sexta-feira, janeiro 25

Biotecnologia: medicamentos à medida



A criação do Instituto de Inovação e Investigação em Saúde (I3S), resultante da fusão dos institutos de Biologia Molecular (IBMC), de Patologia e Imunologia Molecular (Ipatimup) e de Engenharia Biomédica (Ineb), reforça a importância da biotecnologia na medicina de um futuro que já começou. A descodificação do genoma é algo que não dirá muito à generalidade dos portugueses, mas quando a ciência do ADN se traduz em vacinas como a recém criada contra o cancro do colo do útero, toda a gente percebe a importância da intervenção biotecnológica.
Os próximos anos prometem progressos extraordinários, com a criação de medicamentos à medida das características genéticas de cada indivíduo.

33 comentários:

JM disse...

Inquestionável,a biotecnologia a par com outras áreas de investigação médico-farmacêuticas é um vector primordial na melhoria da qualidade de vida. Porém a sua plena acessibilidade e usufruto pelo público em geral não progride em paralelismo com o progresso destas ciências da vida. Veja-se o caso citado da vacina contra o cancro do útero, nos designados 2º e 3º mundo só é acessível a elites político-económicos e mesmo em Portugal o seu acesso não é generalizado a quem dela pode e deve beneficiar.
Questiono se será lícito publicitar tais terapêuticas, motivando esperanças na população em geral, sem se assegurar, em simultâneo, a total democratização da sua plena utilização a todos os que delas necessitarem?
Com políticas de saúde pública cada vez mais restritivas, veja-se o caso nacional, tenho fundadas dúvidas!

VG
Loulé

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro disse...

Gardasil para todas as mulheres

Porque razão esta vacina é tão cara, ela custa 150 euros cada uma são 3 vacinas o que dá um total final de 450 euros. Que apoios existem do estado para as mulheres portuguesas? Nenhum? Ou terão que recorrer a um empréstimo bancário? Ou morrer de cancro do colo do útero?

Pedro Marinho de Arcos de Valdevez

rui disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rui disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jon disse...

A biotecnologia, aquela que manipula/fabrica os genes, juntamente com as mudanças climáticas, representam o maior perigo mundial que o planeta enfrente neste momento, boa prova disso mesmo é os efeitos catastroficos que os OGMs / transgénicos estão ater no ambiente e na saúde. A biotecnologia não irá salvar o mundo mas empurra-lo para o abismo, devido a todos os problemas que está já a causar de forma irreversível. É uma autentica caixa de pandora.

Saibam mais em www.stopogm.net




---


Afinal, ainda hoje veio a publico nas noticias que a tal vacina milagrosa contra o cancro do colo do utero, já matou pelo menos duas mulheres, havendo fortes suspeitas que esta, obviamente cause graves problemas de saúde. Existem rumores que a vacina poderá ser proibida em alguns paises.

A vacina não é muito cara porque custou muito dinheiro a produzir, por essa lógica então todos os medicamentos custariam 500 euros. É cara sim porque a empresa tem o monopólio da vacina e está é atentar que seja o estado (todos nós) a pagar uma vacina, que iria dar muitos milhares de milhoes de euros para uma empresa, que fez um produto que por acaso até mata mulheres em vez de as salvar.

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lady_blogger disse...

Se os medicamentos actualmente já são tão pesados para os comuns orçamentos familiares, pergunto quem conseguirá comprar os esses medicamentos adaptados às nossas características genéticas? Pois que essa especificidade deve pagar-se bem cara... E irá o Estado comparticipá-los, e até que ponto?

Quanto à vacina contra o cancro do colo do útero, já ouvi comentar que é só para mulheres até determinada idade. Qual a razão de ser disto?

CC

Maria Mendes

jon disse...

Tema muito polémico este, que fala da manipulação dos genes e do qual a esmagadora maioria das pessoas não faz ideia do que se trata.


Tenho uma critica a fazer... então convidam duas pessoas que são declaradamente a favor da biotecnologia de forma cega (sem questionar nada), que são dois lobistas, uma senhora dona de uma empresa de biotecnologia e esse sr Tiago que já disse algumas barbaridades cientificas acerca deste tema num conhecido site pró-ogm?

Com comentadores destes, não existe imparcialidade mas sim apenas a defesa de interesses económicos. Desta forma não se trata de informar as pessoas que assistem o programa mas desinformar.

