quarta-feira, julho 4

VALE A PENA GUARDAR O CORDÃO UMBILICAL?



Dizem que é um seguro biológico, mas nos preparativos para o nascimento dos filhos a generalidade dos casais portugueses não inclui na lista guardar o cordão umbilical. Os que o fazem, entregam-no aos cuidados de instituições de saúde. Guardar as células criopreservadas pode ser uma solução para vir a combater doenças do foro sanguíneo. Conheça a potencialidade deste seguro biológico com os melhores especialistas no Sociedade Civil.

36 comentários:

Mónica Bastos disse...

Olá

Conheço um casal que comprou o kit para fazer a recolha de sangue do cordão umbilical. No dia do parto não foi possível recolher sangue o que inviabilizou todo o processo. E quanto ao dinheiro? Esse não foi devolvido, dado que uma vez adquirido não se pode devolver o kit. Gostava que me esclarecesse sobre este assunto.
Cumprimentos,

Anónimo disse...

quando a minha filha nasceu era necessário recolher sangue do cordão para pesquisa do factor Rh, no entanto assim que ela "saiu" começou logo a chorar mas o cordão estava já sem sangue, não se conseguiu tirar nem uma gota... pergunto se tivesse pago o kit para recolha do sangue de que me serviria? isto também me fez questionar a prescindibilidade do sangue do cordão para o bebé no momento do nascimento e a urgência com que se corta o cordão. penso que o banco de células do cordão é tanto mais útil quanto mais público fôr, como os bancos de sangue, mas quer-se fazer negócio disto. como o meu tipo de sangue é mais raro, quis fazer uma recolha para ser guardada e utilizada caso precisasse no parto, mas isso não foi permitido, a recolha ia ficar à disposição de qualquer pessoa. há algum sítio onde, pagando, possa guardar o meu próprio sangue? e qual é o preço?
maria, lisboa

luis santos disse...

Gastar dinheiro para preservar células do cordão umbilical é erro, defende especialista do IPO

O responsável pela unidade de transplantação de medula óssea do Instituto Português de Oncologia, Manuel Abecassis, considerou hoje não valer a pena gastar mais de mil euros na criopreservação de células estaminais do sangue do cordão umbilical.

"Não sei exactamente para que serve [a congelação do sangue]", afirmou Manuel Abecassis aos jornalistas, após ter participado no 3º Congresso Português de Medicina da Reprodução, onde falou sobre o tema "Criopreservação do sangue do cordão umbilical para uso autólogo (próprio): será justificável?".

"Nestes milhares de sacos de sangue congelado em todo o mundo há três casos de sucesso, portanto, não se pode dizer que não serve para nada, mas o que se pode dizer é que a probabilidade de utilização é muito baixa e, provavelmente para todos os casos, há alternativas", justificou.

O responsável afirmou que se tivesse agora um filho "pegava nos 1.200 euros e comprava certificados de aforro", e quando ele tivesse 18 anos entregar-lhe-ia os títulos.

"Acho que ele ficava muito mais satisfeito do que se lhe desse o sangue do cordão umbilical", ironizou, acrescentando que a "probabilidade de utilização para uso próprio é tão pequena que não há benefício".

Para o especialista, a criopreservação das células estaminais do sangue do cordão umbilical vende porque "está a ser uma moda".

"As pessoas são livres de fazerem o que quiserem. Entendo que a actividade privada não deve ser proibida, como acontece em Itália e em Espanha, mas temos que ter a certeza que as empresas que a praticam dão informação científica rigorosa e objectiva aos seus potenciais clientes, e isso não está a acontecer", disse.

Manuel Abecassis afirmou que os sites das empresas privadas que se dedicam à congelação do sangue do cordão umbilical "não contêm informação correcta, rigorosa e objectiva", sendo "muito fantasiosos".

"Estamos muito longe daquela recomendação da União Europeia de que a informação deve ser cientificamente válida", sustentou.

O responsável criticou o facto de as empresas portuguesas que desenvolvem esta actividade apresentarem esta técnica aos pais como "um seguro de vida para o filho", dando a entender que o sangue "pode servir para tudo e mais alguma coisa".

Em contrapartida, o responsável defendeu a criação de um banco público de sangue do cordão umbilical, afirmando que "faz falta".

"Temos conseguido obter sangue de cordão umbilical noutros países, e com regularidade temo-lo feito. É possível que existindo um banco da população portuguesa se consiga obter amostras que sejam geneticamente mais favoráveis", disse.

O especialista salientou, no entanto, que a criação de um banco deste tipo "tem que ser muito bem pensada", por se tratar de "uma iniciativa que não pode falhar".

"Tem que se ter objectivos claramente definidos, metas para os conseguir alcançar e, sobretudo, saber de onde vem o financiamento", defendeu. n

Lusa

Cátia disse...

