quinta-feira, novembro 15

É POSSÍVEL VIVER SEM PETRÓLEO?

O preço do petróleo atinge quase todos os dias novos recordes em Nova Iorque e Londres.
O preço do crude chegou ao nível máximo de sempre, suportado pela descida das reservas norte-americanas e pelas reduções da taxa de juros. Cem dólares por barril é a previsão dos analistas para os próximos tempos. Aproveitamos este facto para reacender a discussão sobre as opções energéticas para Portugal, designadamente a nuclear. Queremos ainda perceber se as energias renováveis são verdadeiramente alternativas ou meros paliativos. Dados recentes da UE apontam como exemplo Dusseldorf, na Alemanha, cujos 6 milhões de habitantes consomem tanta energia eléctrica como uma fábrica de alumínios nos arredores.

33 comentários:

lady_blogger disse...

Para não parafrasear toda a capa do livro "O Fim do Petróleo" de James Howard Kunstler, aconselho que leiam esta e depois leiam o livro, pois talvez encontrem a resposta para a questão do SC de hoje.

CC

Maria Mendes

sonia carvalho disse...

Enquanto houverem grandes lobbis a quem interessa a nossa brutal dependencia do ouro negro nao ha nada a fazer, que tal baixar os preços das alternativas? existem muitas mas é tao caro que nem toda a gente infelizmente tem acesso a elas. e cada vez menos vamos ter.
sonia carvalho

Anónimo disse...

PETRÓLEO E COLAPSO DA SOCIEDADE:

O "Pico do petróleo" já foi atingido por volta dos anos de 2002/2003, mas foi nos últimos 2 anos que isso se tem notado fortemente, nomeadamente pela subida do preço do petróleo.
Isso deve-se também por questões políticas e militares, mas principalmente porque, através de estudos cientificos realizados, as empresas petroliferas e os governos sabem perfeitamente bem que se chegou ao pico e a partir de agora é sempre a descer, o petróleo será cada vez mais uma energia escassa e muito mais cara, o que pode representar uma catástrofe para as economias e sociedades do mundo, podendo mesmo provocar o colapso total da sociedade, visto que infelizmente sem essa energia, não teriamos quase nenhum produto mais "moderno", e mesmo nem sequer comida na mesa, o que significaria que quase todas as pessoas nas cidades passariam fome.

Isto é de tal forma grave que alguns governos, para proteger as suas economias, começam a promover guerras "a torto e a direito" pelo controlo da energia a nível mundial, pois quem controlar a energia controlará o mundo. ISto acontece nomeadamente pela Administração Bush, que invadiu o Iraque, Afeganistão, controla parte da Arábia Saúdita, da Ásia Central, e outros locais, essencialmente por questões energéticas e não por falsas questões ditas "democráticas" como é falsamente anunciado.


Não haja ilusões que o petróleo vai acabar dentro de anos, sendo que este será cada vez mais caro. Dai urge descobrir fontes alternativas e RENOVÁVEIS de energia, que sejam amigas do ambiente. Mas o mais importante é provavelmente começar a reduzir o consumo de energia a todos os níveis.


NUCLEAR:

Ao contrário do que os lobbies do nuclear falsamente dizem, a energia nuclear (que não é renovável) é forma energética mais destructiva, poluente na sua forma radioactiva (que é permanente e impossível de limpar), perigosa e cara que existe. Só se torna relativamente competitiva a nível de preços porque os estados (os contribuintes) subsidiam fortemente com imensas fortunas as centrais nucleares, sem pensar sequer nos efeitos muito nefastos que esta energia tem para o ambiente e para as pessoas. Basta ver o caso de Chernobyl onde toda a Europa foi atingida, onde dezenas de milhões de pessoas foram afectadas, onde só na bielorrussia mais de 4 milhões de crianças têm graves problemas de saúde derivado à poluição radiactiva, muitas delas que irão morrer, sem contar com outras pessoas espalhadas pela Europa. Em média, todos os meses acontecem cerca de 2 acidentes em centrais nucleares um pouco por TODO o mundo, alguns altamente perigosos... o último aconteceu esta semana em espanha a poucos kms de portugal... Depois há também o problema grave da extração do uránio que por exemplo contamina para sempre os locais (aldeias, vilas, etc) perto da sua extração, o problema do despejo de residuos nucleares para os oceanos, os residuos nucleares que irão ficar para sempre a contaminar o ambiente, o uránio empobrecido que está a ser usado pelos EUA como uma arma letal em vários paises no mundo, especialmente o iraque e afeganistão, contaminando para sempre as áreas onde essas armas foram utilizadas, etc etc etc.

