sexta-feira, dezembro 17

“Vinho com moderação”

Portugal apesar de ter baixado os valores de consumo de álcool, Portugal continua entre os maiores consumidores do mundo. Principalmente entre os jovens, o consumo demonstra ser demasiado elevado, e a nova moda é ingerir bebidas destiladas num curto espaço de tempo. Daí a importância de campanhas como “Vinho com Moderação”, que apela a um consumo moderado, à necessidade de vigiar a legislação que proíbe a venda de bebidas alcoólicas a menores de 16 anos e ainda alerta para a problemática de beber e conduzir. Saiba como falar com os seus filhos sobre o consumo moderado de álcool neste programa.

Convidados
Manuel Costa e Oliveira, Secretário-geral Fenadegas – Federação Nacional das Adegas Cooperativas
Rui Tato Marinho, Médico Hepatologista e Prof. Faculdade de Medicina de Lisboa
Rogério Lopes Soares, Direção ACA-M - Associação de Cidadãos Auto-Mobilizados
Anabela Furtado, Instituto da Vinha e do Vinho

8 comentários:

Miguel disse...

Boa tarde,

A promoção ao consumo de álcool advém do actual regime de ditadura colectiva. De facto, está tudo encerrado ou a preço superior à capacidade salarial da família, porque é preciso usar as actividades desportivas e as associações como forma de lavar a verba pública. Há milhares de pavilhões construídos como bandeira, fechados ao fim de semana. Estas entidades, criadas de forma ilegal pelas famílias dos políticos e dos partidos, servem unicamente para fazer despesa, o que fez estagnar as actividades diversificadas e a criação de outras. O único divertimento livre é os bares, de dia e de noite, onde é mais barato individualmente, valor para o lucro pessoal das fábricas dos políticos mas mais caro para a saúde. Não é pois acaso que se diz que as pessoas vivem acima das possibilidades, pois a escravatura é tanta e obrigatória que nenhum dinheiro sobra para as nossas liberdades. No entanto, os impostos sobre o salário líquido são todos inconstitucionais, bem como o apoio a actividades que retiram o investimento. Porque tudo é investimento, excepto a morte e o tempo.

Mentiroso disse...

Estão a gozar connosco!?

Se consideram o alcoól é tão maléfico e perigoso, então porque não proíbem a sua publicidade por completo, como em alguns países em que as consequências quase desapareceram?

Deixem-se de fantasias e digam às pessoas que os governantes estão a matar as pessoas por não tomarem medidas comprovadas.

No que respeita aos acidentes rodoviários, em todo o mundo se conhece que a causa principal nem é o álcool, mas a falta de civismo e do cumprimento da legislação relativa. Porque o escondem também? Será para ajudarem à matança em curso? Não se vislumbra ouro motivo.

Embora o vosso programa seja um modelo num país de cegos, há sempre que melhorar. Parabéns.

Fernanda Pedroso disse...

Boa Tarde
Maria Fernanda Pedroso
Gostava de saber o que pensam fazer relativamente à venda livre em hipermercados/supermercados de álcool a crianças de 12/13 anos, quando a idade mínima é infelizmente ainda os 16 anos, Falo necessariamente em responsabilidade oficial.

Mto Obrigada
Fernanda Pedroso

António Diogo disse...

Boa tarde! Estou a ver o vosso programa e quero dar os parabens pelo magnifico trabalho que tem vindo a fazer.
Gostava de poder esclarecer uma dúvida: E aqueles bares/discotecas que vendem e dao alcool a crianças com 12, 13 e 14 anos, sabendo de antemao que estas crianças podem vir a ter problemas sob o ponto de vista do fígado, por exemplo? O que diz a legislação sobre isto?

Obrigada pela vossa atenção

Daniel disse...

Aqui na Ilha Da Culatra o "beber com moderação" é diferente do resto do país. O nível de moderação é bem mais elevado. Quase bebe-se cerveja como se bebe água.

Antístenes disse...

Boa tarde,

2 coisas:

1
Sou abstémico e não sei qual é o problema de desincentivar o consumo.

2
O vinho não faz bem à saúde.
Isso é uma interpretação errada dos dados científicos.

O que faz bem no vinho tinto são um conjunto de moléculas que estão presentes na pele da uva, que ficam no mosto que irá fermentar.

Logo, é o processo de vinificação que torna o mosto um produto nocivo à saúde: o vinho.

Isto porque o álcool, produzido pela fermentação dos açucares da presentes no mosto, é um veneno e é desta forma que o fígado o processa.

DjTareco® disse...

Eu tenho 16 anos e comecei a sair aos 13, neste ano de 2010 o controlo de idades e muito maior. Os seguranças das descotecas fecham os olhos as raparigas que muitas vezes tem idades entre os 12 e os 15.O alcool esta cada vez mais barato e acessivel a jovens da minha idade,vinhos de pacote e cerveja mesmo que seja muito ma o que interensa e apalhar uma grande bubedeira low cost.

Antístenes disse...

Correcção

O meu texto fico confuso, pois eu escrevi como se estivesse a intervir no debate, daí usar a palavra "isso".

Eis como deveria ficar:

2
Afirmação minha:
"O vinho não faz bem à saúde."

Isso (que está a ser dito no painel, ou seja, que o vinho faz bem) é uma interpretação errada dos dados científicos.