quarta-feira, dezembro 5

NÃO APAGUEM A MEMÓRIA

A 5 de Outubro de 2005, um grupo de cidadãos reuniu-se junto da antiga sede da PIDE-DGS em Lisboa para protestar pelo desaparecimento das referência à memória histórica daquele local. Desse acto nasceu o Movimento Não Apaguem a Memória!. No vasto condomínio em que , de acordo com o movimento, se está a transformar a antiga sede da polícia política, há quem exija um espaço para testemunhar a resistência democrática à ditadura e ao fascismo. O Sociedade Civil pretende conhecer os que não perderam de facto a memória do local e sobretudo daquela época e acompanhar os futuros projectos para outros locais tão emblemáticos como o Tarrafal ou a cadeia de Peniche.

29 comentários:

lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Recordo-me de ver isto noticiado.
Este "não apaguem da memória", quer que as gerações vindouras saibam que no século passado foram perpetrados inúmeros crimes pelo então designado Estado Novo, pela actuação da Polícia Internacional de Defesa do Estado, e que o nosso povo ofereceu resistência à ditadura de modo a alcançar a almejada democracia.
E por isto, o referido movimento defende que a antiga sede da PIDE não deverá ser convertida num condomínio fechado. Estas instalações são uma marca que nos resta de um passado não muito longínquo em que existiu um marco expressivo do regime ditatorial, e como todo feito histórico também este facto servirá de exemplo para que no futuro não se cometa os mesmos erros de outrora.

CC

Maria Mendes

Anónimo disse...

Quero aqui deixar os meus parabéns e o muito obrigado, a TODAS as pessoas que tendo de ultrapassar enormes adversidades, ainda assim lutaram pela liberdade de pessoas, de todo um povo, de todo um país.

Obrigado.

Cd

Rita Amaral disse...

gostava de ver um tema debatido no programa, será possivel?

Anónimo disse...

acho realmente importante que não se apaguem as memórias daquilo que faz de nós um povo: sejam elas boas ou más. è bom não esquecer todo o sofrimento que a PIDE causou mas também devemos tentar perceber que, nem sempre como "limpeza de imagem", muitas pessoas também reconhecem o empenho de Salazar na construção de pontes, escolas, etc... e isso não quer dizer que concordem minimamente com o seu modo de governar!

Marta Governo, Faro

Rui Martins disse...

O prof. José Hermano Saraiva é um mestre no embelezamento da história de portugal e não deixa de ser um dos historiadores mais reconhecidos. Ou seja, nunca fala do mal que os descobrimentos fizeram. Nem ele nem a escola portuguesa. É melhor nem lhe pedir ao JHS para falar de salazar.
E continua a fazer a memória de muito portugueses.

rkardo disse...

estou um pouco espantado com os tres senhores... sao notarimente Anti salazaristas no entanto gostava de lembrar que mais importamte que nao deixar esquecer as atrocidades cometidas pelo entao regime me parece mais importante saudar lembrar e acima de tudo fazer lembrar o 25 de abril e os bravos que o puseram em marcha. dos portugueses com menos de 30 anos quntos saberam o nome de pelo menos alguns dos capitaes?

Sociedade Civil disse...

rita, e restantes espectadores,

esteja à vontade, via e mail por favor.

Saudações Civis

Anónimo disse...

Nasci em 1970 e tenho um filho com 8 anos que me pergunta(ao ver a série "light" Conta-me como foi": - Mas mãe, se era assim, se foi tão mau, como é que há pessoas que ainda gostam do Salazar??
Se uma criança de 8 anos percebe isto de imediato o que falta aos adultos, principalmente os que conheceram o regime e sofreram a sua repressão, directa ou indirectamente. A ignorância, herdada naqueles 50 anos de obscurantismo, ainda nos persegue e, ultimamente, tem sido perigosamente valorizada através de muitos indicadores dissimulados que vamos percebendo através dos media e do poder político actual. O que aconteceu à memória dos portugueses?? Se a deixarmos morrer...assinamos o nosso óbito. Aburguesámo-nos e esquecemo-nos de nós próprios. Se não acordarmos... Estou no fim da gravizez do meu 2º filho e sofro muito com o triste legado que me parece estarmos a deixar aos nossos filhos. Um tempo em que "Quem reclama é comunista". Que é feito dos nossos DIREITOS? que agora se chamam: "REGALIAS"???Lamento ainda a hora a que este programa passa, só me é possível ver por estar no fim da gravidez em casa. A RTP devia passar a horas que mais pessoas podessem ver. Parabéns pelo programa

António Ferreira disse...

