quinta-feira, outubro 15

Vacinar: a melhor opção?

O Inverno é a época das vacinas, desde as do Plano Nacional de Vacinação às facultativas (gripe, pneumonia, etc.). Há, porém, uma corrente na comunidade médica que defende que os humanos devem criar anti-corpos para as doenças, e para tal devem entrar em contacto com as mesmas, prescindindo da vacinação. Já no que respeita à vacina para a gripe A (a 1ª fase de vacinação em Portugal começa na próxima semana), responsáveis pela saúde de todo o mundo vão espalhando a ideia de que não é totalmente segura. Que informações estão correctas? Quem deve ser vacinado? E para quê?
Convidados:
Etelvina Calé, Médica de Saúde Pública e Consultora da Direcção-geral da Saúde
Luís Távora Tavira, Professor de Microbiologia na Faculdade de Ciências Médicas – Universidade Nova de Lisboa e Director do Centro de Malária e Doenças Tropicais do Instituto de Medicina Tropical
Raúl Amaral Marques, Médico Pneumologista e Imuno Alergologista
Paulo Abreu, Enfermeiro Voluntário Internacional

38 comentários:

Martinha disse...

Alguém me pode explicar as recentes declarações da ex-ministra da Finlândia,Drª Rauni Kilde, sobre a gripe e nomeadamente sobre a vacina da gripe A?

jccfraga disse...

Temo que seja tudo um grande negócio que está a dar muito dinheiro a um punhado de gente sem escrúpulos. E com a ajuda do alarmismo geral, empolado por todos os órgãos de comunicação.
No final vai ser mais uma "gripe das aves", vão ter que inventar outra gripe para gastar tanto medicamento já fabricado.

Nutritech disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pe disse...

Apesar de dizerem que é obrigatório seguir o plano de vacinação (ou tomar outras vacinas) sem que tenhamos qualquer hipótese de escolha, tanto para nós próprios como para os filhos, a realidade é que isso não é verdade.

Nenhuma pessoa é obrigada a tomar vacinas se assim não quiser. Os pais podem por exemplo assinar uma declaração de responsabilidade pelos seus filhos, e assim estes não têm de tomar vacinas e podem ir para a escola, o que regra geral é muito melhor para a saúde, ao contrário do que se afirma.


Pessoalmente conheço casos de pessoas que nunca tomaram vacinas e têm melhor saúde que a generalidade das pessoas.

Também conheço pessoalmente pessoas que tiveram gripe suína durante poucos dias, e disseram que essa gripe não é nada de especial comparando com a gripe normal.



Depois temos alguns factos curiosos:

Por ano da gripe suína morrem em todo o mundo algumas centenas de pessoas, enquanto que pela gripe normal morrem muitos milhares de pessoas todos os anos, e nada disto passa pelos noticiários alarmistas, quando esta gripe é sim mais perigosa... estranho...

Os media e os governos têm também responsabilidades em toda esta histeria.

Cumprimentos

Jorge Brites disse...

Uma questão relativa á gripe A e até á sazonal.
Estudantes de Medicina e Enfermagem, que constantemente circulam entre as academias e os hospitais não deveriam também ser utentes de risco? em especial a Gripe A, que ataca em especial as classes mais jovens.

ortomixovirus disse...

Boa tarde. Considero um excelente tópico de debate na medida em que anda a circular pela internet (blogs/emails) muita desinformação sobre vacinas. Em particular sobre a vacina contra a estirpe pandémica do H1N1, onde são apresentados estudos de "médicos" que apelam há não vacinação. Um agora muito famoso é o de um video no youtube que retrata uma freira espanhola, supostamente médica a fazer campanha anti-vacinação.

Continuação do bom trabalho atá agora desenvolvido neste espaço.

Jorge Brites disse...

É uma questão de custos para Portugal, é muito mais barato uma vacina do que 1 ou 3 meses de tratamento (e se ele existir).
A OMS preconiza que é os Cuidados de Saúde Primários é onde se deve mais investir.

Captomente disse...

O que é lamentável é que este programa, que deveria ser um debate de ideias, está a tornar-se um entendiante monólogo... Não haveria uma única pessoa disponível a ir ao programa e que tivesse ideias contrárias aos dos convidados presentes? Propaganda FTW!

Cristina Rocha disse...

Boa tarde!
Então e os casos que entram nas urgências todos os dias, não noticiam isso?
Os casos de acidentes graves rodoviários (por exemplo), em que muitas pessoas dão entrada por traumatismos graves ou assim...

Cumprimentos

Anjos disse...

