sexta-feira, maio 21

Dia B

B de Biodiversidade – o Dia Mundial comemora-se amanhã e o SC antecipa-o com a presença dos parceiros mais especializados em estúdio.
O objectivo europeu está bem definido – é preciso travar a destruição da biodiversidade.
Mas por que razão nos devemos preocupar com o Ártico? O que é que a preservação da biodiversidade tem a ver com isto? A explicação passa, uma vez mais, pela globalização. Se os ecossistemas à nossa volta não estiverem em equilíbrio isso afeta as pescas, a produção de madeira, o abastecimento de água potável às populações, há mais incêndios, derrocadas ou dilúvios catastróficos, como o que sofreu recentemente a Madeira.
Estas razões serão suficientes para nos convencermos que não é apenas uma luta de associações e organizações não-governamentais?

Convidados:
Carlos Figueiredo, Vice-presidente do Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade
Margarida Santos Reis, Centro de Biologia Ambiental da Faculdade de Ciências da UL
Carlos Teixeira, Vice-Presidente da Liga para a Protecção da Natureza e especialista na Área da Biodiversidade
Viriato Soromenho-Marques, Coordenador Programa Gulbenkian Ambiente

4 comentários:

Rúben Nunes disse...

Boa Tarde Sociedade Civil.

Gostaria de dar a minha opinião sobre este assunto.
A Biodiversidade é algo tão importante como a nossa própria vida. Está tudo interligado e todos nós estamos dependentes da Natureza e do que nós conseguimos usufruir dela.
Infelizmente, há demasiados obstáculos neste momento que começam por colocar este teor como último. O nosso país está num estado agravado de crise. Quando me refiro a crise refiro-me a todos os níveis. As campanhas de preservação da Biodiversidade cada vez mais não estão a sortir efeito e a criação de reservas naturais ficará longe de ser uma solução. É importante, então, a criação de métodos um pouco mais extremistas. Se o nosso Planeta já não é o que era, então daqui a um tempo, se a situação continuar, muito provavelmente Ele já não existirá.

menvp disse...

Jorge Sampaio alerta para falta de quatro milhões de profissionais de saúde no mundo



Tal como dizem os chineses - «não dês um peixe, ensina a pescar» - ou seja: a solução não é importar médicos cubanos, mas sim, pedir ajuda ao governo cubano... para que se consiga formar a quantidade de profissionais de saúde necessária!


NOTAS:
1- Oferecendo um salário de TRÊS ordenados mínimos... um serviço de saúde público não deveria ter problemas em contratar um médico: Deveria-se recorrer ao know-how cubano para avaliar qual o número de profissionais de saúde que será necessário formar para cumprir esta meta.
2- A Ordem dos Médicos possui muita competência cientifica... mas tem de ficar de fora na avaliação do número de profissionais necessários: De facto, neste capítulo, a incompetência da Ordem dos Médicos provocou milhares e milhares de mortes por falta de assistência médica atempada.
3- O investimento na construção de um aeroporto fora de Lisboa poderá evitar centenas de mortes num acidente de aviação... no entanto, o investimento na formação de profissionais de saúde irá evitar milhares e milhares de mortes.

Fonseca disse...

Sou da opinião do Ruben Nunes neste assunto, de facto, os maiores problemas da sociedade devem-se ao nosso afastamento da natureza e a deterioração do nosso mundo. As cidades e muitas Vilas são muito cinzentas, muito poluídas e têm poucos espaços naturais ou verdes. É essencial existir mais Biodiversidade, está em causa também a sobrevivência da espécie humana e a sua saúde mental.
Onde existem mais problemas ou distúrbios psicológicos e mentais, em geral? Nas zonas urbanas! Não tinham reparado?
Mas viver isolado na natureza sem as condições necessárias...também não dá saúde.
Mas haja biodiversidade! E boa gestão da água potável, pois não há dinheiro que compre água para uso diário: se ela faltar nas torneiras...nem que as torneiras sejam feitas de ouro, ornamentadas com diamantes numa bela mansão!
Os poderosos deviam pensar bem no que estão a fazer ao seu próprio futuro e dos seus descendentes, já que não querem saber de todos os cidadãos!

sonharamar disse...

No ensino em Portugal não se ensina a estudar. Não há qualquer tipo de programa que contemple a problemática de como estudar. Como esperem que se criem rotinas de estudo se ninguém ensina a estudar?