segunda-feira, março 26

O QUE MUDA NA SEGURANÇA SOCIAL?

As mudanças recentes na Segurança Social afectam milhões de portugueses e levantam várias dúvidas. O que muda? Para quem? Quando? O Sociedade Civil, com os especialistas dos seus parceiros, quer explicar a mudança e apontar os caminhos a seguir no relacionamento com a Segurança Social.

36 comentários:

Anónimo disse...

Além de outras entidades do estado, a Segurança Social deverá ter como prioridade nas suas competências, a questão de trabalhar no sentido de ajudar a minorar os problemas sócio-económicos da população, apoiando aquelas pessoas com poucos ou nenhuns recursos económicos, como os sem-abrigo, de forma a terem uma vida minimamente digna.

No entanto parece-me que muitas das regalias e programas que visavam esses objectivos, foram e estão a ser prejudicados pela deslocação de verbas para outros projectos megalómanos menos importantes e que favorecem sim, as empresas e políticos, e não aqueles que mais precisam.

Uma verdadeira democracia é aquela em que todos têm apoios e oportunidades iguais, onde a pobreza é diminuída ao máximo. Um dos melhores exemplos disto, é a Suécia.

Paulo

Anónimo disse...

Tenho 28 anos e apenas consegui um mês pagar a segurança social. Trabalho há três anos. Há pouco tempo dirigi-me à segurança social, pois quero saldar de uma vez por todas com a minha dívida. Ao que me responderam que só poderiam estabelecer um plano pagamento quando o meu caso estivesse no contecioso. Como é que é possível que se arraste mais esta situação querendo eu pagar, na impossibilidade de saldar a dívida na totalidade?

Anónimo disse...

Boa tarde, gostaria de saber, qual a resposta á pergunta, se concorda com a reforma, aos 65 anos, feita a pessoas que têm trabalhos pesados, e que neste momento já têm 42 anos de descontos.Será que como aquele senhor jovem que há pouco falou, também têm repúdio a pensar descansar um pouco no banco de jardim? pois quem tem agora 42 anos de descontos começou a trabalhar com cerca de 14 anos, será que esses com os trabalhos duros, conseguirão aguentar até aos 65? gostaria de obter uma resposta a esta questão. Maria

JDSFB disse...

Ex.mos Senhores,

Gostaria que reflectissem sobre a possibilidade de uniformizar as reformas/pensões para todos os cidadãos para um valor de mil euros (1000€), uma vez que a função e actividade como pensionista é igual ("Para trabalho igual salário igual").
É incrível a disparidade entre pensionistas com 350 euros e outros com 15 000 euros.
A verdadeira reforma dos pensionistas da função pública seria a uniformização da pensão para todos os funcionários. A solidariedade intergeracional... é fundamental.

Inês disse...

Tem razão o professor de Educação Física. Passei pelo mesmo prolongamento da corrida até Cascais e passei-me...

Ainda mais nos amargura ver que enquanto obrigam os mais velhos a prolongar o esforço da corrida, estão a impedir os mais novos de começar a correr. Eles que já fizeram os exercícios de aquecimento e estão prontíssimos para dar o seu melhor.

Corrijo o professor de Português, que é jovem demais para entender do que aqui falou: não foi no tempo de Guterres que apareceu a reforma antecipada. Foi Cavaco Silva quem determinou a possibilidade de comprarem anos de reforma, pagando os descontos desses anos.
E há muitas pessoas 'entaladas' no sistema, que Ferreira Leite cancelou. Foi desde aí que cada governo que entra corta mais um bocado!

JDSFB disse...

Ex.mos Senhores,

A idade da reforma não deveria ser ponderada de acordo com a função/penosidade/risco que se exerceu no decorrer do exercício profissional?

Possivelmente existem profissões que poderiam e deveriam trabalhar até aos 70 anos... pois a penosidade física e os riscos associados são diminutos.

Navigator disse...

