quarta-feira, outubro 21

O renascer de Angola

Angola é neste momento o principal destino dos emigrantes portugueses altamente qualificados. São já 100.000 os que se deslocaram para a ex-colónia – a maioria a convite de empresas portuguesas ou angolanas, os restantes na esperança de encontrarem um melhor modo de vida. No sentido inverso vão os imigrantes angolanos em Portugal, que começam a regressar ao país de origem. Por outro lado, cerca de 5% do valor da bolsa portuguesa pertence a angolanos, o que revela o peso do capital daquele país na economia portuguesa. Angola é o novo Eldorado para Portugal? Que vantagens podemos retirar desta ligação? Que oportunidades existem para os emigrantes?

Convidados:
Luís Castro, Jornalista
Ana Paula Tavares, Escritora e Historiadora
Aly Neto, Associação de Estudantes Angolanos Portugal
Carlos Bayan Ferreira, Presidente da Direção da Câmara do Comércio e Indústria Portugal – Angola

12 comentários:

hc disse...

Bom dia...
Angola não é só o "El Dorado" de Portugal. É de muitos outros países; multinacionais que vêem ali uma oportunidade fantástica de negócio. A este ritmo de crescimento, Angola vai a médio prazo tornar-se numa potência económica. não me espanta, por isso, que os imigrantes angolanos residentes no nosso país optem, mais dia menos dia, por regressar à sua pátria, por razões culturais e económicas também.

vinicius disse...

boa tarde...
Em um notorio crescimento de um pais chamado Angola.preocuma-me saber se irão dar o devido valor a mão de obra nativa seja ela qualificada ou não.

aderyto disse...

Angola não é um país em desenvolvimento, mas um país à saque. desenvolvimento entende-se em todas as perspectivas: social, economico, finaceiro e cultural. em Angola apenas assite-se o desenvolvimento financeiro às custas dos recursos. por outro lado o desenvolvimento social ainda cresce negativamente, no último trimestre a inflação situou-se nos 13%. quanto será a dívida externa angolana? quantos hospitais estão sem médico e medicamentos? Angola esta' bem para os estrangeiros e mal para os angolanos.

aderyto disse...

As universidades angolanas nao têm qualidade. As privadas são um mero interesse financeiro do que académico. chama-se universidade a uma caixa oca, onde nao se produz conhecimentos? como podem os estudantes pesquisarem ou investigarem se nao existem bibliotecas? ides aos google e procurais os artigos cientificos produzidos em Angola. nada, um simbolico numero Zero. 0.

José Costa disse...

Um facto:fomos colonos em Angola, mas a Angola criola prova o "tipo" de "colonialismo" que implantámos no país. Tal como aconteceu com todas as outras colónias, especialmente o Brasil onde crámos o Primeiro e único Reino da América do Sul!
A maior parte dos portugueses chegaram a Angola, não porque corressem atrás da "àrvore das patacas" mas como qualquer imigrante, em busca de uma vida mais estável fazendo de Angola a sua terra natal".
Fomos corridos e mortos em Angola. Tratados pelos Abrilistas como assassinos e gente a correr de qualquer maneira daquele que era o seu país. Angola com isso ganhou uma guerra fraticida e novos colonialistas, porém estes - China, URSS e Cuba - não se integraram nem se integram na sociedade tal como aconteceu com os portugueses.Esses sim estão em Angola para ganhar o máximo dinheiro e sair quando satisfeitos!

Cláudia disse...

Numa altura em em que Angola se está desenvolver a um ritmo galopante, parece pertinente que se questione qual o modelo de desenvolvimento a fomentar. O "desenvolvimento" dos países actualmente no topo (a começar pelos ocidentais mas não só) tem-se feito de forma desiquilibrada, nomeadamente ao nível de direitos humanos e/ou respeito pelo ambiente, ao não se considerarem estes tópicos nos valores de base do desenvolvimento e, até, ao serem considerados estes pontos estorvos para crescimento económico. É importante perceber que um planeta sustentável a nível ambiental e humano é um planeta sustentável economicamente. Angola é uma excelente oportunidade para se fundar o desenvolvimento em pilares de sustentabilidade global, o que é do interesse de todos!

aderyto disse...

