sexta-feira, outubro 26

DOENÇAS NÃO TRANSMISSÍVEIS: AS QUE MAIS MATAM

A Organização Mundial da Saúde revela agora que as doenças não transmissíveis são responsáveis por cerca de 80% da morbilidade e mortalidade mundiais. Doenças cárdio e cérebro-vasculares, cancro e diabetes, obesidade e osteoporose, são exemplos de males actuais que seriam minimizados se a prevenção fosse centrada essencialmente nas crianças. Os principais factores de risco estão identificados: tabaco, álcool, sedentarismo, alimentação errada e stress. No Sociedade Civil de hoje revelamos-lhe um dos mais ambiciosos e inovadores projectos nacionais na área da saúde: “Crianças saudáveis em
famílias saudáveis”. É possível? Sem dúvida. Saiba como, hoje, com os melhores especialistas.

43 comentários:

Anónimo disse...

Alberto Silva
Apesar de tudo são os factores ambientais que mais matam, todo o tipo de agressões a que estamos expostos por toda a parafernálea de necessidades que nos criam para vender...vender e...vender.
Certamente o tabaco, o alcool a alimentação errada, falta de exercicio etc, também.
Mas sobretudo, tudo aquilo com que somos bombardeados desde que nascemos, para que alguém ganhe o seu dinheiro, e contra isso nada podemos fazer.

Sara disse...

Uma das pincipais medidas passa por mudar os hábitos quanto à alimentação, ao consumo de substâncias prejudiciais e à falta de exercío físico e de actividades que nos ajudem a relaxar e a sentirmo-nos bem, etc..
E o papel principal aqui cabe aos meios de comunicação social para divulgar e incentivar insistindo sempre na mudança para melhores hábitos.

Aparte: Dou os parabéns ao anúncio publicitário que passa na T.V., com excelentes actores portugueses que incentiva o uso do preservativo para evitar as doenças sexulmente transmissíveis! As imagens mostram o essencial para sensibilizar e o silêncio (apenas a música de fundo) ainda reforça. Os meus parabéns!

Pedro Marinho disse...

Pratique Natação, pois será mais saudável crescendo, desenvolvendo e prevenindo-se. Irradiar o desporto em qualquer idade é simplesmente perder anos de vida. Amem intensamente os vosso filhos, ‘disciplinem de forma construtiva, ‘passem tempo juntos, ‘ensinem seus filhos a diferenciar o certo do errado, ‘criem respeito mútuo, ‘escutem-nos realmente, ‘dêem orientação desportiva em vez de desportos “ electrónicos” e sejam realistas.

Prof. de Natação
Pedro Marinho

Pedro Marinho disse...

Em Portugal, o País mais preguiçoso da Europa, 60,2% dos adultos não pratica qualquer tipo de actividade física.

Por outro lado, a família nem sempre dá o melhor exemplo, e a escola, normalmente, não fornece boas refeições. Não há cantinas em número suficiente, a comida não é confeccionada por profissionais e as refeições não obedecem às regras básicas de uma alimentação saudável.

Faltam, por exemplo, legumes ou saladas que devem ocupar em todas as refeições cerca de metade do prato. Abundam refrigerantes, guloseimas e batatas fritas, que deveriam ser banidos dos refeitórios, bufetes e máquinas escolares.

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Pedro Marinho disse...

O problema é que a obesidade não é apenas uma questão estética. É uma doença que acarreta riscos muito sérios para a saúde sendo uma das maiores responsáveis por doenças cardiovasculares, diabetes e diversos tipos de cancro, entre eles o cancro da mama.

E nem sequer as crianças escapam. Em Portugal 31,5% das crianças dos 7 aos 9 anos têm excesso de peso, do qual 11,3% são obesas.

No meio de tudo isto de quem é a culpa?

Pedro Marinho
Arcos de Valdevez

Pedro Marinho disse...

"Somos aquilo que comemos". A frase não podia ser mais acertada. De facto, uma alimentação equilibrada é determinante para o bem estar físico e mental. Só que esta relação causa-efeito está a passar ao lado da maioria. A prova está na adesão massiva ao fast-food que além de atrair os graúdos, cedo conquista os miúdos.

