quarta-feira, outubro 24

AVALIAÇÃO DE PROFESSORES

A contra-ofensiva dos professores às políticas do Min. da Educação, designadamente às que dificultam a colocação e a progressão na carreira, passa por uma campanha publicitária. À margem das manifestações de protesto que acompanham o primeiro-ministro, a Fenprof recorreu à publicidade para valorizar a imagem dos professores. ME, associações e sindicatos coincidem na necessidade de avaliar os docentes. As divergências estão no método. O ME quer avaliar a vertente profissional e ética; o ensino e a aprendizagem; a participação na escola e a relação com a comunidade escolar; a formação profissional ao longo da vida. As associações de classe acham que a avaliação deve ser feita pelos colegas.

60 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Andreia disse...

Os professores são os responsáveis pela avaliação dos alunos, logo, considero que eles próprios devem ser avaliados, uma vez que é necessário saber se eles têm competências para realizar a avaliação de um aluno. Lembro alguns dos meus professores, em particular um de quimica, que culpabilizavam os alunos pelo seu insucesso, mas que quando lhe punhamos uma questão saobre um exercício, ele mandava os alunos fazer um intervalo... Lembro ainda um de história que nos mandava ler o texto e depois nos mandava fazer um resumo do texto durante o resto da aula enquanto que ele ia para a sala do lado falar com o professor de educação especial... Isto parece-me inadmissível...e é bom que professores como este sejam avaliados e responsabilizados. Quem não deve, não teme!
Andreia

tito disse...

Os organismos actuais estão a leste de soluçoes equilibradas.

So quando os placards de publicidade, que inundam as nossas ruas, erguerem literatura, equaçoes matematicas e outras maximas da educaçao, estaremos perto de uma política de educaçao.

Andreia disse...

Actualmente frequento o ensino superior e o instituto que frequento tem um sistema de avaliação dos professores. No final de cada semestre temos acesso a um questionário anónimo na intranet onde podemos avaliar cada professor em particular, bem como os métodos de avaliação utilizados e o próprio programa. Embora até hoje não tenha visto consequências directas dessa avaliação, noto que os métodos de ensino melhoraram bastante, uma vez que os professores passaram a respeitar a opinião dos alunos, uma vez que respeitam a sua avaliação pessoal. E todos nós, alunos e professores, somos favorecidos com isso.

portuense disse...

Nao se ensinam os jovens a pescar, nao se ensinam os jovens a cultivar, nao se ensinam os jovens a mexer no quadro de electricidade,
nao se ensinam os jovens a erguer um muro ou a segurar um telhado.

A universidade de arquitectura estatal nao viabiliza que os professores ensinem os alunos através da construçao pratica do espaço publico, tambem ele do estado...

Por isso temos uma baixa totalmente abandonada a especulaçoes financeiras em vez de entregue às maos da relaçao entre pais e filhos.

Porque para construir uma casa nao é preciso começar por baixo.. é preciso estar burocraticamente apto.

tito disse...

Educação é afixar uma cópia de um quadro de Picasso na via publica em vez de publicitar telemoveis de ultima geraçao e viagens ao mexico.

É pintar a paragem de autocarro com poemas em vez de a usar para publicitar automoveis.


Isto seria educação. Ou cultura..

Leonor Rocha disse...

Um dos grandes pensadores da temática das competências profissionais, Guy Le Boterf, há muito tempo que fala numa questão fundamental: não basta ter os conhecimentos teóricos e técnicos para se ser um bom profissional; é ter condições para os aplicar.
Só com as condições adequadas (e a devida motivação)se pode AGIR COM COMPETÊNCIA.

Basta olhar para as instalações das escolas privadas que ficaram nos primeiros lugares do ranking, para perceber do que estamos a falar: turmas com poucos alunos, salas para trabalhar em grupo, laboratórios bem equipados, espaços verdes, etc, etc.
Nas escolas públicas, chegámos ao estado miserável de pedir aos pais para se coletarem para pagar as obras de pintura e recuperação das salas. As escolas das zonas urbanas estão a rebentar pelas costuras com o número excessivo de alunos; no interior, encerram-se por falta de alunos.

Pois é, assim não vamos lá!

Leonor

ANTONIO SILVA disse...

POIS, POIS, EU SE FOSSE PROFESSOR, QUE GARANTIAS TERIA QUE A AVALIAÇÃO,POR PARTE DOS PAIS, QUE FARIAM UMA AVALIAÇÃO ISENTA, SENDO QUE SÃO PARTE INTERESSADA.
NÃO QUERENDO CORRER RISCOS, DARIA SEMPRE NOTAS POSITIVAS, PARA AGRADAR A GREGOS E TROIANOS.

ANTONIO SILVA disse...

A MELHOR AVALIAÇÃO, FEITO A UM PROFESSOR É FAZENDO UMA AVALIAÇÃO AOS ALUNOS, POR ELE ENSINADOS, OU NÃO??

ANTONIO SILVA disse...

É RIDÍCULO, PENSARMOS EM AVALIAÇÕES, FEITAS PELAS PARTES INTERESSADAS, NAS ACÇÕES DOS AVALIADOS, COMO POR EXº: QUERER AVALIAR OS POLICIAS, BASEANDO, AS NOTAS, NAS AVALIAÇÕES FEITAS PELOS MULTADOS.

Maria Lemos disse...

Concordo com a avaliação mas com moderação tendo em conta que os pais que se demitem das suas funções de enc. de educação, certamente não estarâo em condiçoes de o fazer!
Por outro lado parece-me relevante que um prof que leccione por ex matematica, quando ele proprio ingressou no ensino superior com medias negativas nomeadamente a essa especifica que condições terá para lecciona-la convenientemente?
E há 4 anos atrás ou 5 era assim que acontecia, o que é facilmente comprovavel!por outro lado existem muitas pessoas a leccionar que não são professores!
Quanto ás escolas e ao ranking...é simples a partir do momento que as publicas escolhem os alunos, estão a criar os seus bons resultados, não tem nada a ver com os professores esses mesmos resultados!
Obrigada!
Maria Lemos

Rui Neto disse...

