segunda-feira, dezembro 18

ALIMENTOS DE NATAL

Com a chegada da árvore de Natal, dos reis magos, das iluminações e dos presentes surge também a mesa farta: sonhos, filhozes, rabanadas, bolo-rei e aletria são algumas das tentações para a ceia natalícia que quebram as regras básicas da vida saudável.Tradições e vida saudável são incompatíveis?

20 comentários:

Sociedade Civil disse...

BACALHAU CONFITADO COM PURÉS DE TOMATE E ESPINAFRES para 4 pessoas:
- 4 LOMBOS DE BACALHAU
- 8 BATATAS MÉDIAS
- 2 CEBOLAS MÉDIAS
- 6 DENTES DE ALHO
- 3 FOLHAS DE LOURO
- 3 TOMATES MÉDIOS BEM MADUROS
- ¼ MOLHO DE ESPINAFRES FRESCOS
- AZEITE EXTRA-VIRGEM
- 1 COLHER DE CAFÉ DE PÓ DE AÇAFROA DOS AÇORES
- SAL E PIMENTA

Anónimo disse...

VEGETARIANISMO
UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E ÉTICA QUE RESPEITA A VIDA


Visto que o Natal é uma época em que falamos da partilha de amor e amizade, entre a família, amigos e desconhecidos, urge também salientar a questão de respeitar e proteger a nossa saúde, o ambiente e os animais.

Nesta época, deveriamos também aprender a respeitar não só os nossos semelhantes, como também todos os seres vivos e o planeta em si, se queremos dar algum futuro de qualidade para os nossos filhos.

Todas as pessoas podem ajudar nesta questão, basta que para isso tenham almoços e jantares que sejam éticos, ou seja, vegetarianos.

Está comprovado cientificamente que o vegetarianismo é um regime alimentar muito mais saudável, e especialmente, respeita e protege os animais e o ambiente. O futuro da Humanidade depende totalmente da boa saúde da Natureza.

A industria de exploração de animais é a mais terrível de todas, explorando, torturando e matando dezenas de milhar de milhões de animais todos os anos, explorando, poluindo e destruindo muitos recursos naturais e o planeta em si. Muitas espécies de animais, especialmente provenientes do mar estão já extinctas, sendo que o atum e o bacalhau está em vias de extinção, havendo indicações que dentro de 40 anos, mais de 80% das especies marinhas que são pescadas irão desaparecer devido às acções do homem.



Por tudo isto e mais ainda, seja Vegetariano.
Pela sua saúde, pelos animais, pelo ambiente, por um mundo melhor.


PARA MAIS INFORMAÇÕES E RECEITAS VEGETARIANAS:

www.avp.pt.vu
www.goveg.com
www.centrovegetariano.org
www.meetyourmeat.com



Paulo
LX

Anónimo disse...

A CRUELDADE DE SE COMER ANIMAIS
DOCUMENTÁRIOS SOBRE O ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E ÉTICA

Para informações detalhadas sobre a forma como os animais são tratados para serem transformados em carne, e os porquês e vantagens de um regime alimentar Vegetariano, veja vários documentários sobre o assunto, a não perder:

http://www.eco-gaia.net/forum-pt/index.php/topic,199.0.html



----



Veja um vídeo muito elucidativo feito em Portugal que demonstra a forma como os animais são tratados até chegarem ao seu prato:

http://www.tvanimal.org/index.php?option=com_content&task=view&id=25&Itemid=43



Por tudo isto e mais ainda, seja Vegetariano.
Pela sua saúde, pelos animais, pelo ambiente, por um mundo melhor.


Paulo
LX

Anónimo disse...

