segunda-feira, outubro 1

VIVER E TRABALHAR SEM SAIR DE CASA

Portugal ultrapassou a Finlândia em e-government, ou seja, acesso a serviços do governo através da internet. O país-modelo apontado por José Sócrates no início do seu mandato está agora em 12º lugar, e Portugal saltou para o 3º lugar do pódio. Entregar o IRS, comprar o selo do carro, pedir a certidão do registo civil ou apresentar uma denúncia à Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica, é tudo possível sem sair de casa. Os computadores estão nas escolas e a partir deste ano os alunos a partir do 10º ano passam a andar com um portátil com ligação wireless, por um custo inferior ao de um telemóvel. Portugal tornou-se global depressa demais? Saiba como acompanhar esta evolução nas comunicações no SC de hoje, na véspera do 10º aniversário da Fundação Portuguesa das Comunicações.

44 comentários:

RUTE disse...

É um tema muito familiar para mim.
Desde 1995 que trabalho por conta própria. Sou contabilista e trabalho em casa. Embora preste serviço em outsourcing a 3 medias empresas, 1 vez por mês.

Não perco tempo nos transportes e raramente saio de casa durante o horário de expediente. Entrego as declarações pelo site das finanças, tiro dúvidas através de mails dirigidos ao diversos organismos públicos, págo impostos no meu NETBANKING, comunico com os meus clientes no MSN ou com SMS gratuitas, envio documentos por mail em pdf e recebo as avenças de contabilidade por transferência bancária.

Optimizo o tempo ao máximo e não tenho empregados. Trabalho em silêncio, com luz natural, com muito conforto, e páro quando quero. Pratico horários muito flexiveis. Sou capaz de NÃO trabalhar 1 ou 2 dias por semana e depois trabalhar o fim-de-semana inteiro. Conforme o que me der mais jeito e desde que não prejudique terceiros.

Anónimo disse...

Nota importante sobre a "oferta" de computadores portáteis para alunos do 10º ano e formandos do novas oportunidades:


Ao contrário do que o governo e as empresas operadores de telemóveis querem fazer crer ao país e especialmente aos alunos/formandos que se inscrevam e estejam abrangidos pelo projecto de "oferta" de computadores, esse projecto não é a oferta que fazem crer de que os computadores são gratuitos, na grande maioria dos casos eles NÃO SÃO gratuitos, pelo contrário, e isto porque indirectamente a longo prazo o aluno/formando que vai ter o PC vai ter de o pagar ao longo de vários anos, que no final acaba por custar mais do que comprar um portátil com as mesmas caracteristicas. Isto sem contar com a questão de que as operadores de telemóveis estão a tentar angariar novos clientes de longa duração, o que a longo prazo lhes vai dar imensos lucros, compensando largamente as despesas de curto prazo.


Assim, fazendo algumas contas:

- Um computador portátil do mesmo género que o "oferecido", numa loja custa cerca de 500 euros.

- Através deste projecto de "oferta" de portáteis, o custo para o aluno é de:

150 euros (portátil)
17,5 Euros mensais (acesso à net) x 36 meses (3 anos) = 630

630 + 150 = 780 euros

Ou seja, numa loja gasta-se 500 e nesse sistema gasta-se quase 800 euros.

Por isso pode-se ver que apesar de tudo, aqui não existe uma oferta, mas sim uma trafulhice do governo e das operadoras de telemóveis que só querem é conquistar clientes.

Além do mais não esquecer que este projecto por parte das operadoras é uma OBRIGAÇÃO das mesmas num contracto que fizeram com o estado paa terem acesso à rede 3G, mas afinal de contas estas operadoras não s´não vão gastar quase dinheiro para o projecto, como vão ficar a ganhar com todos os futuros clientes.


