sexta-feira, maio 4

PORTUGAL QUALIFICADO

Dois terços dos trabalhadores portugueses têm uma qualificação escolar que não vai além do terceiro ciclo do ensino básico. 70% da população empregada em Dezembro de 2006 não chegou sequer a frequentar o ensino secundário, sendo que apenas 15,3% o tinha concluído e 14,1% completou uma licenciatura. Para combater este fenómeno 75 mil adultos regressam à escola – o programa chama-se Novas Oportunidades e o SC irá explicar como aproveitá-las, com o apoio dos parceiros especialistas.

44 comentários:

Anónimo disse...

Chamo-me nuno, tenho 30 anos e tenho o 12 ano incompleto. frequentei o regime diurno , e posteriormente o nocturno. A minha dúvida é a seguinte: Neste novo contexto o que terei de fazer para concluir o 12 ano? E já agora onde me poderei dirigir na região de Vila Real ou Bragança para saber disso.
Cumprimentos
Nuno

rita disse...

Concordo que as pessoas devem ter estudos e qualificações, mas por outro lado, muitas vezes as pessoas que estudam (e quanto mais estudam) têm mais dificuldade de encontrar um "lugar ao sol", ou seja, um emprego. Afinal há por ai muitos licenciados no desemprego (eu e alguns dos meus colegas de curso somos um exemplo) e tenho outros colegas que ficaram pelo secundário e têm emprego e ganham bastante bem (talvez mais do que eu (eng.) alguma vez virei a ganhar..
(desculpem o desabafo)

naulila luis disse...

Boa tarde.
Esta mensagem não tem propriamnete a ver com o tema discutido hoje na SOCIEDADE CIVIL, mas gostaria que fosse encaminhado para a Fernanda Freitas.
O meu nome é Naulila Luis, e sou designer de produto/moda.
É com muito agrado que já vi algumas vezes referido no vosso programa a minha mala JUST BEG(feita com canetas de feltro), que desde já agradeço essa referência.
Como sei que tem uma marca de acessórios de moda, envio-lhe o link da minha marca SUSHI - acessórios de moda, recentemente lançada.Espero que goste!:)

Grata pela atenção,
Naulila Luis

joana disse...

Acreditem que também compreendo o quão frustrante é estudar uma vida inteira e no fim não obter ninguém interessado no nosso curriculum. Acabar a licenciatura e continuar a tirar cursos e pós-graduações para não ficar "parada" e mesmo assim não adiantar nada, é realmente frustrante, sentimos que andámos a perder tempo e que no fim de contas somos inúteis! :(

Ana disse...

Boa tarde, hoje em dia ter canudo, nada significa, pois muitos licenciados andam a trabalhar em caixas de supermecado.
Atenção todos os trabalhos são dignos, a minha questão é: compensa andar a queimar pestanas para depois não ter trabalho na sua área de curso??

Anónimo disse...

E para quem já tem o 12ºano concluido com muito esforço.
Vemos agora pessoas que nunca se esforçaram , a ter de forma facilitada essa Habilitação.
Conclusão não vale a pena estudar , pois daqui a uns anos vamos todos ter cursos universitários

Anónimo disse...

Onde se encaixam estas novas oportunidades para as pessoas com o 12º
Ano completo (e reforço completo), não é com uma ou outra disciplina
por concluir;

De que valem 14 anos de experiência profissional?

Onde estão as oportunidades para estas pessoas que, tal como os que
não têm, 9º e o 12º Ano completo, têm uma vasta experiência
profissional e, competências adquiridas...? Como se faz a revalidação
destas competências?

A formação e valorização profissional (no IEFP), para desempregados,
com o 12º Ano, é quase inexistente e, quando existe é sempre a Kms de
distância...

Obrigada

Paulo disse...

A quando da conclusão do 12º ano de escolaridade não passará o mercado de trabalho seleccionar, entre os vários percursos. Dando prioridade como actualmente tá a acontecer, dando este prioridade aos alunos que concluem o 12º ano de escolaridade na forma tradicional.

Susana disse...

