quinta-feira, outubro 18

TRÁFICO HUMANO: NEGÓCIO EM CRESCIMENTO

Assinala-se hoje o 1º Dia Europeu de Combate ao Tráfico Humano. As estatísticas dizem-nos que 1,2 milhões de crianças são anualmente vítimas de tráfico e que no espaço da UE serão “negociadas” anualmente cerca de 6 milhões de mulheres, oriundas sobretudo dos países de Leste. O crescimento económico estimula do desenvolvimento do tráfico humano, atendendo a que a maioria dos “clientes” estão nos países ricos? Que soluções estão a ser implementadas para que esta realidade minore? Associe-se ao SC neste combate ao tráfico humano: saiba como identificá-lo e denunciá-lo.

22 comentários:

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Sobretudo os ditos ricos é que se dedicam a este tipo de comércio, ou então são o cliente mais habitual do tráfico humano, tanto a nível da compra de favores sexuais como a nível da compra de órgãos humanos, ou simplesmente para adquirirem um escravo da modernidade.
Os pobres não podem efectuar este tipo de compras, limitando-se a eventualmente custearem para si um ou outro serviço de uma meretriz ou prostituto "mais em conta".
Quem detém um considerável poder económico tem acesso a tudo de bom e de mau, mas muitas vezes na ansia de experimentar tudo que se consegue comprar acabam por se atropelar muitos dos valores humanos.
O tráfico humano cresce na razão directa do aumento do poder económico.
Quem explora os outros, talvez não mereça ser preso, mas sim deveriam sentir na pele o mesmo, tendo que para tal sujeitarem-se ao mesmo que sujeitaram outros seres humanos como eles.

CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

Infelismente pouco ou nada se tem feito! Tudo isto se deve a uma questão de poder, pois quem mais se aproveita destas situações são os "países ricos" que detêm o poder e devido a esse jogo de interesses pouco ou nada se tem feito.
Contudo, na minha opinião, deveria começar-se pelo fecho de fronteiras com tudo o que isso implica pois, será uma das formas mais básicas e iniciais de combate ao tráfico humano que muitas vezes é efectuado nas nossas "barbas" e com a maior das facilidades! Inclusivé já tivemos a prova, durante o euro2004,do que se consegue parar e/ou travar quando se tem as fronteiras fechadas. Infelismente a ideia das fronteiras abertas foi bem intensionada, mas muito mal usada!

CC
Margarida Veloso e Jesus

Pedro Marinho disse...

Rins a Venda

Seria capaz de vender um de seus rins saudáveis? Uma firma alemã-ocidental, que negocia órgãos humanos para transplantes, oferece-se a pagar US$ 45.000 a qualquer pessoa disposta a fazer tal doação. Em resultado, um porta-voz da firma disse que estavam “abarrotados de ofertas”. Pessoas que encaram isto como oportunidade de enriquecer depressa constituem abundante fonte de órgãos para as firmas que trabalham com a venda de tecido humano. Diferentes do tráfico ilegal de órgãos, praticado no Terceiro Mundo, “os prospectivos corretores de órgãos transacionam abertamente (e legalmente) na Alemanha Ocidental”, comenta a notícia da revista Newsweek. O preço que a firma cobra por tais órgãos: US$ 85.000.

Pergunto aos convidados como é possivel acontecer isto actualmente a caminho do século XXI?

Aquem devemos denunciar tais práticas?

Nota;
Ainda á bem pouco tempo verefiquei que num site da internet que se vendia um bébé ainda na barriga da sua própia mãe e já circulava a sua venda. A pobreza que se vive actualmente pelo mundo fora poderá ser imutável nestas situações e provocar este tipo de atitudes desesperadas?

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Pedro Marinho disse...

A nossa "famosa" europa parece - me ignorar e incapaz de dar resposta a esta epdemia de um negócio que movimenta milhões de euros e muita boa gente, o tráfico humano é desumano e truculento.

Pergunto

Será que a prevençâo é a melhor resposta?

A educação nas escolas não é omissa a este assunto?

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Pedro Marinho disse...