RESUMINDO E CONCLUINDO:

Esta pseudo-oferta só é vantajosa unicamente para aqueles que pretenderem ter um portátil (de *quase* média qualidade) com acesso à internet (baixa qualidade), ai só nesse caso é que compensa. Para aqueles que só se inscreverem para terem um portátil, então esqueçam que a longo prazo pagam muito mais por um produto de categoria inferior à média no mercado.


cd

Maria (ª_ª) disse...

É uma panóplia de facilidades. São múltiplos serviços online dos quais podemos tirar proveito, sem termos que nos deslocar, desde serviços públicos, bancos, compras, comunicação, informação, entretenimento, etc., é muito bom poder ter a vida mais facilitada e simplificada.

Ricardo disse...

Boa tarde.

A verdade é que trabalhar e viver sem sair de casa é algo já muito corriqueiro. A mim o que me custa é a dependência que temos das telecomunicações e como uma simples falha de electricidade nos pára. E o facto de viver e trabalhar sem sair de casa leva ao isolamento e perde-se o contacto social.

Maria (ª_ª) disse...

É um vasto mundo de oportunidades, facilidades, mas com perigos inerentes (desde hackers que entram nos nossos sistemas, vírus, facilidade de haver empresas fraudulentas…)

Pedro Marinho disse...

Porque razão o estado oferece telemóveis aos mais idosos se estes não tem dinheiro para comprar oculos , medicamentos e dentaduras, porque razão o estado dá aos jovens computadores a preços acessiveis e ignora o emprego, o preço dos livros,

Pergunta
Será que com os computadores novos acabará o "negócio" dos livros para o próximo ano lectivo, e daremos lugar ao CD?

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

RUTE disse...

Outra vertente deste meu "isolamento" caseiro, é tentar ser o mais autosuficiente possivel:
Faço o meu pão, a manteiga de soja, o leite de soja, os iogurtes, o tofu, o seitan, etc...

Os frescos e as mercearias são-me entregues ao domicilio, tenho um contracto semanal com um fornecedor de produtos biológicos.

Como sou muito ecologista aderi ao correio electronico. Recebo as facturas dos meus consumos de telecomunicação via mail.

Resumindo, compro quase tudo na internet: desde viagens de férias, estadias em hoteis, bilhetes para espetaculos, consumiveis para a actividade, jogos de PS2 em leilões,... mesmo tendo de pagar uma pequena comissão sai-me mais barato do que perder tempo, porque para mim tempo é dinheiro.

E ainda, disponho de HOME VIDEO, posso alugar filmes na televisão.

Mas apesar de tudo, sou super comunicadora, adoro confraternizar, recebo amigos para jantar, e estou sempre em contacto com quem quero através do MSN pois até a minha mãe já sabe teclar :-))

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Boa tarde.

Só vim cá agora, porque infelizmente nem todo o nosso dia-a-dia pode ser feito na ou a partir da web, e então só agora tenho tempo para o fórum.

Eu trabalho maioritariamente online sem sair de casa, mas este meu trabalho/passatempo pode coexistir com qualquer outra profissão.
É claro que já não passo sem internet, porém o telemóvel praticamente só me serve para receber chamadas. Também não passo sem máquina fotográfica, e quanto a programas televisivos ou de rádio não são para mim assim tão viciantes.

Há pouco, na rubrica "sabia que..." o SC revelou que a Comissão Europeia reconheceu que Portugal foi o país que mais se desenvolveu em termos de serviços públicos online. Todavia não disseram que o nosso país era o mais avançado, e o facto de ter sido o que mais evoluiu nesse aspecto justifica-se por uma tentativa de recuperar o tempo que andámos em letargia em termos de avanço tecnológico.

Cumprimentos Civis

Maria Mendes

Miguel Braga disse...

Vuver e trabalhar sem sair de casa, não é equilibrado. É fundamental o ser humano socializar-se, basta andarmos alguns bons anos atrás na história da humanidade e vemos que uma sociedade assim não funciona.
Não é de admirar que cada vez mais as depressões estejam a crescer, pois, mais isolamento, mais solidão, mais tristeza.

