terça-feira, novembro 24

Para ter um coração saudável

As doenças cardíacas são das principais causas de morte em Portugal. A alimentação não adequada e o sedentarismo e um dia-a-dia stressado são alguns dos fatores para contribuírem o problema.
Segundo os dados mais recentes, as doenças cardiovasculares são responsáveis por 36% de todos os óbitos ocorridos em Portugal.
Cerca de 10 mil enfartes agudos do miocárdio são mesmo causas diretas do envelhecimento das artérias, provocadas pelos maus hábitos alimentares, o tabagismo e o sedentarismo.
Definitivamente previna-se com os conselhos dos nossos especialistas.

Convidados:
Fernando Pádua
, Médico Cardiologista
Teresa Branco, Fisiologista
Luís Bettencourt Sardinha, Presidente do Instituto do Desporto de Portugal
Francisco Araújo, Médico de Medicina Interna Hospital Santa Maria

4 comentários:

Sandra Oliveira disse...

Dietas, dietas e mais dietas.
Só a palavra é deprimente.

Eu emagreci 15kg só de cortar nos doces, nos fritos, nos salgadinhos e na ração.

Como 1/3 daquilo que comia, como mais fruta, legumes e peixe.

Os meus "snacks" ou são iugurte ou fruta. Só não dispenso o meu café com leite e o pãozinho com manteiga, pouca manteiga.

Como detesto fazer exercício, adoptei um cão que precisa de muito exercicio e então andamos cerca de 3 km por dia.

Até agora deu resultado e passei do 52 para o 46.

Zeta Draco disse...

Olá. Fui obeso durante a infância e adolescência (100 kg). Desde os 20 anos vim perdendo peso, estando hoje com 37 anos nos 65kg de forma estável há vários anos. Ouvi dizer que as células adiposas se multiplicam quando a pessoa engorda, mas apenas esvaziam e não desaparecem quando se emagrace.
Serão estas células uma espécie de sacos meio vazios, meramente à espera do mais pequeno descuido para se voltarem a encher e me devolver à situação anterior?
Que implicações desta situação para o controe da gordura intra-visceral, que segundo me dizem é responsável por problemas de saúde nos homens. Podem esclarecer-me sobre o que devo esperar para o resto da minha vida e de que forma poderei melhor minorar os riscos para a saúde. Cheguei a considerar uma lipoaspiração ou algo semelhante, de forma a eliminar estas células gordas, não por razões estéticas, mas por razões de saúde acima. Podem ajudar-me com uma opinião ou conselho? Obrigado.

Nuno disse...

Este é um problema da sociedade actual, que valoriza cada vez mais a produtividade a todo o custo. Cada vez mais, importam mais os números, independentemente de tudo o resto. Exige-se cada vez mais das pessoas, por vezes para além dos limites, com todas as consequências que daí advêm. O que se pode ganhar por um lado (com a alimentação saudável, por exemplo), perde-se por outro (com a vida sedentária proporcionada pelos empregos e pelo stress causado).

Na minha opinião, os valores da sociedade actual é que deviam ser repensados. Não podemos continuar a exceder as nossas capacidades indefinidamente. Senão corremos o sério risco de viver para trabalhar, em vez de trabalhar para viver.

NPinto disse...

boa tarde...
gostaria de deixar o meu comentário sobre actividade fisica em mulheres. Arrisco a afirmar (e pergunto à mesa se concordam)que as mulheres entre 28 a 45 anos fazem menos actividade fisica que as fora deste intervalo etário. Tenho uma "teoria", estas mulheres são mães têm um ritmo diário alucinante, que para dotar os seu filhos de actividades (fisicas e intelectuais extra) somando as tarefas caseiras ao fim do dia e à falta de apoio familiar, impossibilita qualquer uma destas mulher de frequentar num ginasio...poderia haver solução para isto, se os ginásios e clubes pensasem nestas mulheres e disponibilizassem durante o tempo da actividade fisica, serviços como os de babysister/ama...tenho apenas conhecimento de 1cadeia de ginásios que o faz, mas não na cidade de lisboa...
cumprimentos a todos e parabéns pelo programa.