quinta-feira, fevereiro 8

MATERNIDADE TARDIA

Ser mãe depois dos 40 é cada vez mais um desejo frequente. Terminar os estudos, a prioridade da carreira ou a infertilidade são razões para adiar o projecto da maternidade. Na Maternidade Alfredo da Costa, em 2004, 22% das mulheres grávidas com 40 anos estavam a ter o primeiro filho e 29% o segundo filho. Nas mulheres com 45 anos, 29% estavam grávidas do primeiro filho. E em mulheres na faixa etária entre os 25 e os 35 anos apenas 5% estavam a ter o seu primogénito.

17 comentários:

Joana disse...

Muitas vezes a maternidade tardia não é uma opção mas sim uma consequência por se ter optado por os estudos ou carreiras profissionais.
Eu tenho quase 30 anos, acabei os meus estudos e estou no desemprego, não tenho sequer namorado. Primeiro que tenha uma vida económica estável para poder pensar em ter filhos, claro que já vai ser tardiamente...
Eu hoje penso que provavelmente não valeu a pena ter apostado nos estudos e ter "sacrificado" uma vida que agora toda ela está a ser adiada...

Diva disse...

Boa tarde Sociedade Civil!

Tenho 19 anos e com a minha idade a minha mãe já estava grávida de mim. Claro que nessa altura já tinha desistido da escola e as prioridades eram outras para a minha mãe. A prioridade era casar e formar uma família.
Hoje, estou no 2º ano da faculdade. Tenho um curso para terminar, uma carreira para começar e por isso, mesmo que quisesse começar a formar família, só poderia fazê-lo depois de tudo isto, lá para os 30 no mínimo. Ainda mesmo assim não poderia ter um filho logo, pelo que ainda muitas das minha prioridades ainda estariam por se satisfazer.
Portanto... Na cultura em que vivemos, a idade biológicamente "ideal" para ter filhos é culturalmente precoce.

Manuela disse...

Boa tarde,

Eu tenho quase 39 anos, desde os 26 que tenho a minha situação económica e profissional estável.
Embora sempre quisesse ser Mãe, só aos 33 encontrei o homem certo para ser o Pai dos meus filhos.
Por isso, fui mãe pela primeira vez aos 34 e pela segunda vez á 2 meses, com 38.
Os meus 2 bébés foram planeados e desejados.
Para além da situação económica estável, é preciso um ambiente familiar estável também.

Manuela

Joana disse...

Supostamente quem sofre de infertilidade deve começar a fazer tratamentos desde cedo, mas o pior é que a pessoa pode nem sequer saber que é infértil e como a vida hoje em dia "obriga" a uma maternidade tardia, essa pessoa só saberá que é infértil, quando realmente quer ter filhos e se esta opção já é tardia, muito mais tardia acabará por ser a maternidade (no caso de poder acontecer).

Anónimo disse...

Se ao menos os homens também podessem engravidar...

Paula disse...

Boa tarde,
Tive há 4 meses um bébé, tendo na altura 45 anos. Engravidei sem querer, pois qd tentei engravidar a 3ª vez não consegui e desisti.Quando soube, fiquei um pouco perplexa com a idade porque alem da eventual deficiencia da criança, despistada com os exames pré-natais, há a diferença de idades entre mãe e bebé. Quando ele for para escola primária eu terei 50 anos! Não é que seja "velha", mas a diferença de idades é muito grande. No entanto, o facto de ter irmãs com uma idade intermédia descansa-me um pouco, mesmo na eventualidade de eu vir a faltar numa idade em que a criança ainda não seja auto-suficiente.
Ser mãe com esta idade é muito diferente, mas talvez mais satisfatório, porque há a tal maturidade de que falaram há pouco e uma forma mais doce de saborear a criança...

Anónimo disse...

Antigamente uma licenciatura eram 5 anos, a pessoa acabava com pelo menos 24 anos.

Mestrado, mais 2 anos. 26 anos.

