quarta-feira, novembro 22

PORTUGAL E ESPANHA - O QUE NOS UNE?

No primeiro dia de Dezembro de 1640 Portugal readquiriu a sua independência do reinado filipino. Uma semana antes desta efeméride, vamos olhar para as relações económicas, políticas e sociais entre as duas nações ibéricas. Ainda há possibilidade de uma nova união – política ou económica, ou ambas – na Península.

2 comentários:

odete pinto disse...

Muito gostava eu (e suponho que não estou só) que os Jornalistas pensassem na célebre frase "Espanha, Espanha, Espanha" e fizessem trabalhos jornalísticos sobre todas as áreas que esta aparentemente simples frase abrange.

Poderiam começar pela saúde e pelo SNS espanhol, que é praticamente único e universal.

Eu já fiz a experiência quando fui a um centro de saúde para inscrever toda a família de um filho meu que foi trabalhar para Espanha.
Disseram-me logo: primeiro têm que estar todos recenseados na freguesia. Disseram-me também que não queriam que tivéssemos problemas e que se fosse preciso um consulta naquele dia, não havia problemas.

Depois, noutro centro de saúde espanhol, entreguei o meu cartão SNS (magnético, moderno). Resposta: No sirve. No tiene sus datos!

Em Espanha não se paga taxas moderadoras. Os medicamentos são mais baratos.

Num hospital de Cáceres, entregam aos doentes kits de higiene pessoal que até inclui sais de banho. Nas casas de banho existem tapetes junto aos polibans.
Aos idosos que tenham dentes postiços é entregue uma embalagem selada contendo uma caixa ergonómica para guardar os ditos...

Mas os abusos são mínimos porque há um grande controlo - não há vinhetas, há carimbos oficiais, muito controlados, e os médicos não podem andar com receitas e vinhetas na mão para passar ao amigo, ao vizinho, pr'ó cão, pr'ó gato e pr'ó periquito.

Com uma lei muito semelhante à nossa, não é necessária mais uma lei de despenalização do aborto.

Os médicos em Espanha não são corporativistas.

Em Espanha, O CIDADÃO (cumpridor) CONTA!

Anónimo disse...

... de facto em Espanha o cidadao cumpridor CONTA... é uma diferença brutal quando comparado com alguns países...

näo é só na saúde.. no ensino, nos impostos... tao perto... mas tao longe...