terça-feira, dezembro 13

Escola: exercício de cidadania

O ensino básico e secundário pode ser mais do que uma antecâmara da licenciatura? Pode ministrar outros conhecimentos que promovam a formação de cidadãos mais conscientes dos seus direitos e deveres? Pode ser um espaço de inclusão social? Que experiências existem neste âmbito no nosso país? E que projetos faziam falta às escolas nesta área da cidadania? Os problemas dos jovens nas nossas escolas estão relacionados com o afastamento dos pais da sua ação formativa?. Neste Sociedade Civil queremos olhar para os projetos educativos de sucesso e perceber de que forma a escola pode contribuir para um Portugal melhor.

Convidados:
António Ponces de Carvalho, Escola Superior de Educação João de Deus
Helena Gata, Pres. TESE
Pedro Calado, Diretor Executivo Programa Escolhas
Hermínio Corrêa, Confederação Nacional das Associções de Pais

4 comentários:

APGO disse...

Quero deixar os meus parabéns ao programa por, mais uma vez, trazer ao domínio público o que efectivamente interessa discutir ao nível da educação.
Enquanto elemento activo do processo educativo, além de pai fui durante anos membro da associação de pais das escolas por onde passaram os meus educandos e nunca, em espaços de discussão, a questão da cidadania foi tida como elemento fundamental para a educação. Hoje vemos toda a agressividade e falta de orientação dos nossos jovens, muitas vezes sem valores, talvez porque os pais se demitiram da função de educar.
Hoje os pais "despejam" os filhos na escola e esperam que de lá saiam educados. Essa não é a função da escola, à escola compete transmitir conhecimento e complementar a educação, trazida de casa.

APGO disse...

Boa tarde.
Não me parece que, quando o Ministério da Educação acaba com uma disciplina como Área de Projecto, onde os alunos interagem quer com a sociedade quer com outros alunos, esteja a contribuir para uma escola mais alargada, com horizontes para além da disciplina da sala de aula.
Bem hajam
David Almeida
Porto

APGO disse...

Boa Tarde
Deram o BOM EXEMPLO da Escola da Ponte, que já tive o prazer de visitar à alguns anos, pergunto... Porque não se replica este modelo de sucesso pelas outras escolas?
Qual a resistência que é colocada pelos senhores directores das escolas para não aplicarem esse mesmo método de ensino?
Cumprimentos

RIC disse...

Lamentavelmente, são sempre os mesmos a acrescentarem já muito pouco às questões de Educação.
E vai continuando a ser tudo abordado apenas pela rama...
Proponho a renovação das figuras presentes.
Aprecio o trabalho de Fernanda Freitas.