sexta-feira, março 23

GERIR DÍVIDAS



A maneira mais rápida para controlar as dívidas é, simplesmente, parar de gastar. Mas há outras formas para reduzir o endividamento das famílias – truques tão práticos como deixar de usar cartões, consolidar todas as dívidas num só crédito ou fazer um plano mensal de gastos. Conheça neste SC uma verdadeira “dieta de dívidas”.

24 comentários:

Lina disse...

Sem dúvida que a melhor maneira de gerir as dívidas é nunca chegar a tê-las!

Eu sou da opinião em que não se deve adquirir bens sem ter dinheiro para o fazer, ou seja, por exemplo se eu pretendo comprar uma televisão, apenas o faço quando tenho a totalidade do dinheiro para o fazer, nem que para isso tenha que esperar mais tempo.
Só não o faria no caso da compra de casa ou carro ou outro bem de valor bastante mais elevados, caso contrário teria de esperar uma vida inteira e ainda corria o risco de nunca poder usufruir deles…

O problema das pessoas é que preferem ter tudo mesmo sem ter dinheiro para poder pagar, depois ficam super endividadas e deixam de ter vida própria, ou seja, vivem apenas para o(s) trabalho(s) e não aproveitam a essência da vida, que é muito mais que trabalhar e de ter bens materiais acessórios (claro que não me refiro aos bens essenciais).

Daniel Marques disse...

Eu pratico a mesma filosofia da "lina".
Outra coisa que rejeito é o uso de cartões de crédito, optando apenas pelos cartões de débito. É para mim mais confortante ter dinheiro meu guardado para uma emergência do que ficar a dever ao banco. Além disso poupo nos juros.
Outro ponto importante é que um país endividado não é saudável. Com esta psicose dos créditos para tudo até os bancos portugueses se endividam no estrangeiro.

roler3 disse...

Olá Fernanda Freitas,

Na minha opinião a melhor forma de controlar as dívidas, é ter a real consciência do verdadeiro rendimento familiar. Mas como vão os portugueses controlar as suas dívidas com salários que a nível do salário médio europeu, são considerados salários de miséria?
Muitas das vezes, os portugueses são obrigados a individarem-se para fazer frente ás despesas correntes. Os governos e as empresas, têm que ter a responsabilidade social de conferir aos portugueses e aos trabalhadores salários condignos e o mais aproximado possivel da média europeia. Porque se somos europeus para pagar, deveremos ser também europeus para receber.

Os patrões portugueses e os empresários têm que ter uma visão social e familiar dos salários que conferem a quem os ajudam a criar riqueza e não terem só uma visão economicista em busca dos altos lucros.

José Maria Bompastor/Vila do Conde

Navigator disse...

O crédito consolidado por ser um pau de dois gumes:baixar prestações atraves de aumento de prazo significa pagar mais juros e ficar com a corda no pescoço mais tempo.O argumento usado na peça de até se poder pedir mais dinheiro novamente parece-me a argumentação com um sentido divergente do pretendido pelo programa.

Cláudio disse...

Dívidas... pois... no nosso século XXI ter dívidas já é quase normal como respirar ou ir para a escola.

Eu ainda sou muito novo, mas acho que tenho um sentido para o dinheiro... ao contrário dos meus pais, que, logo que recebem os seus ordenados, vão gastá-lo em compras... compras desnecessárias, na minha opinião.
Acho que eles têm um problema com o dinheiro, ou melhor: não o sabem gerir... e agora até me pedem dinheiro a mim! O dinheiro da minha bolsa de estudo, que, obviamente, preciso eu para os meus estudo na universidade...

Isto faz-me pensar no que é que os meus pais iriam fazer, se não tivessem o dinheiro da minha bolsa de estudo? Provavelmente iriamos passar fome...

Navigator disse...

Atenção tb ao facto de que ao renegociar outros créditos,tendo-se de fazer reembolso antecipado dos mesmos são aplicadas penalizações sobre o montante em dívida,cobradas pelas entidades financeiras para evitar a interrupção dos contractos.Já ouvi falar na possibilidade do banco de portugal colocar um limite a estas penalizações.Isso já foi feito?

Navigator disse...

Não se esqueça que o crédito consolidado representa renovar uma hipoteca!Ou seja se quiser que os seus créditos ao consumo com taxas superiores à do crédito habitação sejam englobados no credito da sua casa paga por exemplo em metade,o valor da hipoteca irá subir novamente e é exatamente por o banco passar a ter a sua cas como garantia de novo que lhe baixa a taxa!

Navigator disse...