Já nem falo em Doutoramento...

Arranjar emprego e criar condições económicas para contruir uma vida estável.

Já sem falar das condições que a Manuela focou e muito bem.

Quando teremos essas condições todas reunidas, já teremos trinta e tal anos...

Felizmente hoje em dia as licenciaturas são de 3 anos e mais mestrado são 5 anos...

Anónimo disse...

A vantagem que a Sra que foi mãe aos 67 anos (mãe mais velha do mundo) é que, como já está reformada, passa muito mais tempo com o seu filho.

Anónimo disse...

olá, boa tarde! como sempre é um prazer assistir ao vosso programa!
pois, relativamente às pressões do aparecimento dos bebés a partir do momento que casamos, poderá ter as suas consequencias negativas. quando casei, nao pretendiamos logo bebés, mas quando pensámos que seria o momento ideal para termos um filho, esse filho nao aparecia, as pressões da família e dos amigos começaram a ser "cerradas" e eu cheguei a ouvir do meu marido que "não era uma mulher como as outras mulheres porque nao lhe dava um filho". Acontece que o problema veio a revelar-se ser dele e depois ultrapassados os problemas, conseguimos alcançar o nosso sonho: ter um filho. O que eu quero realçar com a minha experiência é que nós enquanto jovens, pensamos que um filho vem quando quisermos, mas não é bem assim e o factor idade vai sendo um obstáculo para se ultrapassar dificuldades que poderão surgir.

Andreia disse...

Boa tarde,
Tenho 22 anos e, neste momento adorava ser mãe... mas torna-se difícil na situação em que me encontro, que é a mesma em aue se encontram nuitas mulheres da minha idade.. Estou a estudar e, como tal não tenho condições financeiras para tal.. ainda me falta um ano para terminar o meu curso e, depois disso ainda tenho que contar com um período de tempo em que vou ter que procurar emprego e mais um período em que vou ter que procurar algum equilibrio económico... Torna-se difícil nesta situação concretizar o meu desejo, e, assim sendo, terei que contribuir para o número de mães tardias, com muita pena minha! :)
Andreia

Andreia disse...

Há uma questão em que tenho algumas dúvidas: Qual é a idade a partir da qual existem maiores riscos de a criança ser deficiente?

Anónimo disse...

boa tarde
hoje em dia e com as dificuldades que existem para arranjar emprego, um recem licenciado tem de ter pelo menos 3/4 anos para se organizar... ou seja acabando a faculdade aos 24/25 so aos 28/29 e que se pode começar a pensar nisso.
eu e a minha namorada ja vivemos juntos e estamos ambos no ultimo ano da faculdade... nao podemos ser ja pais, nao por falta de vontade mas por falta de condições, ja que como diz o reclame nos nao temos pais ricos!!!

Isabel disse...

Eu sou mais um dos casos em que não gostaria de ter filhos tardiamente, mas com 24 anos também não tenho condições para os ter.

Anónimo disse...

Bom dia.

Mais uma vez, felicito o programa pela escolha do tema!

A maternidade tardia, é cada vez mais uma realidade, e no futuro as suas percentagens por certo que crescerão, fruto da sociedade actual. Pelo que, quaisquer programas que abordem este facto, nunca serão demais!

Assim, para todas as mães "tardias" que na sua intenção de engravidar ou nas suas dúvidas, tenham alguma preocupação ou apreensão, venho recomendar um livro fantástico de 160 páginas que aborda o tema nas suas múltiplas facetas:

"Concepção e Gravidez Depois dos 35", de Dra. Laura Goetzl, Editora Civilização, Porto. Custa pouco mais de 15€ e vale muito a pena.

Andreia de Jesus.

Anónimo disse...