Olá,

Como é que as cotas de avaliação podem ser más?

Eu gostava muito de poder considerar todos os professores como excelentes... mas a realidade é que alguns são melhores que outros! Não seria justo para os melhores professores que todos tivessem a mesma classificação!

Se eu trabalhar numa empresa não subo de posto só porque me esforcei imenso: se ficar atrás de outras pessoas, são essas pessoas que sobem e eu não!

Rita Oliveira disse...

Não percebo porque é que não se copiam exemplos de sucesso do estrangeiro, por exemplo na Holanda, primeiro não há escolas privadas, o ensino é todo público, mas cada escola funciona como uma empresa com um director-geral, os professores (como qualquer empregado) são escolhidos pelo seu curriculum e contratados directamente pelas escolas, e o seu desempenho é lógicamente avaliado pela respectiva escola.
Lá parece funcionar... Rita

Anónimo disse...

Exmos srs boas tarde. Sei que estão a fazer um programa sobre a avaliação dos professores mas gostava de deixar uma questão sobre avaliações. Sou funcionário de uma grande empresa e por ter estatuto trabalhador estudante fui considerado insuficiente na valiação anual que foi feita. Será que posso ser penalizado por isso? obg pela vossa atenção

Maria Lemos disse...

Sobre o ranking acho-o ilusório porque se compararmos a sec da quinta do marques em oeiras e o liceu de s joão do estoreil, segundo o Diario de noticias estão a par (5o/51) é no minimo estranho porque o liceu tem talvez 1000 alunos a exame e a sec da quinta do marques talvez 300... afinal que ranking é este???
Obrigada

ANTONIO SILVA disse...

FAÇAM UM ESTUDO, AS CONDIÇÕES SOCIAIS AOS ALUNOS DAS MELHORES ESCOLAS NA RANKING EM CONTRAPONTO, COM A MELHOR ESCOLA PUBLICA, PROVAVELMENTE ENCONTRAR-SE-IA, GRANDES SURPRESAS.É MUITO IMPORTANTE SABER EM QUE CONDIÇÕES SOCIAIS, VIVEM OS PIORES ALUNOS, E OS MELHORE ALUNOS DAS ESCOLAS PRIVADAS.

Anónimo disse...

sou professora de TECNICAS ESPECIAIS, não temos grupo, nem código. Lecciono cursos tecnológicos e de fomação há 6 anos no ensino secundario. Como contratada, faço obrigatoriamente o meu relatorio de avaliação de desempenho... mas porque sou contratada, não me pode ser atribuido mais que o nivel satisfaz. qual é a justiça desta avaliação? um professor contratado não pode ser um bom professor?

estudante universitária disse...

boa tarde!
eu não sendo nem professora, nem mãe penso que a avaliação não deverá ser feita pelos pais.
muitos pais nem tempo têm para educar os seus filhos, como vão ter capacidade de avaliar os professores?
o ideal seria haver medidas que levassem os pais a participar mais na vida escolar dos seus filhos e não é, certamente, a avaliação aos professores que vai contribuir para essa aproximação.
há bom e mau em todas as profissões e não é com este tipo de medidas que vamos ter uma maioria de qualidade...
o ensino necessita é de uma reforma de fundo, e há muito, mas infelizmente não há coragem política para tal!

Anónimo disse...

A avliação é necessária em todas as áreas profissionais.Sou Professora do 1ºCiclo há 10 anos e na escola onde lecciono, ninguém se opõe à avaliação; o que pomos em causa é o perfil, a capacidade de avaliar e de saber participar com críticas construtivas, o bom senso de avaliar, pois a avaliação é sempre muito subjectiva.
O bom Professor é o que dá ferramentas aos alunos para saberem-fazer e saberem pesquisar quando estão a realizar fichas, trabalhos de pesquisa, trabalhos de casa; é aquele que escuta e põe o aluno a reflectir sobre várias situações e lembremo-nos de quando éramos estudantes.
Os Professores devem ser reconhecidos e não premiados.Quando um/a Professor/a consegue que uma turma difícil e com dificuldades de aprendizagem alcance os melhores resultados nas Provas de Aferição a L.P e Mat., devia logo ser reconhecido pelo seu mérito a nível do Agrupamento e pelos colegas.
As escolas devem promover colóquios sobre os desafios de se ser Professor nesta sociedade actual, que vive depressa, quer respostas imediatas " quer, quer", 1º os direitos e depois os deveres, para não cairmos no comodismo que qualquer profissional costuma incorrer.
As escolas promoverem colóquios em que os pais particip+em para que todos percebam a filosofia da escola, o seu papel, devido termos uma sociedade pouca informada e as escola e colégios deixarem de ser " depósitos de crianças".

visita disse...

Apesar de ter tido, até ao presente bons "feed-backs" dos meus alunos, tanto a nível das relações como das performances em exame, como reconheço que a partir deste ano sobretudo - sou dos professores que nunca vou subir na carreira (7º escalão)e sou, segundo o ministério um professor de segunda e, por isso incompetente (não devo ser muito incompetente - a nível particular preparava alunos para os exames nacionais, cujo objectivo era entrar em medicina(...) - Todos com quem trabalhei entraram para o dito curso - mas a minha escola estámal colocada. Vou tentar manter-me à "tona" da água, Fazendo o necessário, mas pensando em mudar de vida - neste momento sou professor-estudante (...). Eu sei - sou neste momento o desânimo em pessoa, pois quanto à minha avaliação - nem sequer quero pensar nisso...

Mário Gomes disse...

