quarta-feira, setembro 23

Psicanálise: terapia ou dependência?

No dia em que se assinalam 70 anos da morte do pai da psicanálise, Sigmund Freud, interrogamo-nos sobre se a sociedade contemporânea está dependente do “divã”.
A adesão dos portugueses ao apoio de psicólogos, psico-terapeutas, psicanalistas e apoios de auto-ajuda tem vindo a crescer. Porquê? O quotidiano, o trabalho, o stress ou a relações são fontes de angústia e ansiedade? É cada vez mais difícil manter uma rede coesa de amigos, a família está cada vez mais longe e quando todos estes apoios emocionais falham recorre-se à ajuda profissional.
Depressões, solidão, divórcios, aparecimento de doenças e fim de relacionamentos são o top mais dos motivos que encaminham os portugueses para os divãs dos terapeutas.

Convidados:
Luís Miguel Neto, Psicólogo
João Seabra Diniz, Psicanalista e Vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Psicanálise
Manuel Peixoto, Psicólogo e Terapeuta Familiar
Ana Loya, Directora Empresa de recrutamento

23 comentários:

Pedro e Pedro (filho) disse...

Boa Tarde,
Eu devido ao stress no trabalho e a problemas financeiros comecei a ter ataques de ansiedade, depressão, sistema nervoso alterado, e mesmo com o apoio da familia não conseguia manter a minha saude mental, por isso tive que recorrer ao apoio profissional, psiquiatra, que me tem acompanhado e ajudado.
Com essa ajuda tenho-me sentido melhor, mais equilibrado psicologicamente.
Devido a este problema esteve em causa o meu relacionamento com a minha esposa.
Pedro Gomes

Nuno Miguel borges Moura disse...

Acho que a psicanálise poderá resolver certas ansiedades naturais do ser humano, em certos casos evita a dependência de farmacos que, esses sim, podem levar à dependência para toda a vida.

Nuno Moura de Lousada

Rachid Oliveira disse...

Eu acho que os portugueses(e como o resto do mundo ocidental), estão cada vez a aderir mais ao apoio psicológico, por várias razões:
Principalemte, porque a psicanálise está a ocupar o lugar que era exlusivamente reservado à relegião.
E também ir psicólogo, era considerado, um sinal de fraquesa, e seria preciso só na extrema "loucura".

O homem e a mente disse...

Muito interessante o tema.

O grande problema da dependência das terapias está mais relacionada com os paciente do que com o terapeuta. Nascemos e crescemos numa sociedade em que nos ensina, principalmente a não depender de nós mesmos. Ou seja, somos educados a não acreditar no nosso Eu.

A dependência do/a terapeuta está muito associada falta de segurança, mas também ao medo de enfrentar a si mesmo. É típico que pessoas com este problema tenham dificuldade a se enfrentar no espelho.

Estas formas só funcionam se o paciente realmente tiver coragem de querer mudar, porque boa parte das pessoas, vão para o terapeuta para que eles resolvam os problemas para eles.

Os perigos muitas vezes está também no terapeuta, quando se baseia muito em padrões descritos muitas vezes cientificamente e não conseguem chegar ao estado emocional do paciente.

Boa parte são problemas emocionais, auto-estima, escrevo muito sobre isso no meu blog, e principalmente medo.

O homem e a mente disse...

Também é necessário perceber que ser feliz não é estar sempre feliz, ser feliz também envolve saber passar pelos momentos menos felizes ou infelizes.

O Richid tem razão no que diz, porque o mesmo ocorre com muita gente que tem problemas e andam de igreja em igreja atrás de soluções.

Luciana Faria disse...

Acho importante destacar a diferença entre o psicólogo, o psiquiatra e o psicanalista. Embora tenham semelhanças, não são a mesma coisa.
Creio que os prifissionais presentes podem clarificar.
Fiz 3 anos de análise, no Brasil, e considero este um processo também de auto-conhecimento muito poderoso e que contribui imenso para várias curas, não só da psique, mas físicas. Vide por exemplo os casos de doenças auto-imunes, como o vitiligo, e que muitas vezes as pessoas desconhecem o contributo da psicanálise.

Maria Lurdes disse...

Boa tarde,antes de mais vejo sempre o vosso programa e adoro os temas nele debatidos.Há cerca de 3 anos fiz uma série de sessões de Psicanálise para tentar resolver um problema emocional antigo (de infância),e deu óptimos resultados,pois até à data estou completamente curado!
Eduardo Lopes.