Respondendo ao vosso convidado que disse qe se calhar haverá gente a trabalhar na construção civil que deveria estar num laboratório a fazer investigação, gostaria de dizer: "em vez de procurar nos que já estão empregados na construção civil, que tal procurar nas listas de quem está inscrito no centro de desemprego???" Tenho 30 anos, uma licenciatura em Eng. de Produção Animal, estou a terminar um curso de Mestrado em Produção Animal, cuja parte prática foi efectuada num laboratório de investigação espanhol, estou a terminar um curso de SHST (nível V), sou formadora, faço regularmente cursos de formação, e não consigo arranjar trabalho hà quase três anos... Afinal???, devo ir a essas coisas das competências?, em como sei falar espanhol pq estive em Espanha 1 ano?, ou que tenho conhecimentos de aquariofilia? ou que sei cozinhar? ou que tanbém sei fazer contas de cabeça???.... enfim...

Anónimo disse...

O processo RVCC tem todos os méritos e uma grande potencialidade no país onde o nível de qualificações formais é muito baixo. No entanto existem também algumas debilidades no sistema, nomeadamente o facto de um número crescente de jovens com idades compreendidas entre os 18 e 25 anos, muitas vezes sem qualquer experiencia profissional e com percursos escolar muito problemático, estarem a aderir a este sistema na expectativa de adquirirem qualificações à custa da elaboração de um portfolio.

Neste momento, com a possibilidade de alargar o RVCC ao secundário, estamos em risco de gerar graves injustiças no sistema de ensino.

A questão que coloco é a seguinte porquê os 18 anos como idade mínima de acesso ao sistema RVCC por que não 25 anos?

António C.

Bruno da Cruz disse...

Boa Tarde,

FOI UMA EXCELENTE IDEIA A DE CRIAR OS CRVCC.
CHAMAR-LHES DE "REGRESSO À ESCOLA", NEM PENSAR!
TEMOS MUITA POPULAÇÃO COM EXPERIÊNCIA DE SABER FEITO, MAS CONHECIMENTO CULTURAL, SOCIAL, ETC., NÃO SE FAZ EM 3 MESES!
E, MAIS AINDA, NÃO SEI SE DE FUTURO SERÁ ASSIM, MAS OS CRVCC'S CERTIFICARAM MUITA GENTE EM PORTUGAL PARA CUMPRIR NÚMEROS. PESSOAS SEM CONDIÇÕES PISICOLÓGICAS PASSAVAM E NÃO SEI SE CONTINUALM A PASSAR NA FASE DE ENTREVISTA EFECTUADO POR PSICÓLOGOS.
MAIS UMA VEZ, FELICITO ESTA INICIATIVA, PELO VALOR ACRESCENTADO EM NÚMERO DE QUALIFICAÇÕES PERCENTUAIS. MAS HÁ MUITA COISA QUE TEM DE MUDAR.
SÓ ESPERO QUE NÃO FAÇAM COM OS CRVCC PARA O SECUNDÁRIO O MESMO QUE FIZERAM PARA O 1º, 2º E 3º CICLO.

AGRADECIDO PELA OPORTUNIDADE DE PARTICIPAR.
BOM TRABALHO, FERNANDA.

Anónimo disse...

tenho 35 anos,ao longo da minha vida tenho perdido algumas opotunidades de emprego por nao ter o 9º ano.há cerca de um ano inicicei oproessno rvcc em Ferreira do Alentejo ,depois de concluir todo o percurso requerido continuo a espera do dito reconhecimento(juri).o meu objectivo é continuar e ate tirar um curso superior..

exelente tema parabens

josé costa - casal do marco disse...

Este comentário pretende ser um incentivo para os jovens acreditarem no futuro e qualificarem-se sempre que puderem embora isso tenha custos familiares!
Porque o futuro e o caminho para o sucesso profissional pasa pela formação profissional a todos os níveis e nas profissões que não são as normais de direito, professorado, etc...
O futuro passa pelos cursos mais técnicos!
A certa altura da vida, os meus filhos desistiram de frequentar a escola (a minha filha com o 1º ano de contabilidade pública e o meu filho com falta de 3 cadeiras do 12º ano).Constituiram família e fabricam actualmente, com sucesso, uma marca de roupa (linha jovem)!
Mas sentiam que a sua formação não estava completa. O meu filho aproveitou com entusiasmo a oportunidade de acesso á universidade e frequenta agora um curso de engenharia á noite!
A minha filha,está á espera de oportunidade para também continuar o curso que deixou no princípio.
.
Mas se o curso actual não tem saída, então a solução é procurar
tirar outro curso que tenha saída profissional não só em POrtugal mas também na Europa e no mundo!

Anónimo disse...

penso que não estamos a falar do mesmo país . o produto que se está a vender não é credível, até porque interessa a muita gente , nomeadamente a empresários rascas o baixo nível de habilitações. e isto de novas oportunidades não é bem assim , até porque o nível académico é demasiado baixo e está- se a comer gato por lebre. e essa de competências deixem- me rir. sou militar e licenciado em Gestão.

