segunda-feira, maio 5

Não me passe o sal


O Estado vai reduzir o sal no pão. A Administração Regional de Saúde Centro estabeleceu a parceria pão.come com 700 padarias para que até 2011 passem a incluir apenas 0,8 gramas de sal por cada 100 gramas de pão.
O consumo de sal está relacionado com o aumento dos casos de hipertensão, que afecta cerca de 42% de portugueses.
Há muito que os especialistas pressionam a indústria alimentar e da restauração para a necessidade de reduzirem o tempero dos alimentos.
No mês do coração que tem lugar em Maio, a hipertensão é a doença de eleição. Por isso, queremos alertá-la para as consequências do consumo exagerado de sal.

21 comentários:

EviL disse...

É para ver até que ponto o sal é tão importante na história. Levou directamente ao fim da ocupação britânica na Indía. Imposto sobre o sal... Ghandi... revolução.
Dito isto como tudo sem sal, além da hipertensão que já falaram, arruína os dentes e bem.

Ana Botas disse...

Boa tarde a todos.
Já há algum tempo que tento ir eliminando o sal da minha alimentação. Comecei por substituir o sal normal por sal marinho e agora já há certos alimentos em que não ponho nem um pouco de sal. É mais fácil quando os alimentos são cozinhados a vapor (principalmente os legumes e vegetais).
E de facto, como a Fernanda disse num outro programa, as especiarias fazem milagres!

Tenho um amigo que abusa mesmo muito de sal, nós em tom de brincadeira, mas no fundo a querer alertá-lo para o problema, dizemos que mais vale ele comer o sal em vez do bife ou das batatas. E quando vai jantar a minha casa diz sempre que a comida está insonsa e que eu sou muito esquisita a comer! Porque além de não pôr praticamente sal na comida, também não adiciono qualquer molho. :)

O nosso paladar vai-se habituando àquilo que nós lhe fornecemos.
É tudo uma questão de hábito! ;)

Talvez, se o consumo de sal se reflectisse mais directamente no peso, como o consumo de gorduras, as pessoas estariam mais preocupadas. Infelizmente continuam a preocupar-se com o exterior, mesmo que o interior esteja a ficar doente.

Inês disse...

Boa tarde!
Eu vivo sozinha há quase 6 anos e desde então que reeduquei o meu paladar. Neste momento acho que tudo é salgado, portanto nao consumo pão, nem enchidos, nem o simples fiambre. A manteiga que uso é magra e de soja, porque as outras são demasiado "saborosas". Já não consigo gostar de sopa da pedra porque a carne de porco vem exageradamente salgada. E já só consumo carne de aves e coelho e muita soja.
Duas a três meses por mês consumo pão de sementes, pão escuro e fiquei suspreendida por ouvir dizer que este pão tem imenso sal.
Não compro sal há anos :)
Imaginemos que nao consumia absolutamente nenhum sal (o que é impossivel porque nem sempre sozinho para mim), haveria algum problema originado pela carência de sal?

PEDRO DE CASTRO disse...

Boa tarde,
Tem-se abordado a quantidade de sal em alimentos sólidos. Eu gostaria de saber se uma água mineral com elevado valor de bicarbonato de sódio pode ser prejudicial se tomada com frequência.

Mariana Ferreira disse...

Deixei completamente de utilizar sal nos meus cozinhados...os enlatados, o pão e outros alimentos ja pré-preparados ja contêm sal em boas quantidades e mesmo assim escolho os que têm menor quantidade de sal. é tudo uma questão de hábito, ao inicio nada sabia bem, mas agora sinto que saboreio o verdadeiro sabor dos alimentos. os portugueses não têm a noção de que o sal em excesso é prejudicial...e parece não quererem acreditar nisso.
O vosso programa é óptimo...continuem ;)

Mariana Ferreira

AG disse...

"Sal a gosto" dá aquela graça bem especial às nossas refeições.

É certo que cada vez estamos alertados para o malefícios do sal, e em função disso, pessoalmente regulo a minha alimentação.

---

Afinal, quais os benefícios do sal??

Ou apenas se destaca por dar "graça" aos nossos pratos?

Sérgio Matias disse...

Boa tarde,
A gosto do sal educa-se.
Além disso o uso de umas ervas (salsa, coentros, oregãos, e outras) ajudam a que se esqueça o sal.

Kanina disse...

