sexta-feira, abril 1

Ler ou jogar no computador?

Como convencer uma criança que um livro pode ser mais estimulante do que um jogo de computador ou de consola? Mesmo que tenha hábitos de leitura, como criar regras equilibradas para que possa fazer ambas atividades? A maioria dos alunos portugueses (dados do Plano Nacional de Leitura) apenas acede a livros em bibliotecas escolares ou públicas – muito poucos os adquirem em livrarias. O estudo revela ainda que o peso da família no incentivo à leitura é deficitário. Como inverter estes comportamentos? Na véspera do Dia Mundial do Livro Infantil vamos encontrar respostas para motivar os seus filhos a ler.

Convidados:
Fernando Pinto do Amaral, Comissário do Plano Nacional de Leitura
Ponces de Carvalho, Diretor Escola Superior de Educação João de Deus
José Jorge Letria, Presidente Sociedade Portuguesa de Autores
Edviges Antunes Ferreira, Vice-presidente Associação de Professores de Português

6 comentários:

António Silva disse...

Boa tarde
Obviamente a minha resposta é ler e jogar computador!
O facto de jogar bons jogos fez com que, actualmente, fale fluentemente e entenda o inglês, porque é nessa lingua que estão "escritos" a maior parte dos jogos!
Por vezes aparecem palavras, com as quais, não estamos familiarizados e nos obriga a ir a dicionários (on-line ou dos convencionais) ver os significados!
Costumo ler revistas e documentos cientificos e obviamente gosto de jogar RPG's que nos permite ler muito!
Abraço e mais uma vez um tema muito bem escolhido, parabéns!

Francisco disse...

o hábito de leitura deve ser incutido pelos pais.
Tenho uma filha com 4 anos que no quarto tem uma estante cheia de livros de todo o género e feitio, é uma criança super curiosa e com uma imaginação fantástica.
Não tem televisão no quarto nem tem consolas, não por não poder adquirir as mesmas, mas sim por acha las inúteis!
Cresci a contar os dias pela chegada da biblioteca itinerante...
Quando vamos a um centro comercial, existe uma paragem obrigatória que é na "loja dos livros", apesar de lá se venderem outras coisas(dvd's, jogos, etc), o problema é convencer a miúda a trazer apenas um livro...
Ler é aprender!
Renata Paulo

Ana Aires disse...

O tema não podia ser mais actual e mais interessante.
Uma dica para ser pensada e considerada: a carga horária dos alunos do 3.º ciclo é muita, mas será que a formação cívica ou outra disciplina não curricular não podia dar espaço à leitura e ao livro? E o mesmo não se pode vir a aplicar no Secundário?
Parabéns ao escritor José Jorge Letria pelos seus Lusíadas que têm convencido e encantado muitos adultos.
Cumprimentos ao professor Fernando Pinto do Amaral que me proporcionou nas aulas de Mestrado em Ensino um excelente tema de reflexão sobre o ensino.

Ana Aires.

Mara disse...

Ao Programa "Sociedade Civil":


estou a assistir ao excelente programa de hoje, sobre o tema da importância do livro e da leitura para os mais jovens. Nunca é demais insistir neste tema, absolutamente relevante para a construção de cidadãos maduros, críticos, bem formados. Parabéns pelo tema oportuno e pelo programa!


Sou professor e investigador na área da Literatura; e sei bem da importância de bons hábitos de leitura. Tenho colaborado nas actividades do Pano Nacional de Leitura (PNL). E vou frequentemente a escolas e a bibliotecas falar sobre este tema. A 23 de Abril, celebra-se o Dia Internacional do Livro – mais um pretexto para falar na questão.


Por curiosidade, envio o link de um breve texto sobre este assunto do elogio do livro e da leitura, quando hoje se fala tanto em crise, numa retórica algo exagerada:
alfarrabio.di.uminho.pt/vercial/zips/candid14.pdf


Muito cordialmente,
--
Cândido Oliveira Martins

Mara disse...

A leitura de histórias e manuseamento de livros cá em casa começou aos 6 meses de idade da cada um dos meus dois filhos (um de 7 e outro de 2).
Todos os dias temos “a tradição” de ler uma história antes de dormir. Os livros estão sempre acessíveis às suas mãos.
Ao contrário, o comando da TV, o computador e a consola têm limites estipulados e só podem ser usados depois de… já terem feito os deveres da escola, cumprido as tarefas de casa, brincado ao ar livre, ler um livro, desenhar e conversar com a família.
Desde que o meu filho mais velho começou a escola criei o hábito de ir semanalmente à biblioteca com ele. Ele fez-se sócio, estudamos juntos lá e procuramos livros do interesse dele.


Paula Pereira

Patricia disse...

Olá. Eu frequento o 11ºano de escolaridade e acontece que, quando apareceram os filmes do Harry Potter, gostei tanto deles que comecei a pensar em ler os livros e apercebi-me que, tanto quanto gostava de fazer histórias e desenhar, gostava de ler! Na minha opinião, tanto os livros, como a televisão e jogos de computador, são fundamentais para o desenvolvimento das crianças!
Beijos e Abraços (: