quinta-feira, março 15

AQUECIMENTO GLOBAL

O aquecimento global é um dos fenómenos ambientais que mais preocupa a comunidade científica e que já está a afectar a costa portuguesa – as subidas das águas na Caparica e em Esmoriz. Mas o fenómeno é mais extenso, o aumento da temperatura média da Terra, o degelo dos pólos, entre outros sintomas que em muito se devem ao não cumprimento do Protocolo de Quito por parte de alguns estados. Com os melhores especialistas queremos saber se ainda estamos a tempo de equilibrar o planeta ou se a Terra tem os dias contados.

7 comentários:

Pedro Pinto disse...

Boa tarde, costumo ver o programa sempre que posso, acho-o muito interessante tal como outras programações da Dois.

O aquecimento global é algo que nos toca a todos e algo que temos de começar já a trabalhar. Não podemos esperar que sejam os chefes de estado ou os cientistas a resolver. Cada um tem o seu contributo. O aquecimento global é problema de mentalidade e cultura. Eu acho tremendamente ridículo haver um anuncio diário na televisão sobre reciclagem...será necessário gastar-se milhões de euros em publicidade sobre algo tão simples? Onde está o bom senso das pessoas? Um outro ponto que quero focar é sobre o automóvel. Vi no programa que 50% do aquecimento goblal provém do automovel...pois bem, temos como exemplo claro uma sociedade como a norte americana que cada veículo gasta em média 20 L/100km, se cada um tivesse um automóvel que gastasse 5L/100km o mundo seria muito melhor. Na Suécia, Holanda entre outros países europeus as pessoas deslocam-se de bicicleta para os seus empregos, porque não fazer estradas com pista para ciclistas? Bem, esqueci-me, nem passeios para os peões têm!!!

À uns dias recebi um email sobre a Noruega, e achei interessante um dos parágrafos que passo a citar:

"Numa crónica inspirada, o correspondente da TSF naquele país, afiança que os ministros não se medem pelas gravatas, nem pela alta cilindrada das suas frotas. Pelo contrário, andam de metro, e não se ofendem quando os tratam
por tu. Aqui, cada ministério faz uso de dezenas de carros topo de gama, com vidros fumados para não dar lastro às ideias de transparência dos cidadãos. Os ministros portugueses fazem-se preceder de batedores motorizados, poluem o ambiente, dão maus exemplos e gastam a rodos o dinheiro que escasseia para assuntos verdadeiramente importantes."

Para mudar a mentalidade das gentes convém ter-se exemplos dignos disso...ao que os nossos chefes de estado parecem não o fazer. Isto deixa-me revoltado, pois temos um país com um clima excepcional, e estamos a destrui-lo e, a destruir a natureza mundial.

Navigator disse...

Acreditam na componente ambiental no calculo do imposto automóvel?Acreditam que a EDP quer ligar o produtor independente ao mesmo tempo que financia "criminosamente sistemas de ar condicionado e e de aquecimento de eficiencia tb criminosa".O gpl esqueceram-se dele?Continua a queimar-se na cha miné do poço?A poluição é só dióxido de carbono?Um consorsio alemão quer montar a maior central fotovoltaica do mundo no alentejo há 5 anos no alentejo?Pq?Facultem-me o telefone do programa para eu mostrar como alguns ambientalistas são ingénos mal informados e só ajudam os políticos a arranjar desculpas para fazer novos impostos.3 minutos por favor!

Ponto Verde disse...

Parabéns pelo programa de hoje e pelos convidados trazidos para discutir este tema, nomeadamente a Drª Luisa Shmidt.

O tema é transversal á sociedade e enfrentá-lo tem a ver directamente com mudanças de atitudes , do Estado ao cidadão comum.

Ao Estado cabe dar orientações , nomeadamente fiscais, taxando de forma mais baixa os produtos ou formas de energia ou de locomoção mais amigas do ambiente . A Nível das autarquias, há que pôr um travão à expansão urbana , ao uso desregrado de recursos locais e à deflorestação, criando ciclovias e cidades amigas do cidadão (e do peão).

A nível do cidadão é preciso que a sociedade civil se mobilize para pedagógicamente criar novos hábitos, novas mentalidades e uma maior cultura ambiental e de sustentabilidade.

Neste enquadramento, programas e debates como o de hoje fazem falta, nunca são demais e sim sempre bem vindos. Mais uma vez os parabéns do www.a-sul.blogspot.com

Mario J Alves disse...

Sobre o efeito da mobilidade nas alterações climáticas e possíveis soluções, ver este vídeo espanhol de cerca de 7 min:
Muévete con el planeta!

washthehands disse...

Olá Fernanda!
e como costumo ver o programa, na maioria das vezes de madrugada...
...lindas horas para se repetir um programa desta qualidade, onde eu mais meia duzia de espectadores que não têm sono...
...mas o tema de hoje, é que foi de arromba!
"Aquecimento Global"
coisa séria e sem fim á vista, além do mais temo que o fim seja de tal forma drástico para a humanidade que não fica ninguém para comentar...e nós humanos temos(alguns) a possibilidade de nos podermos refugiar, nem que seja por momentos, dado que quando acontecer na sua plenitude toca a todos, mas os animais, esses são os primeiros a desaparecer sem chance de fuga!

Quanto á manobra de se colocarem paredes na Caparica ou seja lá onde, a suster o Oceano, é mais uma questão de tempo até que este inunde plo Tejo ou pela costa de Espanha...veja-se a grandeza do aparato que pode causar!

Não sendo expert na matéria, receio que já não haja retrocesso, caso não se contamine mais a partir deste momento, quanto mais projectar para 2020 reduções de 20%.
São ideias!!! dos governantes da humanidade, que poderam ser daqueles que se refugiam por momentos, mas se não desaparecerem primeiro devido á idade avançada, também não escapam.

Ora, com o meu passam a ser 5 posts, muito pouco para um tema tão delicado!

Fique bem e continuação de bons programas!

Anónimo disse...

Tenho um pequeno jardim onde em tempos pantei duas palmeiras, neste momento uma delas atingiu uma altura enorme, cujas raizes estão já a prejudicar os alicerces da casa, queria saber se há alguma entidade que me possa resolver esse problema, dado que ñ tenho muitas possibilidades financeiras.
Obrigada
M. Teresa Ramos
Lisboa

SemSono disse...

/
Nos países a norte onde o frio é constante circula-se de bicicleta, em PT anda-se de A/C, logo gasta mais combustivel e todos andam de carro, alguns porque trabalham longe da porta, os outros porque gostam de passear de carro.
Os carros antigos e mais poluidores são bastantes porque não há condições para comprar mais recentes e futuros carros mais limpos são caros para o português que gosta de andar de carro todos os dias.
Um link a ver!
http://www.malhatlantica.pt/cnaturais/entrevista_Aq_Gl.htm