Ein disse...

No meu caso sempre foi mais fácil pedir ajuda a um desconhecido e falar mais abertamente sobre os meus problemas do que com uma pessoa próxima de mim.
Não sei se é assim com todas as pessoas, talvez o medo de sermos julgados, ou humilhados, não nos faça falar muito abertamente.
Inês Mendes

Megaklique disse...

Sempre fui um individuo com uma personalidade muito forte e vincada, e quando conheci a minha esposa agradou-me o facto de ela ser na altura o oposto de mim. Com o passar dos anos consegui que ela contornasse dificuldades de caracter e personalidade e hoje é uma mulher autonoma, independente e muito realizada profissionalmente. Para ela foi uma terapia de psicanalise matrimonial que obteve ao longo de 7 anos de casamento, para mim foi um sucesso de partilha de comportamento optimista que me define.

Liliana disse...

Boa tarde.

Como devemos encarar, sinais de uma psicose do tipo persecutivo onde, apenas as alucinações não fazem parte dos sintomas?
Será que se trata de uma psicose ou apenas uma paranoia?
Será a psicanálise um meio para tratar a sensação de "perseguição" ou poderá explicar isto?
Que profissional estará mais indicado para ajudar neste campo, psiquiatra ou psicologo?

Sandra disse...

Sou brasileira, casada com um portugues; e temos uma filha de 6 anos. No Brasil eh normal as pessoas fazerem analise. Nao ha discriminacao e a pessoa nao eh encarada como uma doente mental. Fiquei surpresa com a resistencia e discriminacao dos portugueses com a terapia. Eh cultural? Ou trata-se apenas de uma impressao minha?

Bárbara disse...

Boa tarde,
tenho uma questão a colocar aos seus convidados de hoje:

Como é que eu posso ajudar o meu marido?
Ele está em depressão desde que o pai dele morreu há 15 anos atrás.Nunca procurou ajuda e há pouco tempo confessou que não tem vontade de viver, só se mantem vivo pela família. Acredito que se eu lhe pedir ele irá procurar ajuda num psicólogo, mas apenas o fará para me fazer a vontade.

Como é que se pode ajudar alguém que não quer ser ajudado?

Muito obrigado a todos

Os meus cumprimentos

BF

Vitor disse...

Realmente é tudo muito bonito, mas o preço das consultas de psicologia ou psicanálise, são exagerados para o comum dos portugueses que ganham pouco.
Acho que esses psicólogos não tem interferência eficaz na sociedade. Aliás, quem consulta esses pseudo-corporativistas da saúde mental são alimentados pela classe média alta/alta.
Acho a psiquiatria uma ciência médica eficaz, aliás Freud era médico de formação, o resto são académicos fala-baratos.

Obrigado pela atenção
Vitor Manuel

Vitor disse...

Realmente é tudo muito bonito, mas o preço das consultas de psicologia ou psicanálise, são exagerados para o comum dos portugueses que ganham pouco.
Acho que esses psicólogos não tem interferência eficaz na sociedade. Aliás, quem consulta esses pseudo-corporativistas da saúde mental são alimentados pela classe média alta/alta.
Acho a psiquiatria uma ciência médica eficaz, aliás Freud era médico de formação, o resto são académicos fala-baratos.

Obrigado pela atenção
Vitor Manuel

Jo disse...

A psiquiatria é uma ciência eficaz apenas porque é sustentada pelo serviço nacional de saúde e pelos fármacos que grande parte dos psiquiatras tanto gostam de receitar.

Os psicólogos não têm interferência eficaz porque grande parte trabalha em privado, o que faz com que este serviço seja exclusivo para pessoas "com dinheiro".

maria amélia disse...

Queria apenas deixar uma retificação à Dra. Ana Loya quando diz que ninguém antes de Freud havia referido o inconsciente. Schopenhauer, um filósofo que viveu, escreveu e publicou pelo menos 50 anos antes de Freud, intuiu e explicou muito do que Freud popularizou, incluindo o enorme poder do inconsciente. Esta informação, complementada posteriormente, chegou-me por um livro "A Cura de Schopenhauer" do autor psiquiatra Irvin Yalom.
Penso que a terapia e o trabalho de psicólogos devia ser muitíssimo mais aproveitado nas escolas e durante o crescimento das crianças (em articulação com as famílias e os grupos de amigos), pois "pau que nasce torto (em más situações), tarde ou mal se endireita" (reproduzindo as más situações). Pessoalmente sinto muitas dúvidas em relação ao crescimento saudável da minha filha, que poderia tirar com um psicólogo que deveria haver na escola dela.