Boa tarde,

Vou criopreservar as células do meu filho e acho importante sublinhar dois elementos: uma coisa é pagar o kit, outra coisa é pagar a cripreservação, claro que é sempre um risco, mas o custo do kit é de apenas cerca de 10% do valor total; por outro lado, não podemos tratar da questão das células estaminais levianamente: se por um lado, de facto há que ter a consciência que não são a panaceia para todos os males, por outro lado não se pode deixar de considerar as efectivas potencialidades das mesmas. Tenho seguido, como futura mãe, esta questão e peço que olhemos para o caso do fígado criado a partir destas células, ou da intervenção efectuada a uma menina nos Estados Unidos (ainda mais complexa, penso, que o caso do pequeno Frederico). Não nos dá uma segurança a 100%, pode até ser um "investimento perdido" podendo nunca vir a ser utilizado, mas a verdade é que todos os anos nos confrontamos com novas janelas de oportunidade no campo da medicina ligadas à utilização das células estaminas. Face a isto, será que devemos ter o mesmo peso dos dois lados da balança? Obrigada.

pedrocarlos disse...

Boa tarde:
Tenho as seguintes questoes:

Tive conhecimento, julgo que ha 2 anos, dum projecto no Porto, nao sei de que instituicao, cujo objectivo era constituir um banco de celulas totipotentes - chamadas erradamente estaminais -, que visava cobrir toda a populacao portuguesa, considerando um determinado numero de variacoes geneticas populacionais dum certo conjunto de fenotipos.

Os investigadores envolvidos consideravam que, quando esse banco estivesse a funcionar, os bancos privados de cordoes umbilicais seriam totalmente desnecessarios.

Algum dos convidados poderia confirmar esta informacao?

A outra questao prende-se com o trabalho do Dr. Carlos Lima, do Hospital Egas Moniz.
Este grande cientista, e pioneiro mundial, usa as celulas totipotentes das fossas nasais para recuperar pessoas que ficaram paralisadas por acidentes.
Uma jovem foi dos EUA ate Lisboa e voltou a andar!
Ora, tendo todas as pessoas estas celulas isto nao leva a que os bancos de cordoes sejam imediatamente desnacessarios?

Obrigado.

Pedro Alves

lady_blogger disse...

Olá Fernanda.

Já me deram opiniões contraditórias sobre a preservação de células cordão umbilical. Afinal em que podemos acreditar?
E se em Portugal temos um défice de taxa de natalidade, por que é que o Estado não investe na preservação de vidas, custeando ou comparticipando em parte essa despesa? Isto claro se essas células servirem à cura de doenças sanguíneas e de foro oncológico...
E já viram quanto o Estado poderia poupar com despesas em IPO?
Será que lhe fica mais barato custear a preservação das células do cordão umbilical ou pagar despesas advindas de doenças oncológicas e outras de igual gravidade?

Cumprimentos civis.

Maria Mendes

lady_blogger disse...

A pergunta parece cestar mal formulada.
"Vale a pena guardar o cordão umbilical?"
Eu guardei parte desse cordão, aquela que cai após uns dias do nascimento.
A pergunta deveria ser talvez:
"Vale a pena guardar células do cordão umbilical?"

Maria Mendes

pedrocarlos disse...

Atencao que todos os adultos tem celulas totipotentes!
E nao e so nas fossas nasais!

What are adult stem cells?
http://stemcells.nih.gov/info/basics/basics4.asp

Experimental Portuguese stem cell procedure offers hope to paralyzed
http://www.worldhealth.net/p/416,6551.html

Ja agora esclarece que "estaminal" e um anglicismo.
Em portugues o termo e "Totipotente".

Obrigado.
Pedro Alves

Anónimo disse...

olá boa tarde!

Conhecço um casal que tem o sangue do cordão umbilical guardado num banco no estrangeiro...a minha questão é: é possível transferi-lo para Portugal ou se algum dia necessitarem do sangue tem de se deslocar ate ao estrangeiro?
Obrigada e cumprimentos,

Margarida Correia

Filipa Silva disse...

A falta de informação relativamente a este assunto, bem como, a incerteza de que realmente as células estaminais servirão para salvar vidas, levaram-me a optar por não fazer a criopreservação destas células.
Os 1200€ realmente não são nada, comparados com a possibilidade de salvar uma vida, mas quando se está à espera de um filho, os gastos são imensos e as famílias portuguesas não conseguem aguentar tantas prestações...

Sinceramente, creio que este é mais um negócio em forte expansão.
Pena se fazer negócio de algo que se se vier a confirmar, salvar vidas.

É lastimável um bem essencial como a saúde ser cada vez mais um luxo, acessível só para os mais abastados.

pedrocarlos disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Olá boa tarde!

Até que idade uma pessoa pode ser salva pelas células existentes no cordão? Uma pessoa com 50 anos, por exemplo, pode ser salva?

Obrigada,

Margarida Santos

pedrocarlos disse...

Emenda ao meu erro ortografico.
Eu escrevi:

"Ora, tendo todas as pessoas estas celulas isto nao leva a que os bancos de cordoes sejam imediatamente desnacessarios".

Claro que se escreve "desnecessarios".

Quanto aos sinais graficos portugueses nao os tenho, infelizmente...

