sexta-feira, fevereiro 24

Redes reais vs redes virtuais

São dois milhões de utilizadores de internet em todo o mundo. E 45% dos utlizadores tem menos de 25 anos. No final de 2011 mais de 800 milhões de pessoas tinham uma conta no Facebook. O Twitter tinha já 225 milhões de utilizadores, sendo a cantora norte-americana Lady Gaga a mais popular, com 18 milhões de seguidores. A questão que se coloca hoje é se vivemos mais nas redes virtuais ou na vida real? Quanto tempo diário dedicamos às redes sociais? Valorizamos mais os estímulos da vida virtual do que da vida real? Estudiosos do assunto afirmam que o nosso comportamento está em mutação e que sentimos mais com estímulos do mundo virtual do que do real. As explicações a estas questões neste SC.

CONVIDADOS:
Rita Marrafa de Carvalho, Jornalista RTP
Patrícia Dias, Prof. UCP - Lx
Teresa Paula Marques, Psicóloga clínica
Reginaldo Almeida, UAL – Tecnologias de Informação

1 comentário:

José disse...

Olá,

Para além de facilitarem a comunicação, as redes sociais deveriam de ser utilizadas com mais frequência para promover encontros entre pessoas que partilham interesses comuns.
Todavia o uso destas redes tem vindo de certa forma a reduzir a necessidade de interacção a nível pessoal, traduzindo-se numa eventual incapacidade de compreender e aceitar as diferenças entre os interlocutores. Este é um problema que do meu ponto de vista tende a afectar mais os jovens, pois não poderão amadurecer socialmente de forma equilibrada se não lidarem com as pessoas directamente, compreendendo e aceitando-as como são.

Cumprimentos,

José Carrilho