Fala-se em espectativas e em alternativas.E diz-se que isto era previsivel.Somos todos inocentes e não fazemos nada?E aqueles que não foram "irresponsáveis"e fizeram planos de poupança reforma baseando-se em determinados benefícios fiscais?Foram gozados pelo jogo de alteração dos benfícios fiscais depois de assinarem contratos,em média a 30 anos.Ficaram com o pé de meia congelado.Quem quiser desistir de ter poupado depois de se ver defraudado tem de esperar 8 anos para cancelar o contrato sem perder dinheiro!Imagine-se que o professor que agora tem de "ir para cascais" tb teria feito um PPR.Aonde está o estado de direito?E esse estado que desempenho tem tido no combate à fraude?

JDSFB disse...

Todos os pensionistas deveriam ter a mesma reforma, independentemente dos seus descontos, pois "o trabalho é o mesmo". A isso se chamaria solidariedade intergeracional... que é o que falta.
Por exemplo, um funcionário que tem um vencimento de 5000 euros/mês ao longo da sua carreira conseguiu obter uma poupança e efectuar investimentos que outro funcionário com 400 euros/mês não conseguiu concretizar. Por isso mesmo, se tanto um como o outro ficassem com uma pensão de 1000 euros... o benefício era mútuo. E a qualidade de vida melhoraria significativamente no final da sua vida para um e não pioraria para o outro que teve um vencimento mensal que possibilitou investimento e poupança significativa.

Tiago disse...

Engraçado falarem que emigrantes aceitam fazer certo tipo de trabalhos que os portugueses recusam. Alguns trabalham até ilegalmente. Talvez os portugueses devessem trabalhar nessa situação também?

E porque é que trabalhos de que todos usufruem (em contraste com o tal valor acrescentado) como alimentação e construção sempre dependem de trabalho precário?

Tiago disse...

Queria dizer imigrantes.

JDSFB disse...

Porque é que existem estas disparidades de 230 euros e pensões de milhares de euros?

Quem contribuiu mais... em mais capacidade de poupança e investimento.

JDSFB disse...

UNIFORMIZEM AS PENSÕES, assim como, a idade de reforma em função do risco/penosidade.

Rosa disse...

Queria saber como é que é feito o novo cálculo para a reforma. E quando é que começa a ter efeito este nova fómula?

Anónimo disse...

Boa tarde,

A Segurança Social não tem dinheiro, mas uma empresa que tem dívidas á Seg.Social desde 6/2006 quis aderir ao Programa Viavél e a resposta da Seg.Social foi: Teêm de aguardar pela citação. E a empresa aguarda por isso á mais de 9 meses.

Anónimo disse...

Sugiro que a sra jornalista também vá limpar escadas se ficar desempregada.
Lembre-se que os Ucranianos têm que se subjugar ao trabalho pouco qualificado apesar das suas habilitações porque o governo ucraniano foi incompetente no aproveitamento dos recursos humanos e a Ucrânia tem problemas económicos e político.
Só mesmo uma jornalista pouco preparada para dizer um disparate desses. Desperdiçamos milhões na formação das pessoas para depois as colocar em trabalhos para os quais não precisam de nenhuma qualificação. Que disparate Sra jornalista, pense antes de falar.

Navigator disse...

A poucos anos aconteceu a muita gente que se deslocou ao centro de segurança social para confirmar os seus descontos ter como resposta isso não ser possível porque devido a um problema com uma alteração com a plataforma informática os dados perderam-se!Quais os prejuizos desta incompetencia?Que fiscalização se pode fazer à fraude quando os dados desaparecem?Aonde está a solideriedade geracional?Não terei direito a governantes mais "solidarios"?

JDSFB disse...

Analisando a lista de aposentados de Abril de 2007 da CGA, conclui-se que por cada ministério se poderiam somar todos os valores das pensões e dividir pelo número de pensionistas e todos ficariam com uma pensão considerável. por exemplo, na Guarda Republicana existem disparidade entre uma pensão de 224,95 euros e 3013.01 euros... o mesmo para os outros ministérios.

Anónimo disse...

Julgava que era portugûes! Contribui 31 anos Seg.Social, estive 40 meses na tropa, 27 dos quais na guerra, trabalho à 8 anos numa camara municipal e para me reformar sou altamente penalizado em todos os calculos de pensão.

Anónimo disse...

Boa tarde.
Tenho 26 anos e trabalhei 2 anos num colégio como psicóloga. Fiquei desempregada e comecei a receber o subsídio de desemprego. No entanto, comecei a trabalhar como independente mas com rendimento inferior a 50% o salário mínimo nacional. A Seg. Social continuou a pagar-me o subsídio com base numa dada cláusula do Subsídio. Estará correcto?

