quinta-feira, setembro 22

Cibercrime

A segurança na internet está na mira da polícia europeia Europol, sobretudo porque as crianças e jovens são as faixas mais vulneráveis e os esquemas de cribercrime financeiro delapidam milhões de euros aos cidadãos. Um estudo europeu revela que 70% dos pais europeus fala com os filhos sobre os perigos da internet, mas não usam ferramentas de proteção. De que serve falar se a proteção não é aplicada? Como falar com os filhos? Que ferramentas informáticas usar para proteger o computador? O que são o phishing, os cavalos de Tróia e outros instrumentos que os cibercriminosos usam para acederem às nossas contas bancárias ou cartões de crédito?

Convidados:
Frederico Marques, Ass. Portuguesa de Apoio à Vítima
Edgar Pimenta, OBEGEF - Observatório de Economia e Gestão de Fraude
Hermínio Corrêa, CONFAP
Jorge Borges, Coordenador SeguraNet

2 comentários:

diogo disse...

Acerca da afirmação de que estamos seguros desde que o url comece com https é desde há 2 semanas uma falsidade, esse protocolo de transmissão de dados de forma segura contava com a premissa de que a criptografia SSL em qual estava assente não fosse vulnerável a ataques, algo que se pode confirmar que é falso por exemplo aqui: http://pplware.sapo.pt/informacao/hackers-quebram-criptografia-ssl/

Viagens disse...

é verdade Diogo. infelizmente segurança absoluta não existe. mas... o https ainda é uma garantia que associada a outras vai funcionando...