quarta-feira, março 17

Os produtos light engordam?

Em 2025 metade da população portuguesa sofrerá de obesidade. As dietas milagrosas, os produtos naturais e a obsessão por produtos light são as opções mais comuns para quem quer ficar na metade dos não--obesos.
Os dados indicam um aumento do consumo de produtos light, em parte devido à preocupação acrescida com a saúde e forma física.
Mas emagrecem? Podem provocar desajustes nutricionais? São adelgaçantes? Não têm gorduras e açúcares ou têm mas apenas em menor quantidade? São indicados para todos? São mais baratos em comparação com outros produtos? Todas as questões neste SC.

Convidados:
Pedro Graça
, Coordenador da Plataforma contra a Obesidade Direcção-Geral da Saúde
Isabel do Carmo, Endocrinologista
Pedro Queiroz, Director-geral FIPA
Teresa Branco, Fisiologista

19 comentários:

José Gonçalves-Pinto disse...

"light" é mesmo reduzir o consumo.

o nosso organismo está desenhado para consumir o máximo de alimentos à nossa disposição, e que tradicionalmente não era em abundancia (recolectores e caçadores).

actualmente o nosso comportamento ancestral é o mesmo mas não há escassez de alimento, logo dai deriva um excesso de ingestão.

ana disse...

os produtos light, diet ou zero são muitas vz adoçados com "açúcares" de origem quimica. Estas versões podem ser mais prejudiciais à saúde do que comer menos quantidades de produtos regulare e naturais e manter uma dieta rica e variada. Aumentar o exercício físico é uma excelente combinação.

Pirata disse...

Gostaria de saber se a "fonte de fenilalanina", que é comum nos produtos "light" doces, é prejudicial à saúde. Cláudia Cardoso

Pedro_D disse...

Como foi dito, na vossa reportagem, muita coisa é publicidade enganosa. Uma alimentação saudável, para além de um estilo de vida saudável, como fazer muito exercicio fisico, ingerir muita fruta, cereais, carnes brancas, beber muita água. Aderi recentemente ao sushi, pois considero um tipo alimentação saudável. Praticar sexo e "fazer o amor", lol, também é uma das formas mais saudáveis e agradáveis para perder calorias e próprio acto sexual, liberta endorfinas e serotoninas, que funcionam como um relaxante natural e o serotoninas é a hormona responsável, pela boa disposição!!!

Jorge disse...

tENHO UMA FILHA COM EXCESSO DE PESO COM 11 ANOS E PROCURO TODOS OS PRODUTOS MAIS ACONSELHAVEIS PARA ELA. NÃO RECORRO A PRODUTOS LIGHT MA SE FAÇO UMA SOBREMESA APENAS AO FIM-DE-SEMANA TENTO USAR ACUÇAR MASCAVADO, fARINHA INTEGRAL, GORDURA VEGETAL. FAÇO BEM OU FAÇO MAL? DE SEMANA NÃO hÁ DOCES. ISABEL FERREIRA

Joaquim Pereira disse...

Qual é a diferença de preço entre um produto "light" e um produto "não light".

Sociedade Civil disse...

"boa tarde,


Gostava de saber, por exemplo: "esses" leites enriquecidos com omega-3, enriquecido com cálcio, com sabores, para crianças, para adultos, para mulheres ... e qualquer dia com sabor a tosta mista, como já existe nas nas batatas fritas, se estas designações tem alguma lógica? Pagar num produto, que já por si, é "bom", natural, e transformá-lo numa outra coisa, passando a ideia que assim ainda é melhor...
não será isto apenas marketing, ou existe uma melhoria real no produto?


obrigado
Tiago Marquez"

(via e-mail)

Maria Miguel disse...

É indiscutível que os produtos light tem menor % de açúcar, gordura e sódio. No entanto, o que gostava de saber é como é que na indústria alimentar conseguem manter o sabor dos alimentos.
Sei que as indústrias têm que cumprir normas europeias, mas ainda assim gostaria de saber até que ponto as substâncias que são adicionadas para compensar o açúcar e gorduras não poderão ser mais prejudiciais à saúde.
Obrigado!

Luis Capucho disse...

Então o Actimel é um bom produto para consumo, tal como a coca cola light?

Cândida disse...

Boa tarde!
Fui mãe há pouco mais de 1 ano. Durante este tempo todo (incluindo gravidez) só tenho pena de uma coisa: não se falar mais da Amamentação. O leite materno é excelente para evitar os problemas que hoje é falado aí no vosso programa.
Se mais Mães dessem de mamar mais saúde teriam os nossos filhos!
Houvessem mais estudos sobre LM.

*C!djey* disse...

Se engordassem eram uma soluçao para o meu problema de falta de peso!

DP disse...

Na sequência das observações sobre o açúcar gostaria de ouvir o distinto painel sobre a controvérsia em torno do uso do aspartamo e sucralose, e outros adoçantes artificiais.

Obrigado

David Pereira

Joana disse...

gostaria de saber o que ei de fazer para emagrecer, visto que ja experimentei todo o tipo de coisas.. Joana Sampaio

Lurdes Silva disse...