Pedro Alves

joao rafael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joao rafael disse...

tenho uma pergunta a fazer. ao todo quanto custa guradar o sangue do cordão?

joao rafael disse...

peço desculpa ao meu erro quando disse "guradar", pois queria dizer "guardar"

Anónimo disse...

Boa tarde. Gostaria de saber se é possível recolher o sangue do cordão umbilical do bebé, se a mãe for portadora de hepatite B.
Muito obrigada.

Michelle Monteiro disse...

Recentemente criopreservei o sangue do cordão quando nasceu o meu filho. Os meus cunhados tiveram há alguns anos uma filha que nasceu sem sistema imunitário e acabou por falecer sem que se reunissem as condições para um transplante. o sangue do meu filho poderá ser útil para um segundo filho que possam vir a ter com o mesmo rpoblema?

Sawytza disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

O sangue do cordão umbilical de uma pessoa pode ser utilizada por outra sem qualquer grau de parentesco?

Anónimo disse...

Recentemente criopreservei o sangue do cordão quando nasceu o meu filho. Os meus cunhados tiveram há alguns anos uma filha que nasceu sem sistema imunitário e acabou por falecer sem que se reunissem as condições para um transplante. o sangue do meu filho poderá ser útil para um segundo filho que possam vir a ter com o mesmo problema?

joao rafael disse...

nao sei muito bem como se faz a recolha do sangue do cordao, tambem so tenho 13 mas se ha ttanta publicidade a dizer para fazer a recolha do sangue do cordao umbilical, mas se assim porque é que os hospitais noa o fazem automaticamente! ha algum inconveniente para isso, nao sei por que é constituido o kit da recolha de sangue do cordao, mas nao podia ser fornecido pelo hospital?

Patrícia disse...

Gostaria de saber qual a probabilidade de encontrar um dador compatível e quanto tempo demora a encontrá-lo? Esta Probabilidade não tenderá a diminuir, visto haver cada vez mais uma alteração do pool genético mundial?

Anónimo disse...

onde se pode guardar os cordões umbilicais? É seguro?

samaritana disse...

ola chamo-me samaritana pereira tive um linfoma com 16 anos presentemente tenho 31 fui mãe a um ano e nunca me passou pela cabeça guardar o sange da minha filha

Anónimo disse...

Até que ponto é que é bioeticamente justo, possivel, aceite a clonagem de um ser a partir das células estaminais ainda que esta clonagem seja terapêutica, para a obtenção de orgãos?'

Anónimo disse...

quanto tempo os cordões podem estar nesses bancus?

joao rafael disse...

a lei da clonagem so se aplica à clonagem de seres humanos???

Anónimo disse...

Eu fiz recolha do sangue do cordão. Correu tudo muito bem.Fui muito bem informada pela empresa. Sei vantagens e limitações. Sei que custa 1200 e é dinheiro. Mas gasta-se dinheiro em tanta coisa. E é por 20 anos. Sei que a probabilidade de usar as células é baixa, mas existe. Ainda agora foram usadas umas células. Aconselho todos os pais, se poderem a fazer.

Michelle Monteiro disse...

Peço desculpa, mas a questão que eu queria colocar é se o sangue do cordão do meu filho serviria para o futuro filho dos meus cunhados, já que seriam primos directos. Ou as probabilidades são as mesmas que uma procura de uma medula num banco?

Anónimo disse...

Olá BOA TARDE.

Estou grávida de 5 meses etenho tentado recolher o maior número de informação possível em relação a este tema, gostaria só de referir que em relação ao valor do kit pode ser adquirido pelo valor de 115€ (só pelo Kit de recolha). Depois a opção poderá ser para guardar pelo período de 20 (com um pagamento de (965€) de ou 25 anos (1235€) podendo também optar pelo pagamento mensal no valor de 26€. Gostaria também se existe deverá haver alguma preocupação no caso de haver na familia casos de leucemia? Obrigado

joao rafael disse...

querm que as pessoas façam a recolha de sangue mas 1200€ é uma exurbitancia!!!

joao rafael disse...

xau

Sociedade Civil disse...

Cara Michelle,
pedimos desculpa mas de facto não percebemos a sua pergunta. No entanto o Dr. Nuno Miranda esclareceu-nos que no seu caso, as probabilidades CCU/Medula sao praticamente identicas, excepto se houver consanguinidade na familia. Convem esclarecer junto do seu obstreta e assegurar-se de que, a fazer a criopreservação, que seja com a indicação de que poderá ser utilizado por terceiros, que não os seus filhos. ~
saudações civis

morox disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

venho por este meio dar a conhecer uma situação algo dramatica nos Açores ilha terceira, no Hospital de Angra do Heroísmo, faz-se a recolha do sangue do cordão umbilical,esta e concretizada mas quando é necessário uma assinatura no papel que responabiliza alguem por o conteudo do kit, para que este possa ser enviado de avião, não ha medico que assine digo mais as ordems são não assinar, isto parece impossivel mas muitos kits tem ficado em "terra", devido a este efeito contactando a firma que faz o transporte a DHL esta não tem solução, contactado o responsavel medico do serviço este não esta desponivel.