Pedro Marinho
Arcos de Valdevez

Sylvie disse...

Boa tarde.
Concordo a 100% com o que a Sara comentou que cabe aos meios de comunicação Social divulgar e incentivar e, no meu ver, ensinar até, a população. Há tanta gente mal informada e tanta coisa se poderia evitar se a sociedade fosse mais culta, mais informada dos seus direitos, deveres, hábitos correctos, saudáveis, etc. Como se pode viver tranquilo sabendo que há pessoas que se "deixam morrer" por não terem meios económicos para se tratarem?!
Como todos nós sabemos nem todos os portugueses têm o bom hábito de aprender lendo um livro mas poucos são os que não vem Televisão, por isso acho que esta deve ser mais informativa. Ao contrário do que tem sido...recreativa...com programas que não puxam por nós, que não nos fazem pensar (antes pelo contrário).
Os meios de comunicação (principalmente a TV) são ferramentas preciosas na divulgação das mais variadas informações.

Sylvie disse...

Pedro Marinho,
Eu acredito que haja muita gente que só não frequenta um ginásio ou uma piscina por causa dos altos preços que são pedidos. Por vezes é muito difícil pagar todas as despesas que temos e ainda nos sobrar dinheiro para uma mensalidade num ginásio. Eu própria andei a pesquisar alguns locais e fiquei abismada com os preços...

Anónimo disse...

Desculpem o desabafo mas, aleluia que finalmente se pode ver o Sociedade Civil pelo site da RTP multimédia...

A questão é, até quando?

Anónimo disse...

Os dois factores mais importantes que fazem com que a Humanidade tenha milhares de doenças diferentes, são essencialmente:


- O factor "ambiental": a poluição, alterações climáticas, produção de quimicos que são utilizados para TUDO e que estão por TODA a parte, consumo excessivo, fumar, falta de exercício, etc etc.

- A questão alimentar: A péssima alimentação que se tem, o comer produtos de origem animal (carnes, lacticinios, etc - importante ser vegetariano), o comer produtos alimentares produzidos pela agricultura química, os fritos/café/sal , etc etc.


De certa forma, a culpa por todos estes problemas não é só das sociedades, mas é de todos nós, o segredo é minimizar os problemas ambientais e de saúde optando por produtos e serviços mais ecológicos e amigos do ambiente, sustentáveis, naturais e saudáveis.

carpe diem

Anónimo disse...

sou mãe de 3 filhos epreocupo-ma muito com estas questões e o q mais me aborrece é o facto de a minha filha mais velha q tem 34 kg e 130cm, com 6 aos, é uma criança q pratica desporto 3 x por semna, e ,que nunca eu lhe comprei golusimas num cafe, batatas fritas e vai ao mc donalds apenas 2 x por ano, mesmo assim ela é uma criança "grande", e vejo crianças q comem bolos e gomas todo o dia e vao ao mc donalds todas as semanas e até são magras!! onde está o erro??

Anónimo disse...

Cara Fernanda,

Já que se fala de alimentação saudável, comentem também o vegetarianismo, que sendo diverso e equilibrado é sem dúvida alguma uma alimentação muito mais saudável, natural, sustentável e ética (que respeita o ambiente, as pessoas e os animais).

Anónimo disse...

"e vejo crianças q comem bolos e gomas todo o dia e vao ao mc donalds todas as semanas e até são magras!! onde está o erro??"


Ou a sua filha ingere outros alimentos que parece que não, mas contêm também muita gordura, ou pode ser uma questão genética. Neste último caso é que é de dificil resolução, mas são casos muito mais raros, regra geral as pessoas são "volumosas" porque:

1- Não fazem exercício ou muito pouco
2- têm uma péssima alimentação


Fazer exercicio e comer correctamente é fundamental.

fatima lourenço disse...

ola boa tarde.tenho dois filhos com 5 e 3 anos,o mais velho é diabetico tipo 1 desde os 14 meses,apesar de ter sido amamentado ate 1 ano de idade e em exclusivo ate ao 6 meses,nunca comeu doces,sempre vez uma alimentaçao saudavel,as vezes so o facto de ter uma alimentaçao saudavel nao vai fazer com que as doenças cronicas nao apareçam.nunca tive dificuldades para que os meus filhos comecem legumes e sempre soberam que comer doces faz mal,por isto nao percebo a dificuldade dos pais em fazer perceber aos filhos quais os alimentos certos. obrigado.fatima lourenço

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Pedro Marinho disse...