A defesa da memória do antigo regime foi tomada pelo Partido Comunista logo no 25 de Abril, e continua a ser monopolizada pela esquerda. O problema é que esta visão de esquerda do combate ao fascismo não é partilhada pela generalidade dos portugueses, que se situam noutros quadrantes políticos. Alguém acha que um socialista ou um social-democrata não preferem viver em democracia? Têm dúvidas que condenam as atrocidades cometidas pela PIDE? Enquanto a esquerda continuar a promver estas inicitativas sem envolver visões políticas diferentes, irá apagando paulatinamente a memória.

Pedro disse...

Boa tarde,
tenho 29 anos e devo admitir que o que sei do 25 de Abril me foi transmitido pelo meu pai, o qual o viveu na 1ª pessoa no Quartel do Carmo. Gostava algum dos convidados me ilucidasse como uma policía como a PIDE conseguiu estar a leste da dita Revolução que se avizinhava e nada fez para a evitar?? ou será que o próprio regime já sabia que estava moribundo e que nada havia a fazer a não ser sair calmamente sem derramamento de sangue? Talvez devessemos lembrar que se não houve banho de sangue no Largo do Carmo, tal não se deve ao sr. Salgueiro Maia, mas sim aos militares da GNR que se recusaram a lançar as sobre os seus irmãos de pátria o armamento de que dispunham. Penso que deviam valorizar mais o 25 de Novembro do que o 25 de Abril, altura sim em que passamos à liberdade.

rkardo disse...

Os descobrimentos fizeram mal?
A seguir vai dizer o que? que a descoberta do fogo foi a maior tragedia? ou tera sido a invençao da roda?
Relativamente ao JHS e ao seu discurso quanto ao Salazar sempre consegue fazer mais sentido que os comunistas anti fascicistas que se atrapalham com as proprias frases, ensombrados pela memoria de uma revoluçao cujos resltados ficaram muito aquem do upotico socialismo nao passando hoje de uma ditadura do proletariado mantida a custo por "intelectuaiszinhos(as)" e "opinian makers" professionalizados.

rkardo disse...

O pedro tem sorte porque eu tenho 30 anos o meu pai nao viveu o 25 de abril na primeira pessoa e eu tive que ir por minha conta e risco procurar aprender o que se tinha passado no 25 de abril... Porque e que nao ha uma maior envolvimento da escola na divulgaçao do antes e depois da revoluçao?
Porque se haveria de fazer um museu na antiga sede da PIDE e nao ensinar aos mossos alunos a historia?

Ricardo disse...

Parece-me essencial que se preserve a memória de tudo o que tenha contribuido para a construção do nosso país. Deixo somente um pergunta, uma vez que o debate está a incidir principalmente no Estado Novo.
Renomear a Ponte Salazar como Ponte 25 de Abril não será igualmente apagar a memória. Não seria este denominação melhor aplicada a uma construção realizada ém regime democrático?
Parabéns pelo programa.

Ricardo, 29 anos, Batalha

Anónimo disse...

" rkardo disse...

Os descobrimentos fizeram mal?"


Os "descobrimentos" (que na realidade não descobriram quase nada pois já havia pessoas nesses locais) representaram o maior genocídio da história da humanidade, pois ao longo de 500 anos resultou na morte de várias dezenas de milhões de indígenas, na destruição de muitas culturas, alguns povos literalmente desapareceram ao terem sido mortos por europeus, houve muita tortura e escravatura, etc etc etc. Em especial em África e continente americano.

Isto é apenas um exemplo entre muitos outros.


Apoiar as "descobertas" é o mesmo que apoiar crimes contra a humanidade.

Anónimo disse...

so consigo responder uma coisa.
LOL

rkardo disse...

so consigo responder uma coisa.
LOL

Anónimo disse...

"rkardo disse...
so consigo responder uma coisa.
LOL"


É uma vergonha e total falta de consciencia que ria do sofrimento de centenas de milhoes, e na morte de muitas dezenas de milhoes de pessoas, da exploração, tortura e escravatura pelo qual passaram. É também gozar com todos os portugueses que lutaram pela liberdade, pelo 25 de abril.

que vergonha

rkardo disse...

Percebeu mal eu esplico...
Eu rio me da sua afirmaçao.
Vossa excelencia partiu do principio errado...
Comparar o 25 e abril com os descobrimentos e errado.
Nao se esqueçm que as sociedades humanas foram desenvolvendo consciencia moral ao longo do tempo.
Antes dos descobrimentos houve as inquisiçoes, depois a escravatura, as guerras mundiais o 25 de abril, eu eu valorizo todos os actos que forma pondo fim a essas atrocidades.

Luis RS disse...