Anónimo disse...

Gostaria de uma apreciação dos convidados em estúdio sobre a seguinte questão: Considerando o elevado número de desempregados de muito longa duração, pode a situação de desemprego considerar-se uma "armadilha"? Voluntária ou involuntária?

Navigator disse...

Eu sou contra a privatização progressiva da segurança social a que parece que neste programa se vai chamar de alternativas,embora ainda não se tenha chegado lá.Os que têm dinheiro poderão ter acesso a essas "alternativas" e assim irão fugir do sistema estatal aqueles que poderiam dar um maior contributo se houvesse coragem para isso.Mas havendo essas alternativas o estado não deverá regular aquilo que deixa fugir da sua alçada?Que regulamentação se produz contra as inumeras discriminações e outros excessos praticados pelas companhias de seguros?Por exemplo ,neste momento o segurado de um seguro de saúde é descartável.O contrato é anual e só é renovado se a companhia quiser!Ou seja se gastar muito no ano anterior provavelmente não o será.Não iludam as pessoas pq neste estado de coisas nem com dinheiro se tem segurança!

Navigator disse...

A não ser claro que saiba investir em fundos accionistas e aí sim rentabilizar as suas poupanças.Como todos podemos fazer...

Navigator disse...

E lá se foram as "alternativas"!Apenas se referiram de modo a indignar ainda mais quem pouco ou nada tem!Aprenda a investir!Mande o seu pé de meia para empresas e receba delas um pouco do que lhe tiraram ao longo da vida:o seu trabalho convertido em lucro.Pelos menos estas sabem o que andam a fazer!Os governos são apenas os fantoches da globalização!

Navigator disse...

O sr.ministro da saúde anunciou recentemente em conferencia de imprensa que as juntas médicas vão ser reforçadas.3 em cada uma pessoa com baixa será chamado.Para combater a fraude não vejo mal nisso.Mas quando os "médicos" das juntas começarem a aplicar os seus critérios "admnistrativo-não científicos",o que vai baixar serão mais as baixas não reconhecidas do que as fraudulentas.E iremos bater palmas quando se anunciarem a diminuição de despesas à custa dos "mentalmente frageis" e abusadores depois daquelas "modernices" como os assedios morais,sexuais,as depressões,etc.Assisti a uma tarde de juntas médicas hà cerca de 4 anos.Todas as baixas foram retiradas em menos de 10 minutos de atendimento.(um serviço rápido)A excepção foi um rapaz de 20 e poucos anos sem cabelo e acompanhado por dois amigos que me mostraram o seu processo clínico:uma leucemia sem qualquer possibilidade de tratamento.Perdeu o cabelo tinha os olhos encovados e a pele pálida para ganhar tempo.Os processo era cerca de um quilo de papel com exames repetidos entre os quais o de uma anterior junta médica.Foi quem viu a sua baixa reconhecida mas tb foi quem esteve lá dentro cerca de 40 minutos.A saída ostentava um sorriso que tinha de tão corajoso como de chocante:terá sido este tempo bem gasto?Para que anda este rapaz preocupado com a possibilidade de um computador o chamar.Se ainda resiste como resistem os testemunhos reais do blog sobre assédio terão de perder pelo menos uma das suas horas de psicoterapia(cara e para quem pode) a contar estes dramas que se avizinham!

Navigator disse...

correção:uma em cada três,como é obvio.

Alexandre disse...

Tenho 36 anos,fiquei desempregado á cerca de 2 meses e meio.Sou "era"trabalhador/estudante.A minha esposa tem 37 anos e como ela tem observado,está "relativamente velha"para trabalhar!!!Comecei a trabalhar com 16 anos(quando acabei o ensino secundário)agora que até estou a acabar o meu curso superior sou despedido pela entidade patronal com evocação de justa causa(entre as quais o facto de faltar nos dias de exames,mas,isto não é expresso na nota de culpa de que fui alvo,somente consta "falta de assiduidade".
Tenho 2 filhos menores com 3anos e outro com 18meses.Tive que esperar 30 dias uteis para receber apoio judiciário para impugnar o meu despedimento,continuo á espera que analisem o meu processo na Seg.Social para receber o subsidio de desemprego e,o pagamento do meu curso a ganhar juros de mora,a minha renda de casa a ganhar juros de mora,o dinheiro que tenho de pedir emprestado envergonhadamente porque sempre trabalhei igualmente e, a Seg.Social até agora...nada.Os meus filhos, começa-lhe a faltar o básico.Resumindo:sem fazer por isso,muito pelo contrário,vejo-me num número infindável destes casos e outros e depois de ver o Sr.Director da Seg.Social no programa a falar gostaria que ele me dissesse o que faria...mas a mim e á minha família resta-me ESPERAR e DESESPERAR e CHORAR escondidos...dos nossos filhos.

