segunda-feira, setembro 30

Planear a reforma

A julgar pelas projeções da economia portuguesa, do desemprego e da demografia (aumento da esperança média de vida e queda da natalidade) a rutura do sistema de segurança social pode ser uma realidade nos próximos anos. O sistema só é sustentável enquanto os descontos dos ativos forem suficientes para comportarem os benefícios dos inativos. Como mudar este contexto? Que soluções de poupança existem? Como devemos planear a reforma? Para quem está a dez anos de se reformar o que pode acontecer? E para quem começou agora a descontar? Que alternativas há? Os PPR são uma opção de valor?

1 comentário:

Ana Sara disse...

Pergunto à produção "Para quando um outro programa sobre este tema?", uma vez que se avizinha a data limite para contratar um PPR que ainda possa ser deduzido no IRS de 2013.
Se as taxas das seguradoras fossem mais divulgadas e escrutinadas pelos media, estou certo que em geral subiriam todas e tornariam os PPR um produto mais apetecível para os contribuintes.
É pena que comparações de taxas de PPR como esta não sejam mais frequentes e cheguem a toda a gente.