Peço que da próxima vez coloquem comentadores de "ambos os lados", para se falar do bom e do mau de cada assunto.

jon disse...

BIOLOGIA SINTÉTICA - UM NOVO PERIGO MUNDIAL PIOR QUE OGMS

Ciência pensa em criar vida artificial em meio a um vazio ético e jurídico.

O anúncio da elaboração do genoma de um novo tipo de bactéria por manipulação genética, algo que poderá permitir a criação de organismos artificiais programados a serviço do homem, ao mesmo tempo em que suscita esperanças traz também temores diante da falta de consenso ético e limites jurídicos.

http://afp.google.com/article/ALeqM5g9t8YMKWr89HFKgbA2ce4mqP75tg

jon disse...

Uma pergunta aos convidados pró-ogms:

1- Se afirmam que os OGMs são benéficos para a saúde, o ambiente, a alimentação, agricultura, etc, então como é que explicam que as ÚNICAS entidades que fazem testes dos OGMs para aprovação estatal, são as próprias empresas que fabricam esses produtos, o que claro causa conflitos de interesse, e está comprovado que essas mesmas empresas em geral, manipulam esses testes de forma a só apresentarem dados positivos, e falsos, para serem aprovados por exemplo, pela FDA (EUA) e pela EFSA (UE), que ambas não fazem qualquer teste para comprovar os dados de testes feitos pelas empresas, pelo contrário, muitos dos seus membros dessas duas entidades, têm interesses dentro das empresas de biotecnologia. Como explicam todos estes interesses, falta de isenção e corrupção?

2- Como podem dizer que os OGMs são seguros, quando existem DEZENAS DE ESTUDOS INDEPENDENTES, que comprovam que a quase todos os OGMs testados, provocam graves problemas de saúde nos animais (em todos os animais testados, especialmente os mais pequenos), e destabilizam os ecossistemas envolventes?


Duvido que consigam e queiram sequer responder a estas duas questões.

jon disse...

Greenpeace diz que milho transgênico da Monsanto é potencialmente tóxico

Bruxelas, 14 jun (EFE)

A organização ambientalista Greenpeace divulgou nesta quinta-feira os
resultados de um estudo que indica que o milho transgênico NK603, produzido
pela empresa americana Monsanto e aprovado na União Européia em julho de
2004, é "potencialmente tóxico".

Os laboratórios do Comitê de Pesquisa e Informação Independentes sobre
Engenharia Genética de Paris testaram o cereal modificado em ratos e
verificaram que, após um prazo de 90 dias, os animais apresentaram até 60
anomalias biológicas, segundo um comunicado da organização.

Os ratos tiveram alterações no tamanho do fígado, do cérebro, do coração e
dos rins e apresentaram significativas diferenças de peso em comparação com
os alimentados com milho normal.

"Isto poderia ser um sinal de alerta de toxicidade, mas não foi investigado
profundamente", denunciou o Greenpeace.

O NK603 é um tipo de milho geneticamente modificado para aumentar a
tolerância do cereal a determinado tipo de herbicida e obteve o visto da
Comissão Européia para ser vendido nos países do bloco europeu em julho de
2004.

"É motivo de preocupação que as sementes e alimentos geneticamente
modificados recebam o sinal verde da UE, apesar das alarmantes anomalias que
geram em animais em um período de testes extremamente pequeno. Nós teremos
de comê-los durante anos", disse hoje o assessor do Greenpeace para produtos
transgênicos, Marco Contiero.

Os laboratórios franceses questionaram ainda a validade das avaliações de
risco oferecidas pela Monsanto para obter a autorização da Comissão
Européia.

Os cientistas da empresa americana, de acordo com o Greenpeace, não
colocavam em dúvida que o consumo do produto pudesse causar alterações nos
animais, mas consideravam que estas não eram "biologicamente
significativas".

Esta é a segunda vez na qual o Greenpeace divulgou estudos científicos que
questionam a qualidade de produtos da Monsanto autorizados na União
Européia.

Em março, a organização denunciou que o milho MON863 também gera mostras de
toxicidade nos rins e no fígado dos ratos de laboratório.