ALGUMAS RECEITAS VEGETARIANAS:
------------------------------



#### Bacalhau vegetariano

Ingredientes:
½ kg de batatas
200g de repolho
300g de soja em cubos
1 pimento médio
2 cebolas médias
coentros q.b
200ml de natas de soja
200ml de leite de coco
½ copo de leite de soja
100g de azeitonas pretas
sal q.b
azeite q.b

Preparação:
Lava bem as batatas e coze-as inteiras com pele. Depois descasca-as e corta-as em rodelas grossas. Coze o repolho no vapor, com sal, ou em pouca água, cortado em pedaços grandes.
À parte, põe a soja de molho e tempera-a a teu gosto.
Corta as cebolas em rodelas e o pimento às tiras finas e pica as azeitonas e os coentros. Em seguida, numa forma de ir ao forno, dispõe uma camada de batatas, outra de repolho, a seguir uma de soja e uma de temperos e assim sucessivamente até terminando com uma camada de batatas. Por último, mistura o leite de coco, o leite de soja e as natas e deita sobre as camadas. Rega com um fio de azeite e leva ao forno para gratinar. Serve quente.



#### Bolo-rei vegano

Ingredientes:
100g de farinha de trigo integral
200g de farinha de trigo
40g de manteiga vegana
15g de fermento de padeiro
1,3 dl de leite de soja
2 colheres de sopa de malte de trigo
30g de açúcar mascavado
frutos secos q.b (miolo de nozes,pinhões,amêndoas peladas e avelãs)
40g de passas de uva
leite de soja q.b (para pincelar)

Preparação:
Numa tigela junta bem todos os ingredientes, excepto as passas e os frutos secos. Amassa bem e depois deixa descansar cerca de 20 minutos.
De seguida, acrescenta os frutos secos e as passas e forma uma bola com a massa. Deixa repousar mais uns minutos.
Depois, forma com a massa uma coroa (um círculo com um buraco no meio) e coloca num tabuleiro untado e polvilhado com farinha. Pincela o bolo com algumas gotas de leite de soja e decora com mais alguns frutos secos. Leva ao forno cerca de 30 minutos.




#### Ceia de tofu

Ingredientes:
1Kg de batatas pequenas
2 cebolas médias
2 couves de tamanho médio
500 g de tofu
5 dentes de alho
3 colheres de molho de soja (shoyo)
um raminho de salsa
azeite
vinagre

Preparação:
Põe a marinar o tofu cortado em tiras com dois dentes de alho picados, o molho de soja e um pouco de azeite, durante 2 ou 3 horas.
Lava bem as batatas e as cebolas e assa-as no forno com a casca. Entretanto coze as couves e grelha o tofu. Quando as couves estiverem quase cozidas, salteia-as num pouco de azeite e com os restantes alhos picados.
Quando as batatas estiverem prontas dá-lhes um murro, de forma a fazer as típicas batatas a murro, e coloca-as numa taça. De seguida descasca e corta em lascas a cebola e junta às batatas. Adiciona também a salsa picada, azeite e vinagre. Tapa e deixa repousar.
Por cima do tofu coloca um fio de azeite e salsa picada.
No prato, serve um pouco de cada iguaria (couves salteadas, batatas a murro e tofu grelhado).

Este prato é uma boa alternativa ao bacalhau cozido com couves e batatas, que tradicionalmente se come na véspera de Natal.




#### Assado de seitan natalício

Ingredientes:
400g de seitan
500g de batatas
250g de cenouras
3 colheres de sopa de pasta de pimentão
½ chávena de azeite
1 cabeça de alhos
2 folhas de louro
1 colher de chá de pimenta

Preparação:
Aquece o forno a 180ºC. Coloca numa travessa de ir ao forno o bocado de seitan inteiro. Em volta põe as batatinhas cortadas aos cubos e as cenouras às rodelas. Faz uns golpes na parte de cima do seitan e barra com a pasta de pimentão. Mistura o azeite com os alhos picados, a pimenta, a folha de louro e o resto da pasta de pimentão. Deita este molho por cima do seitan, das batatas e das cenouras. Junta uma chávena de água e levar ao forno durante aproximadamente uma hora. Vai controlando o forno para ver se não está demasiado seco. Se assim for, pode-se adicionar um pouco de água.

Este prato é uma excelente alternativa ao peru assado que cada vez se torna mais famoso no dia de Natal.



#### Aletria vegana

Ingredientes:
500g de massa de aletria
200g de açúcar amarelo
2l de água
1l de leite de soja
casca de 1 limão
1 colher de café de sal
canela q.b

Preparação:
Deixa ferver a água juntamente com o leite, deita o açúcar, o sal, a aletria e a casca de limão.
Deixa cozer 20 minutos. Serve em travessas ou em taças individuais, e polvilha com canela.