Olá boa tarde.
Sou mãe, tenho um menino com 4 anos com Fibrose Quística e uma menina com quase 2 anos.
Sei que o meu filho se encontra no grupo A, logo penso que será dos primeiros a ser vacinado. Como se processa? Aparecemos no centro de saude no dia 26? Esperamos que nos chamem?Os médicos não parecem estar muito informados.
Sou mãe a tempo inteiro, mas pondo o pior cenário de um de nós adoecer com a gripe A, ficamos numa situação muito complicada, pois quase ninguém se sente preparado para nos substituir nos cuidados a ter com o filho com Fibrose quística, e isso deixa-nos muito receosos.
Isto tirando do panorama a hipotese de o meu filho não ficar protegido após a vacina!Aí então a preocupação quadriplica!

Rita disse...

A gripe A é uma gripe. Como as outras. As pessoas que poderão ter um risco real em contraí-la são aquelas que têm fragilidades respiratórias ou um sistema imunitário debilitado.
Só se justifica a vacinação nestas pessoas, e sim, ela devia ser gratuita, pois é o país que beneficia com a redução de casos que terá depois de manejar no sistema nacional de saúde, havendo complicações sérias do estado de saúde de doentes como os que enunciei em cima. A isso se chama "ganho em saúde". Nem sequer os profissionais de saúde, devem ser vacinados, não existindo debilidade no seu estado geral de saúde.
Se teoricamente pudessem evitar uma vacina para as dores de cabeça, será que todos íamos vacinar-nos? Se a houvesse para o stress, também?
A maior parte das pessoas não saberá, mas nem tudo é bom quando administramos fármacos e produtos fabricados no nosso organismo, que sendo saudável, está preparado para nos defender de agentes patogénicos, ainda que com alguns sintomas que teremos de aceitar e que apenas mostram a guerra interna que está a decorrer no nosso sistema imunitário.
E nunca esquecendo que mesmo realizando a vacinação, continuarão a existir pessoas que vão contrair gripe, visto ser impossível o seu expectro de acção cobrir todas as estirpes.

carlos disse...

Gostaria de saber se a vacina da pneumonia (pneumo23) tem alguma vatagem em relação á gripe A.E se as crianças podem levar esta vacina .

Nana Odara disse...

Os participantes do debate serão vacinados, bem como seus familiares com relação à gripe A???

Quanto tempo essa vacina foi testada pra aferir sua eficácia e segurança???

E vc Fernanda, vai vacinar a sua filha??? confia plenamente nessa vacina???

Alexia disse...

Não tendo a vacina da gripe A tido o tempo necessário para o seu estudo completo, será ela segura?
Ou será apenas uma jogada da industria farmacêutica????

Partido de Todos os Portugueses disse...

Podem ver um bom documentário sobre a gripe A H1N1 e a possível conspiração.

http://www.youtube.com/watch_popup?v=gKwk8Kq8QXA

Célia Pedro disse...

Boa tarde,
encontro-me no 2º trimestre de gravidez e nada confiante relativamente à administração desta vacina. Parece-me tudo muito apressado e nada esclarecer relativamente aos efeitos desta vacinação a longo praso. Já recebi vários e-mail que referenciam a vacina da gripe A como causadora de doenças neurológicas. A minha Obstetra e a minha médica de familia são da opinião de que esta é uma decisão das grávidas e enquanto não tiverem mais informações sobre os efeitos secundários da administração da vacina não a aconselham.
Gostavam que os convidados neste programa esclarecem esta dúvida.

Rui disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
leitovsky disse...

Boa tarde.
O meu irmão tem 9 anos, com varios problemas respiratórios: sofre de asma, renite alergica, e alergia a acaros de pó. Tem ainda como agravente a obesidade, estando por isso, incluído num grupo de risco.
Faz imunoterapia, reforço imunitario e vacina contra a gripe sazonal. Gostava de saber quais as vantagens/desvantagens da vacina da Gripe A (H1/N1) neste caso. Parabens pelo programa.

Ana disse...

Sou aluna da Licenciatura em Biologia Celular e Molecular na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, já tive aulas de Virologia no Instituto de Higiene e Medicina Tropical e penso que antes de começar uma discussão como a de hoje, importa esclarecer e ensinar as pessoas... porque nem toda a gente sabe o que é uma vacina e qual o processo subjacente à imunização. Assim, e para todas as pessoas que não tenham a mesma formação que eu, é importante começar por definir o que é concretamente uma vacina, para que se esclareçam dúvidas como as relacionadas com os efeitos adversos e a diferença para os antivirais.

