segunda-feira, fevereiro 4

Corpo novo, alma nova?



Boa parte dos créditos pessoais pedidos em Portugal estarão a ser utilizados para cirurgias plásticas. Os preços destas intervenções têm vindo a baixar, em boa medida devido ao aumento do número de clínicas e médicos que exercem nesta área, e o desejo de mudar de visual faz já parte da lista dos “consumíveis” da classe média.
"Extreme makeover" foi um dos "reality shows" mais bem sucedidos na viragem do século e inspirou um formato semelhante no nosso país, levando mais de 30 mil pessoas a candidatarem-se a uma cirurgia estética – sinal de que os portugueses/as lidam cada vez melhor com os receios de se submeter ao bisturi.

13 comentários:

josé pedro disse...

Recorrer a esta medida torna-se cada vez mais frequente em Portugal. As pessoas que se sentem insatisfeitas com algo no corpo mudam-na facilmente pois no nosso país este processo tornou-se cada vez mais fácil e barato. Nos Estados Unidos é onde este tipo de intervenções está bastante acessível a baixos preços aos cidadãos daquele país. As pessoas tendem a usar isto também como um melhoramento interior, pois irão-se sentir mais atraentes e visíveis na sociedade. Por exemplo, no "reality show - Extreme Makeover" as pessoas mudam totalmente, mas muitas vezes não superam a pressão psicológica que lhes é posta após a cirurgia acabando por saírem prejudicadas interiormente. É uma técnica que deverá ser controlada e não tão acessível a todos nós. Na minha opinião deverá ser usada apenas quando necessária em termos médicos.

Bite disse...

Por ser uma forma mais fácil de recuperar uma forma visual mais agradável, o acto de recorrer demonstra um pouco a mentalidade portuguesa do facilitismo. As pessoais não praticam desporto para compensar os excessos calóricos que vão tendo ao longo dos tempos nas suas refeições. O cuidar do corpo têm que ser um processo continuo entre alimentação e actividade física. Esta é uma forma de as pessoas recuperarem o perdido, mas também é necessário mudar a mentalidade para não voltar a acontecer, e acaba por ser difícil mudar as motivações.

Mouro disse...

Acho que deve ser abordada também a questão de pessoas que põem em risco a sua saúde em nome da estética. Através da ingestão de substâncias ilícitas, que muitas vezes desconhecem a sua origem, lembro-m por exemplo da efedrina que recentemente foi banida do mercado porque poderia acarretar gravíssimos problemas de saúde. Prometem resultados milagrosos em pouco tempo e sem exercício para combater a obesidade. Isto até pode acontecer mas os riscos para a saúde são muito altos e por vezes irreparáveis.

R. Mouro

Luis Malato disse...

Bem vindos a uma sociedade de plástico!

Creio, se ainda me é permitido opinar sobre alguma coisa sem que alguém me tente fazer uma plástica a mente, creio que as pessoas estão a tentar obter algo que, quando em crianças, só encontrávamos em caixas de brinquedos.

Hoje em dia já não existem apenas Barbies ou Kens em caixas de cartão, a ideia é que caminham entre nós, sorrindo de maneira igual, vestindo do mesmo modo, pensando até de maneira igual.

Talvez a cirurgia seja apenas uma maneira de escapar aquilo que a natureza atribui, mas será sem duvida um meio de atribuir beleza onde ela talvez não existisse e por mais bonita que uma pessoa possa ser no exterior, o interior pode nem notar essa diferença.

Mais uma vez, bem vindos a um mundo e a uma sociedade de plastico. Deixem tudo o de original aparte e juntem-se a uma massa clonada.

amorinha disse...

olá boa tarde...estou a assistir ao vosso programa e como sofro de hipotiroidismo deparo-me muitas vezes com o insucesso na perda de peso ...
tenho uma alimentação mt cuidada faço exercício físico 3 vezes por semana e sou orientada pela minha encodrinologista, vivo também com uma substituição hormonal pra vida e muitas vezes sonho com a cirurgia como a única solução pro meu problema ou seja, se o peso não sai nem pelo esforço nem pela ajuda médica poderá sair só a "faca"!!??... devo fazê-lo?