#### Rabanadas veganas

Ingredientes:
fatias de pão
açúcar q.b.
cravinho
canela
leite de soja q.b.

Preparação:
Faz uma calda de açúcar, água, cravinho e canela. Molha o pão no leite de soja, espreme e coloca-o na calda em lume brando.
Deixa cerca de três minutos e vai retirando e colocando num escorredor para retirar o excesso da calda.
Coloca num pirex e vai polvilhando com canela.
Se preferires, serve depois de colocar no frigorífico.







---------------------------------


#### Feijoada vegetariana à transmontana

Ingredientes:
2 chávenas de feijão vermelho cozido
1 couve
2 cenouras
3 tomates maduros
1 folha de louro
1 cebola picada
2 dentes de alho
sal q.b
azeite q.b

Preparação:
Num tacho, doura no azeite a cebola, o alho, o louro. Acrescenta os tomates picados e deixa estufar um pouco. Junta um pouco de água. Acrescenta a cenoura às rodelas e folhas de couve. Quando os legumes estiverem quase cozidos, acrescenta o feijão cozido. Serve com arroz integral.

Sugestão: Este prato já é nutricionalmente equilibrado, mas caso queiras tornar a feijoada ainda mais semelhança com a receita tradicional acrescenta pedaços de seitan e rodelas de chouriço de soja.


#### Empadas de legumes salteados
Ingredientes (para 4 a 6 pessoas):
Massa:
250g de farinha
250g de farinha integral
150g de margarina vegana de cozinha
água q.b.
1 pitada de sal integral

Recheio:
1 curgete
1 molho de espinafres cozidos em água e sal
1 cebola
1 dente de alho
3 colheres de sopa de azeite

Preparação:
Numa tigela mistura as farinhas com a margarina e o sal. Junta água até ficar maleável e amassa até ficar uma massa homogénea. Tapa e deixa repousar 40 minutos.
Corta os ingredientes do recheio aos bocadinhos e salteia numa frigideira com o azeite em lume brando até ficaram cozinhados.
Estende a massa e cobre as formas de empadas untadas com margarina. Enche com o recheio, tapa com massa e leva ao forno a 150ºC durante 30 minutos mais ou menos.
Serve quentes ou frias.





---------------------------------

PARA MAIS RECEITAS VEGETARIANAS:

http://www.centrovegetariano.org/receitas/index.php?cat_id=110

---------------------------------

Anónimo disse...

Razões para o Vegetarianismo


Pela sua Saúde:

Nos últimos anos, extensivos estudos médicos têm provado que grande parte dos cancros, doenças cardiovasculares, diabetes, artrite, osteoporose, obesidade, impotência e doenças degenerativas, estão associadas ao consumo de carne e outros produtos de origem animal. A razão pode ser porque são frequentemente dadas aos animais hormonas, pesticidas e antibióticos que ficam no seu organismo e consequentemente no das pessoas que os consomem.

Ao adoptar uma alimentação vegetariana está a prevenir o aparecimento de uma série de doenças e portanto a assegurar uma vida longa e saudável.

Pelos Animais:

Está cientificamente provado que todos os animais com sistema a nervoso organizado (mamíferos, aves, répteis, peixes ...) têm, tal como nós humanos, a capacidade de sentir dor, medo, frio, calor, alegria, angústia, ansiedade, de manifestar o desejo de não morrer, de ter recordações e de agir intencionalmente. Todos os anos são mortos biliões de animais em Portugal que passam a sua curta vida confinados a espaços onde mal se podem mexer. Durante a viagem até aos matadouros os animais são transportados sem as mínimas condições de higiene e são empilhados uns por cima dos outros. Estas viagens decorrem durante muitas horas. Os animais não têm água nem comida. Chegados aos matadouros os animais são muitas vezes mal atordoados e mortos de uma forma cruel e desumana, estando ainda conscientes.

