sexta-feira, outubro 31

10 mandamentos para poupar em casa

Para a maioria das famílias portuguesas poupar em casa tem um duplo sentido: poupar dinheiro e simultaneamente o ambiente. Até porque a aposta em medidas amigas do ambiente reflecte-se tremendamente numa pequena economia como a familiar.
Este SC pretende fornecer conselhos e dicas fáceis de implementar - assumir uma postura de poupança não tem de implicar necessariamente sacrifício. Saiba como poupar sem esforço no próximo SC.

Convidados:
Ana Cid, Secretária-Geral da Ass. Portuguesa das Famílias Numerosas
João Martins, Ass. para o Posicionamento Estratégico e Financeiro
Natália Nunes, Gabinete de Apoio ao Sobreendividado da Deco
Francisco Ferreira, Vice-presidente da Quercus

20 comentários:

O Homem dos Leões disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O Homem dos Leões disse...

Poupança


O “Vida Positiva” de antes de ontem e ontem, sustentava que devemos comer muita cebola e alho. Bom, calha bem na altura do “doçura ou travessura”. Lembra-me uma vez quando uma professora de Português e Inglês me pediu para dançar, várias danças, e ela logo naquele dia tinha feito a vontade ao “vida positiva”. Positivamente foi um sofrimento, e mesmo que eu saiba o que era, foi razão para me afastar dela, hoje passados muitos meses sei que fiz asneira, mas foi um suplício. Portanto a vida foi negativa, até agora pelo menos. Reversos da medalha, há processos de resolver o assunto, mas mais caros. Qual o interesse em ser um tio Patinhas se a pata é gastadora compulsiva. Contrariar ainda é pior, portanto é gastar não vá ela chatear-se.
Off-shores, 4.000 000$00 de reforma de “Miro Amoral” por 18 meses de emprego na CGDvt, mais o preço dos combustíveis, vamos então combinar uma excursão a Espanha, e a poluição de quem é a responsabilidade, etc. etc… Quanto mais poupo, mais pobre estou. Muito estranho, mas é assim. Chega, estou farto de comer cebola e alho só para poupar nas relações. Os ricos que paguem a crise!? não vejo nada, nada tin-tim, tudo na mesma.

Poupar, sim, agora moda também no amor, poupe-se, “os bichinhos um dia agradecem”, mas para muitas pessoas, melhor, "gentes", dizerem para poupar é um insulto e grave.

Anttónio

Florbela disse...

Boa tarde,

O dinheiro fácil está sempre à espreita.
Para mim, o mais revoltante, é ver apresentadoras como a D. Júlia Pinheiro a fazer publicidade para juntarmos os créditos todos num só!
Fazem programas televisivos que exploram a vida do comum dos mortais, mas quando toca a fazer publicidade e para ganhar mais dinheiro, não pensam ou eu pelo menos eu acho que não pensam, nas consequências dos seus actos.

Florbela

O Homem dos Leões disse...

Imaginação? Salmonelas, infecções alimentares = despesas médicas.

O facto de sair para ir tomar um café (não bebo), é também um acto social, depressões = despesas médicas.

Redistribuição da riqueza, isso não. Em Viana do Castelo precisam urgentemente trabalhadores da Construção Civil, oferecem 500 Euros de ordenado, (hum…talvez chegue para o gasóleo).

Frango? Não ouviram as notícias? Ainda bem que não como carne há muito, vegetariano à força.

Poupança ou avareza. Esbanjamento ou investimento.

Frederico Pinto disse...

Pois é. Cada vez é mais difícil poupar, mas temos todos que fazer um esforço sem recorrer a créditos, porque no fim de contas isso ainda dificulta mais a vida de quem pede empréstimos, mas às vezes é a única alternativa à sobrevivência. Ou isso ou roubar, mas como roubar é imoral, o melhor é recorrer ao empréstimo fácil.

Florbela disse...

Mesmo seguindo todos os exemplos de poupança, expliquem-me como é possível sobreviver com um ordenado mínimo.

Devíamos trabalhar para viver e não viver para trabalhar e ainda por cima, andar sempre a poupar!

CME disse...

Viva,

Advogar a poupança tornou-se politicamente correcto, mas, por vezes, interrogo-me sobre quantas pessoas que publicamente advogam medidas para poupar dinheiro efectivamente as colocam em prática.

Tornou-se demasiado comum ouvir afirmações do tipo «as pessoas deviam usar mais os transportes públicos - mas eu não posso, porque tenho de levar as crianças à escola» ou «as pessoas deviam tomar o pequeno-almoço em casa - eu não o faço porque não tenho tempo».

Assim, atrevo-me a sugerir um pequeno inquérito junto dos convidados do programa:
1 - quantos utilizaram transporte colectivo para se deslocarem até ao estúdio?
2 - quantos tomaram o pequeno-almoço em casa?


Parabéns pelo vosso interessante programa.

Cumprimentos,
Maria

Joana Gabi disse...

Gostaria que me esclarecessem se os paineis solares apenas servem para aquecer a água ou se também servem para a electricidade geral da casa.
Aproveitava para deixar a informação que as placas de indução utilizadas na cozinha consomem 30% menos de electricidade que as placas convencionais (achei interessante referiri isto pois até há dias desconhecia tal facto).
Obrigada pela atenção, Joana Pinto

Joao disse...

gosto muito deste tipo de programas que incentivam as pessoas a poupar e acima de tudo a ajudar o ambiente!
acho fantástico que a televisão publica faça realmente serviço publico!
Muitos Parabéns


Abraço

João
PS: Tomo o pequeno almoço em casa e vou para a escola de autocarro!!!