A avaliação dos professsores deve, no mínimo, ser tão justa como aquela que ele - professor - tem para os seus alunos. No entanto como professor vejo que não é bem assim infelizmente. Um caso específico da afirmação efectuada é a de um professor do 10º escalão (ou ex-10º escalão?) foi afastado de poder aceder a titular porque à quatro anos beneficiou de uma equiparação a bolseiro (precisamente por ter um curriculo muito bom). Esse professsor nos últimos quatro anos participou como co-autor de dois programas (por encomenda do próprio ministério da educação) foi Coordenador de Departamento, director de Turma e participou como formador de professores e afinal, não pode ou não consegue ser titular!. Será que poderemos falar, neste momento, de critérios justos de avaliação ?
Mário Gomes

Anónimo disse...

...E que dizer de um professor do 9/1
0ºescalão que foi penalizado no concurso para professor titular por ter estado ao serviço na DREN durante 3 anos, por nomeação?

lady_blogger disse...

Concordo que os professores sejam alvo de avaliação. Mas deviam ser escolhidos ao acaso sem aviso prévio para serem submetidos a testes de conhecimentos sobre as matérias que leccionam.
Mas não concordo que sejam professores a avaliar outros professores, pois um poderá conhecer outro e acabar por beneficiá-lo.
Poderiam era formar pessoas especificamente para esses fins, que tivessem competência para leccionar, que possuissem a técnica e a sabedoria para, mas que se dedicassem não a avaliar alunos mas sim professores.

CC

Maria Mendes

lady_blogger disse...

A insistirem na hipótese de serem outros professores a avaliarem os professores, pelo menos recrutem os desempregados, pois assim pelo menos solucionam o problema de muitos desempregados.

CC

Maria Mendes

ANTONIO SILVA disse...

COM AS CONDIÇÕES, DA MAIOR PARTE DAS ESCOLAS, DESTE PAIS, COM AULAS NO INVERNO, EM SALAS COM TEMPERATURAS POUCO SUPERIORES AO EXTERIOR, DIGAM-ME QUE INTERESSE, HÃO-DE TER OS ALUNOS, NA MATEMÁTICA OU MATERIA QUALQUER.

Anónimo disse...

Muitos parabéns à apresentadora do programa que está neste registo de uma forma fantástica, a prestar um serviço público informativo de extrema relevância. Deixo uma sugestão: que o programa seja repetido diariamente noutro horário em que muitas mais pessoas possam ver.
Virgínia

lady_blogger disse...

Um professor regra geral, julga que lá porque acabou o curso, já não precisa de adquirir novos conhecimentos. Ideia errada!
Por vezes há dados adquiridos que são suplantados por novos dados. O mundo está em constante mudança, e os professores têm de acompanhar essa mudança, tanto no método de ensino como nas matérias escolhidas para ministrar. É preciso que à semelhança dos médicos os professores continuem a estudar nem que seja de modo autodidacta.


CC

Maria Mendes

ANTONIO SILVA disse...

QUAIS OS PRAMETROS UTILIZARAM OS PAIS PARA AVALIAR OS PROFESSORES, QUE CONHECIMENTOS TERÃO EM MATÉRIA DE PEDAGOGIA, DE CONHECIMENTO DAS MATÉRIAS ENSINADAS E FINALMENTE QUE CONHECIMENTO TERÃO CERCA DOS COMPORTAMENTOS DOS SEUS EDUCANDOS.

ANTONIO SILVA disse...

COMO PODEM OS PROFESSORES SEREM AVALIADOS PELOS PAIS QUE LHES FAZEM MA ESPERA A SAÍDA DAS ESCOLAS.

Anónimo disse...

Como poderei envolver-me em projectos e dedicar-me mais à escola se apenas tenho um horário de 8 horas onde o meu vencimento é inferior ao de uma auxiliar de acção educativa.Querem professores motivados? Que têm de fazer um esforço acrescido para trabalhar noutras actividades para poder sobreviver.

lady_blogger disse...

Revolta-me quando vejo professores incapazes... Já deparei com alguns poucos mesmo enquanto estudante, mas agora parece que proliferam e são esses que tiram cursos "comprados" que passam à frente de professores que se licenciam porque se esforçaram até percebem o que estudaram.
É pena que já de nada valha tirar-se o curso nas boas estatais universidades de Coimbra, Porto, Lisboa, etc.
Tenho um ou outro caso entre familiares e amigos que estudaram para serem professores em dadas áreas e acabam por encontrar professores menos aptos a ocupar lugares que eles saberiam desempenhar mais eficazmente. É revoltante...

CC

Maria Mendes

ANTONIO SILVA disse...

A SENHORA JA REPAROU QUE A QUESTÃO DAS AVALIAÇÕES NÃO SE PÕE NAS ESCOLAS PRIVADAS, PORQUE SERÁ??

Anónimo disse...

Se querem avaliar os professores, dêem condições aos professores para eles poderem exercer a sua profissão da melhor maneira!
Cada vez vêem-se turmas com mais nº de alunos, professores a leccionarem em escolas a km's de casa, em salas de aulas degradadas e sem condições mínimas e para além de ensinadores e educadores também querem fazer dos professores psicólogos, baby-sitter, contínuo, vigilante?!

É só deveres e os DIREITOS!?

lady_blogger disse...

Quanto às penalizações para professores menos capacitados, era estarem afastados do ensino durante 1 ano, tempo em que estariam a dedicar-se a assistir a aulas para melhorar o seu desempenho, sendo posteriormnente reavalidos e só readmitidos quando estivessem de facto considerados aptos.
Em termos de bonificações, não concordo com estas. Opino é que estas avaliações sirvam tão somente para que a qualidade do ensino melhore e os professores com isso tenham somente a ganhar a manutenção do seu posto de trabalho, o que já é muito bom e suficientemente gratificante.

CC

Maria Mendes

ANTONIO SILVA disse...

