sexta-feira, novembro 20

Direitos das crianças: faltam leis para as proteger?

Há 20 anos dava-se início a uma nova era – a era em que os direitos das crianças foram reconhecidos. A discriminação positiva tornou-se um direito obrigatório, bem como muitos outros: direito ao desenvolvimento, direito à não separação dos pais, direito à opinião, etc.
A maioria dos estados europeus tem medidas concertadas sobre a adoção, o combate ao trabalho infantil, planos de prevenção da violência sobre crianças.
Mas continuamente surgem casos de violações dos direitos humanos, seja em países menos desenvolvidos, seja no nosso Portugal.
Uma efeméride que pretendemos assinalar, falando sobre as conquistas e os recuos no que diz respeito aos direitos das crianças.

Convidados:
Maria Barroso, Presidente da Fundação Pro Dignitate
Armando Leandro, Presidente da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco
Dulce Rocha, Directora-executiva do Instituto de Apoio à Criança
Susana Ramos, Vice-presidente Instituto Português da Juventude e Comissária Nacional da Protecção de Crianças e Jovens em Risco

8 comentários:

testarblog disse...

Assembleia de Alunos (Direitos e Deveres):
Na Escola da Ponte em Vila das Aves, todos os anos as crianças elaboram, votam em assembleia e regem-se pela lista de direitos e deveres que eles próprios escolheram democrativamente.

tanikah.4 disse...

Ninguem no mundo inteiro se importa com o verdadeiro direito das crianças, isso dá para ver todos os dias na televisão. Crianças retiradas de perto das pessoas com quem vivem e se sentem bem é o qe se ve a toda a hora, ou então abuso sexual por parte dos seus familiares. Agora pensem, um grupo de mulheres juntas para fazer uma bandeira. E para lutar pelos direitos dos seus filhos? Alguem faz alguma coisa? Não.

João Silvério disse...

Leis existem demais!
Algumas até bem parvas,criadas por idiotas que não sabem o que é criar filhos...
Exemplo da noção de trabalho infantil,é preferivel ter jovens a trabalhar ou a roubar?
O pai dá um açoite no cu do menino,e é considerado violência fisica?
Outra coisa, a noção de criança e adulto é feita pela biologia e não por idades,qualquer jovem que atinja a capacidade reprodutiva é tecnicamente um adulto...
Tem de se proteger as crianças de todos os mal tratos,mas tambem tem-se de lhe incutir a noção que os deveres é que lhes dão direitos.
Uma criança com valores será um adulto válido e não um parasita da sociedade.
O estado português falha catastróficamente no apoio às crianças e familias em risco...
Em Portugal as crianças são mortas e violadas porque as entidades portuguesas funcionam muito mal.Ainda existem muitas desgraças por este país fora...

zaza disse...

É preciso investir mais em formação para acompanhar as exigências das sociedade actuais.
Gostaria de saber como posso assistir ao Colóquio que a Dra.Maria Barroso falou que irá acontecer no final deste mês.

Henrique disse...

Acho que os direitos se confundem com os deveres, tanto se fala em direitos mas não se fala em deveres. Espanta-me que hoje seja quase um crime, o professor dar um estalo ao aluno, depois de este ser mal-educado para com o professor! A minha turma é constítuida por quatro alunos muito bons, bastantes razoáveis e 5 bastante complicados. Talvez seja mais justo para todos,fazer turmas mais equilibradas. Os maus continuaram maus, os médio igualmente e nós não saímos do sítio... não é justo! Tenho 12 anos e espero que isto sirva de exemplo para todos!
Cumprimentos
Henrique Bettencourt
P.S.- acho que esses alunos precisam de ajuda familiar e o Governos em vez de dar Magalhães de via ajudá-los. Não é só obrigá-los a ir à escola, quando não têm condições.

jorgemfnunes@gmail.com disse...

Admirável,os comentários daquelas crianças mostradas na peça sobre os direitos das crianças.Pena não serem palavras de reflexão da maioria das nossas crianças.Pelas idades,pareceu-me crianças do ensino básico.Que respostas teria-mos,se em vez de serem do colégio João de Deus,fossem alunos da EB 2,3 de Nisa ou de outro qualquer concelho do nosso interior?
Um bem haja para a Fernanda e para o seu programa.

Jorge Nunes

vox disse...

Estive a ver o programa de hoje, e como sempre e para não destoar, "personagens ilustres". :)
Sobre o caso Alexandra, o caso actual mais flagrante de violação da Convenção sobre os Direitos das Crianças, nem uma palavra sequer !!!
Simplesmente, deplorável !!!

Luís disse...

A partir do momento em que os meus dois filhos nasceram fui, com muito orgulho o digo, um pai-galinha e isso mesmo era reconhecido e divulgado junto de pessoas próximas pela mãe.
Desde a minha separação da mãe, que ocorreu há 11 anos, que luto para ser apenas pai de fim-de-semana e de 15 dias de férias porque até isso a mãe sistematicamente impede com o conluio do Tribunal...
Ainda não há igualdade alguma de género e nesta área ainda menos, muito provavelmente...