segunda-feira, setembro 20

Há uma identidade do Norte?

Zona de tradições e ritos seculares que recebe milhares de turistas todos os anos – uns motivados pelo turismo religioso, outros pela visão do património intocado – o Norte, em particular o Porto, tem uma identidade distintiva das restantes regiões do país. Na pronúncia, no léxico, nos costumes e na moral encontram-se marcas diferenciadoras. Mas também na arquitetura, na música, no empreendedorismo e na iniciativa privada.
No início de uma semana dedicada ao Norte e emitida a partir da Casa da Música, vamos redescobrir esta região.

Convidados:
Odete Patrício, Diretora-geral da Fundação Serralves
Jorge Gonçalves, Vice-Reitor da Universidade do Porto para as áreas da Inovação e Investigação
Mário Dorminsky, Vereador da Cultura de Gaia
Nuno Azevedo, Administrador Delegado da Fundação Casa da Música
Pedro Abrunhosa, Músico

9 comentários:

ToolBoy disse...

Boa tarde.
Obviamente que existe uma identidade do Norte,não só uma identidade tripeira,mas para se saber o que é uma identidade é necessário saber o que ela é.
Pequena descrição, identidade é um somar de caracteres próprios e exclusivos no qual se pode diferenciar, pessoas,objectos e etc, perante diversas situações, num conjunto de diversidades.
A identidade do norte, é compartilhar ideias, atitudes situações e ideais de um grupo bastante lato, com grande superfície territorial.
A identidade do Norte,é adquirida é dada pelas pessoas que fazem parte dela e do meio que a rodeia, aonde efectua a sua interacçãosocial.
Sendo assim , temos varias identidades pelo pais fora, mas na identidade do norte.
Temos genuinidade, temos luta, força, entre-ajuda, e abertura, podemos tambem identificar essa identidade também por certas comidas, como os Rojões, tripas a moda no Porto ,e falando na minha terra a famosa Francesinha.
Penso que a identidade do Norte , se pode distinguir das outras mais numa vertente cultural, ou seja numa identidade cultural, sendo redundante é o sentimento de identidade de um grupo ou cultura, ou de um indivíduo, na medida em que ele é influenciado pela sua pertença a um grupo ou cultura com os seus mecanismos de afiliação/ exclusão do mesmo.
Mas penso que quando se fala na identidade do norte, o mais visível será a linguagem próprio, com o seu próprio dicionário.
Como dizia Rui Reininho, é uma pronuncia do norte "Nem guerra, bairro ou corte
É a pronúncia do Norte"
Com os melhores cumprimentos
ToolBoy

rimorchiatore disse...

Eu sou o que os outros não são e os outros não são o que eu sou- Desculpem-me mas não seria mais pertinente nos tempos que correm em cenário global discutir mais o termo identidade do que uma pseudo-identidade qualquer?é que todo o dicurso sobre uma qualquer identidade mais exclui do que divide.
Debaixo dos discursos identários parece-me haver mais dinamicas de igualdade do que propriamente diferenças. Há mais regiões de Portugal onde não se passa quase nada, não há cinemas, não ha festivais.
Desconfio sempre de todos o que defendem uma quaquer identidade. A esta discussão veem sempre associadas palavas como pureza e tradição.

myydiskk disse...

Olá, boa tarde. Parabéns pelo programa fantástico que têm. Em relação ao tema de hoje, como "nortenho" que sou, lamento que mais uma vez considerem que o "Norte" é o Porto (aparentemente para o sociedade civil o Norte é o Porto). Em relação à pergunta, efectivamente existe uma identidade "cá por cima", desde gastronómica, termos linguísticos, etc. Quero destacar que "nós" somos mais calorosos e recebemos melhor as pessoas, nomeadamente em nossa casa, tal como disse a Marta Leite Castro. Eu vivi na zona metropolitana de Lisboa de de facto, ser se convidado para ir jantar ou almoçar à casa de amigos ou conhecidos é espectacularmente difícil e quando me aconteceu foram pessoas "cá de cima" a fazê-lo. Mas naturalmente ha mais diferenças.
Eduardo Costa, Braga

Pedro Novo disse...