No entanto penso que é possivel e uma pessoa viver uma vida equilibrada trabalhando em casa, desde que tenha o enorme cuidado de se manter equilibrada, portanto não se afixar no seu casulo. Um grande problema também consiste no facto de haver bastante informação e de pouca qualidade, e nós , ser humanos habituamo-nos claro ao mais prático, e com a internet estando em casa , pensamos que conseguimos arranjar qualquer informação de qualidade , o que é uma ilusão. Há informação a mais. Qualidade é que não.

lady_blogger disse...

Olhe Rute se é tão ecologista, já foi ao Remade In Portugal? Já lá estive anteontem com a família. Deixo-lhe esta sugestão, que espero agradar-lhe sobremaneira.

CC

Maria Mendes

Pedro Marinho disse...

Juntas de freguesia ainda longe da Internet

As juntas de freguesia estão ainda, na sua grande maioria, longe do mundo da Internet, revela um estudo nacional que procurou avaliar a evolução da presença destes órgãos da administração local no ciberespaço.

Segundo este mesmo estudo, realizado entre 2002 e 2004, nenhuma junta atingiu ainda os níveis mais elevados de maturidade, no que diz à presença electrónica, confirmando que, apesar da aposta do Governo numa gestão pública electrónica, «a realidade no terreno avança lentamente» Ainda de acordo com o estudo realizado pelos dois investigadores da Universidade do Minho (UM), revela a edição desta quinta-feira do jornal Diário de Notícias, apenas 280 juntas de freguesia, num universo de 4251, tinham, em 2004, página na Internet. Ou seja, 6,6%, número, ainda assim, acima dos 5,1% registados em 2002. «A presença na Internet das juntas de freguesia portuguesas ainda dá os primeiros passos e estas têm um longo caminho a percorrer nos próximos anos», assinalam os autores Leonel Santos e Luís Amaral, do Gávea - Laboratório de Estudo e Desenvolvimento da Sociedade da Informação, da UM.

RUTE disse...

Fernanda, discordo dessa noção de que a Era das comunicações afasta-nos das pessoas.

Eu nunca estive tão assiduamente em contacto com as minhas pessoas, como agora.
Todos os dias tenho a minha mãe online, os meus irmãos, o marido, os amigos, os conhecidos, as empresas-clientes.

E tem outra vantagem: Nunca estou doente, ou porque sou vegetariana ou porque não me exponho a virus ou a poluição como a maior parte das pessoas que trabalham num escritorio com "n" funcionários.

Rui disse...

O VIA CTT é um serviço muito interessante e que gostava de utilizar para toda a correspondência possível. Mas quando se vai à página do via CTT, temos uma desilusão. Só meia dúzia de serviços é que estão disponíveis. Para quando a massificação deste serviço?

Rui Fernandes
51 anos
Fã das novas tecnologias

Pedro Arunca disse...

Tenho 46 anos e devido a doença de Parkinson (diagnosticada há mais de 10 anos) já não trabalho. A minha empresa (um banco) não me deu oportunidade do tele-trabalho. Graças às novas tecnologias não perdi o contacto com o mundo, bem pelo contrário. Eu falo, escrevo, vejo, compro, pago, estudo, crio, divirto-me,informo-me, etc. na comodidade do meu PC.
Pena é a factura mensal (+ de 100€) e que a maioria dos meus amigos, de longa data, não façam parte deste mundo; os médicos não estejam on-line e familiares com poucos recursos não se entusiasmem com a infoinclusão.

Obrigado
J.Freire

lady_blogger disse...

Pedro Arunca, os seus encargos com a net são de 100 euros mensais? Consigo que poupe bastante na factura.

CC

Maria Mendes

Ania Araujo disse...