Miguel de Matos disse...

Os incentivos para andar de bicicleta são muito bonitos mas Portugal e as empresas portuguesas não têm infraestruturas para circular ou mesmo guardar as bicicletas.

No meu caso deixei de ir de bicicleta para o trabalho precisamente porque não tenho local para a guardar!

O Homem dos Leões disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O Homem dos Leões disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana disse...

Boa tarde.

Fala-se muito nos gastos de usar o carro e nas vantagens em substituí-lo pelos transportes públicos.
Mas há algo que me tira do sério ... Neste Verão houve o grande drama dos aumentos diários dos combustíveis que serviram para justificar os aumentos de tudo e mais alguma coisa, nomeadamente dos bilhetes dos transportes. Eu passei a pagar MAIS 15 CÊNTIMOS pelo bilhete! O que é um aumento bastante significativo. Ora, há semanas que os combustiveis têm vindo a descer estando já muito mais baixos. Porém, os 15 centimos continuam lá e o mais certo é que assim que houver novos aumentos exagerados dos combustiveis irão surgir novos aumentos injustificáveis (aos meus olhos) dos transportes públicos.

Isto não me parece justo e num país onde o ordenado minimo é 426€ fica dificil poupar.

Bruno Garcia disse...

porque os equipamentos de energias renovaveis na altura da constução de uma habitação o custo de paineis fotovoltaicos, termicos, e outros, não pode ser incluido no emprestimo habitação.
afinal uma pequena habitação quase se pagaria a si propria atraves da sua poupança obtida.

e ainda sou tecnico de quimica e estudante de engenharia. se eu decidir produzir o meu proprio biocombustivel que crimes legais terei a cometer( como a junta da ericeira)

e ainda o que é melhor para o ambiente e para a poupança carro novo o o meu velho carrinho a diesel bem poupadinho

O Homem dos Leões disse...

Painéis solares:

- Térmicos - só aquecer água
- Foto voltaicos - só energia eléctrica.

O Prof. Francisco pode explicar, mas tb pode não ter possibilidade.
---
Sexta-feira, quarto minguante, Bolinhos e “bolinhos” para mim e para vós,...saudades da minha juventude, aquelas moedas, rebuçados, nozes e castanhas foram tempos curtos mas maravilhosos. Logo é noite de dança. Que bom, mas não posso, tenho de poupar, até à gota final. Tristeza e amargura, Puro Encanto.

Bom feriado mesmo no dia de TODOS OS SANTOS, OU DIA DE FINADOS. Dia de visita aos nossos entes queridos que descansam em paz. Esperemos.
Anttónio

Florbela disse...

Resumidamente:
Passamos metade da nossa vida a tentar emagrecer e a outra a tentar poupar!

Bruno Garcia disse...

Saude,
a minha esposa esta gravemente doente de baixa e não tem medico de familia. como muitos outros milhares de portugueses. para realizar exames e consultas medicas temos que recorrer ao privado.
assim só este mes em tac e raios X gastamos 400€.

com isto dos 6000€ que o meu falecido pai, humilde operario poupou em toda a sua vida, ja foi quase todo gasto.
com a precariedade do meu trabalho e do da minha esposa

facilmente entramos em desespero~

eu só queria mesmo um medico de familia aqui em odivelas

lady_blogger disse...

Ainda há dias li algo do género: que o segredo não está em saber poupar mas sim em saber comprar.
Eu diria que tudo é importante para bem gerir os poucos tostões.
A pensar nas poupanças criei domínios nessa área e o blog euroniosonde às vezes falo e dou dicas exactamente disto e de outras matérias.

Será assim tão difícil começar a poupar?

CC

Maria Mendes

Cinderela disse...

Boa tarde,

Acho muito importante este tipo de programas. No entanto, para mim nada neste programa foi novidade. Já utilizo todas estas medidas. Como sou licenciada e mestre em engenharia do ambiente, ex-aluna do Professor Francisco Ferreira, o qual saúdo desde já, fiz parte das 225 eco-famílias da Quercus, facilmente percebemos que em termos de poupança, pelo menos ambientais, sou um ás. Não fumo, não bebo, já não vou ao cinema, já não sei onde poupar mais.
Era professora Assistente num Instituto Politécnico, e por causa de Bolonha vim parar à rua numa época em que ainda não havia subsídio de desemprego para esta carreira profissional (2007). Estou desempregada desde então. Que fizemos nós? Deixei a minha casa arrendada e fui para casa da minha mãe que é viúva. Repartimos assim as despesas. Já poupam 2 famílias! Tenho vendido e trocado roupas e outras coisas através de um blogue que criei na internet. Não tenho créditos. Tive que me desassociar de algumas instituições (a Quercus foi uma das associações). Deixei de subscrever algumas das revistas técnicas. Enfim, não sei mais onde poupar! E como eu, quantos portugueses estarão nesta situação?

O Homem dos Leões disse...

Algumas justificações poderão ser discutíveis e outras até descabidas.
Até hoje, também não percebi qual a razão porquê um empresário (micro ou macro), não tem direito a subsidio de desemprego e até nas baixas medicas é descriminado fortemente, não tem direito. Já nem falo socialmente, imagino o Eng Belmiro sem nada, ninguém lhe ligaria. Eu sei bem do que falo, quando por cima, era só "querer", agora perdi valor, gosto de perceber como atuam certas pessoas!? A estrutura e organização de todo o Estado e afinal a sociedade è um autêntico chamariz para a promiscuidade. Um dia as coisas mudaram, espero por métodos aceitáveis.
Quem está de boa fé, não tem hipótese, ao que chegámos.

Anttónio