SERÁ QUE O ENSINO EM PORTUGAL FOI SEMPRE MAU?????
ENTÃO TENTEM ENCONTRAR O PONTO DE VIRAGEM PARA A DESGRAÇA ACTUAL COMO DIZEM, E TENTE ENCONTRAR AS RAZOES, SÃO CAPAZES DE TER ALGUMAS SURPRESAS, TENTAR COPIAR MODELOS DE OUTROS PAÍSES SEM TER A CAPACIDADE ECONÓMICA DESSES PISES E SER UTÓPICO.

lady_blogger disse...

Se o acumular de funções que se verifica no professorado é para lhes completar horários ou para lhes fazer entender as responsabilidades dos demais funcionários escolares, então qualquer dia teremos por exemplo médicos a servir de enfermeiros ou de auxiliares dos serviços gerais. Até gostava de ver...!
Mas se por outro lado o Ministério da Educação pretende com tal atitude colmatar a falta de pessoal especializado nas escolas, aprenda a fazer uma melhor gestão de recursos (se quiserem eu ajudo, pois tenho-me especializado em poupanças gerais), e decida-se pela contratação de novos funcionários.


CC

Maria Mendes

Alberto disse...

Dou os parabens ao programa.
Na avaliação dos professores deveriam ser feitas trimestralmente avaliações com baterias de textes,de respostas com determinados itens aplicáveis a todas as escolas desde o primário ao superior inclusíve.Nestes textes deveriam ser respondidos pelos Pais e Alunos Todas estas informações mais as notas do trimestre seriam lançadas numa
base de dados sempre em função do valor pré-defenido. No inicio do Terceiro Periodo se os valores obtidos fossem insatisfactorios esses professores deveriam ser sujeitos e uma avaliação surpresa por elementos 1-Pais 3-Prof. mas todos eles de Escolas diferentes. ser professor como em qualquer outra profissão tem que ter vocação.

Anónimo disse...

laddy_bloguer:

"Opino é que estas avaliações sirvam tão somente para que a qualidade do ensino melhore e os professores com isso tenham somente a ganhar a manutenção do seu posto de trabalho, o que já é muito bom e suficientemente gratificante."

Essa atitude e esse tipo de pensamento é degradante!

Qualquer professor/profissional (aquele que é regularmente remunerado pelo trabalho que executa ou actividade que exerce) deve ser motivado para k o seu trabalho seja cada vez melhor, em outras maneiras q n sob ameaças duma avaliaçao e consequente ameaça de ir para o olho da rua!

N é c ameaças do tipo: vou contratar um gaijo k vai andar de olho em ti durante o dia todo e qdo atingires 3 valores negativos vais pró olha da rua!
O profissional deve ser motivado positivamente! o profissional quer k o seu trabalho e o seu esforço seja reconhecido!e n é c este tipo de avaliaçoes k vai levar o professor a ser melhor professor, mas sim a ser um professor normal!

Ja n basta os congelamentos sucessivos de progressao de carreira, congelamentos nos aumentos de ordenados e os n reajustos inflacionais, à anos sucessivos!,q agora vao ser avaliados por akeles que os agrediem?! Nunca haverá honestidade nos alunos e pais, qdo sao eles mm k vão à escola agredir os professores pk fizeram akilo k os pais deviam fazer em casa, educar os filhos!

Fala-se mto da boca pra fora k os funcionarios pÚblicos são uns perguiçosos k n fazem nenhum e só querem ir pra casa mais cedo, MAS NÃO SÃO OS FUNCIONARIOS PÚBLICOS QUE FOGEM AOS IMPOSTOS!

Maus profissionais há os em todos os lados e sectores! E as medidas para evitar/resolver isso deve ser implementada de igual maneira para tdos, sem descriminaçoes!

O funcionário público está a ser alvo duma grande injustiça! Reformas adiadas, penalizaçoes maiores e direitos cada vez menores, despedimentos massivos, recolocações descabidas, congelamentos sucessivos, atestados medicos ignorados! Está a ser o bode-espiatorio do mal que se tah a passar ao país!

O mal do país são aqueles que teem reformas milionárias e que nunca descontaram para tal, são dakeles k roubam milhoes ao estado por n pagarem ou fugirem aos impostos, são daqueles que desviam dinheiros publicos para os seus bolsos, os famosos sacos azuis!, sao daqueles que ganham milhoes e n pagam aos seus trabalhadores, são dakeles k metem o dinheiro ao bolso e levam a empresa à falencia, são dakeles k teem direitos previligiados face a uns e podem reformar antecipadamente e n perder regalias nas reformas, são dakeles k ganham milhoes c os tostoes dos outros, são dakeles k teem as suas fortunas lá fora, para n pagar impostos sobre os seus rendimentos, sao dakeles k fazem trafego de influenças e arranjam tachos aos amigos, sao dakeles k autorizam obras publicas megalómanas em troca dum lugar director na empresa, são dakeles que ocupam postos que n as suas qualificaçoes o permite...

Ha mta injustiça neste mundo e a honestidade está em vias de extinção!

Hj em dia só se é rico se se roubar, se se fugir aos impostos, se se for corrupto!
Pk hj em dia ser um funciónario/profissional exemplar, honesto, que trabalhe condignamente ja nem para sobreviver dá, qto mais para realizar alguns sonhos!
Pk os ricos estao cada vez mais ricos e os pobres estao cada vez mais pobres!

OS RICOS SÓ SÃO RICOS PK ROUBAM AOS POBRES!

Anónimo disse...

..e aqueles que ocupam diversos cargos altos e estão a receber milhoes em tdos os lados, e aqueles de se demitem da politica para irem ganhar o quintuplo co sub-director na empresa xpto, pk entretanto enqto esteve na politica la conseguiu orientar o futuro tacho.. , ou akeles k realizam contratos c indemnizaçoes milionárias! ate eu adorava demitir-me dum cargo se tivesse esse tipo de contrato!e aqueles k teem ordenados camuflados?ordenado+ os extras, ou melhor mega extras!

