segunda-feira, março 31

AVC – prevenção é a palavra de ordem

Enquanto dura a emissão deste SC morrerão dois portugueses vítimas de AVC.
De acordo com a Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular, os números são alarmantes – o AVC tem uma taxa de mortalidade que chega a atingir 200 pessoas por cada 100.000. Uma doença que leva aos hospitais, apenas para internamento, 25.000 doentes por ano. E os 50% que sobrevivem ao AVC ficam com graus de incapacidade acentuados.
Segundo Ricardo Seabra Gomes, coordenador nacional para as doenças cardiovasculares, a mortalidade relacionada com o AVC poderia diminuir significativamente se os doentes chegassem ao hospital nas duas ou três horas após o primeiro sintoma. Daí a necessidade de voltar a esclarecer todos os sintomas, para que a prevenção seja verdadeiramente eficaz.

18 comentários:

jon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabio C. Ferreira disse...

Boa tarde, dizem que o melhor que temos a fazer quando temos os sintomas de um avc e ligar para o 112, eu gostava de lançar uma critica ao atendimento do INEM pois o tempo que os operadores demorão a comunicar aos bombeiros passa muito dos 3 minutos que é o tempo do avc fazer muitos danos no nosso encéfalo.

jon disse...

Para prevenir doenças deste género, basta uma pessoa ter cuidados mínimos de saúde, desde a não ingerirem fritos, sal em demasia, cafés, doces em demasia, e não comer gorduras de origem animal, sendo preferencialmente vegetariano ou no mínimo reduzir e muito o consumo de carnes.

Também é importante fazer exercicio fisico, nem que seja 30 mins por dia.

Está comprovado que um vegetariano que tenha um regime alimentar minimamente diverso tem melhor saúde, e muito menor probabilidade de ter qualquer doença deste género (de várias centenas, não conheço nenhum).


mais info:

http://www.centrovegetariano.org/Cat-12-Sa%25FAde.html

PEDRO DE CASTRO disse...

Boa tarde,
Gostaria que abordassem a questão da idantificação dos sinais de um AVC. Já ouvi algo que referia o facto de existirem um série de passos rápidos que serviam de aviso de um episódio de AVC.
Esses passos passavam pela verificação da simetria facial, verificando se a não existiência sinais de paralesia, a capacidade de raciocinio lógico e penso que ainda exisitam mais passos que não me lembro.
Será que poderiam esclarecer.
Obrigado

Rui disse...

E os Lóbyes? Sou diabético e hipertenso e não compreendo porque não se tomam medidas sérias na redução do uso de açucar/sal por quem produz produtos de comsumo alimentar (sumos, bolachas, enchidos, etc.).

lady_blogger disse...

Finalmente estou de volta! Espero que a vossa Páscoa tenha sido mais doce que as amêndoas.


CC

Maria Mendes

lady_blogger disse...

O stress, as inquietudes, e a má alimentação, em muito podem contribuir para este tipo de acidente.

Como perceber os sintomas de um AVC? Como chegar atempadamente se por vezes são os bombeiros que se perdem à procura da localização da habitação que os chamou? Terão eles já um gps nas viaturas de serviço?


CC

Maria Mendes

PEDRO DE CASTRO disse...

Gostaria de colocar a seguinte questão: Já foi referido que associado a uma dieta incorrecta está associado um risco acrescido de um possivel AVC. Gostaria que podessem referir se, por exemplo uma pessoa que sofra de enxaquecas, e visto ser crónico, se existe um risco acrescido de AVC embora pratique uma dieta equilibrada e pratique exercício? Coloco esta questão por já ter lido um artigo que associava as enxaquecas a AVC's.

Patricia disse...

Boa tarde,
o tema desta tarde é sobre o AVC, e até agora têm-se falado da doença, sintomas, entre outros. Sou finalista do curso de Educação de Infância e fiz um estágio em Alcoitão, na Pediatria e fui alertada para os casos de AVC em crianças e jovens, e pelo que tenho lido esses numeros tendem a aumentar. A prevenção tambem deve passar pela alimentação e check up das crianças, não concorda?
Bom programa

Bia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bia disse...

O meu pai sofre de enxaquecas acerca de um ano com as quais perde a visão numa dessas vezes perdeu parte da visão e nao voltou a recuperar, foi ao medico fez um TAC e uma ressonância diagnosticaram enfarte no nervo optico tem isto a haver com AVC ? em caso de repetição o que fazer? Porque nada mais foi dito .

PEDRO DE CASTRO disse...

Relativamente à etiquetagem não deveria haver uma simplificação e adequação à formação média de um cidadão português? São raras as pessoas que lendo a constituição dos alimentos que compram conseguem descurtinar o jargão cientifico que lá se encontra. Talvez se devesse criar sistemas de alerta para a saúde, quase à semelhança da informação que foi criada para artigos como electrodomésticos, em que o consumidor de forma expedita consegue saber se é de aixo consumo ou não. No caso da alimentação devia estar explicito se devido à sua composição um alimento poderá ser um agente potenciador de determinadas doenças. Já foi realizado para o tabaco portanto não é novidade.
O analfabetismo funcinal existe e é necessário transmitir a informação essencial de forma mais directa e objectiva.

AXFDASILVA.BLOG disse...

BOAS TARDE

AXFDASILVA.BLOG disse...

MAIS DE 3 MINUTOS DEMORA QUALQUER CIDADÃO QUE TELEFONE PARA O INEM, A PROCURA DE SOCORRO, COM AS PERGUNTAS DAS FUNCIONARIAS DO CALL CENTER.

AXFDASILVA.BLOG disse...

MEU CARO SR. PEDRO CASTRO SE POR AI POR AI NÃO HAVIA ARTIGO NAS PRATELEIRAS DOS SUPERMERCADOS, TAL NÃO É A QUANTIDADE DE CORANTES E CONSERVANTES, QUE INFESTAM OS ALIMENTOS.

AXFDASILVA.BLOG disse...

Blogger lady_blogger disse...

Finalmente estou de volta! Espero que a vossa Páscoa tenha sido mais doce que as amêndoas.

AGRADEÇO, MAS SOU OBRIGADO A REJEITAR PORQUE SOU DIABÉTICO E HIPERTENSO. SÓ SE FOR ADOÇANTE.

António disse...

Pois é, Fernanda, permita a sugestão; falar sobre AVC, por amor, por paixão. Como tratar desses sintomas se a outra parte nos ignora. Não será assim tão brincadeira como isso. Para além dos AVC, outras "sintomatologias" existirão, ex: embolias, etc.

Anttónio

lady_blogger disse...

Para o AXFDASILVA.BLOG que postou um comentário às 15h 15m:

Quando eu disse doce, não disse necessariamente com açúcar. Há coisas doces sem açúcar, tal como um livro de Luís Goucha, e há também outras formas de doçura que não se limitam ao paladar.
Por isso repito que espero que todos tenham tido uma Páscoa mais doce que as amêndoas. E agora acredito que tenha percebido a doçura das minhas palavras de amizade.

CC

Maria Mendes