Por tudo isso, NUCLEAR NÃO OBRIGADO.

(Mais abaixo alguns links para ver info sobre o nuclear)


Para se conseguir superar este problema, tem sim de se apostar em:
- reduzir fortemente o consumo energético
- energias alternativas diversificadas que sejam amigas do ambiente
- consciencializar a sociedade


carpe diem

Anónimo disse...

INFORMAÇÕES SOBRE OS PERIGOS DO NUCLEAR:

- Geral:

http://www.naoaonuclear.org/
http://www.greenpeace.org/brasil/nuclear/



- Vídeos:

http://www.youtube.com/watch?v=rF6xPGWo8Es&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=Dz-WvR3m02w

http://video.google.com/videoplay?docid=2282741497287272997

RUTE disse...

Viver sem petróleo não é o mesmo que viver SÓ sem combustíveis (gasolina, gasóleo, querosene, combustível para aviões, fuelóleo). É também viver sem plásticos, sem tintas, sem fármacos, sem tecidos, sem lubrificantes, sem estradas... Os combustiveis fosséis são utilizados em tudo nas nossas vidas.

Por exemplo, os simples sacos de plástico do supermercado que todos estão tão habituados a utilizar são feitos duma resina de petróleo.

Diminuir o plástico nas nossas vidas já é um passo para deixar de depender do petróleo.

Encontre as alternativas, não se limite a consumir.

Semedo disse...

Sou professor e o que o vosso convidado diz é verdade: as nossas escolas são muito mal construidas em termos de orientação solar e em termos de isolamento térmico. A minha escola tem um longo telhado virado a Sul (rigorosamente a Sul), já propus a instalação de colectores de energia solar mas fiz as contas e fica caríssimo. Os responsáveis nem pensam nisso. Nem sequer o banho dos alunos que fazem Educação Física é aquecido pelo Sol. Como a escola era muito frio instalou-se aquecimento central a gás e o conforto aumentou. De outro modo, distribuia-se aquecedores a electricidade (a 3000 W) pelas salas, que aqueciam apenas uma parte muito pequena das salas e acabavam por gastar mais e a aquecer mal.

luis disse...

Pergunta
Porque é que não se generaliz a utilização do hidrogénio nos automóveis? Porque é que não se constroem centrais de hidrogénio para a produção de electricidade?

Oscar disse...

À Rute: Comentei no seu blogue :)

Pedro Oliveira disse...

Para citar o livro "As ameaças do Mundo actual" baseado no relatório do Oxford Research Group "Global Threats: Sustainable Security for the 21st Century":

"A energia nuclear só poderia suprir os consumos mundiais de electricidade durante três anos; a partir daí teriam de ser procurados novos depósitos com baixos teores de urânio. Como a mineração e a purificação dos minérios de urânio são dois dos mais importantes factores de aumento de CO2 na atmosfera, o uso de minérios mais pobres produziria maiores emissões de CO2 que a queima directa de combustíveis fósseis, podendo até vir a consumir mais electricidade do que a que viesse a produzir. Além disso, se acontecesse uma renascença significativa do nuclear, o esgotamento das minas produtoras de urânio a preços economicamente aceitáveis criaria problemas tão graves quanto o esgotamento das reservas de petróleo e gás natural."
Deveríamos todos seguir o exemplo da CM de Óbidos e investir em trazer os meios à população para tornar mais eficientes os seus electrodomésticos e reutilizar outros artigos reciclados como carteiras, malas, etc. que são feitos a partir de revistas, roupa usada,...
Ao tornarmos mais eficientes os aparelhos eléctricos caseiros, estamos a reduzir significativamente as emissões de CO2.
As barragens propostas ignoram os estudos de impacte ambiental e a acumulação de resíduos e a sua subsequente decomposição leva à libertação de metano, CH4 que é 4 vezes pior que o CO2. Quanto ao biocombustível, o óleo de plantas oleaginosas NÃO é resposta pois não são cultivados cá mas em países de terceiro mundo levando a esgotamento do solo e à desflorestação! A resposta está ou no GPL a curto-médio prazo ou no óleo alimentar usado.