E dpx ha akeles k "kerem" ter um segundo emprego pk o misero emprego n dá prás despesas e n podem e ou pk perdem o subsidio!

E dpx o estado, bota mais impostos!
bota em cima dos funcionarios publicos, toca a trabalhar ate aos 100 anos! tás doente? tens cancro? mas ainda andas, n?!entao toca a trabalhar! toca a trabalhar zé povinho! para eu, politico, tenha daki a uns meses uma reforma milionaria k me permita andar de BMW diferente em cada ano, viver numa luxuosa mansão em cada cidade do país, poder viajar em cruzeiros de luxo e ir a todo o mundo..

E dpx temos os milionarios dos país, a serem louvados co se fossem deuzes e a quem o estado deve baixar as calcinhas! belmiros, jardins gonçalves, pina mouras, berardos, loureiros,...

Sara disse...

Há professores e professores e alguns não deviam mesmo sê-lo, os que não são capazes de fazer o básico do que lhes compete. Há, por exemplo, quem facilite ou dificulte as notas dos alunos, há quem dê melhores notas a este ou aquele porque vai com a sua cara, ou o contrário, que dê nota pior que a que o aluno merece porque não vai com a cara dele.
Há pouco tempo soube do caso de um professor universitário que no exame dos seus alunos se pôs a ler o jornal tapando a vista para os alunos (facilitando o copianço) e então houve troca de folhas de exame uns para os outros sem problemas. Houve pessoal, a quem tinham dito que o dito professor não lia os testes e portanto podiam escrever qualquer coisa porque ele passava o aluno na mesma, e então fizeram a experiência de escrever o que lhes apeteceu como receitas de culinária(que nada tinha a ver com a matéria do exame). E o resultado é que só 1 dos alunos, que até nem tinha colocado receitas de culinária, é que chumbou o exame. De resto, houve 12, 14 e até 17 para muitos dos alunos.
Há muitos professores que leccionam de forma que não cativa nem promove a participação dos alunos ou que então os faz participar demais - Exemplos: limitar-se a ler slides nas aulas, dar textos ou partes de livros para os alunos lerem e resumirem e depois falarem sobre isso, fazerem ditados da matéria para os alunos escreverem nos seus cadernos (eu tive uma professora assim, que nas 3h de aula a única coisa que se fazia era passar para o caderno aquilo que ela ditava), dar temas a cada grupo de alunos para trabalharem sobre o assunto e depois explicarem à turma (dando eles as aulas), etc..
Há professores que não explicam bem a matéria e mesmo quando se faz perguntas não nos sabem responder melhor, ou porque não sintetizam, não dizem o essencial nem dão exemplos para uma melhor compreensão ou porque continuam a falar em termos técnicos que os alunos ainda não dominam e não os explicam, não os trocam por miúdos. Quando se está a aprender, é claro que é importante compreender os termos técnicos e começar a usá-los mas é preciso compreender que cada coisa leva o seu tempo e não se encaixa tudo de uma vez. Mas muitos não estão para se chatear com as dificuldades de cada um, quem percebeu percebeu e quem não percebeu que se desenrrasque.
Há também professores que desmotivam o aluno de uma participação saudável a uma boa aprendizagem sem inibição porque criticam negativamente quanto este não dá a resposta mais acertada. É como se o aluno não pudesse errar, que tivesse que ser perfeito mesmo estando ainda a aprender. Ora, é óbvio que enquanto não se domina o que quer que seja, vamos errar, vamos desafinar. Anormal seria não o fazer.

Por isso, com certeza, há que melhorar a qualidade da docência! Há elementos chave para uma aprendizagem de sucesso que passa muito pelo professor, como por exemplo: capacidade de cativar os alunos realizando actividades, dando exemplos, falar numa linguagem clara, diversificar o modo como lecciona (não quero com isto dizer que para cada aula se invente uma nova forma de a dar, mas sim que não esteja só a ler ou a falar ou outra coisa qualquer monótona, ou seja, que misturem teoria e prática de uma forma que cative a atenção dos alunos e que incentive a sua participação de maneira que se sintam seguros e capazes mesmo que errem uma vez ou outra).
A questão de avaliar os professores é importante e a forma como devem ser avaliados é o que mais interessa e, na minha opinião, deve ter sobretudo em conta a forma de dar as aulas.

Anónimo disse...

Bem, os docentes das fac's sao da resp das fac's. Ha caso tristes, claro k ha!

Anónimo disse...

Um professor n tem de fazer akilo k akela professora deu no SC...ser psicologa de serviço! um professor é contratado para leccionar e n para aturar as cada vez mais mal criadices da canalhada!
Mtos sao os professores k deviam ter direito a um psicologo!

Os programas tb n sao exclusivo dos docentes! Por mto k se esforce um professor em dar a matéria, se o aluno n gosta dela ou n tem pachorra para aprender, n é um professor k o vai obrigar! Mtos professores gostavam de poder fazer actividades extra curriculares, visitas de estudos, aulas laboratorias,..mas devido aos programas cada vez mais extensos e orçamentos da escola cada menos apoiadas pelo Estados n o podem fazer!

Claro k existe maus professores co kk profissional, mas deviam haver programas de pedagogia aos professores pk eles n nascem ensidados!mas o Estado ker lá saber deles!
Cada vez mais eles são discriminados!
Hj em dia ser professor é uma vergonha!

O Estado só tem feito asneiras! Asneiras e injustiças nas colocações, congelamentos salariais, congelamentos na progressao da carreira, reformas miseráveis e cada vez mais tarde, docentes c cancros obrigados a continuarem a leccionarem ja nem o estado respeita esta classe qto os alunos e "educadores"!...

O Estado tem é de pôr as mãos na canalhada de hj em dia!
no fds roubam carros e nos dias d'aulas batem nos professores e dpx basta um para a turma e professor sofrer
tb! ja para n falar na pratica do bullying nos recreios (no meu tempo, os empregados eram o educadores na hora do recreio, agora o Estado tem acabado c eles para diminuir os funcionarios publicos)!

