quarta-feira, janeiro 3

ENERGIAS ALTERNATIVAS

Portugal é o país com mais sol da União Europeia, mas o que tem menos painéis solares. Neste SC queremos perceber o papel das energias alternativas e quais as suas aplicações sustentáveis em Portugal. A eólica, a solar, a biomassa, a energia das ondas e a geotérmica são algumas das soluções. Têm sustentabilidade no nosso país?

5 comentários:

Anónimo disse...

Sou um Ambientalista e sou totalmente a favor de energias renováveis, mas tenho de avisar que nem todas as energias são assim tão amigas do ambiente como certas indústrias querem dar a entender. Dou 3 exemplos:


- O hidrógenio parece ser uma boa solução para uma energia dita limpa, pois produz vapor de água depois de utilizado nos veiculos, por exemplo. No entanto o problema é que para produzir hidrogénio é preciso gastar imensa electricidade, o que significa perca de energia e poluição), e por isso é pouco ineficaz para proteger o Ambiente.

- O biodiesel: se se estivesse a produzir plantas para se produzir biodiesel para a maioria dos carros no mundo, a extensão de área plantada necessária para providenciar energia para todos seria incomportável para o ambiente, pois significaria uma enorme destruição de bosques, florestas, etc.

- A energia electrica que pode ser utilizada para carros electricos por exemplo, mas se for produzida de forma convencional, é também muito prejudicial, pois para a produzir é necessário centrais termo-electricas ou nucleares, o que significa poluição do ambiente em vários niveis, para além de barragens, que significa a destruição de grandes áreas e de biodiversidade marinha e terrestre.


Por isso é preciso cuidado quando se fala em energias renováveis, pois nem todas são amigas do ambiente.

Uma das melhores e mais fáceis formas de reduzir a nossa dependência em energia, é reduzir o consumo, começar a POUPAR.


Paulo
LX

Anónimo disse...

Gostaria de apresentar um evento que acontece todos os anos, que se chama "Vida Verde", no qual entre outros assuntos, essencialmente se falar sobre protecção do Ambiente e energias renováveis, como construir fornos solares, duches solares, moinhos eólicos, etc etc.

Encontro Vida Verde:
http://vidaverde.eco-gaia.net

FOTOGRAFIAS DO EVENTO:
http://www.eco-gaia.net/web-album/index.php?cat=17

Anónimo disse...

Sou finalista de Eng. Mecânica e estou a fazer projecto final em energias renováveis.
Após ter já efectuado bastante pesquisa sobre o assunto e estar em completo desacordo com o comment do ambientalista.
Estou de acordo com a energia solar térmica, com a fotovoltaica nem por isso porque o seu rendimento é muito baixo.
A biomassa é extremamente interessante, pois mata dois coelhos, isto é, possibilita a limpeza das matas e a reciclagem de combustível fóssil.
No entanto as energias alternativas em que acredito profundamente, são a energia eólica offshore, como se faz na Grã Bretanha.
E a energia das marés, em que o movimento sinusoidal das ondas permite a obtenção de movimento mecânico e produção de eléctricidade.
A energia das correntes devido a corrente constante provocada pela preia-mar e a baixa mar.

A solar, é rentável se existirem grandes superficies de captação da radiação solar.
Nota a densidade da agua é quase 1000 vezes superior à do ar...pensar nisso.

Para estudos de pré viabilidade.
Existe um software espectacular canadiano... "Retscreen".
Carlos

Anónimo disse...

boa tarde,

gostaria de conhecer a legislação e procedimentos junto da EDP e Estado para introduzir energia na rede electrica nacional. a título de exemplo, se um utente ou unidade industrial tivesse possibilidade de produzir energias alternativas (eolica, solar e outras) para diminuir a sua factura de electricidade, como deveria fazer? é possivel?

obrigado e parabéns pelo programa

antónio

Manuel Martins disse...

Antes de mais, parabéns pêlo excelente programa. E como elogios... acho que já chega.

Assistimos de há uns anos a esta parte á constante divulgação das preocupações do governo quanto á questão energética. Na minha opinião, puro show off. Falar "para a bancada" é fácil, mais dificil é proporcionar mecanismos para que se possa dár seguimento á referida "preocupação". Estou a falar de soluções. E que soluções nos dá o estado? IVA reduzido nalguns equipamentos, pequenos incentivos....... Pois é. Duma coisa tenho eu a certeza, toda a gente do rico ao pobre, do culto ao analfabeto é sensivel a este problema. Mas.... e quem é que pode chegar a esses equipamentos?! Claro que me dizem que dentro de 5-6 anos já terei amortizado o investimento e irei a começar a ter lucro. OK. Peço um empréstimo e está resolvido... O problema é que durante esse tempo, para pagar esse empréstimo e o seu juro obsceno, lá terei que me desfazer da casa ou então de me alimentar de...Kilowatts!!!.

A solução? É simples. E se em vez de incentivos o Estado arcasse com os custos dos equipamentos? Ideia descabida? Não acho. Não é para isso que servem os nossos impostos? Para o bem dos cidadãos? E o bem dos cidadãos não será a principal preocupação e finalidade dum estado? Poupavam os cidadãos, logo, poupava o estado.

A minha única duvida é se isto seria do interesse do Estado. Em ultima análise levaria a um menor consumo dos chamados "produtos petroliferos". Será que interessaria ao estado levar um "rombo" nas receitas do seu principal e mais apetecido imposto? Na minha opinião, não.... é uma questão de vistas curtas, porque penso que quem ficaria a perder seria, unicamente, o lobby da energia...


P.S. Aproveito para fazer uma sugestão para um próximo tema: Com a proliferação em massa da TV por cabo e da TV satélite, porque será que os canais nacionais não são fornecidos em sinal aberto? Pêlo menos a RTP1 e a 2!!! Por alguma coisa são canais pagos por todos. Já pensaram que em pleno séc. XXI há zonas do país em não se conseguem apanhar os dois canais com um minimo de qualidade? Eu, por exemplo, e por mais que tente, não consigo vêr a RTP1 em condições minimamente aceitáveis!!! Conclusão: pago por dois canais e só vêjo um!!

Obrigado.