segunda-feira, outubro 25

Biodiversidade: como preservá-la?

Os dados não são animadores quanto ao número de espécies que estão a desaparecer da Terra. Segundo as Nações Unidas, o desaparecimento está a acontecer a um ritmo 100 a 1000 vezes superior em relação à taxa de extinção natural. Um terço das espécies animais e vegetais estão hoje em risco. O que pode o homem fazer para inverter esta extinção? Estará a ser compensada pelo aparecimento de outras espécies? Qual a responsabilidade do homem? As inovações tecnológicas permitem uma maior persistência das espécies no planeta?
Em 2010 assinala-se o Ano Internacional para Biodiversidade, marcado por uma série de projetos e iniciativas que têm envolvido escolas, municípios e setor privado. Vamos conhecer a realidade portuguesa.

Convidados:
Margarida Fernandes, Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade
Elisabeth Silva, Responsável Setor Ciência da Comissão Nacional da Unesco
Margarida Santos Reis, Coordenadora do Centro de Biologia Ambiental da Faculdade de Ciências da UL e Coordenadora Bioeventos 2010 - UL
António Domingos de Abreu, Bastonário Ordem dos Biólogos

4 comentários:

Raphael Morais disse...

Onde podemos verificar uma grande diversidade de espécies são precisamente, em África, Ásia e América do Sul. São nesses mesmos locais que ainda se registam imensos países em vias de desenvolvimento, onde as populações não têm uma consciência e uma preocupação sobre este caso.

Mais informação para pessoas que desconhecem este grave problema, penas pesadas para pessoas que nem sequer se preocupam e tecnologia para manter espécies em locais mais seguros.

ameninadosbinoculos disse...

A perda da biodiversidade passa também pelo prato, falam dos animais em perigo de extinção mas esse tema é facíl percebo que é mais visivel. Mas na mesa existe também uma perda grande de biodiversidade e a agricultura é de longe a acção do homem com mais impacto na biodiversidade e a perda da mesma. E mundo ainda pensa que é com este sistema agricola que vai alimentar o planeta!

Antes de preservá-la temos que primeiro criá-la,
mas para isso é importante perceber a sua importância e sua função na vida do planeta. A Biodiversidade é essencial porque sem este elemento a vida não será sustentavél até porque, é a função da biodiversidade criar equilibrio dos vários organismo.

Monte disse...

Enquanto a valorização da Biodiversidade for apenas feita com base em características de carácter financeiro e não económico em que a base da sustentabilidade do futuro dos assentamentos humanos deve estar alicerçada, tudo pode acontecer.
Desde o Presidente da Républica defender que investimentos em fábricas de pasta de papel como aquela recentemente inaugurada em Sines, dever ser encarada como um factor diferenciador para o país que necessita de laborar para exportar não compreendendo que por via disso se defende também a substituição da floresta autóctone e biodiversa por uma plantação de eucaliptos ou pinheiros para alimentar a ganância do Capital em prejuízo dos solos e da manutenção do ciclo da água de superfície. Ou ainda manter-se o conceito absolutamente equivocado de que os dejectos humanos representam um problema quando podem e devem ser encarados como um recurso agrícola de inegável valor económico e ambiental fechando-se o ciclo da alimentação humana através da replicação dos sistemas naturais de modo controlado em processos de compostagem naturalmente eficientes.

Faça-se Luz

O Einstein dizia

Ricardo disse...

Boa Tarde. Está mais que visto que o problema não esta na falta de informação. Temos actualmente documentários, livros, revistas, acções de formação etc. Que no fundo até parecem ter um efeito contraditório, que é a banalização e por consequência a falta de preocupação . Na realidade talvez este seja um problema do foro psicológico e não educacional.
O que interiormente somos, que nos conduz a estas atitudes?