Este é um tema interessante, que me levanta uma outra questão que parece ter «escapado» a este programa.
É lamentável que o meu colega Fernando Rosas não refira nunca, à semelhança de tantos outros comentadores, que muitos dos resistentes anti-fascistas não o eram porque queriam uma democracia onde os direitos humanos fossem respeitados. Infelizmente muitos pretendiam um Estalinismo ou Gonçalvismo. No fundo, lutavam para impôr a sua própria ditadura.
Nem todos os comunistas tinham esta perspectiva, mas sem dúvida que o «aparelho» comunista defendia esta «via», tal como pudemos verificar pouco tempo após o 25 de Abril.
«Não apagar a memória» é importante, mas convém sermos honestos nesse mesmo exercício!

Cumprimentos
Luis RS

rkardo disse...

no entanto sinto obrigação de valorizar os memos acontecimentos tendo em conta os valores da altura.
Ou seja contextualizar historicamente...
Alem disso o problema de África nao foram os grandes descobrimentos Portugueses foi, na minha opiniao, aquela noite em que "os tres grandes europeus" se sentaram em londres a beber xerez e dividiram 10.000 nacoes diferentes em meia duzia de paises africanos.

Paulo disse...

Sem esquecer nem desconsiderar as vitimas da repressão Salazarista apenas quero acrescentar que, depois dele nenhum outro governante morreu ou irá morrer pobre.

Paulo
Machado 33anos

Paulo Machado 33 anos disse...

Sem desconsiderar ou esquecer todas as vitimas da repressão quero lembrar que depois de Salazar nenhum outro governante morreu ou irá morrer pobre.

rkardo disse...

E? desde que nao enriqueça de forma ilicita, por mim tudo bem.

Paulo 33 anos disse...

Não entendeu...ele podia ter enrriquecido de forma licita se quisece uma vez que só ele mandava, acha democrática a forma como os todos os politicos da actualidade usufruem de reformas , pensões, e outras formas "licitas" de roubar o meu dinheiro.

rkardo disse...

Se os portugueses em geral nao têm padroes de exigencia elevados porque deveriam os politicos?
Se la fora, entenda se no estrangeiro, uma simples suspeita faz derrubar um ministro porque razao nos temos politicos acusados e em processo de julgamento exercendo cargos publicos?
So uma chamada de atenção, por favor nao leve a mal, mas este blog pode ser lido por gente nova e usar a palavra roubar quando fala de ma gestao do erario publico leva a que se mantnha a noção de que pagar impostos e mau o que nao e verdade.

Paulo Machado disse...

Eu pago os todos os meus impostos porque me preocupo e quero que PORTUGAL seja um
País com justiça social e isso só irá acontecer quando os Portugueses passarem das palavras aos actos e fizrem mossa. A palavra certa é Roubar e enquanto os Portugueses reclamarem de animos leves não haverá mudança.
Falta Patriotismo aos partidos que alternadamente governam o País.

Ana Paula Miranda disse...

O programa de hoje foi interessANTÍSSIMO, como é habitual. de facto é preciso NÃO APAGAR A MEMÓRIA. Lecciono numa escola do concelho de Sintra (Básica 2.3 Visconde de Juromenha) onde insserido num projecto da Câmara Municipal o Grupo de Expressões está a conceber uma peça teartral musical relativa à vivência do Estado Novo em contraposição à Democracia. Os actores são vários alunos do agrupamento. Assim, pensamos que esta página da nossa História se tornaraá mais viva do que as frias e sinréticas páginas dos manuais. a MEMÓRIA NÃO DEVE SER APANÁGIO DE UM GRUOPO RESTRITO DE PENDSADORES / HISTORIADORES / CIENTIISTAS SOCIAiS, MAS SIM DE UMA SOCIEDADE QUE AINDA TEM MUITO A APRENDER COM A DEMOCRACIA E COM A CIDADADINA. ESPEREMOS NÃO CAIR NO ESQUECIMENTO QUER SEJA Á DIREITA OU Á SQUERDA.

Anónimo disse...

"Alem disso o problema de África nao foram os grandes descobrimentos Portugueses"


Excepto uma ou outra ilha, portugal não descobriu nada, já estavam descobortos há muito tempo por outras pessoas.

E desde que portugal começou por INVADIR outros territórios há 500 anos, que Portugal tem explorado, escravizado, morto (etc) as populações indigenas para beneficio próprio. Nesse aspecto o legado de portugal e outras naçoes europeias foi do mais terrivel que se possa pensar, ainda se sentindo hoje e por muito tempo os seus efeitos.

"DESCOBERTAS" = VERGONHA