Um professor co kk profissional de trabalho, precisa de ter boas condiçoes para exercer de melhor maneira a sua profissao!

As medidas k o Estado está a tomar, n vai motivar o docente a exercer melhor o seu trabalho, ou identificar os k sao bons ou maus professores, mas sim desviar as culpas que tem, por tirar direitos de progressao da carreira e outras penalizaçoes ao professor, para as mãos dos alunos e pais (que mtos nem sabem quem sao os professores dos seus filhos). ~

C este tipo de avaliaçao o Estado n vai prestigiar esta classe social, vai pôr todos os professors a um nivel mediocre e dpx vai limitar o nº de professores k podem ser "catalogados" co professores de excelencia! Isto n tem cabimento!
São só jogos de política para o estado encaixar mais dinheiro!

É co as politicas da extinçao da SISA e na vez metem outra cena pior k é o IMT..

Assim co esta avaliaçao aos professores, o prémio do melhor professor é outra autentica palhaçada!

A sr Maria de Lurdes Rodrigues é uma autentica palhaça, n é digna de ser ministra da educação!

Anónimo disse...

Eu na escola e na fac tb tive professores k podiam n dominar a materia k tavam a leccionar (mtas vezes n por ignorância deles, mas pk foram colados ou obrigados a segurar o lugar de docente k n era a sua área), mas esforçavam-se por tentar ajudar os alunos e leccionar da melhor maneira, e tb tive professores doutores/catedráticos, por mto k soubessem a materia, n sabiam transmitir os seus conhecimentos!

Anónimo disse...

admd

Anónimo disse...

"Actualmente frequento o ensino superior e o instituto que frequento tem um sistema de avaliação dos professores. No final de cada semestre temos acesso a um questionário anónimo na intranet onde podemos avaliar cada professor em particular, bem como os métodos de avaliação utilizados e o próprio programa."

Cara Andreia:

Na minha fac tb tive esse tipo de avaliaçao aos docentes, mas nunca vi consequencias/acçoes por parte da fac! Existem autenticos tachos! N é por um professor receber nota negativa dos alunos k ele vai sair ou mudar de atitude! Este tipo de acçoes so servem para tapar os olhos aos alunos!
Segundo mtos desabafos/conversas de alguns docentes k tive!..

Assim co os maus docentes, tb existem os baldas!... o estado sabe mto bem kem são e nada acontece! (co akele caso duma professora k metia baixa durante o ano lectivo e k "dava" aulas nas férias!! vergonha para a classe de professores, mas as leis permitem estas fantochadas!)

São as leis e as politicas k teem de mudar!

Anónimo disse...

"Um dos grandes pensadores da temática das competências profissionais, Guy Le Boterf, há muito tempo que fala numa questão fundamental: não basta ter os conhecimentos teóricos e técnicos para se ser um bom profissional; é ter condições para os aplicar.
Só com as condições adequadas (e a devida motivação)se pode AGIR COM COMPETÊNCIA.

Basta olhar para as instalações das escolas privadas que ficaram nos primeiros lugares do ranking, para perceber do que estamos a falar: turmas com poucos alunos, salas para trabalhar em grupo, laboratórios bem equipados, espaços verdes, etc, etc.
Nas escolas públicas, chegámos ao estado miserável de pedir aos pais para se coletarem para pagar as obras de pintura e recuperação das salas. As escolas das zonas urbanas estão a rebentar pelas costuras com o número excessivo de alunos; no interior, encerram-se por falta de alunos.

Pois é, assim não vamos lá!

Leonor"


transcrevo!

Anónimo disse...

"Por outro lado parece-me relevante que um prof que leccione por ex matematica, quando ele proprio ingressou no ensino superior com medias negativas nomeadamente a essa especifica que condições terá para lecciona-la convenientemente?
E há 4 anos atrás ou 5 era assim que acontecia, o que é facilmente comprovavel!por outro lado existem muitas pessoas a leccionar que não são professores!"

Maria Lemos:
lol é mm! Fizeste-me lembrar uma colega minha em tempos!Na altura k estudavamos juntos, a matematica era o pesadelos dessa minha colega, nem c explicaçoes lá ia...hj é professora de Matemática!

Anónimo disse...

"Olá,

Como é que as cotas de avaliação podem ser más?

Eu gostava muito de poder considerar todos os professores como excelentes... mas a realidade é que alguns são melhores que outros! Não seria justo para os melhores professores que todos tivessem a mesma classificação!

Se eu trabalhar numa empresa não subo de posto só porque me esforcei imenso: se ficar atrás de outras pessoas, são essas pessoas que sobem e eu não!"

Rui Neto:
ora aí está o problema!
Co é k, c este tipo de avaliaçao, classificas um bom professor k leccione em Bragança de um de Lisboa?
(por isso é k digo k o prémio para o "melhor professor" é uma fantochada!)

E pk é k 2 professores classificados c excelentes profissionais só um pode chegar a esse "posto"?

Anónimo disse...

"Os Professores devem ser reconhecidos e não premiados.Quando um/a Professor/a consegue que uma turma difícil e com dificuldades de aprendizagem alcance os melhores resultados nas Provas de Aferição a L.P e Mat., devia logo ser reconhecido pelo seu mérito a nível do Agrupamento e pelos colegas.
"


Transcrevo!

O melhor professor é akele k faz milagres e n akeles cujos os seus alunos teem melhores notas!

Anónimo disse...

"COM AS CONDIÇÕES, DA MAIOR PARTE DAS ESCOLAS, DESTE PAIS, COM AULAS NO INVERNO, EM SALAS COM TEMPERATURAS POUCO SUPERIORES AO EXTERIOR, DIGAM-ME QUE INTERESSE, HÃO-DE TER OS ALUNOS, NA MATEMÁTICA OU MATERIA QUALQUER."