Abandonados pelos governos dos países mais pobres, crianças e mulheres são abandonadas, deixando para trás. Elas são jovens, vulneráveis... são presas fáceis.
O submundo chama a isto "Tráfico Humano" e, para esse mesmo mundo, ele é um atractivo e desejável atractivo de biliões de dólares, um negócio onde seres humanos são comprados e vendidos por predadores de orgãos.

Pedro Marinho disse...

A redução das oportunidades de trabalho em países pobres somando-se ao aumento da aspiração de consumo das populações têm tornado cada vez mais tentadora a migração para países ricos ou mais desenvolvidos, alerta a OIT. Segundo a entidade, existe uma demanda permanente de mão-de-obra disposta a aceitar postos de trabalho pouco seguros, de baixa remuneração

Pergunto ;

O desemprego em portugal ao atingir indices dos mais elevados da Europa lamentavelmente será que não vai criar de forma indirecta situações com episódeos nefastos para quem está no desemprego?

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

Sylvie disse...

Boa tarde a todos!
Quem percorra a baixa e certas zonas de Lisboa depara-se com imensas mulheres estrangeiras (nomeadamente de países de leste) a prostituirem-se.
Ao fundo da rua onde vivo há uma residencial cheia de gente nessas circunstancias. Muitas vezes vemos situações de abuso por parte dos maridos na rua em frente a toda a gente. É mais um daqueles tipos de situação que a sociedade sabe o que ali se passa mas nunca ninguém faz nada. As pessoas tem medo de se meter e denunciar mas também acho que não há muita informação sobre o que pode o cidadão comum fazer para ajudar!
Obrigada.

Pedro Marinho disse...

Em nosso mundo do século 21, em que a liberdade e a democracia estão se estendendo a todos os continentes, é espantoso e moralmente inaceitável que centenas de milhares de homens, mulheres e crianças sejam vítimas de exploração, abuso e escravidão por parte de mercadores da miséria humana.

O tráfico atinge muitos países em todo o planeta, inclusive o nosso. Estima-se que são traficadas de 800 mil a 900 mil pessoas por ano. Quase 20 mil dessas vítimas entram nos Estados Unidos. A natureza transnacional desse tipo de crime requer que os países de origem, de trânsito e de destino trabalhem em parceria para evitar o tráfico, proteger as vítimas e condenar os responsáveis.

Com o uso da força, fraude, corrupção, coação e outros meios horríveis, os traficantes oprimem as pessoas impotentes, desesperadas e vulneráveis. Meninas de apenas 5 anos são vendidas para a prostituição; meninos de apenas 11 anos são transformados em milicianos fortemente armados para servir como meninos-soldados ou executar trabalho forçado para os combatentes.

Os Estados Unidos estão preparados para ajudar os países que demonstrarem um compromisso resoluto de aumentar sua capacidade interna de combate ao tráfico. Trabalhando em conjunto, poderemos ajudar as vítimas do tráfico a se libertar da escravidão e a viver em liberdade com dignidade. Em parceria, poderemos poupar milhares e milhares de pessoas do sofrimento pelo qual outras já passaram.

Secretário de Estado dos EUA, Colin Powell
Adaptado das considerações tecidas por ocasião da divulgação do
Relatório sobre Tráfico de Pessoas, de 2003,
em 11 de junho de 2003.

Pedro Marinho disse...

Crianças de todo o mundo que "foram espancadas e violadas, compradas e vendidas, arrancadas das suas casas pelos conflitos e forçadas a servir como soldados e escravas sexuais".Durante as crises humanitárias, ocasiões em que as crianças ficam particularmente vulneráveis a actos de exploração e maus-tratos.

Sylvie disse...

Ás vezes a própria policia trata mal E MUITO MAL as prostitutas e falo com certeza do que estou a dizer.
O senhor convidado que aí está não conhece a realidade... não sabe o que se passa em muitas das esquadras em Lisboa e no País.

Anónimo disse...

Sylvie, tem TODA a razão.

Antonio Silva disse...

Dª Fernanda gostaria de ouvir a sua convidada apontar o nomes das esquadras onde tenha acontecido a policia ou os policias que tenham recusado apoio ou auxilio a qualquer cidadão que se tenha apresentado para participar uma queixa. peno que e irresponsabilidade total dizer este tipo de coisa, ate por uma razão , faz com que se crie nas vitimas um sentimento de resignação, não vou a esquadra porque eles não fazem nada e maltratam-me.