Boa tarde!
É de facto de louvar o enorme esforço e os excelentes resultados que Portugal está a conseguir atingir a este nível de comunicações e tecnologias. Pena que não possamos ultrapassar ou igualar os países do Norte da Europa noutros termos...como nos indices de corrupçao ou no nível de qualidade de vida! Mas enfim...

Muito me orgulho de ter uma prova de amor guardada numa caixa no meu quarto:mais de 200 cartas que troquei com o meu marido enquanto namorámos 2 anos e meio à distancia! E eu tenho 24 anos!Mas nao tinhamos como trocar e mails e mesmo o telefone saía caro! Nunca vou conseguir esquecer a ansiedade de chegar a casa e ir ver logo se tinha uma carta à minha espera...correr para os correios para enviar aquela carta antes do fecho!e muitas vezes chovia...mas para sempre vou ter estes cheiros e este sentimento tão bom e intenso dquela altura da nossa vida!os mails e o envio dos mesmos não iriam por certo deixar o mesmo cheiro!

Alem de que nem todas as pessoas têm meios para ter um computador em casa embora se sinta cada vez mais uma pressao maior para que tal aconteça...

E falando de livros: não percebo porque é que numa sociedade onde cada vez mais é tão facil ter acesso aos livros online o preço dos livros "físicos" não baixa!Eu adoro ler mas confesso que com filhos hoje em dia gastar esse € é quase um luxo!

Beijinhos e parabens pelo programa!

lady_blogger disse...

Uma romântica a Ania.
O meu marido viveu uns tempos em Inglaterra e eu jamais conseguiria ficar-me pelas cartas ou mails. Ele gastava diariamente cerca de 7,5 a 8 euros ou mais(já cfeita a conversão das libras) por dia. Não ganhava muito, mas abstinha-se de outras coisas só para podermos diariamente ouvir a voz um do outro.
Se tivessemos o Skype não teríamos gasto nada.

CC

Maria Mendes

Márcio Santos disse...

Olá boa tarde a todos...

Como professor e agora frequentador do mestrado de Multimédia em Educação na UA, penso que é urgente colocar as escolas a dominar estas novas tecnologias.

Se os alunos dominam a tecnologia, o professor não pode ficar alheio e tem que se estar à frente do aluno no conhecimento. Afinal o que caracteriza o professor é estar sempre dois passos à frente dos seus educandos no que ao conhecimento diz respeito.
Felizmente e pelo que conheço do mundo do mercado, sei que já existem bastantes professores a comunicar com os seus alunos por exemplo através de blogs ou de wiki's.

Fica a opinião...
com os melhores cumprimentos a todos

lady_blogger disse...

O uso do computador nas escolas poupará muito papel, logo poupará a natureza. Em contapartida gastará muito mais energia eléctrica, isto enquanto as Escolas não optarem por painéis fotovoltaicos.
Outro senão da informatização progressiva nas saulas de aulas, é o abandono da exploração das manualidades. Prevê-se assim talvez o fim de disciplinas do género da de Trabalhos Manuais.

CC

Maria Mendes

Mário Santos disse...

Boa tarde Fernanda Freitas e boa tarde para os seus convidados.

Este é um tema muito interessante e cujas aplicações se estendem quer ao ramo profissional, quer ao ramo educacional ou formacional.

Julgo que não está em causa a extinção dos suportes físicos em papel (livros, jornais, etc.), mas sim a velocidade cada vez maior a que o mundo funciona, obrigando-nos a, cada vez mais, fazer uma melhor gestão do nosso tempo.

Recentemente tive uma experiência profissional, onde como quadro de empresa com responsabilidades de gestão, operacionais e financeiras, entre outras, trabalhava a partir da minha residência em Tomar, numa empresa com sede em Fronteira e escritórios em Lisboa... e nunca houve problemas... o tempo e os custos que se poupam em deslocações, compensam largamente esta opção. E cada vez mais há profissionais, até em regime de trabalho independente, a adoptar este método de trabalho.