O Greenpeace exigiu nesta quinta-feira a retirada do milho NK603 e a
suspensão de todas as autorizações de produtos geneticamente modificados até
que o sistema de avaliação de riscos da UE, baseado nos relatórios
fornecidos pelos próprios fabricantes, seja revisado.



(Não tem link)

jon disse...

A NÃO PERDER
VIDEOS INFORMATIVOS SOBRE OS PROBLEMAS DOS OGMs:


Documentários e vídeos a não perder sobre os perigos dos OGMs para a saúde e ambiente:


STOP OGM:
http://stopogm.net/?q=taxonomy/term/45

(A NÃO PERDER EM ESPECIAL "A VIDA FORA DE CONTROLO")



- FUTURE OF FOOD:
http://video.google.com/videoplay?docid=-3323612535345191089&q=future+of+food&total=1514&start=0&num=10&so=0&type=search&plindex=1



- GMOs - PANACEA OR POISON:
http://video.google.com/videoplay?docid=5207412505897358694

Antonio disse...

Hoje existe um grande debate no seio da comunidade científica, procurando conciliar os aspectos éticos com o inevitável direito do homem em querer saber mais sobre os mecanismos que regulam os processos biológicos na natureza e com o próprio direito à vida. Em termos de ética humana foram definidos quatro princípios (em 1983) que tentam dar uma expressão mais prática às teorias do utilitarismo e da deontologia (de 1973) a saber: beneficência, não-maleficência, justiça e autonomia.

No contexto da biotecnologia animal juntaram-se dois princípios aos anteriores: a irreversibilidade e a verificação (1990).
O respeito pelos princípios anteriormente enunciados evitará que, embora por outros motivos, venham a criar-se novos movimentos Pugwash. Não faz sentido que o Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley deixe de ser aquilo que é: uma novela de ficção e utopia!

Como escreveu Axel Kahn: “..Os resultados de Wilmut et al. têm sem dúvida muito mérito. Um desses efeitos é obrigar-nos a encarar as nossas responsabilidades. Não será uma barreira técnica que nos protegerá das perspectivas mais negras, mas uma barreira moral, baseada numa reflexão sobre as bases da nossa dignidade. Essa barreira é certamente o aspecto mais dignificante do génio humano”.

the eye disse...

Ola,

Sou estudante de Medicina Humana.

A minha opinião é a de que, tanto a biotecnologia como qualquer outro conhecimento que possa ser usado pela Humanidade, ele vai estar sempre ligado à dicotomia Bem-Mal. Como em tudo! Os conhecimentos por si só não têm perigo, o perigo existe quando damos um mau uso a deles, face à Humanidade e à sua presistência aqui neste Planeta Terra.

Creio que a Humanidade ainda não está preparada para lidar com este tipo de conhecimentos. Deveria de haver uma preparação espiritual para cada ser humano que pretende adquirir este tipo e conhecimentos.

Cito um exemplo, por exemplo, se Einstein estivesse suficientemente preparado sob o ponto de vista espiritual ele nunca teria dado o seu contributo para o desenvolvimento da Bomba Atomica, facto que nos assola actualmente...

Não traço esse cenário para daqui a uns anos, relativamente ao desenvolvimento da Biotecnologia, mas se continuarem a haver à face da terra pessoas não-preparadas, pessoas más, é evidente que a Biotecnologia poderá vir a ser outra das grandes ameaças à Humanidade...

Quem estudou Biologia Molecular da Célula sabe que é extremamente fácil de produzir um vírus que venha a causar uma pandemia mundial!!! Isto é tão possível quanto foi possível produzir artificialmente o genoma de uma bactéria!!


Acho que a Humanidade não está preparada, é isso.

Espero que a Biotecnologia continue ligada à Biosegurança.

Cumprimentos,
David Moreira

jon disse...

TRANSGÉNICOS EM SILVES CAUSAM AS PRIMEIRAS VICTIMAS
*****

Almargem suspeita que milho transgénico dizima colmeias

A associação ambientalista Almargem suspeita que plantações de milho transgénico em Silves sejam responsáveis pela morte de sete colmeias e estado muito debilitado de outras 18 na mesma zona, todas do mesmo produtor.

Segundo a associação, um apicultor do Poço Barreto possuía 25 colmeias nas proximidades do milho transgénico plantado na Herdade da Lameira. Destas 25 colmeias “sete morreram e as restantes encontram-se num estado muito debilitado”.