Olá,
Tenho uma filha com 5 anos, com 12kg e 1, 4 cm. Sempre esteve no percentil 5 em relação ao peso. Se come sopa deixa o 2ºprato, se começa pelo fim deixa a sopa por comer. A pediatra nunca verbaliza muita preocupação, como mãe sinto que os médicos só se preocupam com o excesso. Ela come de tudo mas em pequenas quantidades, não come bolachas no intervalo das refeições. Cá em casa já não sabemos muito bem o que fazer.

José Liceia disse...

Os produtos "light", hoje em dia vendem-se pelo nome. Os jovens, em especial as raparigas, cada vez se preocupam mais com a imagem, e durante as suas "dietas malucas", dão maior preferência a produtos "light".
Na minha opinião, o "light" funciona apenas como mais uma maneira de persuadir os clientes. Note-se também que, muitas vezes estes produtos são mais caros do que os ditos "produtos normais"...

Miguel disse...

Existem uma série de "lobbies" que nos influenciam.
Anúncios que manipulam o consumidor. Sejam produtos "light", leite, etc...
O consumidor tem de desconfiar :)

monicams_ferreira disse...

Boa tarde, não venho aqui colocar nenhuma questão , mas sim um "testemunho", isto por terem como convidada a Doutora Isabel do Carmo, que do meu ponto de vista não tem conhecimentos suficientes na sua respectiva área. Isto porque em 1998, tinha eu 13 anos estava com anorexia. Tinha 1.60 e pesava 31 kg. Dirigi-me ao hospital de Santa Maria para uma cosulta com a Doutora Isabel do Carmo e o que me deram foi uma lista de alimentos que deveria ingerir diariamente. A questão é que quando falamos de anorexia e outras alimentações relacionadas com disturbios alimentares falamos de problemas psicológicos, porque a dada altura eu queria comer e o meu cérebro já não me permitia fazê-lo. No entanto o método utilizado foi uma lista de alimentos ao invés de tentarem resolver a parte psicológica.
Relativamente ás pessoas obesas descordo com grande parte do que foi dito. Primeiro porque nem todos temos o mesmo metabulismo. Existem pessoas que comem imenso, muitos doces, muitas gorduras e mantêm o seu peso e a sua saúde regular. Depois temos o inverso, pessoas que comem poucas calorias e mesmo assim têm uma tendência para engordar. Cada pessoa é um caso muito particular. Acredito que factores como o stress, o tabaco, as drogas e o excesso de alccol e medicamentos possam influenciar nas alterações de peso. Relativamente ao facto das pessoas comerem muito acho que também não é justificação para engordarem, o problema é comerem demasiado rápido. Porque podem comer muitos alimentos com baixas calorias, mas se ingeridos muito rápidamente poderam fazer engordar. Quanto ao paladar, acredito, que pelo menos na sociedade Portuguesa não seja um dos factores mais importantes, porque a maioria da população Portuguesa não tem uma hora inteira para poder apreciar uma boa refeição.
Continuação de um bom programa.

Guidinhah disse...

Boa Tarde!
Sempre que vou as compras tenho atenção aos rotulos e tento encontrar os produtos mais saudaveis a um preço razoavél, porque como a dra Isabel do Carmo disse os produtos que são saudavéis são caros e raramente tem promoções, quando recebemos publicidade na nossa caixa do correio nunca vemos promoções nos produtos mais essenciais mas promoções para guloseimas e chocolates não faltam.

Eu sei que a água é mais saudavél mas gostava de saber se a coca cola light, que praticamente não tem calorias nem vitaminas, prejudica a alimentação saudavél.

Fonseca disse...

Vejo à minha volta demasiados obesos e muita gente nova, que não via nos anos 70 e 80. Em casa, o meu marido tem excesso de peso, mas aqui todos levamos com dieta: quase não compramos bolachas, poucos fritos, sendo que, gelados, refrigerantes, não entram, não há carnes gordas nem refeições abastadas ou em excesso, não há bolos nem açúcar branco. Compro alguns produtos baixas calorias com poucos ou nenhuns químicos prejudicais à saúde. Há exercício q.b., nem que seja andar a pé diariamente. Não sou nutricionista, e no entanto sei o que fazer para não engordar: exercício físico, incluindo namorar o/a parceiro, brincar com os filhos de preferência num espaço aberto ou até correr com o seu cão ou gato, comer menos quantidade de alimentos, fazer pequenas 4 refeições por dia bem distribuídas, à noite comer menos, nunca comer e deitar logo, deixe passar 2 horas,está provado cientificamente, dormir pelo menos 6 ou 7 horitas por dia e privilegiar as frutas e legumes. Dei de mamar ao meu filho (amamentar ajuda a emagrecer)até aos seus 9 meses e nunca o deixei ser uma criança ou um bebé gordo. Quem deixa um bebé ou criança ser muito gordo e não faz nada de revolucionário para ajudar, é um pai/mãe negligente ou muito incompetente! Para saber de muitas informações, é fácil, todos conseguem se quiserem: estive atenta na escola no passado, ter espírito crítico, auto-estima, optimismo, ver o mundo pela positiva, e bastou ver bons programas de TV, como o Sociedade Civil (arranjem outro horário mais acessíveis todos!) e ler bons livros, jornais ou revistas interessantes!
Respondendo directamente à questão:
Quem come muitos produtos ligth e não faz nada de correcto pela saúde, também engorda. Esqueçam os genes, façam controlo mental!
Um abraço!