Navigator disse...

Não me referindo a periodos concretos,a governos em geral,etc;pretendo que não haja cor política em qualquer dos meus comentários.Eu sou apenas partidario de um desenvolvimento sustentável para a biodiversidade e para a humanidade.

Navigator disse...

Alexandre,se o apoio judiciário que aguardou consiste num advogado oficioso nomeado pela segurança social após terem verificado a sua incapacidade para pagar o mesmo tente primeiro expor o seu caso ao procurador do tribunal de trabalho da area da sede da empresa para a qual trabalhava.Talvez consiga um apoio diferente ou pelos menos novas informações ou uma segunda opinião.Depende do tribunal mas tente!Peça se ainda não tiver os comprovativos das faltas ao abrigo do estatuto de trabalhador estudante.

Navigator disse...

Se avançar com a defesa oficiosa e o seu caso se resume ao que expôs,confronte o seu defensor oficioso com a probabilidade de sucesso.Se este não lhe parecer muito seguro tente contratar um advogado especializado nestas questões.

alexontheroad disse...

Neste momento só me ocorre dizer isto...apesar dos feitos recentes do nosso desporto e de alguma(pouca)forma de esses feitos mostrarem ao mundo aquilo de que os Portugueses são feitos e nos fazerem "esquecer" alguns problemas pessoais e nacionais...não me sinto orgulhoso de ser português!!!

Navigator disse...

Veja se na sua junta de freguesia não é possível marcar uma consulta com um advogado que mesmo que não o possa defender possa avaliar a situação.Não dê passos em falso a fazer o que os funcionários da S.S ou I.G.T. lhe forem dizendo.Boa-tarde.

alexontheroad disse...

Sr.João Mendes obrigado pela ajuda mas essa parte já foi feita.Oque acontece é que o tempo passa e as dívidas vão ficando e aumentando porque com o subsídio de desemprego a demorar como está e até,pelo que me dizem vai demorar assim como a impugnação do meu despedimento...só me resta mesmo algo como o programa simplex na Seg. Social ou na Justiça.

Navigator disse...

O professor de português ainda não tem dores nas costas por isso tá com tanta energia.No entanto é interessante verificar que o professor de educação física apesar da sua idade referiu projectos após a reforma diferentes de estar num banco de jardim.O iluminado professor de português no entanto já se via num banco de jardim."Dá Deus nozes..."

Navigator disse...

Como pode a idade da reforma ser independente da função?Uma enfermeira com um processo degenerativo nas mãos(por.exemplo uma simples artose no polegar,aceitavel para a idade) pode fazer uma vida normal,nenhum médico a reformará antecipadamente;poderá dar uma simples injecção intravenosa sem fazer vítimas?

Navigator disse...

Em relação ao tempo na justiça não há nada que se possa fazer(pelo menos individualmente).A não ser por vezes os acordos extrajudicais para acabar com o desespero mas que deixam os criminosos de cabeça erguida.Resta-nos a visão do arco do Quaresma direito ao cantinho da baliza daquele guarda redes engolidor de sapos.Ou a dança do Cristiano até conseguir o espaço para dar o tiro entre uns nove belgas com pés colados no chão.Boa-sorte.

Gonzaga disse...

Eu trabalhei no BNU em Nampula (Moçambique) de Julho de 74 a 31 de Março de 1975. Agora que já tenho 31 anos de Função Pública mais 5 anos e 176 dias de Serviço Militar queria pedir a Aposentação e dizem-me que a Declaração de tempo de banc´rio não me é concedida, porquê? Alguém me pode ajudar?!
Grato