Também em termos educacionais, o e-learning é cada vez mais uma realidade nacional e menos internacional. Tenho actualmente a possibilidade de frequentar um Mestrado em Supervisão Pedagógica da Universidade Aberta, instituição de Ensino Superior que tem créditos nesta área, e o facto de não ser em regime presencial, não implicada nossa parte a execução de menos trabalho ou estudo, bem pelo contrário, pois o e-learning dá àquelas pessoas que não têm horários profissionais que o permitam ou que tenham residência longe de instituições de ensino, a possibilidade de se continuarem a desenvolver, enriquecendo a sua formação e habilitação académica.

Julgo que não há que ter medo da Internet... mas há que saber utilizá-la, em nosso proveito. No meio do aparente caos que é a Internet, há uma organização... só é preciso descobri-la.

Cumprimentos e parabéms pelo seu programa, que acompanho sempre que possível.

Mário Santos

lady_blogger disse...

O mundo à distância dum click...


CC

Maria Mendes

Maria Freire disse...

-Uma bébe já pode fazer o documento único?
Onde posso saber mais sobre as e-escolas?

RUTE disse...

Olá Maria. Não, ainda não fui ao REMADE. Já lá foi? Gostou do que viu?

Sylvie disse...

Boa tarde!
Lá está a tal situação mais uma vez:
para tudo na vida é preciso criar um equilíbrio! Acredito que possamos fazer de tudo um pouco e desde que a gente encontre o equilíbrio certo entre todas estas situações conseguimos viver com qualidade.
Trabalhar em casa e ter o tipo de vida que a Rute tem? porque não? desde que ela consiga equilibrar as situações entendo e acho que conseguia fazer o mesmo e dar-me muito bem...agora há é uma coisa: se não encontrar esse equilíbrio o que vai certamente acontecer com o tempo é que se vai desligar do mundo lá fora e isso é péssimo! o ser humano precisa de se socializar! Precisamos de sair á rua, conhecer pessoas, apanhar sol, vento, chuva etc! Precisamos até de nos chatear com os outros assim como o contrário! Tudo na vida, na Natureza, existe com uma razão de ser...tudo nos é necessário à nossa vida...por isso o verdadeiro desafio, a meu ver, é conseguir o equilíbrio.
Até ao próximo comentário!

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Em resposta à Rute:

Não me importava nada de ter uns candeeiros de mármore. O meu marido gostou bastante do mobiliário em cartão. A minha filha apreciou um puff em Eva.
Além da exposição ainda pode assistir a concertos, mas a nesses não estarei presente.
Tem até 5 de Outubro para visitar esta exposição de ecodesign.
Se a Rute não puder ir ver, visite o euronios.blogspot.com onde entretanto será editada uma fotoreportagem caseira do evento.
Se quiser mais dados posso digitalizar para si uns dados interessantes que aqui tenho.

CC

Maria Mendes

RUTE disse...

Sylvie, mas eu consegui mesmo esse equilibrio.
Eu não sou Ermita! Muitas vezes vou andar ou correr para a praia às 7.30 da manhã, por exemplo. Só não gosto de confusão e de barulho.
E ao fim-de-semana procuro espaços verdes para actividades.

A única diferença é que todo o meu tempo livre aproveito para fazer algo saudável em vez de me enfiar em supermercados.
E adoro cinema, teatro e bailados porém só vou durante a semana, à noite, quando há pouca gente.

Por exemplo, muitos não sabem que a 5ªFeira é o dia do teatro e só se pága 50% do custo do bilhete normal.

E a 2ªFeira é o dia do cinema. Com bilhetes mais baratos também. Esta informação todos sabem não??

RUTE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RUTE disse...