Rita disse...

Não quero de maneira nenhuma desmotivar as pessoas de estudar, antes pelo contrário, porque antes de ter tirado o curso não tinha noção de mil e uma coisas que tenho agora, tenho a noção que cresci e me instrui e não voltaria atrás.
O que disse era mais um desabafo em relação ao momento em que finalizamos o curso de 5 anos e não temos emprego, em relação a outras pessoas que não tiraram curso nenhum e têm muito mais "sorte" que nós.
Em relação aos pais licenciados, eu não tenho pais licenciados e eu e as minhas irmãs ingressámos no ensino superior precisamente pelo exemplo inglório dos nossos pais que não tiveram possibilidades de estudar e por isso tiveram mais dificuldades no mercado de trabalho.
O que se constacta agora é que mesmo indo para o ensino superior, nem sempre temos a "sorte" de ter emprego e acabamos a fazer um trabalho que qualquer pessoa sem estas qualificações faria.

Anónimo disse...

Estes governantes só apresentam medidas para inglês ver. Esta da "certificação" é mais uma, tal e qual ao "bluff" da formação profissional que ocorreu há alguns anos.
Agora o "zé povinho" já poderá dizer "Sou desempregado, mas tenho o 12ºano".
Qualificar e "dar qualidade" e não "dar uma certificação".

paulo disse...

Sou o Paulo e já fiz o RVCC para o 9º ano em 2005, será que posso fazer tambem o RVCC para o 12ºano? Sou Vigilante E GOSTO MUITO DO MEU TRABALHO.

Anónimo disse...

Olá sou o Carlos eu já fiz O RVCC para a equivalência do 9º ano, estou muito motivado para continuar, só existe um problema em que me deparei é que o nosso governo esqueceu-se em promover cursos de formação professional para adultos.
Estou desempregado já procurei em tudo o que é organismos e nada.

Será que não procurei nos organismos correctos?

Anónimo disse...

O mal é que só se trabalha para as estatísticas.

Façam cursos de reciclagem profissional para adultos, nos quais as pessoas "realmente" aprendam de uma forma prática e pragmática.

Os canudos e certificados só dão jeito a alguns... Para os menos afortunados servem para emoldurar e por na parede.

No Bep ( Bolsa de emprego público) há 20 vagas para o país todo e no netemprego há60 para licenciados.

Joana disse...

É assim tenho estado a seguir o programa e a certa altura disse uma das convidadas que todos ali tinham filhos a frequentar o ensino superior e até a terminar, assim sendo gostaria de saber se temem pelo futuro dos vossos filhos, ou já estará ele garantido? Hoje em dia, e não me digam que não, o "nome", as cunhas valem muito, e isso vê-se logo desde o inicio, mas é muito mais relevante nos estágios... Eu estou a terminar a minha licenciatura e sei bem do que falo. Em grande parte não é mérito que conta (é pena!.

Anónimo disse...

Olá, Boa tarde!

Até concordo com a campanha das Novas Oportunidades, por exemplo, a minha mãe tem a quarta classe e está num Centro de RVCC para lhe ser atribuído um certificado escolar equivalente ao 6º ano, mas... custa um bocadinho ver pessoas a tirarem o 6º, 9º ou 12º em poucos meses e outros terem estudado anos para concluírem os estudos.

Mas, volto a referir… é uma boa iniciativa!

Vânia

Rafael Silva disse...

Sou Português mas tive de fugir de Portugal porque o meu país não me quis. Licenciei-me em Ciencia Politica numa universidade publica em Lisboa mas depois de terminar a licenciatura... nada!!!
Sem saida, deixei os meus amigos, a minha familia e essa gastronomia fantastica, arranjei uma bolsa de estudo para França onde fiz mestrado, depois com outra bolsa fui para os EUA onde me doutorei. Resido e trabalho hoje na minha área cientifica para a administração americana porque Portugal vira as costas a quem tem valor e premeia os mediocres. Adoro o meu país mas o melhor conselho q dou a toda a gente que acredita ter algum valor e que esteja a pensar em obter formação superior que saia de Portugal URGENTEMENTE porque no nosso país não ha MERITOCRACIA. Um dia voltaremos todos ao nosso país para mudar as coisas...
Até à volta compatriotas.

elsa disse...