Prova Final disse...

- Porquê que a secretaria da saúde, Kathleen Sebelius, assinou um decreto dando total imunidade jurídica aos fabricantes de vacinas contra a gripe H1N1, em caso de perseguição jurídica (por parte das vitimas dessas vacinas, seja por efeitos secundários indesejáveis, seja por falecimentos) ?

- E porque ninguém fala das queixas crimes feitas por Jane Burgermeister e SOS JUSTICE & DROITS DE L'HOMME ?

Pedro Adrião disse...

Boa tarde,
Parabéns pelo vosso excelente programa.
Gosta de saber se a vacinação não irá "ajudar" a mutação dos virus em questão, assim como acontece com a tuberculose.

Obrigada,
Pedro Adrião

Juliana Xavier disse...

76% das pessoas q responderam a enquete não tomariam a vacina, pq desconfiam da sua eficácia e segurança...
Isso interessa a alguém?
ou é só uma opinião popular sem importância nenhuma?

Ana disse...

A minha preocupação prende-se com o antigenic shift que este vírus pode ainda sofrer.
Actualmente a preocupação da sociedade está voltada quase exclusivamente para a estirpe em circulação.
Eu gostaria de saber que medidas estão a ser tomadas, caso uma estirpe mutante, e mais virulenta, surja na população.

António disse...

Chamo a atenção para o facto dos médicos veterinários terem sido deixados de fora das listas prioritárias para a vacinação contra a Gripe A contrariamente às recomendações da OMS. A necessidade da sua inclusão prende-se não só com facto de serem indispensáveis ao normal funcionamento do país mas também com o grau de exposição que têm aos virus da Gripe A, Gripe Sazonal e Gripe Suína(legítima dos suínos) e a possibilidade de recombinações entre eles.

catarina disse...

Sou monitora de ensaios clínicos há 3 anos e actualmente estou grávida de 8 semanas. Conhecendo as diferentes fases inerentes aos ensaios clínicos, entendo que o tempo dedicado à vacina da gripe A não foi o suficiente, mesmo que esta não seja assim tão diferente da da gripe sazonal. Estando grávida, tenho alguma relutância em receber esta vacina. Gostaria que esta questão (vacinação na grávida) fosse um pouco mais explorada. Obrigada. Catarina Estêvão

carlota disse...

Estou grávida de 3 meses e muito confusa em a vacina da gripe A. quem garante que esta vacina nao transmite problemas ao feto? quem garante que esta vacina nao é a repetição do que aconteceu nos EUA nos anos 60 também com a gripe A?

Cristina Rocha disse...

Não deixem de ver até ao fim , retirem as conclusões que achem
convenientes , e divulguem !...

Ver isto antes que retirem do YouTube ...

http://www.youtube.com/watch?v=CcgCBiyGljM

pe disse...

"- Porquê que a secretaria da saúde, Kathleen Sebelius, assinou um decreto dando total imunidade jurídica aos fabricantes de vacinas contra a gripe H1N1, em caso de perseguição jurídica (por parte das vitimas dessas vacinas, seja por efeitos secundários indesejáveis, seja por falecimentos) ?"


Respondendo:

Obviamente que eles sabem perfeitamente bem que a vacina contra a gripe suína (tamiflu por exemplo) pode provocar graves efeitos secundários, e mesmo a morte em alguns casos. Pelo mundo já existem pelo menos cerca de 30 casos de mortes comprovadas que foram provocadas pelo tamiflu, e por isso alguns países até baniram essa vacina.

Digam o que disserem os que não acreditam nisto, a vacina é sem dúvida um fabuloso negócio para as empresas farmacêuticas.

Cumprimentos

Diana disse...

No caso da vacina da gripe A para os grupos de risco dificilmente identificáveis, como fazem os muitos utentes sem médico de família?

PDD-NOS (Menina) disse...

Se a gripe sazonal mata mais que a gripe A, o porquê deste alarido todo?
Já tive a famosa gripe A em Agosto, não morri, não infectei ninguem, a minha familia nada apanhou.
Já tive gripes bem piores.

Partido de Todos os Portugueses disse...

Uma pergunta simples:

Existe diferença da mortalidade em a gripe A H1N1 e a dita sazonal?

Acreditamos que não...

pe disse...

"Se bem que para a maior parte das pessoas felizmente os sintomas são ligeiros, mas não podemos esquecer dos milhares de pessoas que já morreram."