é mm! e dpx anda o Estado c o programa choque tecnologico, a dar alguns computadores e ha escolas k nem um aquecedor tem no inverno!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Ao anónimo das 17h 44m

Primeiro gostaria que tivesse a frontalidade de assinar o que escreve. Depois falando como falou ou é professor ou é um outro qualquer funcionário público.
Se é professor e não entendeu o que escrevi, lamento.

Eu disse num post o seguinte:

"Opino é que estas avaliações sirvam tão somente para que a qualidade do ensino melhore e os professores com isso tenham somente a ganhar a manutenção do seu posto de trabalho, o que já é muito bom e suficientemente gratificante."

Você disse:

"Essa atitude e esse tipo de pensamento é degradante!

Qualquer professor/profissional (aquele que é regularmente remunerado pelo trabalho que executa ou actividade que exerce) deve ser motivado para k o seu trabalho seja cada vez melhor, em outras maneiras q n sob ameaças duma avaliaçao e consequente ameaça de ir para o olho da rua!"


Eu agora respondo:

Se você não concorda com a avaliação contínua é porque talvez esteja do lado do professorado e não queira ser alvo de avaliações. Quem não deve, não teme!
Eu quero é que um dia os meus filhos frequentem escolas que primam não por dar notas sem mérito, mas sim por serem bons alunos porque têm professores competentes.
Percebeu agora?
Esta atitude é própria de quem se preocupa com os filhos, em que eles tenham ao dispôr um ensino de qualidade.
Quem fala em avaliação a professores, fala na avaliação de outros profissionais... Convenhamos que há muitos trabalhadores sobretudo os do estado que se refugiam no facto de não terem propriamente um patrão que dite ordens ou os vigie diariamente, e por isso desleixam-se, nomeadamente os professores. Daí que eu concorde plenamente com a avaliação que lhes seja feita, os termos em que ela será feita é que poderei discordar.
E eu não sugeri que os professores fossem "para o olho da rua", mas sim que fossem afastados do ensino para voltarem aos bancos de escola para colmatarem as lacunas que lhes sejam apontadas e só depois voltariam a leccionar.
Diga-me anónimo: quem não quer o melhor para os seus filhos em termos de aprendizado?


CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

Estou a ver q vc leva tdo para a injuria!
e tb tem algum problema c os discursos anónimos!isso já é "mania da perseguição"!

n sou professor nem func. publico.

A apostola do "quem n deve n teme", n é aplicável nesta situação! Pk a dita avaliação está longe de ser justa para quem quer que seja!

"Quem não deve, não teme!
Eu quero é que um dia os meus filhos frequentem escolas que primam não por dar notas sem mérito, mas sim por serem bons alunos porque têm professores competentes."


Vc acha que um aluno vai dar melhor avaliaçao a um professor que é justo, rigoroso, k sabe a materia e sabe transmiti-la, mas que no final do periodo só lhe deu um satisfaz, a um professor k falta algumas vezes e k avisa, k deixa sair os alunos mais cedo, q se põe a contar historias e anedotas nas aulas na vez de leccionar, k diz o k vai pôr nos testes e k no final do periodo só dá bons e n chumba ninguem? Acha mm?!

"Percebeu agora?" e n me trate co se fosse d compreensão lenta, pk estamos aqui a debater ideias e n a semantica das frases!:P

Vc sabe mm quais são os termos/acçoes por detrás desta avaliaçao k o governo quer implementar?

"Convenhamos que há muitos trabalhadores sobretudo os do estado que se refugiam no facto de não terem propriamente um patrão que dite ordens ou os vigie diariamente, e por isso desleixam-se, nomeadamente os professores."
Nomeadamente os professores?!..essa é forte!
Vc de ter sofrido algum trauma c os professores, só pode!para falar assim..
Maus profissionais ha em tdos os sectores!..diga-me qual é a sua profissão que eu ja lhe aponto defeitos à sua classe!

Se ha pessoas k n estão qualificadas para serem professores, k n sabem a materia k vao leccionar, a culpa é de quem os contratou e nos métodos de ingressão na carreira docente!

Visto n ter grande dom da palavra, aconselho-a a relêr de novo os post's de cima a baixo e tentar entender o q foi dito por alguns..

Só para acabar, deixo um exemplo:
"Apartir de hj vai existir mais um arbitro de futbol a juntar à equipa de 1 arbitro + os 2 assitentes de linha, ou seja agora vão ser 2 árbitros e 2 assitentes de linha"
Vc concorda c implementação desta lei?
Acredito k segundo o seu bom senso, vc dizia logo q sim!
"assim vai haver menos erros de arbitragem, 4 pares de olhos veem melhor q 3, logo vai haver menos más juizos de arbitragem"

E o k achava dpx se soubesse q os termos de aplicabilidade desta lei face à anterior fosse o seguinte:
"os 2 assistentes de linha continuariam a fazer as laterais do campo e os 2 árbitros irão para trás de cada uma das balizas"

Acha k a implementação desta medida trazeria beneficios a alguem? Haveria mais justiça dentro do campo?


Cump!

Mário Mendes

Anónimo disse...

"Convenhamos que há muitos trabalhadores sobretudo os do estado que se refugiam no facto de não terem propriamente um patrão que dite ordens ou os vigie diariamente"

Um profissional só vai ser um bom profissional se tiver boas condições de trabalho, ser for reconhecido e apoiado na sua actividade, quer motivação, quer q lhe dêem mérito pelo q faz, quer progressão na carreira!
Um profissional se tiver um patrão que o obrigue ou q lhe dê ordens, q o vigie e q o ameace se n fizer melhor ele vai para a rua e arranja outro para ocupar o lugar, esse profissional passa a ser um escravo!

Na china ha mtos!..venham então o regime ditatorial! Afinal o profissional precisa é de levar umas chicoteadas para fazer mais e melhor!

