sexta-feira, novembro 17

FUMAR AINDA É SEDUTOR?

O acto de fumar sempre esteve associado ao mundo da criatividade e da sedução. Quem não se recorda dos ícones do cinema, da música, das artes? E hoje? Já não é um acto glamoroso, não é cool? No Dia Nacional do Não Fumador queremos abordar o tema noutra vertente.

8 comentários:

Anónimo disse...

Na minha opinião o acto de fumar não é absolutamente nada sedutor. Antes pelo contrário, quando vejo uma pessoa a fumar até tenho uma sensação de repulsa.
Eu não tenho por hábito ir ao café e uma das razões é porque não há respeito pelos não-fumadores em lado nenhum. Os cafés, já para não falar de algumas discotecas, parecem autênticas chaminés fechadas. Por isto é que defendo a proibição de fumar em locais fechado. Haja respeito!
E não pensem que nunca experimentei fumar. Sim, eu experimentei, mas não gostei e nem acho nada sedutor chupar um pequeno tubinho e depois deitar o fumo fora pela boca/nariz. Sinceramente, não acho nada disso sedutor.
M.M.

Sofia Gomes disse...

Relativamente a este tema, que devo dizer muito ansiava, gostaria de transmitir a minha repugnação pelo acto de fumar - exclusivamente - em locais fechados. Isto não por achar que o acto de fumar não seja sedutor mas porque o negocio dos meus pais nos ultimos 15 anos foi explorar um café. Logicamente que sendo todos nós não fumadores é uma questão a qual sou sensível. As pessoes, em geral têm o poder de decidir se querem ou não entrar numa cafetaria em virtude de o fumo os incomodar mais ou menos, no entanto a posição de quem está atrás do balcão só pode ser uma: a de se submeter. Quando tenho uma atitude de repulsa por algum cliente que me atire directamente o fumo para a cara. A resposta mais ouvida é: Porque é que não proibem de fumar aqui dentro? Só que esta tem que ser uma questão exclusivamente tutelada pelo Estado. Se eu proibisse o fumo na minha cafetaria o resultado seria na melhor das hipoteses: O melhoramento da saúde na minha família mas as cadeiras e a gaveta vazias no fim do dia, uma vez que os meus concorrentes não jogavam na mesma equipa

Álvaro do Porto disse...

Boas tardes

Eu não sou fumador, mas contudo respeito quem tem o vicio desde que este me respeite, por outro lado não compreendo estas campanhas contra as tabaqueiras e publicidade relativo a tabaco, se não a meu ver haveriam muitos outros aspectos a criticar, já que falam em problemas para os fumadores passivos, porque não falarem das pessoas que são assassinadas e é este o termo por condutores, com culpa e sem ele que não se comportam civicamente nas estradas e como é possível que o limite de velocidade nas nossas estradas seja de 120Km/h e todos os carros dão pelo menos o dobro, estes indivíduos que se despistam são tratados nos hospitais com os nossos impostos porque cometeram excessos e tinha um sem numero de exemplo mas fico-me por mais este exemplo como pode um marca de cerveja patrocinar a nossa selecção.

parabéns pelo programa e o meu obrigado

Álvaro do Porto

CyberL disse...

Acho absolutamente espantoso que ainda se discuta este assunto. O Mundo ocidental já nem está para aí virado. A Clara Pinto Correia pode vir para aí falar do fundamentalismo Americano, mas isso é absolutamente ridículo quando a maioria dos países Europeus têm já leis idênticas (Itália, Espanha, Reino Unido, França, ...). Fundamentalismo é as pessoas fumarem em centros comerciais e locais de trabalho. Gostava que me apontassem um outro país Europeu desenvolvido em que seja permitido fumar em centros comerciais, universidades, etc. Quanto à Clara, ela apenas levanta espantalhos irrelevantes ao assunto (fast food, poluição, etc.) Cientificamente, o malefício do tabaco está amplamente provado. Vê-ja se por exemplo o facto de que em países em que se passou leis de proibição de fumar em locais públicos (por exemplo Itália), a incidência de ataque cardiáco e tromboses na população em geral (não só nos fumadores) baixou cerca de 15%. Se a Clara quiser discutir os dados científicos relativos a este assunto, estou completamente ao dispôr dela. Destes e de outros dados, tenho falado no meu blog para quem estiver interessado:

http://hey-city-zen.blogspot.com/2006/10/uso-responsabilizado-de-drogas-ou.html

http://hey-city-zen.blogspot.com/2006/07/pelo-direito-total-de-escolha.html

http://hey-city-zen.blogspot.com/2006/06/os-shahs-do-fumo.html

http://hey-city-zen.blogspot.com/2005/01/nicotina-ou-descuido.html

http://hey-city-zen.blogspot.com/2004/11/disseram-que-eu-voltei-americanizada.html

sara disse...

Alguem me sabe como é que se chama a música que passa no final do programa?

E já agora parabéns pelo programa, um dos melhores da televisao portuguesa.

sara disse...

Um erro no comentario anterior: Alguem me sabe dizer...

Anónimo disse...

Comer hambúrgueres não vicia. Não cria dependência.

O tabaco vicia. A nicotina cria dependência. O fumo é difícil de abandonar.

Mas porque será que não explicaram isso?

Pode ser pouco saudável andar a comer hambúrgueres, como andar a fumar.

Mas não se podem comparar as duas realidades.

Para os jovens, é fundamental dizer: Não fume. Começando, é complicado parar.

Agora, acções de prevenção para não comer hambúrgueres são menos prioritárias.

Não confundam as coisas, misturando algo que não tem conexão nenhuma.

Helder Fráguas

carlos almeida disse...

hoje e o meu 7 dia sem fumo depois de 30 anos tenho que vencer este maldito vicio mas e dificil tenho que conseguir