Maria, fico a aguardar a sua fotoreportagem, obrigada.
Esta semana queria dedicar-me à 8ª Festa do Cinema Francês. Já seleccionei alguns filmes que quero ver.
A propósito, o bilhete para assistir a cada filme é de 3 euros e qualquer coisa. Pelo menos era o ano passado.
São todos filmes franceses legendados em Português. Ante-estreias.
Em breve também irei publicar as sinopses no meu Blog.

Sylvie disse...

Sim sim Rute e eu percebi isso...a Rute tem o tal equilíbrio necessário!
O meu Post quis reforçar essa ideia!
Eu também evito o máximo as confusões...detesto locais com imensa gente e fujo disso sempre que posso mas obviamente que troco por outras experiências mais agradáveis para mim! conforme a Rute faz.

Anónimo disse...

trabalhar em casa é pouco social visto estarmos:
-muito isolados não podems trocar impressões;
-tem que haver muita organização senão a vontade de trabahar é pouca;
-come-se mais

Anónimo disse...

quem me dera poder trabalhar em casa, afinal apesar de termos necessidade de socializar, há ambientes de trabalho terriveis!

Anónimo disse...

"trabalhar em casa é pouco social visto estarmos:
-muito isolados não podems trocar impressões;
-tem que haver muita organização senão a vontade de trabahar é pouca;
-come-se mais"


lol
Isso tudo é um mito!
- eu tenho tendencias em comer menos... as pessoas reagem de diferentes maneiras a estimulos iguais!..n somos tdos iguais!
- isolamento é relativo! E akeles k a unica socializaçao é na saída de casa para o emprego e dpx das horas de trabalho, se fecham em casa?
N é por se fazer o trabalho em casa k a pessoa fica mais privada de se socializar!!
Tb n é por se trabalhar em casa k o trabalho executado seja privado de "troca de impressoes"..existem mtas soluçoes k nos permite comunicar c várias pessoas em tempo real e para qq canto do mundo.. Claro k nem tdo o tipo de trabalho seja possivel de se executar em casa!
- se ha falta de vontade em trabalhar, essa pessoa ou está a fazer akilo k n gosta ou é um mau profissional...
Mtas vezes a falta de vontade de trabalhar deve-se à falta de condiçoes de se ter um bom ambiente de trabalho! A pessoa em casa pode ter maiores condiçoes pra exercer melhor o seu trabalho!Poupa-se mais tempo pra executar o mm trabalho (tempos de deslocaçoes nulos!) e mais tempo fica para nos socializar! ..qtas n são as pessoas k mal chegam ao emprego ja vao altamente stressadas só pela deslocação casa-emprego? As más experiencias pré-laborias influenciam mto a execução do trabalho k se vai ter nas proximas 8 horas!

E dpx vem a flexibilidade de horários de trabalho:
Em nossa casa fazemos nós os horários!
- E aqueles que teem melhores rendimentos de trabalho em horários k n são os mm horários da empresa?
Eu por exemplo, prefiro trabalhar (tenho melhores rendimentos e maiores niveis de concentraçoes) apartir de tarde, final-de-tarde e inicio-de-noite que por exemplo se fosse trabalhar das 8h às 17H! N me acho uma pessoa noctívaga, mas ultimamente n me tenho deitado antes das 4am e só começo o dia seguinte por voltas das 13h :P(só são 9h de sono!n sou nenhuma cinderela!está dentro do normal!E um bom sono tah mais provado k é fundamental!)...
Acho extremamente discriminatório qdo se viram para mim e dizem k sou dorminhoco, preguiçoso ou mau trabalhador!..eu n durmo mais k outra pessoa kk, trabalho as mm horas k outra pessoa kk, ou melhor: faço as mm coisas ou melhor k outra kk pessoa k trabalhe das 8h às 17h, só pelo facto de o fazer em "horarios laborais" diferentes n faz d e mim menos competente ou mais preguiçoso k kk um!

É o facto de toda a gente começar a trabalhar às mm horas k acontecem as horas-de-ponta e o país pára e desespera!


admd

Anónimo disse...