“Esta é uma situação grave que torna a colocar em cima da mesa a possível relação entre o cultivo de milho transgénico e a perda de vitalidade das colmeias situadas nos arredores da plantação”, defende a Almargem.

A tese da associação baseia-se num estudo de investigadores portugueses da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, publicado primeiro no «Journal of Apicultural Research» e depois na revista «O Apicultor».

De acordo com o estudo, o milho transgénico produz uma toxina que mata lagartas e borboletas que limpam os favos desocupados das colmeias. Sem estas lagartas a limpeza não é feita e proliferam agentes patogénicos prejudiciais às abelhas.

Perante estes argumentos a Almargem considera que o Ministério da Agricultura deve “suspender imediatamente qualquer nova autorização para cultivo comercial de plantas transgénicas em Portugal e, em particular, no Algarve”.

A associação salienta ainda que o ministério deve mandar fazer “análises independentes às amostras de mel produzido na zona de Poço Barreto, com vista a detectar uma eventual contaminação que ponha em risco a saúde pública”.

A situação já terá sido comunicada à Direcção Regional de Agricultura do Algarve.

A plantação de milho transgénico em causa é a mesma que foi alvo de uma acção mediática do movimento Verde Eufémia, no passado mês de Agosto.


Fonte:

http://www.regiao-sul.pt/noticia.php?refnoticia=79370





-----------------------

COPIADO DE UM TEXTO
(sem link)



DESASTRES E MORTES DEVIDO A TRANSGÉNICOS:


1º - Nas Filipinas, a inalação do pólen do milho transgenico provocou a morte de 5 pessoas e doenças em cerca de 100. ( Páginas: 34 e 35 )
2º - Morreram na Índia 10.000 carneiros alimentados em pastagens de algodão OGM, ( Páginas: 32 e 33 )
3º - Morreram na Alemanha 12 vacas alimentadas por milho OGM, variedade 176, retirada do mercado e paga uma indemnização pela SYGENTA ; ( Página: 38 )
4º - Suicidaram - se na Índia dezenas de milhares (mais de 18 mil) de agricultores devido a falência pelo cultivo de algodão transgénico. ( Página: 241 )
5º - O medicamento Triptofano OGM usado para as insónias matou cerca de 200 pessoas e é responsável por 5 000/ 10 000 paralíticos. ( Páginas: 60 e 61 )
6 º– A insulina OGM matou 200/300 pessoas nos Estados Unidos, Canadá e Inglaterra. *Nota: Os agricultores deste pais queixaram-se da impossibilidade de nascerem outras sementes porque os campos ficaram infectados com as sementeiras OGM’S .


RELATIVAMENTE AOS ESTUDOS:

7 º – Vacas e porcos que comeram milho OGM tornaram-se estéreis. (Página: 36)
8º - O herbicida glufosinato recombinado com milho OGM introduz-se nas bactérias da flora intestinal que se transforma numa fábrica de herbicidas. ( Páginas: 144 e 145)
9º - A lisina transgénica está ligada a casos de cancro, diabetes , doenças nos rins , doenças degenerativas como o Alzheimer , alergias ,etc. Nas crianças aumenta o risco pelo uso da formula infantil “ Enfamil “. ( Páginas:104 e 105 )
10º - O Aspartame transgénico usado como adoçante, hermesetas, refrigerantes light, rebuçados sem açúcar etc. provoca o cancro no cérebro , a cegueira e doenças mentais. (Página: 260)
11º - O leite transgénico faz pús no leite, exigindo antibióticos e provoca o cancro na mama e na próstata , etc. (Página: 156)
12º - As rações OGM como alimento para o gado passa dos animais para o Homem que se alimenta de carne. (Páginas: 150 e 151) *Nota: Estes documentos são fornecidos se nos forem solicitados.

j disse...

"Criar", não, está é a inverter-se a ordem natural das coisas.

Quer-se a toda a força levar o ser humano a chegar aos 150, 200 ou 300 anos de vida, isso é vergonhoso, é a instalação do caos no tipo de sociedade que vivemos. Só se se quiser que as sociedades futuras sejam muito diferentes (degradantes) da actual, talvez seja isso, mas podem acreditar que o planeta não aguenta.

bruno dinis disse...

se há mentes em Portugal? É OBVIO...

o problema é mesmo a falta de meios e ajudas para fazermos investigação nas universidades o que nos leva a vir para o estrangeiro onde apostam em nós...