Olá!
Tenho 27 anos e estava tentando engravidar a 5 anos. Hoje simplesmente não aguento falar em gravidez. Acredito que tenho outras coisas mais importantes que devo priorizar. ´Tenho uma vida tranquila com relação ao trabalho e conquistei isto deste os 19 anos. Já fiz faculdade estou terminando minha pós-graduação. Hoje não tenho filhos como prioridade em minha vida. Aliás, sinceramente, nem desejo tê-los.

Sexy girl disse...

Bem, fala-se de maternidade mas tmb se pode falar em paternidade! O meu bisavô na minha idade já tinha o irmão mais velho da minha avó paterna (teve-o com 20 ou 21 e a minha bisavó tinha 25 -eu tenho 22 anos, feitos há cerca de 2 meses, em Fevereiro de 2007), q tem hj 81 anos. A minha avó é a 2ª e vai fazer 79 anos. A seguir tem uma irmã com 76 anos e por ultimo um irmão caçula com 70, ou seja, o meu bisavô teve os filhos mais velhos novinho! A minha avó e o meu avô só tiveram o meu pai, q hj tem 52 anos e a minha mãe 54, q teve um aborto espontâneo aos 3, 4 meses de gravidez, 5 anos antes de mim, portanto esse meu irmão teria 27 anos, mas na prática sou eu a única filha, eu nasci qdo os meus pais já estavam na casa dos 30, e eu não acho de todo k tenha sido tardio. Aliás, há imensos extremos, pois o meu tio avô de 70 anos teve 4 filhos, 2 de cada casamento, e tem 3 netos, estando a mais velha com 17 anos e o neto mais pequeno com 5, o filho mais velho tem quarenta e tal anos, o segundo já tem qse 40, a sua primeira esposa tem quase 70 anos, e esta segunda tem 63, e em comum eles têm 2 filhos, uma com 33 anos e um filho mais novo k vai fazer 24 anos, e é primo direito do meu pai, q tem uma prima direita mais velha, de 56 anos, filha mais velha do meu tio avô de 81 anos (q tem 2 filhas, essa de 56 e a outra de 50 e a esposa tem 80, vai fazer 81 em Junho) tem 3 filhos, os mais novos vivem com ela e são, ela uma rapariga de 25 anos e ele um rapaz de 23. O irmão mais velho deles tem 30 anos, casou-se e tem um filho de 2 anitos. Agora, acho k ser pai e mãe aos 30 e tal anos não seja ser pai ou mãe tardios, perto de 40 talvez. E abaixo dos 25 é mto cedo. E ainda tem a minha tia avó de 76 anos q se casou aos 20 anos com um rapaz de 18. Ela hj tem 76 anos e o marido tem 74, e eles tiveram 3 filhos, sendo q o mais velho tem 54 anos (qdo ele nasceu o pai tinha apenas 19 pra 20 anos). Agora desta gente, o meu tio avô mais novo é quem mais foi pai tardio. E eu ainda me lembro mto bem do meu bisavô, ele começou a trabalhar mto cedo, aos 15, 16 anos já levava dinheiro pra casa depois de trabalho árduo nos campos alentejanos, a minha bisavó conheceu-o qdo ele tinha uns 16, 17 anos, e engravidou dele qdo ele tinha cerca de 20 anos, mas ele prórpio tinha consciência plena das suas responsabilidades e assumiu-as, casando-se com a mãe q esperava um filho seu. Ele já morreu com 96 ou 97 anos há cerca de 6 anos e meio mais ou menos. Ela morreu um pco mais cedo, aos 90 anos, eu era mto pequenina. Agora, destes "quadros" todos, acho k dá pra ver os contrastes, não?

Anónimo disse...

VAVAN diz...
Boa tarde
Tenho 29 anos formada em pedagógia, inciando licenciatura em computação e não sou mãe por vários fatores, um deles é não ter mãe para cuidar de mim quando, estiver precisando durante a gestação e o parto.
Outro ponto é a estabilidade financeira minha e de meu esposo, pois somos contratados e a qualquer momento podemos perde o emprego.No entando estou sendo muito precionada pelo meus irmãos, marido e colegas de trabalho.