Ao reconhecermos que os animais têm o direito de não sofrer e o direito à vida, o vegetarianismo surge como uma opção natural que abdica da contribuição para o sofrimento animal. Pode não ser você a matar os animais, mas é você que financia a sua morte.

Pelo ambiente:

A produção animal é uma das maiores causadoras da poluição dos lençóis de água. Milhares de hectares de florestas são destruídos todos os anos para criar pastos para gado. Milhares de litros de água e cereais são gastos para alimentar o gado para consumo humano.

Se todos estes gastos revertessem para os países de terceiro mundo, as pessoas não passariam fome.

Por estas e por outras razões ... pense duas vezes antes de comer!


http://www.avp.pt.vu

Anónimo disse...

Razões éticas para o Vegetarianismo


A escolha do vegetarianismo por razões éticas baseia-se no facto de os animais possuirem direitos que reflectem a existência de um sistema nervoso central que, tal como nos humanos, permite que tenham percepção das condições e estímulos externos negativos, reagindo nestas situações com ansiedade, medo e angústia, desejo de não morrer, sofrer ou serem explorados. Permite-lhes também construir laços afectivos com outros animais e desejar viver uma vida livre e num ambiente saudável e propício ao seu bem-estar.

Neste momento, no país onde vivemos, é socialmente aceite que as minorias étnicas e as mulheres devem ter os mesmos direitos que os homens brancos. Ainda existem muitos passos a dar para acabar totalmente com o racismo e com o sexismo em Portugal e no Mundo, mas neste momento a situação encontra-se muito melhor do que há 10 ou 20 anos atrás. A razão para esta discriminação baseava-se no facto de se julgar que estas minorias possuíam poucas capacidades mentais ou uma intrínseca inferioridade. Depois compreendeu-se que isso não era verdade. Actualmente na nossa sociedade existe também já um grande respeito por indivíduos com capacidades mentais reduzidas, como deficientes mentais ou crianças, sendo a sua exploração socialmente inaceitável.

Mas esta é a mesma sociedade que explora e mata animais para produção de alimentos e que acha obviamente imoral explorar e matar humanos com o mesmo objectivo. Surge então a pergunta: “o que é que diferencia os seres humanos dos restantes animais que permite aos humanos poder explorar e matar os animais não-humanos quando existem alternativas?”.

A resposta que surge de imediato é o facto de os humanos, ao contrário dos outros animais, serem racionais, o que lhes permite produzir novas ferramentas e tecnologias, estabelecer teorias abstractas, criar sociedades desenvolvidas, etc...

Mas o erro neste raciocínio prende-se com o facto de que o que permite a um humano não desejar sofrer ou ser explorado não é a sua capacidade de construir um raciocínio complexo, mas sim, o facto de possuir um sistema nervoso central. Este permite-lhe receber estímulos exteriores, processá-los e dar-lhes um significado positivo ou negativo, e dispoletar uma resposta adequada. O estudo científico do comportamento animal (Etologia) já concluiu que pelo menos todos os mamíferos (1), aves (1, 2) e vários peixes (3) possuem sinais complexos de sofrimento e desejo de o evitar, quando colocados em situações de stress.

Portanto, se não é a capacidade de raciocinar dos humanos que lhes permite desejar evitar situações negativas, mas sim a posse de um sistema nervoso central, então deve ser evitada toda a exploração e morte de todos os animais que possuem este sistema.

Não é necessário compreender muito de ética para perceber que quando vemos num porco ou numa vaca comportamentos como contorção do corpo e da face, gemidos, uivos ou outras formas de chamamento, tentativas de evitar a fonte de dor, aparência de ter medo na possibilidade da sua repetição, entre outros, estes animais estão a sofrer e a desejar não estar naquela situação.

Partindo do princípio que a nossa liberdade deve acabar quando a liberdade de outra entidade é significativamente prejudicada com os nossos actos, a adopção de uma dieta vegetariana é eticamente mais coerente.

http://www.avp.pt.vu

Anónimo disse...

Acerca da qualidade nutricional dos alimentos na época de natal, pode-se dizer que a maioria é de baixo valor nutritivo, pois as pessoas na generalidade não se preocupam com esta questão e comem demasiados alimentos que contêm muita gordura, aditivos quimicos, açucar, fritos, alimentos muito transformados, carnes, sal e bebidas alcoólicas. Todos estes factores fazem com que a saude das pessoas se deteriore, provocando a médio e longo prazo, graves problemas de saúde.


