sexta-feira, novembro 30

TUDO O QUE PRECISA SABER SOBRE SIDA

Num momento em que ter SIDA é sinónimo para despedimento, queremos aproveitar para desmistificar os continuados erros e preconceitos sobre a doença. Foi o caso recente do cozinheiro que foi despedido por ordem do tribunal que originou um comunicado da CNLS que referia que “cozinhar não é forma de contágio”. Por outro lado, a OM considera que um médico cirurgião com SIDA pode continuar a exercer as suas funções. Queremos aproveitar o facto do presidente do Infarmed ter admitido que há contenção nos medicamentos inovadores destinados à SIDA e para a co-infecção com tuberculose e hepatite C.
Estará a sociedade preparada para conviver com casos de seropositividade? Quais os mitos? Afinal quais as formas de contágio? Como prevenir?
Em Portugal até Junho de 2007 encontravam-se notificados 31.677 casos de infecção pelo VIH. E no mundo? A SIDA matou 2 milhões este ano e o número de infectados está nos 2,5 milhões. Tudo o que precisa de saber sobre a SIDA neste Sociedade Civil.

17 comentários:

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Ontem à noite encontrei um ex-colega de Faculdade que já não via há algum tempo. Fiquei a saber que uma das causas sociais a que ele se dedica é um serviço de voluntariado em prol de indivíduos seropositivos.
É interessante que mesmo com a incerteza de um futuro profissional, este meu amigo tenha disponibilidade para pensar em ajudar os outros.

Aquele caso do cozinheiro, quando tomei conhecimento dele nem quis acreditar e o que me surgiu logo à mente foi que realmente não haverá risco de contágio nas refeições confeccionadas.
Também ouvi falar no caso de um médico, mas esse até é compreensível porque seria cirurgião.
Talvez tenha de haver uma legislação justa que defina quem pode exercer o quê, sobretudo com base no risco de contágio.
A 26 de Setembro, foi celebrado pela 1.ª vez o Dia Mundial da Contracepção. Amanhã comemora-se o Dia Mundial da Sida. Acho que pode passar também por iniciativas destas a forma de sensibilizar determinados públicos.
Para uma campanha sobre preservativos, para além de imagens apelativas,colocaria o lema: O preservativo que preserva a tua vida!
Pode parecer repetitivo em termos de palavreado, porém é essa mesma repetição que conferiria a fixação de uma ideia de preservação.

CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

Gosto bastante do programa, gostava tambem que me pudessem facultar o nome da musica de introdução do sociedade civil. Muios parabens pelo programa e uma boa continuação.
Deixo aqui o meu mail para receber entao o nome da musica. peixoto288@hotmail.com

Anónimo disse...

é incrível como a sida pode deixar tantas vítimas, e que muitas não chegam a ter tempo para contar a sua história, e ainda são despedidas. A sida não é contagisa!

passem a mensagem
previnam-se
usem o preservativo!

Anónimo disse...

A circuncisão reduz a probabilidade de transmissão de HIV?

Anónimo disse...

eu não acredito no prazer com preservativo!!! tenho relacoes sem preservativo mas pratico coito interrompido! estou protegido e protejo a minha parceira!
luis

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Para que não se seja infectado com o VIH por culpa própria deixo aqui umas
palavras de ordem: Prevenção, Protecção, Preservação!


CC

Maria Mendes

lisboa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lisboa disse...

Boa tarde em relação ao preços dos preservativos não e bem assim como o Sr doutor diz porque e tenho 4 filhas
das quais a mais nova já foi descuido
mas esta cá e ainda bem , e uma criança fabulosa dai a minha esposa ter de tomar a pílula tal coisa que não acontecia antes de nascer a mais nova era sem preservativo como toda a gente sabe o prazer sexual diferente
mas a questão e esta, eu e a minha esposa ganhamos o ordenado medio e temos uma relação sexual activa com todas a despesas da nossa vida como e normal. e os preservativos sao bastante caros agora imagino um jovem que vive do sustento dos pais a gastar na vida sexual activa
o valor da prevenção.
Jorge silva Lisboa

15:00

Mariana Ferreira disse...