:P

Por exemplo, qdo andei na escola eu detestava e ficava perturbado ao ponto de mexer c a minha performance, qdo na altura dos exames tivesse um docente constantemente ao meu lado a vigiar a execução da minha prova de exame na vez de vigiar os meus actos durante a prova..

Teresa disse...

Boa noite

Sou professora e acabei o meu curso com média final de 13 valores. No entanto as minhas notas de estágio chegaram a ser de 19 valores.
Onde ficam os 14 valores?
Devo procurar outra profissão?

lady_blogger disse...

"Visto n ter grande dom da palavra, aconselho-a a relêr de novo os post's de cima a baixo e tentar entender o q foi dito por alguns.."- disse Mário Mendes

Nem parece que você afirmou: "e n me trate co se fosse d compreensão lenta, pk estamos aqui a debater ideias e n a semantica das frases!:P".

Quem não tem o dom da palavra não sou eu. Ora veja lá como escreve e como tem escrito...

Como você disse, discutam-se as ideias...

Relativamente à avaliação dos professores e caso você tenha lido todas as minhas postagens, deve ter percebido que eu concordaria com a avaliação feita aos professores mas em termos diferentes dos que pretendem implementar.
Relativamente à questão dos árbitros, por acaso parece ter descoberto um dos meus pontos fracos, pois se há coisa que não valorizo nada é o futebol, mesmo sabendo que é um desporto que movimenta massas populacionais e capitais. Logo não tenho opinião formada sobre a arbitragem no futebol.

"...aconselho-a a relêr de novo os post's de cima a baixo e tentar entender o q foi dito por alguns.."

Não leio todos os posts, geralmente só leio os dos comentadores residentes, ou outros que me despertem a atenção. Apesar de gostar muito do SC, não leio os pots todos nem vejo o programa na totalidade. Venho até cá quando posso.

"Se ha pessoas k n estão qualificadas para serem professores, k n sabem a materia k vao leccionar, a culpa é de quem os contratou e nos métodos de ingressão na carreira docente!"- Nesta parte concordamos. Mas como muitos já estão efectivos no ensino, talvez encontrem na medida que querem implementar, uma forma de colmatar a má selecção anteriormente feita.

"Vc acha que um aluno vai dar melhor avaliaçao a um professor que é justo, rigoroso, k sabe a materia e sabe transmiti-la, mas que no final do periodo só lhe deu um satisfaz, a um professor k falta algumas vezes e k avisa, k deixa sair os alunos mais cedo, q se põe a contar historias e anedotas nas aulas na vez de leccionar, k diz o k vai pôr nos testes e k no final do periodo só dá bons e n chumba ninguem? Acha mm?!" - Não é este tipo de atitude que se espera de parte a parte.

"Vc de ter sofrido algum trauma c os professores, só pode!para falar assim.." - Não foi o caso, mas todos sabemos que há maus professores, e eu já conheci vários que não dominavam a matéria que leccionavam.

"Maus profissionais ha em tdos os sectores!"- Concordo em absoluto. Mas acrescento que deveriam ser depostos dos seus trabalhos.

"..diga-me qual é a sua profissão que eu ja lhe aponto defeitos à sua classe!"- Pergunto-lhe eu também qual a sua? É claro que há detalhes a melhorar em todas as profissões, mas também há bons profissionais, creio eu, ou pelo menos tenho essa esperança.

CC

Maria Mendes

lady_blogger disse...

"Por exemplo, qdo andei na escola eu detestava e ficava perturbado ao ponto de mexer c a minha performance, qdo na altura dos exames tivesse um docente constantemente ao meu lado a vigiar a execução da minha prova de exame na vez de vigiar os meus actos durante a prova.."

Anónimo da 1h 16m, eu também não gostava, sobretudo se desconfiassem e não tivessem motivo para tal, mas como deve entender ao longo da vida somos constantemente avaliados. Você acha que por exemplo um profissional de qualquer empresa não é avaliado mesmo que de longe? É por isso que uns progridem na carreira e outros não, salvo as excepções de certas imoralidades e de lambe-botas.

"Um profissional se tiver um patrão que o obrigue ou q lhe dê ordens, q o vigie e q o ameace se n fizer melhor ele vai para a rua e arranja outro para ocupar o lugar, esse profissional passa a ser um escravo!"- Segundo a sua óptica então metade de Portugal é escravo. Digo só metade, porque quanto à outra metade alguns ainda não trabalham, outros estão desempregados, outros estão reformados, outros são patrões.
Quem tem patrões com quem lidem diariamente no local de trabalho dificilmente serão maus profissionais, pois se o fossem os patrões despedi-los-iam. Mas ter o patrão no local de trabalho não deve ser sinónimo de se ser escravo nas mãos de um opressor, os trabalhadores é que por vezes não sabem lidar com a autoridade(e não autoritarismo). Definam-se desde cedo estratégias de relacionamento saudável, sem lugar a ameaças nem explorações.

CC

Maria Mendes

lady_blogger disse...

"Teresa disse...

Boa noite

Sou professora e acabei o meu curso com média final de 13 valores. No entanto as minhas notas de estágio chegaram a ser de 19 valores.
Onde ficam os 14 valores?
Devo procurar outra profissão?

04:20"

Não sei para quem foi a pergunta, mas eu como conheço casos similares decidi contar-lhe os mesmos.
Sei de professores que terminaram os cursos com as mesmas médias que a Teresa e estão há anos sem dar aulas. Você tem várias opções.
Após o terminus do curso acho que tem ainda 1 ano para melhorar notas, ou então com a sua media pode fazer um mestrado. Depois e dado que os concursos mudam constantemente vá estando atenta aos prazos e às escolas disponíveis e escolha a melhor estratégia. Em todo o caso vá procurando alternativas ao ensino, mas não deixe de ir concorrendo todos os anos.
O Ministério da Educação é que devia mandar fechar os cursos para os quais de momento quase não há saídas profissionais.

CC

Maria Mendes

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.