
Saudações Desportivas. E bem haja Fernanda por manter a qualidade no SC!
Beijinhos.
Susana

Sofia disse...

Adquirir conhecimentos como gerir "algo" merece o seu comentário.Porque isto de ser empresário, haver crise, o porquê da crise, o porquê de lançar para um projecto,etc..... Isto tudo devidamente acompanhado por quem sabe, ajuda imenso.
Eu, na minha formação de empreendedorismo fez com que eu pensasse de outra forma sobre o mundo empresarial que nunca fazia a minima ideia.
É tb, baseado nesta formação tal como outras adquiridas que irei transmitir aos meus 2 filhos que errar é humano
Preservar no erro
É dialectico
(errare humann est....perservare audem diabolium)
Se temos objectivos, se somos convicentes, temos que passar para o papel esses objectivos.

Cumprimentos
Sofia Richau

Rodrigo Carreira disse...

Parabéns pelo vosso programa! Falando sobre o fracasso, eu queria expor o meu caso. Tenho um filho com 12 anos que tem um grande sucesso escolar, assim como desportivo.
Mas, também tenho uma filha com 6 anos que vai entrar este ano para a escola. E toda a gente lhe diz: "Tens de ser como o teu irmão", inclusivé alguns professores do irmão.
Gostava de saber como se lida com esta situação.
Obrigado
Francisco Carreira

joaocarreiras disse...

Sou estudante do 9º ano. Tenho resultados bastante bons de uma forma geral, não obtendo o nível cinco a 3 ou 4 disciplinas. Neste momento, encontro-me no momento em que tenho que decidir o agrupamento de disciplinas a seguir no 10º ano, mas não consigo decidir se devo optar pela área de ciências e tecnologias ou ciências sócio-económicas, devido ao grande medo de não obter bons resultados ou de não gostar daquilo que estiver a estudar.
Sinto-me bastante atraido pela economia, mas a pressão familiar que sinto em não arranjar emprego num cargo de chefia leva-me a ter medo de seguir a área de economia.
Tenho medo de falhar e de não conseguir arranjar emprego como os meus pais após a minha formação.

João Carreiras

Alexandra disse...

Eu gostaria de saber como enfrentar o fracasso no meu caso que estou desempregada, tenho ido a entrevistas, mas depois não me contactam mais... Sinto que "fracassei" nas entrevistas e não me queria deixar abater...

Pandora disse...

Boa Tarde sou estudante universitária e posso dizer que lidar com o fracasso nesta altura da vida é o que mais fazemos especialmente em época de exames, é frustrante estudar tanto e tirar numa escala de 0 a 20 um 5 ou um 6, ou até mesmo ouvir da boca de um professor "não sabe fazer melhor?", acho que sim que todos sabemos lidar com o fracasso a nossa maneira, uns desistem e passam a frente outros "batem com a cabeça na parede" até conseguirem depende muito de cada um não há formulas para o sucesso, esse somos nós que o fazemos! Detectar o erro para melhorar é sem dúvida o primeiro passo!

Sociedade Civil disse...

www.clubedooptimismo.pt

ram disse...

"Em geral, fracasso, refere-se ao estado ou condição de não atingir um objetivo desejado ou pretendido. Pode ser visto como o oposto de sucesso."

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Fracasso)

Considerando a definição acima, fracasso é o oposto de sucesso, está, por isso, directamente relacionado com a forma como cada um define 'sucesso'.

Se considerarmos 2 planos - o micro e o macro - normalmente temos um grande número de fracassos a nível micro (por exemplo quando estamos a aprender a andar de bicicleta vamos cair várias vezes) e alguns fracassos a nível macro (aprender a andar de bicicleta, no sentido lato, é algo que apenas podemos fracassar uma vez, ou seja, se nunca o conseguirmos. e uma vez conseguido é um sucesso que fica para sempre)

o que torna insuportável os pequenos fracassos (micro) é que a pressão é tremenda para atingir o sucesso (macro), sendo que este é definido na maior parte dos casos, e aqui reside o problema, pela sociedade e não pelo individuo

em geral, estamos demasiado condicionados pelo contexto (cultura, família, grupo social) em que vivemos, o que nos leva a dar um valor desmedido a determinadas coisas (por exemplo uma licenciatura ou um emprego, status, etc, quando isso na realidade não faz de nós melhores ou piores seres humanos)

concordo com um dos participantes: para definirmos o nosso 'sucesso' temos, primeiro, de nos conhecer a nós próprios. só assim conseguimos resistir às pressões externas, tornando-se mais fácil planear e resistir aos inevitáveis percalços que ocorrem no caminho

conhecer-mo-nos a nós próprios é o factor mais importante para o sucesso...mas isso já Sócrates disse há 2500 anos