quarta-feira, abril 12

O Crédito e os Limites ao Sobreendividamento


O maior acesso ao crédito tanto pode facilitar como dificultar a vida de particulares e empresas. Importa saber como usá-lo com cuidado e não ceder à tentação do endividamento.

3 comentários:

Liliana Martins disse...

Sou uma jovem recém-licenciada, no primeiro emprego. Agora que a vida começa a estabilizar pretendo casar-me, no entanto não tenho dinheiro para comprar casa, nem carro, nem tudo o que faz falta no inicio.
Como é óbvio vou ter de recorrer ao crédito para adquirir tudo isto.

João Maria Queirós disse...

Queixam-se da crise económica, das dificuldades financeiras, no entanto o que se assiste é a uma verdadeira crise de consumismo exacerbado. As famílias de classe média e baixa, querem em tudo igualar-se às pessoas com posses. Compram carros topo de gama, plasmas, telemóveis, viagens, vivendas, recorrendo ao crédito.
Se gastam mais do que aquilo que têm, depois não se venham queixar.

Carlos Rodrigues disse...

Na minha perspectiva, o debate e todos os estudos sobre o endividamento junto das famílias está a partir de uma base que pode esquecer alguns problemas associados ao consumo.
Imagine-se um casal que tem um crédito habituação ou de consumo e que fica subitamente impossibilitado de cumprir atempadamente as suas obrigações. O que se esquece é que muitas vezes esse casal também fez dívidas sem ser a crédito (por ex., contratou um pintor para pintar umas divisões da casa, tem uma conta na mercearia do bairro, etc.) e que as deixa de pagar para poder satisfazer os outros credores (bancos, instituilões finaceiras, que têm garantias - hipoteca, fiança, etc.)...
Não será este um problema associado ao crédito e que deve ser considerado?