Sara Martins disse...

Boa Tarde!

Eu sou uma jovem de 27 anos. Desde os 10 anos que sofro de uma grande angústia - as estrias. Tenho estrias em todas as partes do corpo (pernas, braços, barriga, seios) e isto causa-me uma grande angústia. Não consigo usar t-shirts e tenho imensa vergonha de me ver ao espelho.
já consultei vários dermatologistas e todos me dizem que não há nada a fazer mas uma colega disse-me que já existe um tratamento. Isto é verdade? Se já existe onde posso obter informações sobre ele e quais as clinicas que já o praticam.

Muito obrigada!

Sara, Póvoa de Varzim

Luar disse...

Acho que ninguém recorre ao "bisturi" só por ir. O problema é realmente o preço das cirugias. Estive a ver o programa e gostei mas mesmo estando com a vida do avesso, escondo-me,não saio, deixei de ter intimidade com o meu namorado eu não teria dinheiro para fazer uma estética embora saiba que isso me ia ajudar e muito. Quando se foi sempre "normal" e de repente nos tornamos um monstro não é fácil enfretar uma vida já de si complicada.

Luar disse...

Acho que ninguém recorre ao "bisturi" só por ir. O problema é realmente o preço das cirugias. Estive a ver o programa e gostei mas mesmo estando com a vida do avesso, escondo-me,não saio, deixei de ter intimidade com o meu namorado eu não teria dinheiro para fazer uma estética embora saiba que isso me ia ajudar e muito. Quando se foi sempre "normal" e de repente nos tornamos um monstro não é fácil enfretar uma vida já de si complicada.

Luar disse...

Acho que ninguém recorre ao "bisturi" só por ir. O problema é realmente o preço das cirugias. Estive a ver o programa e gostei mas mesmo estando com a vida do avesso, escondo-me,não saio, deixei de ter intimidade com o meu namorado eu não teria dinheiro para fazer uma estética embora saiba que isso me ia ajudar e muito. Quando se foi sempre "normal" e de repente nos tornamos um monstro não é fácil enfretar uma vida já de si complicada.

Luar disse...

desculpem ter ficado em triplicado, deve ser para condizer comigo!!

Templo do Giraldo disse...

Passem por aqui e comentem. SAUDAÇÕES

http://templodogiraldo.blogspot.com/

zezalhu disse...

alguem me arranja a música do programa?!
cumprimentos

zezalhu

Sociedade Civil disse...

"Mens sana in corpore sano"- algo que todos almejam, mas poucos têm. Dificilmente encontramos um paralelismo perfeito entre o estado físico e a mentalidade. Se limar mentalidades é algo complicado, já mudar partes do corpo tem-se revelado cada vez mais fácil. E por que não ter um corpo que acompanhe a jovem mente de alguém mais idoso?! Defendo que não se recorra às cirurgias plásticas como quem vai ao cabeleireiro, e deve-se dar prioridade às que não são puramente estéticas.
Se as pessoas se sentirem melhor e se de certo modo isso se reflectir positivamente na sua auto-estima, acho que uma cirurgia aqui ou acolá as poderá beneficiar.
É lastimável que na nossa sociedade esteja tão presente o culto do belo, mas não podendo alterar esta realidade temos é que nos adaptar.
Outrora referi neste blog algo que não faria nem que me pagassem, desta feita digo que aqui está algo que talvez fosse capaz de fazer mas desde que me pagassem.
É claro que ninguém está satisfeito com o que tem e quer sempre melhor, mas há coisas que nem com o recurso ao bisturi ficariam melhores.
Só acho que as pessoas que cultivam demasiado o estético, talvez se devessem preocupar um pouco mais com o intelecto.

CC

Maria Mendes