Portugal é tudo isto..

Antonio disse...

Desde o início da domesticação das espécies animais que o homem tem interferido no sentido de aumentar o rendimento da produção de alimentos de origem animal, na proporção directa da evolução dos conhecimentos científicos e técnicos. Estes conhecimentos e técnicas permitiram alterar de forma substancial o modo de criação de animais ao nível da alimentação, reprodução, saúde e genética. A selecção orientada pelo homem é uma prática utilizada desde a pré-história nos animais por ele domesticados (animais de companhia e animais zootécnicos). Com efeito, desde cedo que o homem interfere na escolha dos reprodutores para orientar as vocações produtivas no sentido das suas necessidades alimentares (animais de trabalho, carne, leite e ovos), de bem estar (pele, lã, produtos de adorno etc.) e de lazer (animais de companhia, cães de caça e animais utilizados no desporto).

Podemos então afirmar que o homem sempre praticou a engenharia genética nos animais e que, fruto dessa intervenção, foram seleccionados bovinos com vocação para o trabalho, a produção de carne e/ou leite. A diferença que encontramos entre a intervenção ao longo da história e a deste século, reside na eficiência e rapidez que o homem consegue imprimir actualmente às alterações que pretende introduzir. Esta rapidez e eficiência aumentaram significativamente a partir do momento em que o método científico permitiu explicar o modo como se faz a transmissão genética de caracteres, bem como quantificar a expressão dos caracteres herdados e seleccioná-los nas populações estudadas (heritabilidade, testes de descendência). Por outro lado, a evolução das técnicas de reprodução permitiu dar expressão e disseminar mais rapidamente os caracteres desejados nas populações animais.

silvia disse...

Sou mãe de um menino de 3 anos com Fibrose Quística.Qual a esperança de cura da doença?Como saber que estudos estão a ser desenvolvidos?Só através do Hospital onde é acompanhado?

j disse...

A Fernanda já imaginou que daqui a alguns anos pode estar a entrevistar um "hibrido" que mais parece um polvo, da qual não sabe qual o sexo ou as suas caracteristicas principais.

Será que como não conseguimos encontrar extraterrestres, nos preparamos para criar entidades aliénigenas na Terra?

Mutações no ser humano vai ser extremamente engraçado!!!

jon disse...



Só faltava a MENTIRA de dizerem que a biotecnologia (os ogms neste caso), que vai ajudar a acabar com a fome no mundo. Isto é uma pura mentira e manipulação daqueles que são cegamente a favor dos OGMs, e de ganharem dinheiro com isso.

Qualquer cientista minimamente bem informado e imparcial, confirma que existem imensos perigos dos OGMs, e que já existem muitos estudos independentes que confirmam isso mesmo (basta ver mais acima o que foi colocado no forum).

Esse sr tiago ESTÁ A MENTIR quando afirma que os testes "oficiais" feitos nos produtos OGMs garantem a sua segurança, isso é pura mentira da sua parte, pois como já afirmei, TODOS OS ESTUDOS OFICIAIS SÃO FEITOS UNICAMENTE PELAS MESMAS EMPRESAS QUE QUEREM VENDER OS SEUS PRODUTOS.

Para bom entendedor.

jon disse...

Só faltava a MENTIRA de dizerem que a biotecnologia (os ogms neste caso), que vai ajudar a acabar com a fome no mundo. Isto é uma pura mentira e manipulação daqueles que são cegamente a favor dos OGMs, e de ganharem dinheiro com isso.


NOTA:

Esqueci-me de referir que a questão da fome NUNCA foi um problema de falta de alimentos, mas sim na questão da justa distribuição do mesmo. Só os paises mais ricos produzem alimentos suficientes para todo o planeta, mas quase metade dos mesmos, por questões superficiais e especialmente económicas, são deitados no lixo.

A fome nada tem a ver com falta de produção de alimentos mas com questões politicas e economicas.

j disse...

Minha cara amiga isso é treta, existe na terra alimento suficiente para todos os seres vivos na terra, o que impede isso de aconteçer são questões politicas.

O que está a dizer é uma falsidade, a querer justificar manipulação genética com a possivel falta de alimento.

jon disse...