Grande mensagem, parabéns

Daqui a 15 anos não há adultos em portugal,Dr Fernando Padua

Pedro Marinho Arcos de Valdevez

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Aqui fica uma história verdadeira qu dá um exemplo do que se passa verdadeiramente nas escolas:

Há cerca de 1 ano, numa escola pública em Lisboa, um aluno vendo máquinas de venda autmática dentro da escola, com doces e outra comida de muito má qualidade, decide perguntar ao conselho executivo da escola o porque de se permitir que essas máquinas continuem a vender junk food na escola. O conselho executivo respondeu o seguinte:

"Sabemos que isso pode ser mau para as crianças, mas pouco podemos fazer porque é uma forma de a escola angariar dinheiro extra"


Ou seja, até as autoridades que deveriam proteger a saúde dos alunos, estão complacentes com a indústria de forma a receberem a sua parte do "bolo" em vez de se preocuparem com a saúde dos outros.

Sem comentários.
cp

Sociedade Civil disse...

A CONFAGRI não está representada no programa. Qualquer questão relacionada com este parceiro poderá ser colocada directamente através do link no nosso blog.

saudaçoes civis

Anónimo disse...

Mesmo para os pais é complicado por vezes educarem os filhos acerca de uma alimentação saudável…
Por exemplo, eu tenho um filho de 2 anos, e acontece constantemente eu ir com ele a um café, a um supermercado, e lhe darem algo de pouco saudável para comer (rebuçados, doces) sem me pedirem permissão. É claro que depois a mãe tem que retirar o doce das mãos do filho e tentar que ele explicar para que ele entenda porquê!
Ainda existe muito o hábito de facilitar, de dar tudo às crianças para elas comerem… sem pensar nas repercussões futuras para a criança. É um hábito enraizado socialmente…

Anónimo disse...

Boas tardes , queria aproveitar a presença de um dos convidados para por uma questão.
Qual a idade recomendavel para uma criança se iniciar no judo, karate, etc... 4 anos não será cedo demais, por questoes de desenvolvimento do proprio organismo e crescimento?

lady_blogger disse...

Acho que tanto podem matar as transmissíveis como as outras doenças. Mas sobre estas últimas talvez tenhamos mais poder de controle ou até as poderíamos evitar.
No caso da obesidade infantil, sou da opinião que as escolas têm grande parte da culpa, pois a maioria dispõe de bares. Às vezes as crianças não comem o lanchinho que os pais lhes preparam para levarem para a escola, preferindo comprar outras coisas não tanto por goludice mas para mostrarem aos colegas que também têm poder de compra.
Fernanda pergunte ao Dr. Pádua o que acharia de se fecharem os bares nas escolas e se é possível levar a cabo o fecho deste tipo de estabelecimentos comerciais nas escolas.
Em alternativa, as crianças poderiam levar o seu farnel, ou ter sempre no seu cacifo alimentos não perecíveis num curto prazo.
Fica a sugestão...
A Escola serve para ensinar e educar, e não é dispondo de bares que se contribui para a educação alimentar das nossas crianças. Uma criança obesa será na certa um adulto doente, e as escolas são em muito responsáveis por isso.

CC

Maria Mendes

lady_blogger disse...

Diz-me o que comes e te direi como és.

Está tudo dito.

CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

Acho que temos um problema grave no nosso país que não ajuda nada a prática de exercício físico.
Quando se constroem as estradas esquecem-se que antes da existência dos carros as pessoas deslocavam-se a
pé. Normalmente não se fazem bermas por onde as pessoas se possam deslocar, fazem-se passeios ao redor
das rotundas, em pontes, para ficar bonitinho, e depois as pessoas têm que se deslocar pela estrada.
Gostava de ir buscar o me filho ao infantário a pé, de carrinho, mas tenho que o ir buscar de carro!
Obrigada e Parabéns pelo programa.
Célia

Anónimo disse...