Antonio Silva disse...

Nunca se esqueçam, de um pormaior muito importante, as policias, trabalham com um instrumento, muito importante, que e o C.P. e o C.PP., se os mesmos, não permitirem, a intervenção policial, por respeito ao arguído, por muito que as vitimas, sejam vitimas, não há nada a fazer, em tempo útil.

Antonio Silva disse...

Sylvie, então já que conhece tão bem, a realidade, penso que já viu as prostitutas a rebelarem-se contra a policia por os mesmos tentarem tirar as mesmas das ruas, ou nunca viu???

Antonio Silva disse...

HÁ TAMBÉM, AS PROSTITUTAS, QUE NAS OPERAÇÕES POLICIAIS, CONTRA AS CASAS NOCTURNAS, ARGUMENTAM QUE OS POLICIAS, NÃO AS DEIXAM GANHAR A VIDA.

Antonio Silva disse...

Nao e perguntando, salvo raras excepções, que se fica a saber, quais os cabecilhas ou modus operandi, de uma organização de trafico de Seres Humanos, vide o caso Passarele, por uma razão muito simples: eles tem bons advogados, muito dinheiro, muitos conhecimentos influentes, armas, meios enfim. Nao e qualquer marginalzeco, que se mete, em actividades, deste calibre.

Antonio Silva disse...

Ja alguém parou para pensar porque e que o dono do Passarelle admitiu com tanta ligeireza o utilização de mulheres traficadas em contraponto a fuga aos impostos?
E muito simples consultem as penas para um crime e para o outro.

Sylvie disse...

Bom dia.
Sr. António Silva,
Eu conheço realmente bem a realidade e por isso me pronunciei. Sobre a tua pergunta tenho-lhe a dizer que não só nunca vi nenhum polícia a tentar tirar as prostitutas das ruas como nem sequer sabia que eles tinham essa "tarefa". O que vi, foi polícias a usarem e abusarem do seu estatuto, do seu poder, para usarem, abusarem e humilharem prostitutas. Atenção que eu não estou a dizer que vi imensos polícias a fazê-lo. Obviamente que me refiro a certos e determinados casos isolados. Casos e situações que eu tenho conhecimento. Não posso, não estou e nem quero dizer que vi ou saiba que toda a nossa polícia o faça! (Infelizmente apesar disto ser lógico eu tenho que o dizer porque as pessoas gostam de distorcer o que dizemos e por vezes isso pode ser muito perigoso).
Eu refiro-me aos casos que conheço e que tanto me revoltaram naquele tempo como ainda hoje, agora, a cada momento em que relembro!
Em quem podem essas mulheres acreditar?

Sara disse...

Cá em Portugal, no verão passado tive conhecimento do caso de uma mulher que foi a 1 loja de chineses (em Mindelo) e o marido ficou fora da loja, dentro do seu carro à espera dela. Ela era a unica cliente naquele momento dentro da loja e então levaram-na para a cave, raparam-lhe o cabelo, ligaram-lhe uns quaisquer fios ao coração amordaçaram-na e fecharam-na dentro de uma caixa de papelão. O marido, vendo que ela estava a demorar muito, foi à loja e como não a viu, perguntou ao vendedor e ele disse que não estava lá ninguém, que a senhora já tinha ido embora. O marido insistia que ela não tinha saído, que ele estava no carro à espera dela e começou a desconfiar e chamou a polícia e foi então que deram com ela. Se não fosse o marido ela estaria morta, visto que a intenção era tráfico de órgãos (uma rede chinesa de tráfico).
Soube de outro caso numa loja na Póvoa de Varzim. Não me lembro a 100% da história mas sei que foram dar com um menino de 7 anos preso no armazém da loja, muito provavelmente para esse fim. Mas como ele estava bem e não tinham provas de nada e os responsáveis da loja disseram que não foram eles que o fecharam lá, que devia ter sido ele próprio, a loja continua aberta e os responsáveis impunes.
Não sei se essa rede foi ou não desmantelada nem como ficou o caso do responsável da loja em Mindelo, mas nunca mais ouvi falar de casos desses.

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.