Só pode estar a falar da GRIPE SAZONAL, que essa sim mata milhares de pessoas. Até agora que se saiba, a gripe suina só matou varias dezenas de pessoas no máximo poucas centenas (?), em quase 1 ano.

Por essa lógica a gripe sazonal é sim mais perigosa, e ninguém fala dela e só criam histeria por causa da gripe suína... que essa sim dá dinheiro (extra).

Ana disse...

Boa tarde. Gostaria que os convidados comentassem o caso que ocorreu na Sérvia em Fevereiro, sobre a substância que não foi objecto de radiação para "matar os vírus", fornecida pela América para produzir vacinas para vários países...

pe disse...

"Se a gripe sazonal mata mais que a gripe A, o porquê deste alarido todo?
Já tive a famosa gripe A em Agosto, não morri, não infectei ninguem, a minha familia nada apanhou.
Já tive gripes bem piores."


É a ignorância e especialmente interesses alarmistas e econômicos que estão por detrás desta histeria.

Conheço pessoas que passaram pelo mesmo, casos iguais em que dizem que não foi nada de especial.


E Fernanda e convidados do programa, desculpem dizer mas o tamiflu É UMA VACINA. Não só isso é divulgado dessa forma e é dito pela empresa que o produz, como conheço pessoas que foram VACINADOS com Tamiflu. Assim sendo é uma vacina.

Graza disse...

Se há um programa na TV portuguesa que cumpra exemplarmente o Serviço Público é o seu. Talvez houvesse alguém que o conseguisse fazer como a Fernanda o faz, mas ele é isso, muito pela forma como o faz.

Um reparo apenas, o formato do programa com pessoas à volta de uma mesa é restritivo e demasiado formal e porque as pessoas deveriam parar mais em programas como este, talvez se impusesse melhor um formato mais convidativo à conversa descontraída.

Se puder dar uma sugestão para um tema importante, aí vai:
"Os pombos no meio urbano"
Mas Fernanda, se desconhece o que se passa com este grave problema nos bairros mais populares, que algumas Câmaras julgam que estão a tratar com milho e armadilhas, é melhor que se informe e não se fique pela informação institucional que lhe derem. Recordo que a Maternidade de Setúbal fechou duas vezes aqui há três anos atrás, devido à infestação com àcaraos de pombos. Mas há por aí coisas graves em termos de saúde pública e os protectores dos animais (dos quais também eu gosto) não nos podem impor padrões de via que temos que suportar.

Êxitos para si ...

Ana disse...

Do dicionário: "vacina - agente (microrganismo ou substância) que, introduzido no corpo de um indivíduo, provoca imunidade para determinadas doenças".
Se se administrar a um indivíduo doente com a patologia para o qual foi preparado, o Tamiflu (medicamento antiviral) actua no sentido de se opor à propagação do vírus, destruindo a sua acção. Se for administrado a uma pessoa saudável, não tem qualquer acção, e se essa pessoa no futuro for infectada seja com que agente infeccioso for, não estará imune. O Tamiflu não é, portanto, uma vacina.

Ana disse...

"Há, porém, uma corrente na comunidade médica que defende que os humanos devem criar anti-corpos para as doenças, e para tal devem entrar em contacto com as mesmas, prescindindo da vacinação."

A vacinação é uma forma de os humanos criarem anticorpos para as doenças, entrando em contacto com agentes que representam os antigénios dos agentes infecciosos dessas mesmas doenças, sem que desenvolvam os sintomas.

As vacinas, como qualquer outro produto farmacêutico, são sujeitas a estudos exigentes e para que possam ser homologadas e vendidas têm de obedecer a apertada legislação que protege desta forma os consumidores.

Para que fique esclarecido, a terapia antiviral pode considerar-se dividida em três aspectos:

Vacina - antes da infecção; induz de forma activa a resposta imune;

Profilaxia - antes da infecção; administração de medicamentos com o objectivo de atingir valores de concentração na circulação do indivíduo a um nível suficiente para combater a infecção caso ela surja;

Terapia - depois da infecção; fármaco/agente químico que combate a infecção, permitindo ao indivíduo ter tempo para que o seu sistema imunitário organize a resposta imune.

Ana disse...

Do site oficial do Tamiflu (www.tamiflu.com):

"TAMIFLU:

* For flu treatment: When taken within two days of experiencing symptoms, TAMIFLU works by helping to stop the flu virus from spreading inside the body
* For flu prevention: When you have been exposed to someone with the flu, taking TAMIFLU can help keep the virus from making you sick

TAMIFLU is not a substitute for the flu shot; vaccination is the first line of defense for flu protection."