segunda-feira, novembro 28

Alterações climáticas

2010 foi o ano em que o termómetro subiu mais alto desde que o registo de temperaturas é feito e este ano Portugal continental teve a segunda primavera mais quente desde 1931. Significam estes dados que o planeta está de facto a sofrer bruscas alterações climatéricas? É possível preconizar que os invernos serão mais frios e os verões mais quentes? As alterações registadas devem-se inequivocamente à intervenção humana ou as causas são naturais? Até que ponto o futuro sairá mais caro se não forem tomadas medidas imediatas? Uma discussão atual na semana em que decorre a Conferência sobre Alterações Climáticas das Nações Unidas.

Convidados:
Nuno Lacasta, Coordenador Comissão para as Alterações Climáticas
Francisco Ferreira, Quercus
Carlos Teixeira, Vice-presidente Liga para a Protecção da Natureza
Maria João Alcoforado, Coordenadora do Núcleo Clima e Mudanças Ambientais do Centro de Estudos Geográficos da UL

4 comentários:

João disse...

Vamos ter de mudar de Vida.

humano disse...

Gostaria de saber a opinião dos senhores convidados acerca de geoengenharia e alterações climaticas antropogenicas nomeadamente acerca de chemtrails que nunca sao abordadas quando nos referimos a esta temática.

João disse...

1- Reduzir drásticamente os consumos de energia...
2- Energia barata=Centrais Nucleares...

AlvBarito disse...

Sem dúvida que a intervenção humana tem influenciado as alterações climáticas do nosso planeta, contudo não são a única e principal causa para o mesmo estar a acontecer. As principais causas são naturais, ciclos planetários e cósmicos que a Ciência não tem ainda capacidade de compreender e explicar totalmente, como por exemplo o ciclo solar que está agora a entrar no seu "máximo" e que afeta de diversas formas o nosso planeta.

Penso que deveria de existir uma maior sensibilização para estas causas e os possíveis efeitos. Em relação à intervenção humana, sem dúvida que são necessárias medidas imediatas, não só para tentar minimizar estes efeitos, assim como tentar um melhor futuro para as gerações futuras.

A informação e conhecimento sobre estes temas são mais do que nunca essenciais, mas até data insuficientes para que aconteça a sensibilização e mobilização necessária.

Parabéns pela escolha do tema e para a equipa que realiza o "Sociedade Civil". :)