quinta-feira, maio 15

Famílias positivas

Algo está a mudar nas famílias portuguesas. As inscrições em ginásios crescem cerca de 30% ao ano, o número de lâmpadas de baixo consumo quase duplica, a reciclagem é já um hábito da maioria das famílias, compram produtos biológicos, mobilizam-se para participar em causas sociais, deixaram de comer à farta-brutos, e têm muitas outras atitudes que há uma geração seriam impensáveis.
Neste programa queremos mostrar exemplos de famílias positivas e apresentar as soluções ao alcance de todos para quem quer mudar de vida, desde a alimentação à defesa do ambiente.

Convidados:
Miguel Rêgo,Plataforma contra a Obesidade
Ana Cristina Valente,Psicóloga
Albino Almeida,Confederação Nacional das Associações de Pais

13 comentários:

Filipe Albuquerque disse...

Eis o que esta a mudar nas famílias Portuguesas...

NA PARAGEM-"ZERO E O INFINITO"- O AUTOCARRO DA CULTURA 9C
ESPERA-O PARA EMBARCAR...

(Exemplo de uma CRÓNICA para mal entendidos...)


O Novo medicamento de consumo que não difere muito do penso rápido dos Tempos da minha Infância é a cultura...cultura a metro, cultura ao Kilo, cultura mais ou menos, cultura assim assim...
Temos cultura empacotada de embrulho e de cor, livros feitos de capa, jornais de gambiarra e Pai Natal...Temos pipocas e Cinema Americano, galas televisivas de voyeurismo ilustre, temos teatro de pompa e vanguarda, com percussão, interacção archotes e matraquilhos... tambem temos os vestidos novos nos camarotes da opera dos mesmos, temos as conferencias de agua e sal, temos a informação Mourinho, séria e descomprometida e sentida...Temos Marcelo e muitos livros para todos os gostos e desgostos, inteligência á venda em promoção...nas faculdades e nos diplomas ! Temos Mestrados à Bolonhesa, da Noruega e à Portuguesa, com azeite e Bacalhau, temos a flash interview á saida do parlamento com Lopes e Portas á vez e em Fila, génios da comunicação deprimidos, poetas da interioridade, servidos nos jornais de província com o café da manhã...
Somos todos Pátria, Deus e Família... nas horas vagas do entre Isto !

Atentamente>FILIPE DE ALBUQUERQUE
( Coordenador e Moderador do Fórum de Filosofia )

lady_blogger disse...

Para o seu bem estar e do ambiente convém reeducar a forma de estar, reciclar e a alimentação melhorar. É preciso ser positivo!

CC

Maria Mendes

Filipe Albuquerque disse...

Media Smart eis uma boa sugestão Educativa...

Atentamente>FILIPE DE ALBUQUERQUE

António disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
António disse...

Senhoras, continuam a generalizar, não sabem nada do que passa na realidade. Os pré conceitos são uma prática e um virus para as familias lançadas pelos "média". Durante anos fui eu que ensinei a ex-companheira a fazer tudo em casa, não sabia nada, Honra lhe seja feita, não nega o facto.
O que é uma familia hoje? só vejo na maior parte, bocados de familia.
Falam de familias positivas? ou endilheiradas? como vós. Sabem, normalmente só vemos até ao nosso umbigo, normalmente.

Anttónio

APPEPASC disse...

Boa tarde,
a alteração nas familias portuguesas está igualmente a fazer-se notar pela procura cada vez maior de todo o tipo de informação no que concerne aos nossos filhos.

Necessidade esta que tem como objectivo os pais (e professores) prevenirem-se perante situações que não controlam e desconhecem, estou a falar dos abusos (fisicos, psicológicos e sexuais) entre crianças e também com adultos.

Desta forma a nossa associação APPEPASC (Associação Portuguesa para o Estudo e Prevenção dos Abuso Sexuais de Crianças)criada em Portugal em 2006 com base no Child Assault Prevenion (CAP)incide num programa de prevenção primária desenvolvido nas escolas (e não só)pretendendo integrar os melhores recursos da comunidade de forma a reduzir a vulnerabilidade das crianças ao abuso verbal, físico e sexual.

O objectivo deste programa é a prevenção dos Abusos de Crianças através da "Educação Preventiva" e podemos acrescentar a participação cada vez maior das escolas neste projecto.

Com os nossos melhores cumprimentos
p'la APPEPASC

www.appepasc.pt
appepasc@gmail.com
tlm: 932667282

António disse...

Falam constantemente nas lampadas fluorescentes.
1- são muito mais poluentes.
2- são prejudiciais à visão.
3- já agora, parece não contar, são muito mais caras.

Anttónio

tito guedes disse...

Automobilistas unidos, jamais serão vencidos!!

Os jovens maiores de idade têm a obrigaçao de mudar os seus habitos. O pior que há é um jovem de 25 que não é capaz de encarar uma nova filosofia de vida por comodismo.

Gostava que falassem de frigorificos. Nao sao um problema? Cada individuo e cada pequena familia tem um... ligado 24 horas por dia.... penso que é um residuo tecnologico de vasta importancia... esta mesmo instalado nos habitos de todos nós... vai quase de mão dada com o automovel.

José Maria Afonso disse...

A Proteccao Ambiental É Como A Luta Contra A Fome Em Africa
Os Dois Pedem Aos Póbres,

E Eles Lá Teem Que Fazer Um Esforco, Enquanto Os GRANDES Sempre Mais Á Vontade, Ou Seja E.U.A., Bla, Bla...,
Para Além Dos Problemas Que Já Há Para Sobreviver, Teem Que Por Ainda Mais Problemas,
As Familias Estao Completamente A Burrifar-Se Se O Mundo Acaba Mais Cedo Ou Nao,
Para Eles Nem Comecou!?

tito guedes disse...

Somos um país à beira mar que come sardinhas em lata. Algo está mal no reino de portugal.

tito guedes disse...

Acreditem, ninguém sabe andar a pé.
Tomem o exemplo dos estados unidos: Pioneiros do hamburguer e do automovel. Elevado nivel de obesidade. Trata-se de corpos que não funcionam direito.

Carnivurus automobilisticus.

José Maria Afonso disse...

As Camaras, Freguesias, etc... Preocupao-Se Pouco Em Distribuir O Eco Ponto, As Pessoas Precisam De Fazer De Detectives E Bem Procurao, Mas Nada,
Depois Já Nem Querem Falar De Ambiente, Podera!?

Ana Ribeiro disse...

Não querendo deixar de felicitar Filipe de Albuquerque, pela sua inteligente participação neste Blog, deixo aqui o meu comentário:
Será intelectualmente honesto falarmos em optimismo e necessidade de cultivar expectativas e pensamentos positivos, especialmente àquelas famílias que hoje vivem quase no limiar da pobreza e às quais nunca faltou outrora a motivação?
Na minha opinião, semelhante ubiquidade nega a evidência de que por vezes o empreendedorismo familiar é insuficiente, e que a luta pela dignidade humana passa por algo que está para além do quadro exclusivamente psicológico.