quinta-feira, março 10

Os miúdos estão mais inteligentes?

“É tão inteligente! Sai à mãe (ou ao pai).” Esta apreciação é usada amiúde em contextos sociais. Mas será a inteligência uma questão genética? É fruto da educação? Ou resulta de ambas? A psicologia e a pedagogia defendem que a inteligência trabalha-se. A leitura, a aprendizagem de um instrumento ou outras práticas extra curriculares são importantes. Num mundo mais acelerado e com acesso praticamente imediato a todo o tipo de informação, estarão as crianças a ficar mais inteligentes? A execução de tarefas complexas simultâneas, como jogos de consola ou criação de redes sociais, estimula que áreas do cérebro? Como podem os pais acompanhar estes progressos?


Convidados:
Vânia Nunes, Professora Auxiliar Instituto de Ciências da Saúde da UCP
Rosa Gouveia, Médica Pediatra – Sociedade de Pediatria do Neurodesenvolvimento da Sociedade Portuguesa de Pediatria
Dulce Gonçalves, Psicóloga Educacional e Fac. de Psicologia UL
Ponces de Carvalho, Diretor Escola Superior de Educação João de Deus

6 comentários:

Vitor Frazão disse...

A lógica ditará que resultará de ambas, porém, inclino-me mais para pensar que a "nurture" se sobrepõe à "nature".

Quando a definir se as crianças estão a ficar mais inteligentes ao menos, acho que isso será tão difícil de avaliar quanto a quantificação da inteligência.

http://cronicasobscuras.blogspot.com/

Martinha disse...

os miúdos estão mais inteligentes sim senhor, e também estão mais mal educados e os pais cada vez mais burros...

Carla disse...

Na minha opinião sim.
Tenho um filho com Síndrome de Asperger que sabe e faz coisas que não são normais para a idade dele e tenho-me questionado se não estaremos perante um desenvolvimento da humanidade e que começam a aparecer cada vez mais "génios".

Abaladiça disse...

a este propósito proponho que comentem as ideias sobre pensamento divergente, que Ken Robinson tão magistralmente expôe em http://www.youtube.com/watch?v=zDZFcDGpL4U

para mais sou pai de duas crianças que frequentam uma escola João de Deus, e me parece que ainda temos um longo caminho para a real percepção do tema que se trata, pelo exemplo que vejo em casa. Apesar de em nossa casa a TV estar quase sempre ligada, e de brincarmos muito, de estimularmos a criatividade, a escrita, a leitura, a construção (legos), e outras brincadeiras, percebo que a escola, e as João de Deus não são nisso muito diferentes, estamos a formatar (industrialmente) um conjunto de seres que são completamente diferentes.

P M disse...

É verdade hoje em dia somos mais inteligentes.
Tambem sabemos o que se passa com o nosso país...
Eu sugeria que fizessem uma reportagem sobre grande parte da sociedade nao aceitar as culturas principalmente a gotica!
veja o que uma menina de 14 anos fez num blogger apenas numa semana!
http://nao-quero-barreiras.blogspot.com

Alexandra disse...

Boa tarde,
Vi uma parte do programa de 10 de Março "Será a inteligência uma questão genética? " e reparei em dois livros que mostraram, mas que não consegui identificar e tomar nota. Como poderei obter essa informação? Obrigada.