Precisamos, de facto, de uma sociedade cada vez mais qualificada, mas precisamos também de uma mudança de mentalidades por parte de empregadores e de trabalhadores.Sou professora há 10 (2 dos quais no estrangeiro)anos(área de letras)e este ano estou desempregada.Quero mudar de trabalho, receber formação, reconverter a minha formação para trabalhar noutras áreas, até com salário inferior, mas que me dê alguma estabilidade.O feedback que tenho tido do centro de emprego é frustrante...não vêem com bons olhos alguém com o meu percurso laboral e quer por exemplo fazer trabalho social, trabalhar com idosos ou com deficientes.A minha experiência profissional é "apenas" dar aulas(com tudo o que isso implica e plos vistos para os empregadores eu não sei fazer "nada"...

Anónimo disse...

Ola! Sou a Ana e licenciada em Psicologia, acabei o curso há um ano e estou desempregada.
Isto das novas oportunidades (lamento a sinceridade)apenas ajuda Portugal a aparecer melhor nas estatisticas acerca das habilitações.
O que está em causa? Mais conhecimentos, mais formação ou ter apenas um papel a dizer que se tem o 9º ou 12º.
O meu pai (51 anos) tinha o 9º ano ficou desempregado e voltou a estudar (está no 11º)ele proprio reconhece que anos de trabalho e dedicação apesar de darem experiência não são equivalentes a frequentar aulas e fazer as coisas de forma "tradicional".

anonymous smile disse...

Boa Tarde,

Parabéns pelo programa que é de grande qualidade.

Concordo com o que foi dito no sentido de é importante apostar na qualificação das pessoas. Espero que todas as pessoas aproveitem as "Novas Oportunidades". No entanto, concordo também que ao chegar ao fim do curso, é muito frustrante ter estudado para "nada". Há que apostar na qualificação, mas também na criação de empregos.

Anónimo disse...

Embora reconheça a importância da formação, não partilho do optimismo geral em relação às suas possibilidades reais em Portugal.
Trabalho numa grande empresa, tenho habilitações muito acima do necessário para a função mas, não tenho cartão de partido nem factor válido. Estas são as verdadeiras qualificações nesta e noutras empresas onde o estado tem algo a dizer.
Tenho colegas com licenciatura inclusivé, no entanto por sistema temos chefes com habilitações ao nível do 9º ano, inferiores ao exigido para ser seu subalterno. São nomeados por convite, não têm formação em recursos humanos e conhecem mal as tarefas do seu "métier".
Perante este quadro teimoso, a formação apenas me preocupa em relação aos meus filhos, para mim seria só perder tempo.

Anónimo disse...

Quer dizer que para sermos reconhecidos, temos que ir para fora do nosso próprio país?
Isto é triste...

nelson disse...

olá boa tarde, chamo-me Nelson e vivo nos Açores em ponta delgada,quero que esclareçam se possivel pelo facto de me faltar completar apenas matemática do 10º,11º, e 12º ano tendo já completado as restantes disciplinas ainda assim em 2002 matriculei-me no ensino recorrente para tentar concluir o 12º ano e para fugir da matemática tive de fazer mais disciplinas ficando por faltar uma unidade de introdução á informática e uma de filosofia que acabei por não concluir por contigências da vida... este ano quis novamente voltar a estudar acontece que ao pedir as equivalências as disciplinas até então feitas isto já não seria assim e que teria de das duas uma: 1ª tirava matemática do 10,11 e 12º ano ou teria de fazer as disciplinas todas do 10 ao 12º ano numa outra aerea pretendia assimsaber se posso atraves das novas oportunidades completar o 12º ano apenas com as unidades que me faltaram em 2002 é que eu e a matemática não nos damos muito bem :) e não gostaria de ficar com o 12º por fazer mas também é desmotivante saber que tenho de tirar todas as disciplinas numa outra aerea. gostaria também que me indicassem onde poderei dirigir-me ao vosso centro em ponta delgada é que pesquisei no sitio online e so aparece Portugal Continental Obrigado felicidades

Anónimo disse...

Sou licenciada e cada vez mais penso que só se sair do país é que vou conseguir um emprego ou então retiro a licenciatura do meu curriculum e candidato-me a um posto inferior às minhas qualificações. Será isto justo? Estaremos condenados e irmos para fora ou regredirmos?

Ana disse...

