sexta-feira, julho 23

Expo Shangai 2010: que retrato deixamos de Portugal?

Mais de 900 mil visitantes já passaram pelo pavilhão de Portugal na Expo Shangai 2010.
Para esta exposição mundial, Portugal escolheu levar um cartão do que melhor se faz em no país. Valorizámos o capital humano, a posição geoestratégia, partilhámos projetos com base em inovação e, acima de tudo, mostrou-se a vida quotidiana dos portugueses.
Mas que mais-valias trazem estas participações? O que recebemos em troca? Que relações comerciais podemos estreitar? Valem mais do que as viagens protocolares e oficiais de um presidente da república ou do primeiro-ministro? Marcamos a nossa posição no Oriente?

Convidados:
Rolando Borges Martins
, Comissário-geral da participação portuguesa na Expo 2010 Shanghai
João Calvão, Administrador Fundação Oriente
António Vidigal, Director Geral do Grupo EDP
José Pequeno, Arquitecto e Autor Projecto "TTT", (Torre Turística Transportável)

6 comentários:

Tino_Lomboy disse...

quem estudou historia do design sabe que as participações Portuguesas foram sempre representações historicistas e o retrato de um país estagnado e conservador à excepção da grande exposição de 1937 em Paris. De resto a imagem de um país folclórico em que muitos colocaram tanto empenho ao longo de um século não se substitui com 2, 3 boas participações porém não geniais. É preciso fazer valer a suposta qualidade dos arquitectos portugueses, reunir os melhores profissionais do design e abandonar o conceito "Portugal, o país dos enchidos".
Acrescentar valor à marca Portugal é absolutamente fundamental para revitalizar a economia e o que nos falta muitas vezes é paciência para construir o país no longo termo. Portanto as medidas têm que ser tomadas hoje para colhermos depois e o desesperante é constatar que a maior parte do que tem que ser feito continua a ser eternamente adiado. Em Shanghai, pelo que consultei no site, temos uma participação agradável mas ainda um pouco demasiado tradicionalista na minha opinião.

Leonardo disse...

Estes grandes encontros a nível mundial são sempre a grande oportunidade de deixar-mos a nossa marca, fazendo "publicidade" ao que temos de melhor.
É claro que Portugal soube aproveitar a ocasião aumentando assim a nossa "reputação" a nível mundial e consequentemente uma vantagem a nível económico. É das poucas coisas que nos faz ter orgulho em ser-mos portugueses!

Leonardo, Aveiro

Celina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Celina disse...

Portugal tem, sim, muitos motivos de orgulho. Infelizmente, não raras vezes, nós, os Portuguese, não temos a noção disso nem conhecemos o que de melhor se faz por cá. Assim, eventos como a Expo 2010 Shanghai acaba por ser uma óptima oportunidade para nos darmos a conhecer, mas também para nos conhecermos melhor.
Tenho muito orgulho na participação de Portugal na Expo 2010 Shanghai!

Celina, Ovar

Virgilio Alves disse...

Lembramo-nos de ir a exposições e soubemos organiza-las, com relativo sucesso, o que é bom. Mas Macau, 4 séculos sob administração portuguesa, não chega aos calcanhares de Hong-kong. Infelizmente temos oportunidades, mas deixamos que os outros nos ultrapassem. E naturalmente estas montras [exposições] são o nosso último reduto para nos mostrarmos ao mundo, enquanto outros as usam como complemento.

Martinha disse...

assim muito rápido, passei para desejar boas férias a toda a equipa. Martinha