Caros senhores, há centenas de anos que o homem tem "melhorado" certas plantas ou especies animais, mas de uma forma muito limitada e que só a natureza permite fazer.

Agora a questão é que desde só há 20 anos que, se está a manipular os GENES das plantas e animais, de uma forma que seria IMPOSSIVEL a natureza fazer de forma natural. Misturar genes de peixe com uma planta por exemplo. Isto é um imenso perigo, como já está comprovado, mas alguns não querem ver.

Daniela disse...

Sou Eng.ª e reconheço que a biotecnologia tem mais valias importantes.Mas é um mito falar na biotecnologia como o milagre para acabar com a fome.Nao ha falta de alimentos, há má distribuição!Esta é sobretudo uma questao política e não científica!Se os biotecnólogos estao séria e sinceramente preocupados com a fome no mundo deviam começar por ser vegetarianos que é sem dúvida a alimentação mais eficiente e limpa.
Foi referido pela convidada que devemos "ter fé" nos institutos reguladores:acho que as palavras foram bem escolhidas!É mesmo uma questão de fé... :)

Antonio disse...

Ovinos, caprinos e bovinos transgénicos já são utilizados como “bio-reactores” para a produção de proteínas humanas pelo leite. A PPL Therapeutics, um dos laboratórios líderes neste campo, e colaboradores na produção da Dolly, anunciaram recentemente que a alfa-1-anti-tripsina produzida num rebanho transgénico está a ser testada para tratamento de doentes com fibrose quística em ensaios clínicos.

jon disse...

"Mas é um mito falar na biotecnologia como o milagre para acabar com a fome.Nao ha falta de alimentos, há má distribuição!Esta é sobretudo uma questao política e não científica!Se os biotecnólogos estao séria e sinceramente preocupados com a fome no mundo deviam começar por ser vegetarianos que é sem dúvida a alimentação mais eficiente e limpa."


Duplas palmas :p



"Foi referido pela convidada que devemos "ter fé" nos institutos reguladores:acho que as palavras foram bem escolhidas!É mesmo uma questão de fé"


Isto é fatal, confiarmos nas entidades reguladoras tem-se revelado um autentico desastre, pois como já referi acima, estas entidades NÃO FAZEM QUALQUER ESTUDO PARA CONFIRMAR SE O OGM É OU NÃO SEGURO, confiam unicamente nos "testes" que as empresas que querem vender esses produtos fazem, e para além do mais dentro dessas entidades reguladoras existem muitos membros corruptos que trabalham para essas empresas de biotecnologia.

Confiar em corruptos?

É uma vergonha.

silvia disse...

Aguardamos e desejamos que a cura chegue a tempo para salvar o meu e muitos outros meninos e meninas.
Bem haja!

Misc. disse...

Eu sou um aluno de Biologia na Faculdade de Ciencias da Universidade do Porto, e a Biologia desde muito novo que me atraiu, dai a minha escolha. A minha questao e a seguinte, que oportunidades e que um estudante como eu e muitos outros temos relacionadas com esta area, no que diz respeito a formacao e investigacao em paralelo com a nossa carreira Academica, de forma a nos preparar melhor para o mundo do trabalho?

Pedro, Guimaraes

lady_blogger disse...

Já alguém sabia que a americana Food and Drug Administration permitiu há dias que doravante se comercialize a carne e leite de gado clonado? Haverá assim tanta falta de comida ou interesses comerciais que justifiquem tal medida? Ou será para não se desperdiçar o gado clonado?
Quais os efeitos negativos ou benéficos que poderão advir do consumo desses alimentos?

CC

Maria Mendes

jon disse...

"Haverá assim tanta falta de comida ou interesses comerciais que justifiquem tal medida? Ou será para não se desperdiçar o gado clonado?
Quais os efeitos negativos ou benéficos que poderão advir do consumo desses alimentos?"


Tudo interesses comerciais, não existe qualaquer necessidade para tal, mas é preciso inventar
novos produtos para vender.

Os animais clonados representam muitos problemas de vária ordem, basta estudar o caso da ovelha dolly, que morreu em pouco tempo derivado a graves problemas de saúde que têm consequencia directa de ter sido clonada... e pesquisar as dezenas e centenas de tentativas que houve antes da dolly, que criaram aberrações biológicas.