Apela-se mto para as pessoas andarem de bicicleta, mas onde vamos nós andar de bicicleta? Se é cada vez mais raro ver parques que o permitam para tal, n existem ciclovias, raros são os munícipes que arranjem zonas para a prática de desporto ao ar livre, e nenhum mm que crie ciclovias na estradas..

Veem-se noticias nos telejornais de alguns municipes que criam ciclovias, mas depois qdo pedem testemunhos aos transeuntes, vee-s claramente que são infucicientes e de baixo impacto e em zonas de pouca utilidade e ou significado prático..

lady_blogger disse...

Em tempos idos frequentei em Coimbra uma das cantinas escolares que era considerada a melhor do país. Se todas as restantes cantinas do país lhe seguissem o exemplo, creio que os comensais destes estabelecimentos só teriam a ganhar em termos de saúde.

CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

As estradas já estão mal preparadas para os transportes publicos qto mais para implementar ciclovias! Uma pessoa é obrigada a andar de bicicleta nos passeios, apesar de ser improprio e desagradável para os transeuntes que andam a pé, mas faço-o por questões de salva guarda física e evitar acidentes por parte dos automobilistas, mas ja nem nos passeios se pode andar pk os carros tb estão a ocupar estes espaços para estacionamentos.

Anónimo disse...

"Apela-se mto para as pessoas andarem de bicicleta, mas onde vamos nós andar de bicicleta? "



Hmmmmm... essa é díficil, mas... E que tal nas estradas?


As bicicletas foram feitas essencialmente para andar nas estradas. A maioria das pessoas que usa bicicleta faz-o mais por questões práticas e não de lazer.

A bicicleta tem todo o direito de estar nas estradas, o problema é só a mentalidade dos condutores de carros que podem ser arrogantes e não ser "delicados". Quanto mais bicicletas existirem nas cidades, mais muda para melhor.

Nos países nórdicos, a mentalidade é totalmente diferente em relação a isto.

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

As crianças passam horas e horas sentadas e mal dá o toque pro recreio lembram-se logo de ir comer em vez de por exemplo se lembrarem de ir dar uma volta de bicicleta num qualquer circuito interno da escola.

CC

Maria Mendes

lady_blogger disse...

Fernanda pergunte ao Dr. Pádua o que acha de se fecharem os bares nas escolas. Esta pergunta vem na sequência do meu post das 14 h e 56m.

CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

Também concordo que se fale sobre os aspectos emocionais/espirituais/psicológicos, porque dai aparecem muitas outras doenças/problemas como o stress, que muito mal fazem à saúde fisica e mental da pessoa.

Pensamento positivo é preciso :p

Lisete disse...

Boa tarde.
É sem dúvida importante educarmos as crianças para uma boa alimentação. Também não nos podemos esquecer que no programa curricular do 1.º ciclo está definido como obrigatório estudar com as nossas crianças temas como a alimentação saudável, hábitos de higiene e segurança do seu corpo bem como a importância do desporto na nossa saúde.
Mesmo assim é necessário que as escolas coloquem em prática aquilo que ensinam e também estejas dotadas de boas infra-estreturas para a prática de desporto.
É importante pensarmos nisto, agora que as crianças estão na escola desde as 9 horas até às 17 horas. Durante este tempo todo qual é a parte do dia que fica reservada para a prática de desporto?

Anónimo disse...

Frequentei uma fac no Porto em que a meio do meu curso a fac mudou para novas instalaçoes. E é vergonhoso ter-se feito uma fac nova sem que esta tenha sido projectada ou idealizada para incluir um edificio, pavilhao para a prática do desporto ou espaços ao ar-livre e n foi por falta de espaço, àrea..

lady_blogger disse...

O tema de hoje que se pretendia sobre as doenças em geral, assumiu o norte na direcção das doenças sobretudo decorrentes da obesidade. Todas as outras doenças de que falaram foram só afloradas.

CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

Temos aqui um concorrente ao lugar de moderador do SC? fernada tenha cuidado ou senão vai para o olho da rua! O seu patrão n anda a vigiá-la bem!

Mas o que foi falado hj n tem menor importancia! Era pior se tivesse falado de banalidades na vez do assunto do tema!

