quarta-feira, fevereiro 22

Como se alcança a felicidade?

Um conceito que para uns é totalmente abstrato, para outros considerado como um objetivo a atingir. Mas poderá a felicidade ser medida? Podemos afirmar que somos mais felizes do que o vizinho do lado? Em Portugal, os estudos mostram que, numa escala de 0 a 10, a maioria dos portugueses afirmam ser feliz em 7 pontos. Mas, neste momento de austeridade, em que a lógica do ser suplanta a do ter, o que faz os portugueses felizes? Será que o conceito assume uma nova forma numa altura em que os momentos de felicidade não se associam a férias ou outro tipo de gastos? Alguns cientistas deste conceito afirmam que as pessoas com índices de felicidade mais elevados são aquelas que pensam de forma altruísta e que se preocupam com o bem-estar dos outros. Será mesmo assim?

CONVIDADOS:
Helena Águeda Marujo, Psicóloga
Jorge Marques, APG (Associação Portuguesa dos Gestores e Técnicos dos Recursos Humanos)
Susana Albuquerque, ASFAC (Associação de Sociedades Financeiras para Aquisições a Crédito)
Anabela, Cantora
Gabriel Leite Mota, Investigador na área da economia (Participação via Skype)

4 comentários:

diogolp disse...

Já terminei dois cursose ainda não encontrei a felicidade, no entanto penso que a minha felicidade passa por fazer os outros felizes. Gostava que me informassem se há alguma formação nesta área da felicidade.Obrigado.

Tiago C.

Pasimar disse...

Gostei muito. É pena este programa e outros do género não passarem na RTP1, logo a seguir às notícias. Mas só nos presenteiam com telenovela, que promovem a alienação das pessoas: é esse o objetivo da televisão estatal?

HeliaGigaZone disse...

Gostava de saber quais os livros referenciados neste episódio sff
Hélia Santos
Obrigada

PS é uma pena não conseguir rever os episódios on-line nem ter acesso ás listas de contactos, livros e espectáculos que são sugeridas em cada tema abordado.

CAFÉ CENTRAL EM QUIAIOS disse...

MUITO BOM!
PARABÉNS!
Aos Padeiros e às Padeira do MUNDO!
Sylvie Pedro.
Quiaios.
Portugal.