sexta-feira, outubro 23

Hollywood no Algarve

Não se espante se no próximo verão se cruzar com Brad Pitt, Penélope Cruz ou Al Pacino. É que está já prevista para Portimão a rodagem do filme "Le Mans", um entre as várias dezenas que irão ser produzidos no Algarve. O clima excelente, as óptimas condições para filmar e uma paisagem variada despertaram as atenções dos produtores internacionais. Os responsáveis pela "Picture Portugal", a iniciativa que transformará o Algarve numa CineCitá, garantiram que até 2011 serão construídos cinco estúdios, num investimento de 20 milhões de euros. Resta saber em que é que todo este cenário contribuirá para o desenvolvimento do Pais e da 7ª arte em território português

Convidados:
Paulo Pereira, Algarve Film Comission
Pedro Mexia, Sub-diretor da Cinemateca Portuguesa
Catarina Wallenstein, Atriz
António Pedro Vasconcelos, Realizador

8 comentários:

dávida disse...

Olá Boa tarde.
O meu nome é Diogo Carvalho, sou músico e compositor.
A minha dúvida é a seguinte: as comitivas norte-americanas que virão a Portugal utilizarão recursos portugueses de pós-produção ao nível de criação de bandas sonoras? Ou de outra forma realizarão a pós-produção no país de origem com compositores norte-americanos?
muito obrigado e continuação de um bom programa
Diogo Carvalho

JewelBoy disse...

De entre os actores/actrizes mencionados na reportagem esqueceram-se de referir a actriz Daniela Ruah a participar na série da CBS: «NCIS Los Angeles» que está decorrer nos EUA

Alexandre disse...

Boa tarde:

Gostaria de salientar o facto de que para que o cinema nacional funcione, antes de construir estúdios, é necessário em primeiro lugar existir em Portugal formação artística de grande qualidade, o que infelizmente não existe. Precisamos de bons actores por exemplo como foi o Mario Viegas, bons argumentistas e bons realizadores. Olhemos para Espanha que acarinha e saúda o seu cinema e os seus intervenientes neste caso Almodovar. Falta-nos talento e erradicar a ditadura da mediocridade que premeia o que é mau e destroí o mérito.

Alexandre Melo

Alexandre disse...

Boa tarde:

António Pedro Vasconcelos critica o financiamento do cinema por parte do estado, mas recorre a ele para fimar.

Alexandre disse...

Boa tarde:

Gostaria de deixar uma questão para António Pedro Vasconcelos quando diz que não conhece ninguém no estrangeiro que conheça o cinema português:

Então e João César Monteiro que ganhou em Veneza o prémio máximo? e Deixou uma obra e reconhecido internacionalmente como o último sopro surrealista europeu.

Pereira, Paulo disse...

O problema do cinema português é o facto dos realizadores e argumentistas, fazerem filmes não para o publico mas eles próprios...
Os americanos fazem filmes para divertir o publico e os portugueses para deprimir. Penso que já chega do filmezinho europeu em que a mulher divorciada e alcoolica abandona o filho que acaba na droga...
O melhor fime português da década acaba por ser o "Arte de roubar" por ser um filme "comercial" que divertiu o publico. O cinema não tem de ser inteligente, tem de ser interessante.

Hugo Cunha disse...

O nosso cinema já está bem melhor, pois basta por exemplo ver o último Filme de de Joaquim Leitão A Esperança Está Onde Menos Se Espera que já á 3 semanas está em nos cinemas onde eu vivo que é Castelo Branco, se ninguêm o visse ao fim de uma semana já o tinham trocado por outro parabens pelo seu sucesso que já o vi e não é mau de todo.
Em Espanha e França faz se bom cinema(nõ falo só do Almodovar, procurem por exemplo Lás 13 Rosas aconselho vivamente) porque raio é que por cá não. O nosso cinema precisa de bons guiões, novos realizadores(alguns estão tão formatados a novela que julgam que fazer um filme ou uma série que é igual e não é é muito diferente) e de mais dinheiro claro está.

Sylvie disse...

@Pereira, Paulo
"O cinema não tem de ser inteligente, tem de ser interessante."
E porque não as duas coisas juntas?