Pedro Novo - Designer

Boa tarde, eu gostaria de deixar uma pergunta incómoda no programa. No meio deste discurso todo patriótico que estou a ouvir, qual é razão para acontecer estas duas situações:

1 - Qual a razão para a identidade gráfica da casa da música ter sido feita por um estrangeiro (Sagmeister)?


2 - Qual a razão para a nova imagem Serralves ter sido feita por uma multinacional, mais uma vez estrangeira

Ou seja onde está este patriotismo nortenho ?

Catarina Gomes disse...

Olá Boa tarde.

Não sou nortenha mas admiro algumas das características que as pessoas que lá habitam apresentam. Mas a minha questão é "O que é o Norte?" Do que vi até agora no vosso programa, parece-me que estão a "identificar" o norte com o Porto.
E em relação à centralização? Também existe a norte, porque consideram o Porto o centro.
Que dirão as gentes de Lanheses (Viana do Castelo), Gestosa de Lomba (Bragança, mas quase em Espanha), Miranda do Douro?

É só um pensamento...
Catarina Gomes

LS disse...

Existe uma identidade nortenha constituída pela atitude, garra e sobretudo amor e dedicação e uma identificação total para com uma cidade (Porto) e uma região (Norte). As potencialidades desta região infelizmente são desaproveitadas pelo país, o que é um tremendo erro. Para um portuense é extremamente penoso ver a estação de Campanhã cheia de portuenses e nortenhos com excelentes qualificações técnico-cientificas que têm que apanhar o comboio para Lisboa, uma vez que não existe espaço para serem absorvidos pelo mercado de trabalho do Norte. É uma pena que todo o belo trabalho da Universidade do Porto (que é sempre a Universidade com melhores médias de Portugal) não possa ser aproveitado pelo Norte. Isso é fruto de uma política centralista que faz sofrer as regiões mais afastadas de Lisboa, mas que paradoxalmente torna as pessoas mais apaixonadas pela cidade. No Porto para se obter algo, tem de se ir à luta e isso torna as pessoas mais fortes e mais ligadas à sua cidade!

PEDRO disse...

Boa tarde a todos os participantes e espectadores.
Cara sra.dra.Fernanda Freitas, a juventude "skaters" que pôde presenciar nas proximidades da casa da música, apenas costumam frequentar o local, por falta de locais adequados à prática desse desporto/actividade! Essa é que é a razão principal. Assim como muitos outros amadores que queiram praticar outros desportos dificilmente o conseguem...há falta de equipamentos desportivos na cidade do Porto.
E os que há são pobrezinhos, repare nos locais onde estão colocadas as tabelas de basquetebol...!

Rui disse...

Boa tarde,
Apesar de estar totalmente de acordo com o comentário do Sr. Pedro Novo, obrigo-me a dar os parabéns ao programa que realmente contribui para o esclarecimento e formação dos Portugueses. Fiz um "zapping" enquanto dava o programa e eis os resultados: RTP1 Telenovela; SIC Telenovela; TVI Tardes da Júlia (só desgraças). Eu odeio telenovelas (principalmente brasileiras). Odeio ver desgraças. Eu não sei quantos anos tem o "Sociedade Civil" mas espero que, quando for velhote, ter ainda este bocadinho de boa informação. Obrigado RTP2.
PS1: Considero um dos grandes responsáveis pelo afastamento de Lisboa - Porto o Sr. Pinto da Costa, idolatrado no Porto e arredores (pelo menos por 50% do povo, o resto são Benfiquistas).
PS2: A Fernanda Freitas para mim é o Sex Simbol da televisão Portuguesa.
Cumprimentos,

Rui Silva

Dustspell disse...

Identidades? Como acima se referiu as identidades colocadas por essa forma somente servem e resultam em rotulos..Eu prefiro a diversiadade pelam a difusao da cultura local , para assim uma partilha e consequentemente uma global riqueza...

Mas para isso e em primeiro acto sera dos Media que com a sua esquematica ordem lucrativa (A longo prazo se torna uma mera relatividade), negridem a cultura ao ponto de a condicionarem a esse mesmo esquema lucrativo

Se nao sabemos(Ou nao queremos) promover a nossa riqueza cultural a nos proprios como podemos promover a nivel internacional?