O ideal será tentar ter uma alimentação o mais natural possível, excluindo todas as carnes, composta por alimentos vegetais, biológicos, com pouco ou nenhum açucar, sal, fritos, entre outros que possam prejudicar a saúde.


Basicamente o melhor será ter um regime alimentar ético e saudável que seja vegetariano e biológico, porque a nível de benefícios de saúde é inconstestavelmente melhor. Por fim, a questão do exercício físico é também muito importante para um desenvolvimento saudável.


Faça-o pela sua saúde, pelos animais, pelo ambiente e por um mundo melhor.


Paulo
LX

Joana Cardoso disse...

Quando se fala de comida e de excessos porque não também falar da quantidade do que se ingere?... Tenho a sorte de não engordar facilmente (herança genética, provavelmente) e por isso sou muitas vezes apontada pelos amigos e familiares como “tu podes comer à vontade que isso não te engorda...”. Isto não corresponde inteiramente à verdade: frequentemente quando sei que estou a cometer algum excesso alimentar , quer calórico quer nutritivo (como por exemplo um demasiadas gorduras) tenho a consciência e o cuidado de dosear o que como, isto é, tenho algum autocontrolo e tento comer um pouco de tudo mas em menor quantidade e de preferência espaçado. Porque se assim não for não há herança genética que resista... Só assim posso comer um pouco de tudo sem restrições que nos dias festivos quer nos outros.

Muitos parabéns pelo programa e votos de boas festas.

Conceição Carvalho, Amora disse...

Acho mal terem acabado com o brinde do Bolo-Rei. Agora é só um bolo, sem brinde e sem magia.

Mário Carlos, Castelo Branco disse...

Na minha zona come-se sempre bacalhau cozido. Das 1001 maneiras é a mais desenxabida.

Anónimo disse...

Quero demonstrar o meu profundo desagrado pelo comentário do senhor que disse "que só comer vegetais e ser vegetariano é errado".



O ser vegetariano, é essencialmente uma questão de evolução de consciência, uma questão ética e filosófica de respeito por toda a vida e pelo planeta, para além da nossa própria saúde.

Está mais que comprovado por muitos estudos científicos que o vegetarianismo é um regime alimentar que providencia *TODOS* os nutrientes que o ser humano precise e que é mais saudável que um regime alimentar omnivoro, especialmente nos dias de hoje.

Para comprovar isto, basta ver e saber que existem actualmente dezenas de milhões de vegetarianos por todo o mundo, cerca de 5 milhões só no reino unido, sendo que regra geral são todos sáudáveis e normalmente mais saudáveis que pessoas que comam carne.


Assim, na sua essência, não existe qualquer motivo para se comer animais, não existe qualquer motivo para explorarmos, torturarmos e matarmos animais, que são seres sencientes, que tal como nós, também sofrem e possuem emoções.

Anónimo disse...

Ser vegetariano pode ser muito bom e muito saudável, mas o que é certo é que os vegetais não nos fornecem nutrientes que a carne fornece, nomeadamente proteínas. Os animais produzem aminoácidos que os vegetais não nos fornecem.
O ideal seria comer um pouco de tudo, embora em doses moderadas.

Anónimo disse...

Como a nutricionista acabou de confirmar, existem realmente nutrientes que apenas encontramos na carne.

Anónimo disse...

Muito boa tarde a todos!
É com muita satisfação que estou a ver o programa via RTP Internacional, a partir da Turquia.
Tenho um blogue com receitas da cozinha Turca. Penso que algumas ficariam muito bem na ceia de Natal Portuguesa, e por isso publiquei algumas sugestões...(http://www.cozinhaturca.blogspot.com). Já tenho o bacalhau para a minha ceia de Natal, que me foi enviado de Portugal pelos meus queridos pais.
Um Bom Natal para todos!

Anónimo disse...