Boa tarde. Gostaria apenas de chamar a atenção para a publicidade do programa Novas Oportunidades. Considero essencialmente a promoção do ensino, mas num país onde a taxa de licenciados é elevada, fará sentido apelar à formação utilizando como álibi a garantia de sucesso profissional no futuro? À semelhança de outros testemunhos que aqui encontrei, também eu sou uma jovem licenciada, com dificuldade em encontrar trabalho na área. Embora a minha formação académica seja a mesma de uma das caras da campanha, a jornalista Judite Sousa (a Júlia sem estudos trabalha num quiosque, eu licenciada já trabalhei numa livraria...).
Cumprimentos, Ana Cardoso

Anónimo disse...

O emprego ou a falta dele é sim o grande problema. E a qualificação não será unicamente a solução, porque já cheguei ao cumulo de ser rejeitada por ter qualificaçõse a mais. Isso existe?

Anónimo disse...

Porque será que os portugueses lá fora são bem sucedidos? A resposta é simples: estão inseridos em sistemas que fomentam o saber e não o "parecer" que se sabe.
Neste país não se valoriza o "saber" sério. É tudo feito em cima do joelho. Quem não concorda emigra.

Vitor Jesus disse...

Tenho 42 anos, tenho um bacharelato e estou a concluir uma licenciatura, (por concluir uma cadeira). Iniciei a minha vida profissional aos 13 anos e estudei sempre em regime nocturno. Foi essencialmente por entender que a formação académica era útil para a actividade profissional que desenvolvo que me levou a tirar os cursos que tirei, Contabilidade. Como sempre gostei de direito, espero iniciar no próximo ano a licenciatura naquela área, não para exercer, mas apenas para realizar um projecto pessoal de formação. A formação não pode ser vista exclusivamente como caminho para a empregabilidade, mas também como forma de nos realizarmos como seres humanos.

Anónimo disse...

Boa tarde;



Gostaria de expor uma questão:



Tenho 48 anos. Estou desempregada há cerca de 8 meses, trabalhei como secretária durante 26 anos. Como não terminei o 12.º ano Fiz 0 2.º ano (1980/81) Curso Secretariado Rel. Públicas Nocturno, matriculei-me nas Novas Oportunidades para o fazer.



1.º Fiquei admiradíssima pelo todo o reclame k fazem à volta disto e não haver uma única escola cá no Porto k esteja preparada para de imediato dar informações sobre o curso e começar a dar aulas . Só em 2008!



2º Procuro insistentemente emprego e, apesar da experiência não o arranjo. Porque será? Não tenho "canudo"?? Ou será a idade? A experiência já não conta para nada...



Elsa Ribeiro.

elsa disse...

Boa tarde;



Gostaria de expor uma questão:



Tenho 48 anos. Estou desempregada há cerca de 8 meses, trabalhei como secretária durante 26 anos. Como não terminei o 12.º ano Fiz 0 2.º ano (1980/81) Curso Secretariado Rel. Públicas Nocturno, matriculei-me nas Novas Oportunidades para o fazer.



1.º Fiquei admiradíssima pelo todo o reclame k fazem à volta disto e não haver uma única escola cá no Porto k esteja preparada para de imediato dar informações sobre o curso e começar a dar aulas . Só em 2008!



2º Procuro insistentemente emprego e, apesar da experiência não o arranjo. Porque será? Não tenho "canudo"?? Ou será a idade? A experiência já não conta para nada...



Elsa Ribeiro.

Anónimo disse...

E a dica ambiental?

Sugestão: Deixem a dica ambiental diária no blog. ;)

José Araújo disse...

O melhor canudo é o da cunha é excelente e sempre actualizado em paralelo com a economia cada vêz mais vista por um canudo :)

"Cunha" faz sorrir e dá saude

Yolanda Loureiro disse...

Adoro o seu programa que só posso ver as sextas-feiras. Esta questão das qualificaçoes para mim é muito importante , pois eu tenho o 12 ª ano e trabalho durante o dia e até hoje não consegui encontrar nenhuma faculdade publica no Porto que tivesse cursos nocturnos das áreas que
me interessam que são as humanidades ou psicologia. Eu para me
"qualificar " tenho que ir para uma privada gastar rios de dinheiro , quando eu desconto mutio dinheiro por mes para o estado , que no entanto não me "retribui" abrindo as faculdades nos horarios que os trabalhadores estudantes necessitam .

Yolanda Loureiro disse...