Por falar em talassoterapia, ja ouvi falar em emplastros que que contem sal, e sao utilizados para tratar diversos males.

serao beneficos, ajudam mesmo ou serao apenas mezinhas populares?

qrestina disse...

Bom, eu tenho o mesmo pacote de sal há quase 2 anos (quando comprei casa)! :D

Gostaria que falassem de sal escondido em alimentos como bolachas, por exemplo.

claudia disse...

Boa tarde Fernanda e convidados,

Em minha casa não há sal. Tempero os alimentos com azeite, vinagre balsâmico, pimenta, especiarias e ervas aromáticas.

Obrigada e continuação de bons programas.

antonio disse...

Boa tarde
O chefe Vitor Sobral falou em bom e mau sal…
Por favor, expliquem, como se distingue. Qual a diferença entre sal dos supermercados e sal compradas em lojas dietéticas.
António Lopes

Marta Varino disse...

Tenho 29 anos e vivo numa quinta! Fazemos o nosso próprio pão e por 5Kg de farinha colocamos 40g de sal. Pelo que ouvi deve-se por 9g por Kg. Eu não uso muito sal, mas a minha sogra que é hipertensa não tem muito cuidado. Acho que as pessoas com este problema têm menos cuidado.

Heráclito Guimarães disse...

Olá Chamo-me Heráclito Guimarães e vou realizar um evento este Verão para promover a actividade física e os hábitos saudáveis de alimentação.
Este Evento chama-se summerfeel e decorrerá na Figueira da Foz nos meses de Julho e Agosto. Temos todo o prazer de convidar a Sociedade Portuguesa de Hipertensão assim como a Associação Portuguesa de Nutricionistas a participar no Evento e fazer acções de sensibilização em conjunto connosco.
O meu contacto é 239 10 26 13 ou 962939318 heraclito.guimaraes@gmail.com ou feelfwell@gmail.com.

Atentamente

Heráclito Guimarães

Andromeda disse...

Como moro com uma pessoa idosa que sofre de hipertensão consumo muito pouco sal. Aliás, é comum não adicionar qualquer quantidade de sal quando confecciono uma refeição, mesmo que essa refeição seja só para mim (tenho apenas 25 anos e uma tensão arterial que é normalmente baixa) e a verdade é que não me faz falta nenhuma. Em 7 meses aqui em casa ainda não se gastou meio quilo de sal, isto para 2 pessoas.
A padaria onde costumo comprar pão começou há poucos meses a fabricar pão com menos 75% de sal, já o comi várias vezes e é delicioso. Tendo em conta que se vende relativamente bem parece-me que não sou a única a pensar desta forma.

victor santos disse...

O chefe vitor sobral falou em bom e mau sal eu pergunto há bom e mau sal?

António disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
vitor disse...

Boa tarde a todos!

Tenho dúvidas em relação à quantidade de sal que se deve incluir nas refeições. Isto porque sal a mais faz mal, mas sal a menos também... Será que não se torna prejudicial para a saúde evitar o sal nas refeições, ou o sal que vem nos alimentos chega para que o nosso organismo funcione normalmente?

PEDRO DE CASTRO disse...

por vezes quando se sente uma grande vontade de consumir um alimento salgado, será reflexo de falta de sódio?

sobralfilho disse...

No vosso programa "Não me passe o sal". Reparei que indicaram/aconselharam a leitura de dois livros: um "Sem pedra de sal" e outro ... Nao tive tempo de fixar. Agradeço que me indiquem o outro livro e quais as Editoras com vista à sua aquisição.

lady_blogger disse...

Como "nem só de pão vive o homem", o consumo de sal continuará elevado nos mais diversos pratos da nossa deliciosa gastronomia, logo quem consumir pão com menos sal poderá optar por fazê-lo em casa ou por pôr mais umas pedrinhas por exemplo na sopa.
Por isso acho que a medida apresentada não é má, porém não é suficiente.
Lembro-me vagamente de uma lenda em que um pai perguntou a três filhas que descrevessem como o amavam e uma delas disse como sal, ele não gostou de ouvir tal, mas no fim da história foi considerada a filha que mais amava o pai, pois demonstrou-lhe a necessidade que o sal tem na nossa alimentação.
Talvez nos tempos modernos essa filha fosse mesmo tida como a que menos amava o pai...

CC

Maria Mendes

lady_blogger disse...

A flor de sal é mais prejudicial em termos de saúde ou é igual?

CC

Maria Mendes