Essa questão dos vegetais nao possuirem certos nutrientes como aminoácidos/próteinas é falso, são mitos propagados pela industria animal, visto que a maioria dos alimentos vegetais tem esses nutrientes. A soja, tofu e outros similares como o feijão (leguminosas) têm mais proteinas que a carne e são de melhor qualidade.

Como se tinha dito, não existe nenhum nutriente que humanos possam precisar, que os vegetais nao forneçam, o contrário é que é diferente.

Se fosse verdade que os vegetais (regime alimentar vegetariano) não contesse todos os nutrientes, então como será possível que existam dezenas de milhões de vegetarianos/veganos por todo o mundo, desde há muitos anos e décadas??





VITAMINA B12:

Sobre a B12, gostaria de informar que o que a nutricionista disse está errado.

Deu a entender que a B12 só existe na carne, e isto é falso. Em primeiro lugar a B12 é produzida por bactérias que existem em todo o mundo natural, seja na terra, no chão, nas superficie das plantas (etc).

Em 2º lugar, os alimentos vegetais que são produzidos de forma biológica contêm muita B12 na sua superfície.

Uma pessoa que se alimente de fontes de vegetais biológicos em principio não terá necessidade de ingerir mais B12. O problema é que os vegetais criados com químicos, a B12 é destruida pelos mesmos, além de provocar outros problemas, sendo por isso sempre bom comer alimentos biológicos.

Para quem não faça isto, poderá facilmente encontrar alimentos fortificados com B12 e/ou que contenham B12 na sua composição de forma mais natural (miso, etc). É uma questão de fácil resolução.

Anónimo disse...

Deixemo-nos de fundamentalismos.
Respeito a opcção gastronómica de cada um, mas também valorizo as nossas tradições, e os nossos hábitos alimentares, com algumas correccões visando melhor saúde.
Esta e outras tradições seculares são os factores da nossa identidade cultural e não vejo que uma boa mesa de Natal, herdada dosnossos ancestrais, faça periclitar a nossa saúde.
Tanto mais que, se, num prisma humanista se defenda - e muito bem -que Natal devia ser todo o ano, numa visão mais consentânea com a realidade, e gastronomicamente, Natal é só mesmo uma vez por ano.
Sendo assim, não me parece que uma boa mesa de bacalhau, perú, cabrito, rabanadas.... no Natal familiar seja um atentado à nossa saúde.
Viva, pois, a tradição e, como dizia uma convidada beirã, haverá melhor mesa de Natal do que aquela em que saboreamos um prato de bacalhau com legumes, regado por bom azeite, seguido por um bom cabrito ou perú, após a Missa do Galo?
E regado com um bom vinho Dão-Lafões, é uma benesse para o corpo e para a alma.
E ainda é uma mesa mais farta se, além de todos estes acepipes culinários, for um Natal de Família e de muito AMOR!

Anónimo disse...

"A CARNE É FRACA"
DOCUMENTÁRIO A NÃO PERDER

Em relação a uma alimentação mais etica e saudável, nomeadamente o vegetarianismo, poderão ver o excelente documentário educativo "A carne é fraca", que é sem dúvida a não perder:

http://www.eco-gaia.net/forum-pt/index.php/topic,199.0.html



Uma pessoa que veja este documentário irá ver o vegetarianismo e a alimentação em geral, de um ponto de vista totalmente diferente e mais positivo.

Anónimo disse...

É um facto que a carne é fraca, mas se comessemos só, como alguns defendem, vegetais, deixaríamos de ser omnívoros para sermos herbívoros!...
Desculpem a ironia, mas se seguíssemos o que os vegetarianos defendem, não tardaria que o os milhares de habitantes de Lisboa andassem a pastar nos relvados da Luz e de Alvalade!

Anónimo disse...

O que eu vejo aqui é que os vegetarianos são obsecados pela opção gastronómica que fizeram e quase que impingem isso aos outros. Mas os que não são vegetarianos respeitam a opção gastronómica dos outros e até admitem que é bastante boa.
Joana

Anónimo disse...

Cara Joana, deveria era sim olhar para o "outro lado":

"...milhares de habitantes de Lisboa andassem a pastar nos relvados da Luz e de Alvalade!"