quarta-feira, maio 13

Sacerdócio feminino

A discussão começou na Igreja Católica – as mulheres não podem ser ordenadas porque “Cristo só escolheu homens como apóstolos” e porque foi sempre assim.
As vozes contrárias às palavras de João Paulo II sublinham o facto de “Jesus não excluir as mulheres do seu dia-a-dia.”
E nas outras religiões? Como é que as mulheres entram para o sacerdócio? Qual o papel delas? Se na maioria dos casos são as mulheres que aproximam as famílias das igrejas, o que pode acontecer se não lhes é dada a oportunidade de participar?
No momento em que se discutem as quotas na política, o SC trata a ausência de quotas nas igrejas.

Convidados:
Esther Mucznik, Comunidade Judaica e Co-coordenadora do Dicionário de Judaísmo Português
Frei Bento Domingues, Teólogo
João Paiva, Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género
Ana Vicente, Movimento Internacional Nós Somos Igreja

10 comentários:

Johnny disse...

Penso que os Quakers foram o primeiro grupo cristão a reconhecer a igualdade entre homem e mulher:
"And some men say, “Men must have the Power and superiority over the woman, because God says, ‘The man must rule over his wife, and that man is not of woman, but the woman is of the man’” (Gen 3:16). Indeed, after man fell, that command was. But before man fell, there was no such command. For they were both meet-helps. They were both to have dominion over all that God made. . . And as man and woman are restored again, by Christ, up into the image of God, they both have dominion again in Righteousness and Holiness, and are helps-meet, as before they fell." George Fox, 1674

Em relação às "quotas" penso que isso contraria a igualdade de sexos. Homem e mulher devem ser iguais em direitos e não as mulheres terem mais direitos que os homens para serem mais iguais que os homens.

Joana disse...

Numa época em que, em plena antiguidade clássica, havia sacerdotisas (tanto na religião grega como romana), Cristo opta apenas por escolher apóstolos.
Se no tempo de Cristo havia mulheres a oficiar noutras religiões, não será por acaso que Cristo escolhe apenas homens.
Quer queiramos, quer não, ainda hoje (e não podemos pensar só nas nossas culturas europeias, pois a igreja é católica, isto é, universal) ainda hoje, dizia, se tornaria difícil que a sociedade e as culturas aceitassem a autoridade por parte de uma mulher. Vejam os exemplos nas diversas repúblicas ocidentais: onde é que uma mulher foi eleita para presidente de uma república? E a maioria da população não é feminina? Nem as mulheres votam nelas próprias...
Também a Virgem Maria, sendo quem era, podia aspirar a um "cargo" mais elevado dentro da Igreja, mas soube reconhecer o seu lugar. O problema é ver-se esta questão como uma questão de poder, de ter cargos. Se se conseguirem despir desta mentalidade (muito presente na sociedade: poder económico, poder político, etc., etc.)
Este Senhor Paiva não faz ideia de quem foi S. Paulo, nem do que ele ensinou, nem de como foi constituída a hierarquia da Igreja. Veja-se o exemplo que ele traz da Antiguidade Clássica: a Helena. Isto não é ter uma perspectiva global da História, dos problemas. Isto é pegar numa coisinha muito particular e tentar generalizá-la. Onde está a seriedade disto? Procurem especialistas em condições...
Joana Costa

Filipa Passos disse...

Poderemos chamar a Nossa Senhora, "Mãe-Sacerdote?
O Vinho não será o Seu próprio Sofrimento de Mãe e o Pão, a Palavra de Deus?

Daniela disse...

É importante reparar que o sacerdócio é um serviço que se presta a uma determinada comunidade... Não há uns mais serviços mais importantes que outros pois todos são necessários numa comunidade...
O serviço dos homens é o sacerdócio e o das mulheres a vida de clausura... Porquê? Tão simples cquanto isto: Os sacerdotes representam Cristo na terra e Cristo escolheu a Igreja como sua esposa... Por isso é que apenas homens podem ser sacerdotes porque casam com a Igreja de Cristo. O mesmo acontece com as mulheres que quando entram para um convento dedicam a sua vida a cristo... casam com ele...