Estou a gostar muito do programa e das informações dadas, especialmente porque estou a abordar este tema em Área de Projecto (12º).

Mas gostava de esclarecer uma coisa: qual a eficácia média da profilaxia pós-exposição? É utilizada em todos os casos?

Anónimo disse...

Gostaria de saber se antes do acto sexual em si, portanto o facto dos dois orgãos sexuais se tocarem sem haver penetração se existe assim risco de contágio ?
Obrigada

Anónimo disse...

O meu filho é seropositivo... era toxidependente e nem sempre fez a terapêutica da forma correcta.

Hoje é tudo o que toma é como amido. A carga viral não baixa, mas continua a tratar-se.

Nesta vida fazemos muito amigos, porque acabamos por nos ligar a pessoas que estão a passar pelo mesmo.

Temos esperança que a intordução do Maraviroc (dizem que é a grande esperança para muitos doentes) possa ser uma solução.
Podemos acreditar nestas novas soluções da industria farmacêutica?
eu gostava tanto de poder acreditar que não vou perder o meu filho para esta doença.

Anónimo disse...

Tenho consciência dos riscos de infecção e dos perigos, mas verifico que entre relações com pessoas da minha idade 24 anos,existe a ideia de que o preservativo retira prazer e que retira o interesse do acto sexual. Acredito que muitas pessoas continuem sem usar preservativo, e a julgar as pessoas pelo aspecto e nível social.

Anónimo disse...

PREÇO
O preço dos preservativos pode ser preponderante sim. Em 90, eu tentava poupar os preservativos, pois com 20 anos achava-os muito caros.

Deve sair mais ao estado subsidiar medicamentos para o HIV que preservativos, ou entra aí o dedo da Igreja?

Incrivel que em cabo verde, oferecem uma caixa de sapatos cheia de preservativos, mas aqui, nos centros de saude, entregam 4... quando generosos, 6. Que pobreza.

PRAZER
A difuculdade no prazer do preservativo pode passar muito pelas marcas. Sempre usara control, que era claramente demasiado apertado, facto que ultrapassei com outras marcas.

PRECONCEITO e CIUME
Efectivamente, quando tinha uma namorada conservadora, eu tinha de esconder os preservativos para estar protegido um SOS de fraqueza. Incrivel esta ignorancia entre licenciados...

Resolvi o problema trocando de namoradam claro.

Cumprimentos á Dra Patricia Pascoal, aqui da malta da Revista Dominium

Leonel Marques (Fotografia)

Madeira disse...

"Um engano não se torna verdade por meio de ampla divulgação, nem a verdade se torna um engano porque ninguém a enxerga." M.K.Gandhi

Bem, uma vez que ainda há muitas pessoas que não sabem tudo o que envolve o tema "SIDA" nem as opiniões de muitos cientistas, pessoas a que foram diagnosticada SIDA, entendidos na matéria, porque estas não passam na televisão, aqui fica alguns sites para que possam meditar sobre o assunto e sobretudo poderem informarem-se. Como um colega meu me diz, "beber de várias fontes".
http://www.taps.org.br/Paginas/Outraaids.html
http://br.groups.yahoo.com/group/AIDS-nova-visao/

Estas são portugueses mas existem muitas mais em Inglês e noutros idiomas.

Nunca aceitem nada como uma verdade absoluta. Façam perguntas, exijam respostas.

Tiago

Anónimo disse...

O maior mito é a própria sida. Como é possível que o teste usado para detectar o HIV, não o detecte?? Como é possível que fármacos rejeitados para tratamento do cancro, por serem demasiado nocivos, sejam utilizados para pessoas com "sida"?


E os números anuais de infectados/mortes? É uma falácia. Todos os anos "juntam" novas doenças à lista das chamadas doenças "oportunistas" e o que, há uns anos seriam mortes por tubercolose, por exemplo, actualmente, essas mortes são incluidas nos numeros do HIV/SIDA.