Uso cartão de crédito desde a minha adolescência e raramente paguei juros pela sua utilização.Facilita-me a gestão de "picos" na contabilidade.Existe a modalidade de pagamento a 100% que permite um empréstimo gratuito até 50 dias.Inclusive tenho cartões onde nem pago anuidade pela sua utilização atingir determinado limite.É uma questão de ser dono do cartão e não ser possuido por ele.Acho as dicas do tipo esconder os cartões desresponsabilizantes e apenas aplicaveis a casos de patologia que tb existem(e aí até compulsivamente se necessário).Concordo por isso com o comentador que insiste na educação para o consumo.

Navigator disse...

No crédito individual pratica-se em norma 5%!

Navigator disse...

Isso pode inviabilizar o crédito consolidado!

Pedro disse...

Há um ano adquiri casa e pedi simulações em vários bancos.

Como é normal, pedi simulações com cenários de aumento de juros.

No meu caso imaginei aumentos de 1 e 2 pontos percentuais. Num dos bancos riram-se e perguntaram-me se achava mesmo que os juros podiam vir a subir 2 pontos percentuais, o que achei curioso, uma vez que na altura em que pedi o empréstimo, os juros estavam no seu ponto mais baixo e com forte tendência de subida.

Hoje, passado um ano, a prestação desse empréstimo aumentou 100€, mas podem aumentar mais 200€ que não teria problemas, porque deixei uma boa margem de segurança para não ter problemas com o aumento dos juros.

Prefiro ser pessimista ao planear o futuro do que ser optimista e ter surpresas desagradáveis.

Aconselho todos os telespectadores a fazerem o mesmo.

Navigator disse...

O custo de um crédito está longe de corresponder ao valor da prestação dado pela simulação.As despesas com o seguro e de processo podem significar que um crédito com uma prestação mais alta seja mais barato que que um com uma prestação mais baixa.Por isso tb me parece importante denunciar que a lei continua a não ser praticada no que toca a indicar explicitamente a TAEG para além Taxa Nominal.A comentadora da Deco saberá ao que me refiro a nível de consequências.

Navigator disse...

Se calhar o que os jornalistas desportivos as vezes acham incontornável corre o risco de ser incendiário.Porque não digerir a questão depois do jogo?Sou tão inocente...

Navigator disse...

Provavelmente ficariam endividados se não o fizessem.Mas não é bom que seja assim!

Manuel Félix disse...

Para os casos das pessoas que queiram tentar oportunidades de negócio que lhes possibilite ganhar um rendimento extra em part-time/full-time, sugiro-lhes que vão a www.vivercomsucesso.com.

Digo-lhes, tem sido A SOLUÇÃO para muita gente.

Navigator disse...

Algumas (poucas)juntas de freguesia pagam parte ou a totalidade de dívidas a idosos e pessoas necessitadas.Mas alguém tem de se informar por eles.Perguntar não faz mal.

Navigator disse...

Tb pode consultar A SOLUÇÃO em www.aesperadeummilagre.com
PUB?

Martinho disse...

Oh sr. Manuel Felix escusava de vir fazer publicidade a produtos de dieta... O tema do programa não tem nada a ver com isso.

Navigator disse...

O pémio Nobel do Microcrédito esteve em Lisboa ontem.

Navigator disse...

Não é uma nova categoria do Nobel Prize sou eu que não sei escrever.Boa tarde.

Manuel Félix disse...

Lamento que tenham visto o meu comentário como publicidade.

Não se trata disso, mas sim mostrar às pessoas interessadas em dar um "pontapé" na crise, que tanto eu como muitas outras pessoas o fizeram com esta oportunidade de nagócio.

Bom Fim-de-semana para todos.

Navigator disse...

Um programa que suscita o interesse em quem possa ter dívidas ,principalmente por falta de informação(que cívicamente os participantes no programa e no blog tentam fornecer),e a sugestão de uma actividade intensiva baseada em persuasão e capacidade de utilizar novas tecnologias,parece-me no mínimo inopurtuno sr manuel félix.Para um vendedor de sucesso talvez seja um lapso de avaliação do target ou perfil da sua informação.Daí algumas reservas.Mas quem sou eu para julgar a sua boa vontade?Que continue com o seu sucesso é o que lhe desejo.

Nmensis disse...

Os grandes culpados são, sem contar com a crise que o país atravessa, o sistema capitalista e a sua sociedade materialista e consumista.
Muitas vezes são as pessoas as grandes culpadas que querem ter tudo o que é superfluo só porque está na moda ter um móvel topo de gama, ou um relogio Rolex, etc etc.

Anónimo disse...

www.solucoesintegrais.com.pt