sexta-feira, novembro 21

Microcrédito – poder aos pobres

Chegou há 10 anos a Portugal e investiu em quem queria investir mas não tinha como. O microcrédito é uma solução para a pobreza pois permite quem não tem quaisquer recursos, mas tem ideias e capacidade de empreender, obtenha pequenos financiamentos para começar o seu próprio negócio.
Queremos mostrar-lhe as mais-valias deste tipo de iniciativas e exemplos daquilo que tem sido esta ferramenta financeira.
Se tem uma ideia de negócio ou está desempregado(a), aproveite este Sociedade Civil para se informar sobre algumas formas de viabilizar a sua ideia de negócio.

Convidados:
Manuel Brandão Alves, Presidente da Associação Nacional de Direito ao Crédito
Américo Mendes, Professor na Universidade Católica do Porto
João José Fernandes, Director executivo da OIKOS
Luísa Valle, Directora-adjunta da Secção da Saúde da Fundação Calouste Gulbenkian

4 comentários:

lady_blogger disse...

Microcrédito é por mim reconhecido como o crédito dos pobres. Considero-o útil e uma tábua de salvação para quem parco de recursos económicos sempre viu gorada qualquer hipótese de créditos bancários.
Um banco ao contrário do microcrédito, não empresta por solidariedade e por que acredita nas ideias de negócios, mas sim porque quem lhe pede crédito apresenta contrapartidas financeiramente abonatórias para as entidades bancárias.
O impacto do microcrédito tem sido tal, que em 2006 o seu criador Muhammad Yunus, recebeu o Prémio Nobel da Paz.

CC

Maria Mendes

Florbela disse...

Boa tarde,

Após abertura do negócio, existe acompanhamento da parte da associação?

Florbela

Ana Oliveira disse...

eu tenho uma ideia e ao procurar ajuda todas as portas me foram fechadas... inclusive no centro de emprego ao dizer que era uma empresa de serviços , disseram logo que nao financiavam...e logo nao ajudavam...eles que deviam ser os 1ºs porque ao criar uma empresa estou a criar possiveis postos de trabalho.... agora vejo que informações ou ajuda so no microcredito? ou entao ir a uma contabilista ou consultor e pagar p isso...mas se o meu problema e falta de dinheiro..isso so agrava a situação, verdade... associações empresarias ajudam....? a que tentei contactar nunca me atenderam o telefonema.... e assim continuo a espera que surja ajuda de algum lado.vou procurando mas não é facil....

Ana Oliveira disse...

esclareço agora que é uma uma ideia para uma empresa de prestação de serviços nas mais diversas areas... e tenho 26 anos e moro em lisboa.