Temos tb mtos maus patrões!

Mtos acham que as jornadas de trabalho estipuladas por lei,8 horas por dia (40 horas semanais), são as horas mínimas k um seu empregado tem de "executar"!!
N é por um Patrão ter um empregado que entra às 8H e sai às 19H da empresa que o trabalho executado por ele foi maior! O homem n é um robot!o rendimento de trabalho n é constante ao longo do tempo!

Deve-se promover os objectivos e n o tempo de "trabalho" na empresa! Deve-se promover estes empregados c prémios de trabalho mas n incentivar competição entre colegas!Pk um bom relacionamento entre colegas é essencial pra se ter um bom ambiente laboral e consequentes rendimentos!

Trabalhadores k fazem o trabalho em menos tempo são injectados c mais trabalho e os trabalhadores k vivem na empresa são candidatos a subirem de posto!

Temos politicas de trabalho mto más pk temos patrões mto maus! E o patrão deve dar o exemplo e na vez disso os seus métodos são, na maioria, de autenticos imperadores!

Filipe Albuquerque disse...

Todas as opçóes porque implicam diversidade e alternativa sáo bem vindas...No entanto (e porque isto mesmo é verdade...) não podemos permanentemente discutir os assuntos baseando o dialogo numa permanente dicotomia dual pró ou contra, como já se disse anteriormente o EQUILIBRIO é o factor fundamental, tal como em tudo na vida...Todas as posições são validas desde que o bom senso esteja presente na forma como as conduzimos...ou como nos CONDUZIMOS...

Trabalhar em casa não quer dizer necessariamente dentro de portas, sem sair, apanhar ar ou fazer exercicio...trabalhar com qualidade e para a qualidade deve
assentar na ideia da opção e da flexcibilidade na diversidade da oferta e na superação das bareeiras fisicas multiplicando exponencialmente a possibilidade de competirmos num mercado alargado mesmo quando estamos longe dos centros de decisão e de oportunidade...

Por outro lado:

Comunicar é sem duvida mais completo e estimulante num frente a frente,o que não significa tambem que quando isso não é possivel a internet ou o telémovel sejam maus instrumentos de comunicação porque o não são...(ainda e a proposito...)as cartas podem ainda assim continuar a ter o seu espaço, agora mais especial mais pessoal, para esses momentos importantes que podem ser e são quase sempre os mais simples...porque todas as coisas tem o seu espaço e porque o video não "matou" a estrela da radio nem a internet a televisão...em relação ás possibilidades que estas novas tecnologias nos proporcionaram devemos olhar para elas e vermos complementaridade no lugar de oposição e conflito... usufruindo como o fazemos aqui, todos os dias, da possibilidade de discutirmos e partilharmos as nossas ideias mesmo que não estejamos e para que não estejamos... sempre de acordo !

Anónimo disse...

ADMD:

Compreendo e SUBSCREVO totalmente o que diz sobre os horários!

Também eu tenho um ritmo biológico idêntico ao seu.

Sou capaz de fazer mais (e bem!) numa hora, entre as 22h e as 03h, do que numa manhã INTEIRA de trabalho!

Estes ritmos individuais deveriam ser levados em conta, mas a realidade é que somos muitas vezes vistos como "ET´s"...

Talvez as mentalidades e as oportunidades mudem no futuro. Até lá, saibamos respeitar o nosso ritmo e defender a nossa integridade perante quem seja menos bem intencionado.

Os melhores cumprimentos.

Andreia de Jesus

Anónimo disse...

Andreia de Jesus: :)

Bem, tá na hora dir prá caminha! 5am, ja vem sendo tarde! ;) ..cedo pra alguns!:P ..a estas horas ja tah a lady_blogger a por-se a pé pra escrever o primeiro post no blog seguinte do SC!:P Querem apostar?! lol

Até já cambada! :P


admd

RUTE disse...