Anónimo disse...

para a proxima faça então perguntas sobre o tema na vez de deixar comentários k pouco ou nada servem para a discussao do programa (enqto decorre o programa na tv)

lady_blogger disse...

"Anónimo disse...

Temos aqui um concorrente ao lugar de moderador do SC? fernada tenha cuidado ou senão vai para o olho da rua! O seu patrão n anda a vigiá-la bem!

Mas o que foi falado hj n tem menor importancia! Era pior se tivesse falado de banalidades na vez do assunto do tema!

15:31
Anónimo disse...

para a proxima faça então perguntas sobre o tema na vez de deixar comentários k pouco ou nada servem para a discussao do programa (enqto decorre o programa na tv)

15:34"


A este anónimo:

Estes são comentários de alguém que nem se dá ao trabalho de se identificar. Esta crítica em nada contribui para o melhoramento do que quer que seja.
A Fernanda não tem nada a temer, é boa profissional, não se preocupe com ela...

CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

"Estes são comentários de alguém que nem se dá ao trabalho de se identificar. Esta crítica em nada contribui para o melhoramento do que quer que seja.
A Fernanda não tem nada a temer, é boa profissional, não se preocupe com ela...

CC

Maria Mendes"

A esta Maria: o meu comentário foi no intuito de vossa excelencia da proxima vez antes de fazer 1 "comentário" que nada contribuei para a discussão do tema do programa pense duas vezes e n clique no botão "publicar comentário"!
Se assim acontecer, este blog ganha mto com isso e a Fernanda ja n "stressa" tanto à procura de respostas/comentários adequados para poder ler aos seus convidados aqdo da emissão!
E vc tb n se preocupe c a Fernanda e nem faça o papel dela, pk ela sabe desempenhar bem o seu papel e se detectar algum desvio aqui no blogue ela própria faz o apelo em directo!

E essa fixação pelos anónimos ja se torna doentia visto n ter problemas nenhum em ripostar a quem quer se seja!

Mário Mendes

RUTE disse...

Lady_blogger tem toda a razão. Estive a ver o programa das doenças não transmissiveis e centraram-se, erradamente, na Obesidade descuidando de focar as outras doenças.

Ou o Tema não era o suposto, ou a conversa "é como as cerejas" e a Fernanda esqueceu-se de alargar o âmbito.

Lamento. E lamento ainda mais não ter conseguido assistir, em directo, para poder colocar algumas questões sobre diabetes, anemia, cirrose, etc etc

Anónimo disse...

srs e sras

acho que a Fernanda não se esqueceu das outras doenças... se calhar foi seguindo o fluxo normal da conversa e seguiu o mesmo rumo daqueles que entraram no blog - curiosamente quem critica o decorrer do programa é quem mais posts colocou sobre obesidade!! DAH
eu vi o prog agora e falou-se sobre desporto, diabetes, comportamnetos de risco, alcool tabaco etc... a obesidade "pesa" mais!! mas os blogers podiam ter colocado outras questões... infelizmente é tudo na base do COPY/Paste de artigos na net!! assim tb eu

Rui

Anónimo disse...

"Apela-se mto para as pessoas andarem de bicicleta, mas onde vamos nós andar de bicicleta? "



Hmmmmm... essa é díficil, mas... E que tal nas estradas?

Devia ser devia, mas andar de bicicleta nas nossas estradas é co andar de insuflável num rio cheio de crocodilos!
E eu n estou para arriscar andar nas estradas sujeito a que um carro passe por cima de mim!

...foi nesse sentido k perguntei por zonas seguras onde andar de bicicleta..

Cumps

Anónimo disse...

""Apela-se mto para as pessoas andarem de bicicleta, mas onde vamos nós andar de bicicleta? "



Hmmmmm... essa é díficil, mas... E que tal nas estradas?"


Devia ser devia, mas andar de bicicleta nas nossas estradas é co andar de insuflável num rio cheio de crocodilos!
E eu n estou para arriscar andar nas estradas sujeito a que um carro passe por cima de mim!

...foi nesse sentido k perguntei por zonas seguras onde andar de bicicleta..

Cumps