Helga Marques disse...

O Olhar de nós próprios pode ser auxiliado por outrém e por via individual.

Acredito que a psicanálise é adequada apenas para algumas pessoas pois existem outras formas de terapia que resultam de terapias não analíticas.

Acredito que as pessoas devem trabalhar de acordo com as suas características e que o/a terapeuta deve ser um/a agente responsável para encaminhar quando o mais adequado for "descobrir-se" com uma outra forma de terapia.

Contudo, reconheço e ressalvo que Sigmund Freud foi um visionário e revolucionário na área da terapia e na construção da mente "dita" moderna.

Helga Marques (psicóloga)

panterinha disse...

A efectividade da psicanálise depende muito da relação entre o paciente e o psicanalista, da empatia que se estabelece.

Sónia disse...

Boa tarde,
gostaria de saber se são eficazes as terapias através das novas tecnologias tipo skype, para situações de ansiedade generalizada e ataques de pânico?

Joana disse...

Boa tarde.

A ansiedade a nível escolar e a falta de confiança levou-me a procurar ajuda psicológica. Reaprendi a pensar, valorizar-me um pouco mais e a encarar a vida de forma diferente e mais positiva.
É importante debater estes temas para deixar de existir a "vergonha" de procurar ajuda, porque ainda existe a ideia de "quem vai ao psicólogo ou psiquiatra deve ser maluco".

Joana - Coimbra

Antístenes disse...

Boa tarde,
gostaria de referir os seguintes pontos:

- O SNS oferece servicos de psicologia, por exemplo nos Centros de Saude da Penha de Franca ou de S. Joao em Lisboa.

- Questoes:
1. o que os presentes acham das Teorias do Prof. Norberto Keppe - propos o conceito de Teomania (mania de ser Deus, ou seja, cada acha que deve ser o centro das atencoes e que o mundo deve girar a sua volta) como base dos problemas individuais;

2. e da sua Psicanalise Integral que considera a dimensao espiritual?

RENATOGOMESPEREIRA disse...

Interessante perceber o que é a confissão dentro do fenómeno religioso ou da relação Homem-Deus...
O catolicismo há muito tempo que ensina aos seus membros uma forma eficaz de auto-análise preparatória para a confissão a Deus dos seus pecados...O crente auto psicanaliza-se e se auto pune ou auto desculpa ou se auto redime dos actos cometidos ou respectivas omissões "lavando" assim a sua alma...
Depois ( ou paralelamente?= apareceram as cartomantes e quiromantes, os magos e outros afins...que revelavam o "oculto".. e mais trade os psicólogos eos psicanalista... "coisas das modas"...Ou nem por isso? Tudo são psicoses ou psiconeuroses?

Dona GeGê disse...

Bom dia,

Sou psicóloga e estou a assistir o programa do sociedade civil (reprise transmitido pela manhã).
Achei interessante o tema proposto pelo programa, embora confesse que o achei incrivelmente abrangente (felicidade, auto-ajuda, dependência, imaginário popular sobre a terapia, Freud, cinema), o que torna possível apenas passar pelos temas sem aprofundá-los realmente.
Um detalhe no entanto me incomoda na forma de transmitir o conhecimento dito de domínio psicológico. A psicanálise não é a mesma coisa que psicologia. Existem uma série de abordagens psicólogicas, dos quais a psicanálise representa uma das constelações. O que leva também a importância de destacar que psicálise não é a única opção psicoterapêutica. Interessante que o programa não se preocupou em convocar psicólogos de outras linhas de abordagem: cognitivista, comportamental, rogeriana. A princípio parecia fazer sentido diante da comemoração dos 70 anos da morte de Freud. Mas, quando vemos o público ser informado de temas tão variados como se eles fossem tratados apenas pela psicálise e como se ela representasse o pensamento dominante da psicologia, me deixa incomodada.
Por que não convidar profissionais de várias abordagens? por que não falar de alguns problemas?
Quanto ao tratamento psicólogico gratuito, não há clínicas escolas nas universidades? Eu sou brasileira e de formação no Brasil, mas creio que toda universidade possui uma clínica escola. Os convidados não tinham raízes acadêmicas... será que desconhecem esses serviços?
De qualquer forma, sempre fico satisfeita de observar o interesse das pessoas na psicologia de forma geral.
Atenciosamente