quarta-feira, setembro 15

Voluntariado na saúde

De que forma melhoram os cuidados de saúde se houver mais voluntários? Iniciativas como a Acreditar, que apoia crianças com cancro, ou Nariz Vermelho, que leva espectáculos circenses às alas de pediatria dos hospitais, estão entre as mais mediáticas, mas o voluntariado no setor da saúde é muito mais vasto e abrange áreas como a geriatria, deficiência ou cuidados paliativos.
Será uma forma de humanizar os cuidados da saúde? É um caminho para alargar as bases de apoios sociais? Quem pode voluntariar-se? Que instituições credenciadas podem acolher voluntários?

Convidados:
Luísa Nemésio, Secretária-Geral AMI
Cristina Louro, Vice-Presidente Cruz Vermelha Portuguesa
João Pereira, Presidente Federação Nacional de Voluntariado em Saúde
Alexandre Castro Caldas, Dir. Instituto de Ciências da Saúde da UCP

6 comentários:

Elsa disse...

De que forma os jovens são motivados/sensibilizados para as acções de voluntariado?
Universidades levam os jovens universitários a envolverem-se em actividades de solidariedade... mas poderá essa sensibilização começar mais cedo?
Penso que seria de grande utilidade para a formação pessoal e cívica das jovens gerações, principalmente numa sociedade com uma população envelhecida e a necessitar de maiores cuidados e acompanhamento, onde considero igualmente imperativo contrariar a exclusão dos idosos.
Fazê-los sair da frente do écran do PC e a encararem-se como elementos activos, participativos e importantes na sociedade, acredito que só contribuirá para uma joventude mais realizada e feliz.
Obrigada.
Ela Girão, Lisboa

Keops disse...

Acredito que haja falta de voluntários. A minha experiência pessoal permite-me dizer que é muito difícil ser aceite por vezes como voluntário. Para o hospital Amadora Sintra desloquei-me cinco vezes para me inscrever, fui entrevistado passados meses e ficaram de me contactar. ...já passaram 2 anos. Os responsáveis locais pelo voluntariado também não sabem que fazem. Por exemplo perguntaram-me se preferia trabalhar com católicos ou outros...Estas atitudes são desmotivadora!
Não fosse mesmo querer fazer voluntariado, por atitudes semelhantes, teria desistido.

Plutão, um ex planeta disse...

Boa Tarde.

Só comecei agora a ver o programa, não sei que assuntos já abordaram, pelo peço desculpa se me estiver a repetir.

Já fiz voluntariado vários anos, mas mudei-me para a zona das Caldas da Rainha e não encontro nada para fazer apesar de estar inscrito em vários fóruns e sites de voluntariado.

Será a procura de voluntários que é escassa ou faltam meios que consigam fazer uma boa articulação entre a oferta e a procura?

Obrigado.

Sociedade Civil disse...

Muito boa tarde,

Antes de mais, os meus parabéns pelo tema escolhido, julgo ser, como já é habitual no vosso programa, um tema de extrema importância na actualidade.

Eu concordo com o voluntariado, até porque eu próprio já o fiz (na area da Psicologia Clínica) e ao contrário do que está a transparecer na mesa de opinião, senti e ainda hoje sinto, que a posição de um voluntário poderá, mais do que complementar, substituir a função de um técnico qualificado remunerado.

Enquanto fiz voluntariado (1 ano) a instituição em causa trabalhava com 2 Psicologos Clinicos efectivos, deixando a cargo de voluntarios e estagiarios (ambos não remunerados) o tratamento a mais de 300 utentes. Este mês a Ordem dos Psicólogos Portugueses noticiou que o voluntariado terá o mesmo valor que um estagio ou emprego remunerado na àrea no que respeita a experiência profissional.

Pergunto, o que será da Profissão de Psicologo Clinico? Se este é sujeito a realizar voluntariado para ter experiência profissional, porque deverá uma determinada Instituição ter de remunerar profissionais com a mesma formação académica?


Muito obrigado e mais uma vez, parabéns pelo vosso contributo social diário.

Com os melhores cumprimentos,

Diogo Francisco
( via mail)

Sociedade Civil disse...

www.voluntariado.pt sitio online do Conselho Nacional para a promoção do voluntariado

cristina disse...

tenho estado a assistir ao programa e sinto-me muito satisfeita por ouvir testemunhos de que esta realidade é imprescindivel para uma melhor sociedade. No entanto e no caso da saúde, e porque sou profissional de saúde, constato no meu dia a dia que muitos dos voluntários o sãao por ser este o modo como mais facilmente têm acessibilidade aos próprios cuidados de saúde. Gostaria de saber a opinião dos convidados sobre este facto.
Atentamente. cristina