Angola tem quadros suficientes para crescer sustentalmente sem pagar os salários chorudos aos mercenários ou ditos "chulos da pobreza". Falta em angola a meritocracia e a transparência dos concursos públicos. Portugal vê angola com mero interesses financeiros, por isso nao tem ajudado os angolanos em matéria dos direitos humanos. a Banca portuguesa instalou-se em angola, mas nao tem ajudado os pequenos empresários. Chamam-lhes parcerias luso-angolanas ... talvez para os lusitanos e os seus accionistas.

José Costa disse...

Falando em corrupção! «Mais de 21 milhões de dólares recebidos por altos responsáveis do regime angolano no caso que envolve o negócio ilícito da venda de armas da Rússia a Angola passaram por bancos portugueses em Lisboa e Almada, revela o jornal Público esta sexta-feira».
Falando em corrupção! A filha do presidente é detentora de uma das maiores fortunas de África.
Falando em corrupção! Mário Soares e as guerras sobre diamantes de sangue, "recolhidos" em terra supostamente Angolana.
Falando em corrupção! E o que dizer do roubo generalizado dos recursos de Cabinda, estado que não pertence a Angola e que os Abrilistas "graciosamente" acrescentaram ao território Angolano!

ana_Garcia94 disse...

Crecimento não é sinónimo de desenvolvimento. O crescimento de alguns sectores em Angola, tem servido para alguns grupos, locais e estrangeiros, enriquecerem, a começar por aqueles que estão no poder e q são detentores de fortunas imensas q esbanjam em lojas de Paris, enquanto em todo o lado grassa a miséria e a doença... As taxas de mortalidade infantil são imensas... Investe-se menos em Educação do que no Ruanda... Penso mesmo que interessa manter a maioria da população na miséria e na ignorância...só assim os interesses sempre dos mesmos, continuarão a ser satisfeitos... Pobres destes governantes e elites actuais, se o povo angolano fosse esclarecido e vivesse com o mínimo de dignidade, em democracia e liberdade... Seriam destituídos! Em Angola está tudo por fazer ao nível do desenvolvimento!

Pedro disse...

Boa tarde querida Fernanda,fico muito feliz pelo tema,porém os elogios a Angola são excessivos.Angola tem sérias lacunas naquelas que são as necessidades básicas ou fundamentais:saúde,educação e segurança.Precisamos,tal como Portugal,de uma reforma do sistema judicial e do sistema político.Só assim será possível desenvolvermos o nosso grande país.
PN

Rita disse...

Boa tarde. Sou uma recém licenciada em veterinária e tenho tido dificuldade em encontrar trabalho na minha área de estágio, que é segurança alimentar.Pensei várias vezes em emigrar.Tenho uma filha pequena e preocupa-me a segurança e a qualidade de ensino...Falara-me que existem ainda muitas diferenças sociais.Falam da necessidade de engenheiros e de veterinários?:)
Como fazer chegar o meu CV a Angola?Através da embaixada?

cazimar disse...

Angola, o país que muitos procuram o luxo, coabitando com o lixo, à imagem que são a maioria dos países africanos.
Angola, não será uma excepção, principalmente por ser um dos países do contimnente africano dotado de muitas riquezas, que originam a desigualdade social devido à ganância quer do poder, quer do potencial investidor (empresas).

Para muitos é uma necessidade quase imperiosa que se fale bem de Angola no exterior.Estão em risco investimentos grandiosos, cujo o retorno deve ser recuperado a curto prazo de preferência sem instabilidades sociais, que coloquem em causa esse mesmo retorno.

Outro facto relevante, é a facilidade como uma das filhas do Presidente de Angola, consegue aplicar as receitas do saque que faz ao próprio povo angolano, em Portugal.Porque razão, ela não aplica essas receitas em Angola ?

Porque ela sabe, que a fobia por Angola, é sol de pouca duração, sem segurança e muitos vão ser as vítimas dessa fobia.

Peço desculpa, pelas minhas palavras de revolta, mas a grelha pelo qual vejo o meu país, não é a grelha de procurar agradar o luxo que o poder do dinheiro proporciona, ignorando o lixo e a miséria do povo.

Basta de hipocrísia.Até parece que Angola, está à venda e que todos lutam pelo melhor oferta na sua compra.