Energex disse...

Boa tarde,

Parabéns pelo programa.

Gostava de dar conhecimento do ABCDaEnergia, que já existe há 8 anos e tem actualmente mais de 1000 visitas diárias, principalmente de Portugal e Brasil.

Trata-se de um portal especialmente direccionado a crianças/jovens e professores.

Aproveitava para deixar um dos últimos comentários deixado no nosso canal "Consultório" (que responde a questões colocadas especialmente por crianças, da Ana, 13 anos, de uma escola de Braga:

Time: 12:04:29

Comentario:

Eu adorei o vosso saite, ta mt fixe e ensina-nos a não desperdiçar energia. Fizeram um bom trabalho.

Um abraço energético,

Energex
(o director do canal)

RUTE disse...

Reciclagem de óleos usados SIM, "cultivo" de combustiveis NÃO.

Todos os municipios deviam de apostar na colocação de Oleões. E recolher os oleos dos restarantes e escolas, para transformar em combustivel para transportes públicos.

Jorge Estevinha disse...

Gostaria de chamar á atenção de que podesse produzir energia através da fusão nuclear, que é o que encontramos nas nossas centrais e que existe também a fissão nuclear, que embora ainda esteja em desenvolvimento, já é possivel produzir energia, sendo que esta é produzida apartir da água, utilizando o hidrogénio que se transforma em plasma e assim se produz enormes quantidades de energia. Apesar de estar em desenvolvimento, já existem centrais de testes, e num documentario que deu, acho que no canal discovery ou no NG, um dos cientistas envolvidos afirmou que apartir de uma banheira de água é possivel produzir energia suficiente para uma pessoa durante 30 anos. Gostaria de dizer que a venda principalmente de etanol, mas tb de metanol, deveria ser liberalizada, os preços bastantes mais reduzidos e deveria haver incentivos para a produção de etanol, visto as maravilhosas aplicações que ele tem. Cumprimentos, Jorge Estevinha, Lisboa

Oscar disse...

Ponto 1: creio que o futuro energético está na energia nuclear, não na actual fissão nuclear, mas na fusão nuclear. Essa sim é limpa, não rádio-activa, ilimitada, e apartir do momento em que o rendimento seja, mais que rentável, lucrativo, poderásuster só por si a necessidade humana.

Ponto 2: Sobre o problema do aquecimento global, CO2 em excesso por uso excessivos de combustíveis fósseis, etc etc, creio que é necessário ver os dois lados. Não digo que seja mentira, mas o aquecimento global é uma teoria e há outras teorias. Deixo aqui um link com um documentário científico sobre a questão: http://en.sevenload.com/videos/ha4PoKY/The-Great-Global-Warming-Swindle

Oscar disse...

http://en.sevenload.com/videos/ha4PoKY/
The-Great-Global-Warming-Swindle

(tudo junto quando copiar o endereço, separei para caber no poste)

Eugénio Costa disse...

Penso que os combustiveis como o bioetanol são eufemisticos e tendem a esconder uma outra realidade. O bioetanol que tem por base uma produção de milho pode vir a agravar a situação actual de produção de cereais que estabilizou enquanto que a produção continua a aumentar. Sera que o uso de bioetanol, não vai apenas trazer mais problemas?

Jorge Estevinha disse...

http://www.geocities.com/waterfuel111/water_plasma.html Deixo aqui o endereço que explica a produção de grandes quantidades de energia atraves da água, este é um assunto a explorar!!

JORGE ESTEVINHA disse...

