segunda-feira, maio 16

Segundo emprego

Quando a crise aperta e os dados do desemprego atingem números recordes é preciso encontrar outras alternativas. A opção de um segundo emprego ou part-time para aumentar o orçamento ao fim do mês parece ser a única opção para milhares de portugueses. São já 600 mil desempregados que procuram ter uma ocupação profissional e os economistas temem que estes números não desçam nos próximos anos. Mas de que forma se conseguem conciliar vários trabalhos? É mais fácil quando estamos a falar de trabalhadores independentes ou com outras formas de contratação também é possível harmonizar horários e tarefas? Informe-se neste Sociedade Civil.

Convidados:
Sara Ribeiro, Diretora do Departamento de Emprego do IEFP
Rui Fiolhais, Gestor do Programa Operacional Potencial Humano
Camilo Lourenço, Jornalista
Catarina Horta, APG e Dir. RH da Ramstad

5 comentários:

HCF disse...

Enquanto há disponibilidade pessoal completa, i.e. quando não existem outras obrigaçõoes como familia e filhos, é muito mais fácil fazer a gestão de 12 ou mais horas de trabalho.
Há a acrescentar que um ritmo de vida acelerado continuado durante muitos anos seguidos, pode comprometer a saúde de forma significativa.
A qualidade de vida consiste em conciliar uma vida activa com momentos de descanso emocional e social. Conheço pessoas que comprometeram seriamente a sua saúde com a acumulação de duas ou três actividades ao longo de anos.

Ana disse...

Sou de uma geração em que o acesso ao ensino era reduzido.
Tenho 61 anos e tinha o 9º ano de escolariedade tive vários empregos
num onde estive 14 anos faliu e aos 37 anos arregacei as mangas e
fui trabalhar numa empresa cujo trabalho para mim era desconhecido
Trabalhava entre 10 ou 12 horas
A familia sempre ficou para trás
Também penso que hoje para zse ter um emprego na é necessário
licenciatura o 12º ano
Está errado
Cumprimentos
Belmira Silveira

José disse...

Os deputados sendo eles funcionários do estado e que ganham muito para a produtividade produzida, porque é k podem ter outras actividades remuneradas? e esta hem? e eu que sou funcionário público que ganho cerca de 550 euros, não posso ter outra actividade?deixemo-nos de hipocrisias.

B de Bolos disse...

Parabéns pelo programa Fernanda!!!
assisto sempre que posso!
por falar em trabalho e em segundo e terceiro emprego, falo por experiencia propria, eu pessoalemnte desenvolvo 3 actividades: advogada, cake designer e organizo eventos e festas infantis.
Não tenho horários nem fins de semana quando há mt trabalho e agradeço que assim seja, pois sinto-me realizada. tenho uma filha de 8 anos que é a minha inspiração tb!
é necessário lutar por aquilo que queremos e que desejamos e nunca desistir perante as dificuldades!!
Força para o programa tb!
bji
Ilda

shana disse...

Olá Fernanda e toda a equipa.
Sou espectadora assídua do programa e quero também dizer que o RTP2 está à frente de qualquer outro canal de televisão pública no que diz respeito a programação para desenvolvimento intelectual e cultural do ser humano.
Infelizmente apanhei o programa de hoje mesmo no fim e nem sequer tive oportunidade de apanhar as dicas que deram para os jovens empresários relativamente à criação de novas empresas. Pretendo abrir um bar e toda a informação que possa reunir é preciosa. Conto com a vossa ajuda.
Muito obrigada,
Alexandra Oliveira