Adoro o seu programa que só posso ver as sextas-feiras. Esta questão das qualificaçoes para mim é muito importante , pois eu tenho o 12 ª ano e trabalho durante o dia e até hoje não consegui encontrar nenhuma faculdade publica no Porto que tivesse cursos nocturnos das áreas que
me interessam que são as humanidades ou psicologia. Eu para me
"qualificar " tenho que ir para uma privada gastar rios de dinheiro , quando eu desconto mutio dinheiro por mes para o estado , que no entanto não me "retribui" abrindo as faculdades nos horarios que os trabalhadores estudantes necessitam .

Catarina Cristino disse...

Chamo-me Catarina Cristino, sou licenciada e estou a frequentar mestrado - ambos refira-se na área da Psicologia.
Estou a assistir ao programa e sempre que oiço falar nestes assuntos fico bastante revoltada por nunca se referir o Programa que há um ano foi aberto pelo governo: PEPAP ou seja estágios profissionais para a administração pública.
Quase 4000 jovens licenciados, que supostamente iriam ter uma oportunidade de inserção no mercado de trabalho e,. nomeadamente na função pública.

Foram vários os colegas que já terminaram o estágio e, 12 meses de investimento para regressarmos aos centros de emprego (desempregadíssimos) e sem possibilidade sequer de requerer o rendimento mínimo.

Porque é que nunca ninguém fala disto???

Sinto que é inútil estar a manter este esforço financeiro para continuar estudos, pois não me empregarei por isso.
Sobretudo por não existir a valorização necessária ao investimento na área social.

Alguém tem argumentos para este facto???

António Santos disse...

Tirei um curso de Gestão de Turismo em França ao Abrigo do programa euroform Eco-litoral e qual é o meu espanto que à doze anos que tento ter habilitação portuguesa do mesmo e o próprio estado que pagou a formação não reconhece o curso.



Muita coisa tem de mudar mas efectivamente assim será muito difícil.



O Estado pagou o curso e o próprio estado não o reconhece

Anónimo disse...

Tou no 12º ano, tenho de escolher o curso a tirar para o ano, falei com os meus pais a pedir-lhes opinião, e o que me dizem? : -olha antigamente quem se safava na escola ia para engenharia, os que tinham mais dificuldade iam para letras ou cursos de saúde (medicina); - agora antes de saber o que gostas tens de pôr à frente outros factores como a empregabilidade. Já nao sei o que decidir porque de facto andei a investigar e hoje em dia os que se safam são os médicos! Acho deveras incrível (isto para o pessoal das engenharias), que os muito bons alunos vão para medicina e assim, áreas que Portugal precisa urgentemente de melhorar estão em decadência! Na justiça (advogados aos milhares); na economia (gestores e economistas idem); na saúde (médicos não portugueses, e enfermeiros aos montes); nas tecnologias (qualquer um tira um curso de engenharia)!
Nós de facto somos um país de alto nível: somos todos licenciados e doutores! (e empregos e qualidade de vida: batatas!)

Anónimo disse...

Ola boa tarde! Por favor gostava que alguem me pudesse ajudar! Eu tenho o 12o ano incompleto devido a faltas que tive por doenca e um exame que nao consegui passar porque fiquei nervosa e nao tive tempo de o fazer! Assim decidi desistir porque nao queria repetir o 10ano pela terceira vez!! Agora estou profundamente arrependida e numa depressao por nao fazer nada e por nao poder tirar o curso que tanto quero por ter desistido! Agora ja la vao 3anos e para o ano queria estudar para o estrangeiro para a minha terra porque sou de dupla nacionalidade fazer o curso que tanto querom, como referi acima, mas infelizmente pedem o 11o ano para entrar! E eu agora fico sem saber o que fazer! Porque eu andava em Artes e acabei por apenas nao fazer 3disciplinas: geometria discritiva, Desenho A, e TIC. Mas nao me deixaram passar com 3disciplinas em atraso! senao tinha ido para o 11o ano ja ha 2anos atras! Agora a minha pergunta e se com as novas oportunidades existe alguma maneira de tirar apenas as disciplinas que me faltam do 10ano e todas as do 11ano em apenas 1ano?! (nos arredores de Portalegre) Por favor alguem que me ajude porque quero sair daqui e deste problema e nao quero perder mais anos da minha vida... Agradeco imenso a quem me puder ajudar!!

Anónimo disse...

Concordo com o que dizem. De que vale ter o 12º ano se não se tem emprego.E onde estão esssas novas oportunidades para as pessaos já com o 12º ano completo, com experiencia profissional e competencias?
Bem esses devem ser considerados "doutores"?