Obrigado pela correção Oscar!

José disse...

Enquanto os nossos cientistas não resolverem a Fusão Nuclear controlada, não haverá hipótese de limpar o ambiente naturalmente.

André Soares disse...

Totalmente será impossível, mas penso que se pode chegar a um número que seja aceitável, para fazer o preço descer para niveís que já tivemos anteriormente, e para que alguns processos sejam alterados, deixando de utilizar o petróleo ou seus derivados.

O grande impulso para a alteração necessária, deve ser dado pelos governos mundiais, que devem obrigar as petrolíferas a reconverter parte da sua actividade para energias renováveis e não poluentes.

Deve também existir uma reconversão da frota automóvel mundial para veículos menos poluentes (não concordo com alguns que querem obrigar as pessoas a deixar de andar de carro, para não poluirem, isso é uma utopia, cada vez mais, vão existir mais carros, deve-se sim alterar os motores de combustão para outro tipo, que não sejam poluidores).

Não ao NUCLEAR.

RUTE disse...

Voltamos à questão do impostos:

Em parte tudo é caro porque tudo está sobrecarregado de impostos!

A Fernanda neste momento falou do possivel aumento de 50% no preço do pão em virtude do aumento dos cereais.

E eu pergunto, porque é que deixou de existir a taxa de 0% IVA nos produtos essenciais de consumo? Hoje em dia os produtos essenciais são todos a 5% de IVA (é um escandalo).

A própria gasolina tem impostos brutais!!

Oscar disse...

Ao Jorge Estevinha:
Peço desculpa, quando comentei não vi o seu comentário. Quando abri a página, ainda não o tinha feito, quando publicou, já o tinha feito.

ÂNGELO disse...

biocombustíveis
deveremos transitar rapidamente para os biocombustíveis de 2ª geração em que as matérias primas são microalgas e outros microorganismos,sendo a produção destes menos dependentes da flutuação dos preços de matérias primas.

é importante referir que estes são meros combustíveis de transição para o hidrogénio

O hidrogénio pode ser produzido utilizando várias tecnologias: biohidrogénio ,electrólise ( energia eléctrica:barragens ,torres eólicas,etc )

RUTE disse...

Não há soluções inócuas. A exclusividade de um único combustivel alternatico poderá causar grandes danos.

Só o coexistência do conjunto das energias alternativas poderá ser a solução.

Equilibrio é essencial.

RUTE disse...

* alternativo e não alternatico (desculpem o engano)

RUTE disse...

Gostaria ainda de lembrar que para poupar combustivel é importante diminuir a cilindrada dos veiculos.

Compre carro de baixa cilindrada até porque as multas estão aí e vieram para ficar.

Anónimo disse...

Achei piada pois esqueçeram-se de uma coisa essencial na peça que passaram, é que o próprio herói nem sequer o banho conseguiria tomar. As pessoas esquecem-se disso mas a água que chega às nossas casas são elevadas por máquinas eléctricas para os reservatórios, ou seja, ela não chegaria às nossas casas e nem água teriamos.

Nuno Patrocínio
Alhandra

Jorge Estevinha disse...

Actualmente estamos completamente prisioneiros do petróleo e somos manipulados como "eles" querem. Já existe tecnologia suficiente para podermo-nos desenvolver a capacidade de produção de energia e mesmo na redução dos gastos de energia através dos aparelhos de nossa casa. Um caso importante de referir é que cá um painel solar custa muito caro, mas se formos directamente á fabrica, na china por exemplo, podemos comprar por menos de 1/6 daquilo que custa cá. E eu pergunto, para onde vai essa diferença???

Também á cerca de 1-2 anos foi anunciado que se consegui desenvolver a tecnologia em que se aproveitava 4x mais energia nos paneis solares. E eu pergunto, onde está esses desenvolvimentos tão esperados!!!

Enquanto uns enriquecem á nossa custa, fazendo milhões, nós contamos os trocos que temos na carteira!