Realmente os ritmos de trabalho variam de pessoa para pessoa.
Eu, ultimamente, também me sinto mais produtiva a partir das 15 h.
Mas não trabalho até tão tarde como o ADMD.

O facto de estar em casa tem uma outra vantagem para mim que é poder intervalar entre trabalho e obrigações domesticas:

Trabalho num ritmo muito intenso durante 2 horas. Depois páro e vou pôr uma máquina de lavar roupa a trabalhar, por exemplo.
Trabalho mais 2 horas e vou almoçar e estender a roupa. E assim sucessivamente.

Estes curtos intervalos ajudam-me a descansar a vista essencialmente.
Quando termino o meu dia de expediente não stresso como as pessoas que trabalham fora de casa pois já tenho tudo orientado, inclusive o jantar.

Mas se preciso for, janto e volto à assoalhada Escritorio para trabalhar mais 2 horas. Caso necessite terminar algo.

lady_blogger disse...

Andreia de Jesus: :)

"Bem, tá na hora dir prá caminha! 5am, ja vem sendo tarde! ;) ..cedo pra alguns!:P ..a estas horas ja tah a lady_blogger a por-se a pé pra escrever o primeiro post no blog seguinte do SC!:P Querem apostar?! lol

Até já cambada! :P


admd"


Eu gosto do SC, mas não exageremos!
E como vê nem sempre sou a primeira a postar, isso para mim não é fundamental, o importante é participar de modo construtivo.
Você é que nem dorme por causa do SC, e nem é preciso apostar para concluir isso.;-)

CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

lol.. qdo disse akilo foi em tons de brincadeira e foi para evidenciar k vc é madrugadora ao contrário de mim e n de a chamar de fanática!... e disse vc co podia ter dito uma das Marias ou mm a Rute (pk costumam ser as primeiras a postar e algumas vezes até antes do programa iniciar)..mas o pim-pam-pum saiu a sí! :) eu percebo,.. preferia o jackpot? tb eu! lol

De facto ontem qdo fui deitar (k ja era tarde!pk o normal é às 3H mais tardar 4am, mas ontem distrai-me..) tava a dar o SC, mas nem tava a ligar mto (gosto de ter a companhia da tv ligada!:P) e qdo me deitei o SC ainda ia a meio... por isso eu longe de ser fanático!

Para falar a sério nem tenho seguido mto o programa (tb depende dos assuntos do dia e das horas a k acorde!!:P)...só venho dpx aki aos blog's ler por alto os post's e tentar adivinhar o k se passou no programa! ..E dpx deixar a minha ideia sobre algum assunto e ou comentários..


cumprimentos!
admd

lady_blogger disse...

Ao anónimo da postagem anterior:

Bom dia!
Eu também estava na brincadeira...
De facto de momento o SC é o meu programa de eleição, mas digamos que é só um pequeno vício salutar.

Cumprimentos Civis

Maria Mendes

Susana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Susana disse...

Olá a todos os fãs do Sociedade Civil.

Lamentavelmente perdi o programa sobre tele-trabalho.
Estou a recuperar de uma grave depressão a qual fez com que perdesse o emprego.
Para além da óbvia necessidade de trabalhar em termos financeiros, sinto também uma enorme necessidade de voltar a fazer algo profissionalmente mas a minha situação ainda não me permite voltar a ter um trabalho convencional. Por esta razão, o tele-trabalho seria, pelo menos por enquanto, a situação ideal para mim. Já procedi ao envio do meu currículo e inscrevi-me em vários sites de tele-trabalho mas até agora não consegui nada.
Se conhecerem alguma empresa que necessite de colaboradores agradecia que partilhassem a informação comigo.
A minha formação é de técnica informática tendo vindo a exercer funções como formadora principalmente nas áreas de windows e office.

Cumprimentos,
Susana
sm.contacto@gmail.com