Daniela Azul

Susana disse...

Não é apenas o Sacerdócio que está vedado às mulheres, é também o acesso ao saber - os Seminários são destinados exclusivamente aos homens. Assim, entre outros factores, esta é uma das razões que me afasta da religião.

Maria Marques disse...

Quer queiramos quer não, os homens tomaram conta do poder e não admitem abdicar dele, ainda que se pregue que não é uma questão de poder mas de serviço.
Pergunto aos presentes: na pirâmide que apresentaram qual deles não é filho de MULHER? Que qualidade de filhos são eles que nunca admitiram que as suas mães fossem tão competentes como eles para o "serviço" de chefia da Igreja dita católica?

Maria Marques

Joana Veigas disse...

Boa tarde!
Parabéns pelo tema em debate! É interessante ver como cada religião encara a posição da mulher.

Sou católica, e falo um pouco sobre isso.
Como já foi falado, Jesus apareceu primeiramente às mulheres, e Jesus sempre teve compaixão pelos que mais necessitavam, dos que eram oprimidos (lembro-me da mulher adúltera que estava para ser apedrejada e Jesus disse: "Quem nunca pecou que atire a primeira pedra!").
Jesus protegia as mulheres, Maria (que celebramos hoje em Portugal), foi a escolhida para uma grande missão.

As mulheres já ganharam muito ao longo dos tempos. Pensemos.. Porque é que Jesus acolhia tanto as mulheres? Porque naquela época elas eram oprimidas, não tinham um lugar no culto.. Eram excluídas... E Jesus acolheu-as como elas mereciam, com Amor!
Só porque as mulheres não têm um lugar de grande destaque nos lugares da Hierarquia, não quer dizer que não tenham importância, não quer dizer que quando se criou a Hierarquia tenham sido ignoradas..
Todos temos o nosso lugar, e as mulheres não têm nem mais nem menos lugar na Euaristia do que qualquer um dos fiéis lá presentes, pois tal como os homens, temos os seguintes lugares: leitoras, cantoras, acólitas, ministras da comunhão.. Só não podemos ser sacerdotes.. E isso não faz de nós com menos dignidade..

Resumindo, as mulheres têm a sua importância na Igreja, e não precisam ser presbíteras para terem dignidade. A mulher tem a sua dignidade e tem o seu lugar, de auxiliar na anunciação do Evangelho.

Apresentando isto, não quer dizer que não aceite as mulheres ordenadas, desde que seja assim designada pela Santa Igreja.

Obrigada pelo espaço de diálogo!


Joana Veigas
(estudante do 2º ano de Teologia)

DJ Carlos disse...

Acho que as mulheres deveriam ser ordenadas, se tivermos que verdadeiramente analizar o que diz as escrituras e o que foi recentemente descuberto, Maria Madalena era uma das pessoas mais importantes para cristo, se nao a mais importante, a ponto de cristo ter dito coisas a Maria Madalena que nao disse aos outros apostolos.

DJ Carlos disse...

Acho que as mulheres deveriam ser ordenadas, se tivermos que verdadeiramente analizar o que diz as escrituras e o que foi recentemente descuberto, Maria Madalena era uma das pessoas mais importantes para cristo, se nao a mais importante, a ponto de cristo ter dito coisas a Maria Madalena que nao disse aos outros apostolos.

DJ Carlos disse...

Olhando numa prespetiva religiosa, nos vivemos no mundo do diabo, aonde sentimos dor, magoa,etc... Tal como falarmos em mulher/homen, preto e branco, pobre e rico, honesto e criminoso,Cristao, Judeo ou outra religiao, etc...

Acredito que no mundo de deus este assunto nao seria debatido. Acho tambem que seremos todos iguais.

Movimentos religiosos sao uma maneira do diabo manter odio e conflito entre pessoas e desviar a verdade que deus e so um e nos somos todos criados por ele.