Sendo que estes governos fazem promessas, e não cumprem, nós ficamos á sombra do sobreiro esperando que nos venham esvaziar os bolsos.
Fora do contexto, outro caso que quero alertar é o ROUBO que a EMEL nos faz, sendo que as ruas são nossas por direito, qual é o porque de cobrar pelo carro estar NA RUA?
Para andar de bicicleta nas ruas é necessário ter zonas onde as bicicletas possam ficar guardadas, sem que haja roubos... e cá não é o caso...

RUTE disse...

Oscar,
já vi o seu comentário no meu Blog //publicarparapartilhar.blogspot.com/.
Já lhe respondi :-)
Obrigado pela visita.

Entretanto, gostaria ainda de comentar que quase no final do programa falou-se de Sistemas de Climatização Passivos. Excelente tema para um programa.

Os SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO PASSIVOS são aqueles que não consomem energia para aquecer ou arrefecer as casas.

Na minha casa coloquei uns estores térmicos que permitem ter uma temperatura amena em casa, independentemente de estar muito frio ou muito calor na rua. E ainda uns vidros duplos para minimizar o ruído e as trocas de temperatura com o exterior.

Funciona mesmo!! O Inverno passado não utilizei aquecedores. E este Verão não utilizei nenhum sistema de refrigeração.

Por fim, "trago a lume" mais um tema: Arquitectura Ambiental. Aquando da construção de uma casa é de extrema importância aproveitar a luz natural e posicionar as divisões de acordo com o nascer e o pôr do sol. Por forma a poupar nos consumos de iluminação artificial.

Anónimo disse...

Os biocombustiveis de larga escala, de mono-cultura intensiva, são muito piores do que simples petróleo e representam um crime contra a natureza e a humanidade. Destroem mais a natureza, poluem mais e acabam por aumentar a fome mundial.

cd

Anónimo disse...

"luis disse...
Pergunta
Porque é que não se generaliz a utilização do hidrogénio nos automóveis? Porque é que não se constroem centrais de hidrogénio para a produção de electricidade?"



Porque o Hidrogénio não é uma energia limpa... para produzir hidrogénio é necessário gastar electricidade, e essa é fabricada queimando combustiveis fósseis.

Ia dar praticamente no mesmo.

Anónimo disse...

"Jorge Estevinha disse...
Gostaria de chamar á atenção de que podesse produzir energia através da fusão nuclear, que é o que encontramos nas nossas centrais e que existe também a fissão nuclear, que embora ainda esteja em desenvolvimento, já é possivel produzir energia,"



Está a confundir as coisas.
O que existe nas centrais nucleares não é a FUSÃO (união) mas sim a FISSÃO (separação de átomos), que utiliza uránio e tem todos os problemas já descritos.

A Fusão nuclear NÃO ESTÁ a produzir já energia, encontra-se apenas em fase de testes sendo que dizem que pode demorar perto de 20 anos para se poder construir centrais que possam mesmo começar a produzir energia.

apesar de em teoria ser excelente, certamente que também a fusão poderá ter algum tipo de efeito negativo, resta saber qual.

Anónimo disse...

"creio que é necessário ver os dois lados. Não digo que seja mentira, mas o aquecimento global é uma teoria e há outras teorias. Deixo aqui um link com um documentário científico sobre a questão: http://en.sevenload.com/videos/ha4PoKY/The-Great-Global-Warming-Swindle"


Sem comentários...

As alterações climáticas NÃO SÃO uma teoria, SÃO UM FACTO COMPROVADO. Basta até ver o que se passa actualmente para se perceber logo isso.

Tem de ter cuidado com as suas fontes, com esse tipo de "documentários" da treta e outras coisas mais, pois se for investigar quem está por detrás dessas falsidades, começa a descobrir politicos, empresas, dinheiro e por ai fora... para bom entendedor.

RUTE disse...

Ainda bem que já não trancam os comentários logo a seguir ao programa.

Não esqueçam que há pessoas que vêem este programa em diferido e que só podem comentar depois.

Tracarem os comentários é tornarem os temas efêmeros. O que já é uma tendência em virtude de ser um programa diário.

Deixem-nos saborear mais um bocadinho o debate de ideias pertinentes.